Sábado, 31 de Outubro de 2009

 

Projecto intitulado:

 

"Museu de Arqueologia, Identidade Visual"

 

 

 

 

Clara Isabel dos Santos Alves Jana

 

 

 

 

 

 

Júri:

Presidente: Doutor Eduardo Alberto Vieira de Meireles Côrte-Real,  Professor Associado e Presidente do Conselho Científico da Escola Superior de Design do IADE;

 

 

Vogais :

Arguente: António Modesto da Conceição Nunes Professor Associado da Escola Universitária das Artes de Coimbra;

 

 

Arguente: Isabel Maria Sabino Correia,  Professora Catedrática da Faculdade de Belas Artes - Universidade de Lisboa;

 

 

Orientadora: Doutora Maria de Lourdes Rodrigues de Victória Riobom, Professora Auxiliar da Escola Superior de Design do IADE;

 

Co-Orientador: Fernando Jorge Matias Sanches Oliveira, Assistente da Escola Superior de Design do IADE

 

Mestre

in

 

''PROVAS PÚBLICAS (Projectos e Relatórios de Estágio)

CURSO DE MESTRADO EM DESIGN E CULTURA VISUAL

Sede Cultural do IADE, Palácio Pombal

06 de Março de 2008, pelas 14.00 Horas ''

 

 

 


Sempre atento aos progressos científicos do Concelho o POR ABRANTES tem o prazer de recomendar a leitura da tese disponível na Biblioteca Nacional (VER AQUI)  

 

 

 



publicado por porabrantes às 19:11 | link do post | comentar

 

O António Colaço tem sido um militante defensor do Património de Abrantes ameaçado pela construção do CAIXOTE carrilhista. Assessor de Imprensa do Grupo Parlamentar do PS (parece que por enquanto) o António foi funcionário da Câmara de Abrantes, animador de diversas experiências de dinamização cultural na nossa cidade, fundador e colaborador em actividades da comunicação social local e nacional, tendo estado ligado ao saudoso ‘’Notícias de Abrantes’’ e sendo também colaborador de outros jornais, dos quais nos lembramos do ‘’Ribatejo’’ (quando ainda não pertencia a um importante grupo empresarial ligado à construção) e do ''Primeira Linha’’, dinamizador de publicações culturais como a ‘’Ânimo’’ (nome do seu blogue actual onde se tem insurgido tanto contra o caixote do MIIA alguns deles já publicados aqui, ) e manifestando uma vocação nata de comunicador, sobretudo aos microfones de Rádios como a TSF, Rádio Ribatejo e Rádio Antena Livre, de que foi fundador.
Nas horas vagas, gosta de pintar e tem actualmente em Messejana uma exposição de pintura, que o semanário ‘’Expresso’’ permite admirar ‘’on-line’’. (VER AQUI)
Estamos certos que a nossa Câmara Municipal convidará em breve o Colaço para trazer a exposição a Abrantes.
Porque não queremos crer que haja uma ‘’lista negra'' para quem critica o Baptista Pereira & Carrilho da Graça...... 
Se houver lista negra, teremos de concluir que a coisa ''tá'' preta....   


publicado por porabrantes às 18:46 | link do post | comentar

Quarta-feira, 28 de Outubro de 2009

 

Tomou posse a nova Câmara Municipal que é composta pelos Snrs. 

Câmara Municipal

Maria do Céu Albuquerque – Presidente (PS); Rui Serrano (PS); Celeste Simão (PS)
Manuel Jorge Valamatos (PS);  António Santana Maia Leonardo (PSD);  António Belém Coelho (PSD); Albano Santos ( Independentes pelo Concelho de Abrantes).

 

Tomou também posse a nova: Assembleia Municipal formada pelos Sns: PS: Jorge Lacão Costa, Nelson Madeira Baltazar, Maria Helena Moreira dos Santos do Rosário Bandos, António Lucas Gomes Mor, Manuel Duarte dos Santos, Maria de Fátima Vicente Ferreira Chambel, Manuel Pereira Dias, Bruno Jorge Vicente Tomás e Carla Alexandra Rodrigues Pereira Catarino.
PSD: Manuela Ruivo, Gonçalo Oliveira, Carlos Horta Ferreira, Ana Rico e Nuno Gil.
Independentes pelo Concelho de Abrantes: José Manuel das Neves Amaral, Isabel Maria Marques Colaço  Knoch, Maximino Cardoso Chaves e João Viana Rodrigues.
 CDU: Avelino Manuel da Conceição Manana.
BE: Alcíno José Brás Hermínio.
CDS-PP: Matilde Netto Pádua.

 

E ainda pelos Presidentes das Juntas de Freguesia, que são membros natos deste órgão:

 

Juntas de freguesia: João Carlos Caseiro Gomes (Aldeia do Mato, PS), Pedro Jorge Correia dos Remédios Moreira (Alferrarede, PS), Manuel António Alves Leitão (Alvega, PS), Francisco Elisardo Dias Bentes (Bemposta, PS), António Clara Lourenço (Carvalhal, PS), José Maria Rebelo Ferreira (Concavada, PS), Manuel da Conceição Aivado (Fontes, PS), Cremilde Carolina Mendes Serigado (Martinchel, PS), Manuel Grilo (Mouriscas, CDU), António de Oliveira Moedas (Pego, PS), João Paulo Leitão Rosado (Rio de Moinhos, PSD), Luís Guilherme Séneca da Luz Valamatos dos Reis (Rossio ao Sul do Tejo, PS), António Martins Campos (São Facundo, ICA), Alfredo Moreira dos Santos (São João, PS), Helena Isabel Matos Martinho (São Miguel do Rio Torto, PS), Aníbal Ramos de Melo (São Vicente, PS), Diogo João Ferreira Valentim (Souto, PSD), Victor Hugo Cardoso (Tramagal).

 

( Dados colhidos da página Web da CMA).

 

O Por Abrantes deseja as maiores felicidades aos novos Edis e recorda que está na sua mão a defesa do património abrantino, incluindo a preservação de São Domingos ameaçado pelo projecto megalómano do Carrilho da Graça.

 

Entre os novos Edis foram signatários da petição : os Snrs Dr. Santana-Maia Leonardo (Vereador-PSD), e os membros da Assembleia Municipal Snrs. Drs. Nuno Gil (PSD) e Dr. José Amaral (Independentes).   

 

O Por Abrantes espera destes Eleitos que sejam fiéis aos seus compromissos.

 

E hoje não damos Voz ao Povo, porque a concedemos ao Dr.José Amaral, na sua qualidade de representante dele, que quando assinou a petição realizou o seguinte comentário:

   

''Esta minha intervenção, a título puramente individual, não compromete nem envolve a Candidatura "INDEPENDENTES PELO CONCELHO DE ABRANTES", cujas listas integro.

''Reprovo, totalmente e sem rebuço, o projecto do edifício, tal como se visualiza na maqueta apresentada pela Câmara.
Entendo que o Museu pode ter grande importância para o desenvolvimento do Concelho, e que se deve levar por diante esse projecto, que é estruturante, em termos de promoção cultural e turística, merecendo ser bem pensado.
''

 

Comentário feito a 25-6-09 que o ''POR ABRANTES'' subscreve também naturalmente sem rebuço...... 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 19:18 | link do post | comentar

Terça-feira, 27 de Outubro de 2009

 

Continuamos hoje a fazer o que prometemos. Dar a voz ao Povo. Os comentários inseridos são todos de Amigos de Abrantes e naturalmente não olhamos a ideologias políticas, interesses pessoais,  classes sociais ou coisas no género. Como todos os que assinaram a petição apenas se trata de defender o INTERESSE PÜBLICO e a paisagem e os Monumentos de Abantes. 

 

Por favor não pensem com os pés!
Não olhem para o chão mas para a frente!
Victor Hugo Lalanda, 30 de Junho 2009
 
É realmente um absurdo aquele mamarracho a rasgar o horizonte desta linda cidade. Por muito funcional ou necessário que seja este equipamento, não dá para crer que não haja outra solução ou local para implantar tal paralelipipedo. Mais cego é aquele que não quer ver!!
Luís Sousa,
 
Mais uma obra de santa engrácia só para levar o dinheirinho do contribuinte! Não há quem ponha cobro a isto?
Carlos Sirgado 29-6-09
 
É uma pena que numa cidade com edifícios de traça histórica não se consiga arranjar nenhum que possa albergar o Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes, sem desvirtuar a sua paisagem urbana.
Margarida Pereira, Pego, 29-6-09
 
Toda a obra de arquitectura deve ser devidamente posta a concurso público, nunca por convite ou concurso limitado.
Depois deve-se fazer uma exposição pública dos trabalhos selecionados, proceder ao seu debate, recolher opiniões dos seus cidadãos locais.
Antes de tudo e como tudo tem de haver democracia nestes processos.
Eduardo Mascarenhas de Lemos, 2-Julho de 2009
 
O projecto apresentado e contra o qual e pronuncio é abjecto em todos os seus aspectos. Desde uma péssima integração no equilíbrio da cidade até um absoluto desrespeito pelas mais elementares regras de urbanistica.
Dr. Manuel Paulo S.B. Maia Gonçalves, Mouriscas, 26 de Julho


publicado por porabrantes às 19:40 | link do post | comentar

Domingo, 25 de Outubro de 2009

 

 

João Pico é um leitor assíduo deste blogue. É uma coisa que se agradece, porque a leitura faz bem às cabecinhas. Embora haja cabeças que são avessas à compreensão. E com a memória fraca.
Também é o maior produtor abrantino de posts, a tal velocidade que desarma a concorrência.
Pronuncia-se sobre todos os assuntos com uma autoridade que nos deslumbra.
E deu-nos a honra de nos citar, atribuindo-nos a organização duma conspiração para o depor.
(LER AQUI)
 
 
Ao mesmo tempo aproveita para agredir o Arq. António Castel-Branco, acusando-o de ser filho dum comunista!
E dedica-se a teorizar sobre o perigo da infiltração bolchevista no CDS abrantino!
 
Ex-comunistas no CDS ? Que horror !Há quem gostasse que lhes fosse vedada a entrada, metendo nos estatutos uma cláusula do género daquela que tinha o B.N.P., um partido fascista inglês, que  nos estatutos vedava a entrada a cidadãos que não fossem caucasianos, isto é brancos.
 
Segundo Pico nunca no CDS houve ex-comunistas.
Infelizmente não é assim.
 
O CDS- P.P. já teve um dirigente máximo que andou próximo do PCP, o Prof. Adriano Moreira e que para ter um currículo mais completo chegou a ser Ministro e Delfim de Salazar.
 
Naturalmente Adriano Moreira não foi do MDP-CDE, como não o foi Duarte Castel-Branco, como o acusa, J.P.
Quando muito andaram próximos do MUD que foi a frente ampla da Oposição à Ditadura nos anos 40-50.
 
O MDP-CDE só nasceu a partir de 1969, coisa ignorada pelo Sr. João Pico, nosso estimado leitor.
 
Depois também ficamos a saber que a qualidade de comunista é genética e se transmite
de pais a filhos.
 
Se fosse assim o dr. Paulo Portas também era comunista porque é filho de Nuno Portas que foi do MDP-CDE e de coisas mais radicais. E irmão de outro perigoso comunista, o eurodeputado do Bloco, Miguel Portas.
 
Felizmente para a Democracia Portuguesa as regras do CDS abrantino não são iguais às do Largo do Caldas. O CDS é um grande partido democrático (excepto em Abrantes onde é minúsculo) como o é hoje o PCP.
 
E estamos muito contentes de termos entre os assinantes da petição gente próxima ao PCP como é o caso da ex-Vereadora da CDU, Dr Isabel Cavalheiro.
Bem haja por ter assinado a petição. !
Sempre soubemos que era uma alma sensível à defesa do património abrantino!
Quanto mais comunistas tivermos a assinar a petição melhor !!!!
E naturalmente gente de todas as facções, raças, cores e credos.....
  
  
 


publicado por porabrantes às 21:23 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Um dos mais destacados defensores do MIIA o dr. José António Pinto Ribeiro já não é Ministro da Cultura!

 

Excelente notícia.

 

Coisa que nos leva a agradecer ao Sr. Primeiro-Ministro a sensatez de despachar o Ribeiro e escolher uma senhora muito bonita para o dito cargo.

 

Sobre Pinto Ribeiro subscrevemos todas as críticas que a Associaçao  de Arqueólogos lhe dirigiu. (LER AQUI)

 

E PERGUNTA-SE COMO É QUE UM TIPO QUE TRATAVA OS ARQUEÓLOGOS DESTA FORMA SE ATREVEU A PERORAR SOBRE O MIIA EM ABRANTES?

 

Má notícia é a saída de Manuel Bairrão Oleiro da Direcção do  Instituto Português dos Museus e da Conservação. Neto de Diogo Oleiro, filho de João Manuel Bairrão Oleiro  nunca deu a mínima bola ao processo do MIAA.

 

Porque seria?

 

Um dia destes explicamos.

 

Só tememos que o Manuel, agora com mais tempo, escreva ao Sr.Martinho Gaspar exigindo as provas da adesão de João Manuel Oleiro à Ditadura.

 

Terá Martinho Gaspar uma gravação onde se veja Bairrão Oleiro e Duarte Castel-Branco berrando ''Viva Salazar'' ?

 



publicado por porabrantes às 17:24 | link do post | comentar

Sábado, 24 de Outubro de 2009
Esta é uma virtude muito em voga na sociedade portuguesa e abrantina.
 
Um português e em especial um abrantino imprudente (como aqueles que assinaram a petição) está sujeito a azares vários incluindo a receber impropérios da autoridade constituída, que pensa sempre que quando um cidadão discorda do PODER deve ser pelo menos admoestado, como aconteceu ao pobre e simpático burro JERICO.
 
 
Entre as admoestações que recebemos agradecemos a da D.Isilda Jana que nos chamou através dos microfones da rádio, ‘’VELHOS DO RESTELO’’. Nem demos por isso, mas o TRAMAGALENSE teve a bondade de nos avisar.
LER AQUI
 
Através da ‘’BARCA’’ de Agosto , o Vice-Presidente cessante (em boa hora!) da C.M.A., Pina da Costa desceu à alegoria animal, e escreveu, numa prosa  à Baptista Pereira que, ’circulam petições e comunicados que miam muito mal’’.
LER AQUI
 
 Depois destila uma série de raciocínios  dignos do Sr. João Pico, coisa que nos faz temer que venha a ser o próximo Presidente do CDS- P.P.  
 
Somos velhos e miamos ? 
 
Bonita forma das autoridades camarárias tratarem quem exerce um direito cívico previsto na Constituição.........   
 
Certamente devido a isto o historiador José. M. Gaspar, que pensamos ser o mesmo que dirige uma curiosa publicação chamada ZAHARA, resolveu exercer a prudência, e escrever no mesmo mensário um artigo sobre o museu, não se pronunciando sobre a questão essencial que é a excessiva volumetria do MONSTRO em relação ao casario abrantino.
 
Diz Gaspar: ‘Ao contrário da expectativa da generalidade daqueles que lerão estas linhas, não se vai aqui abordar o projecto do Arquitecto Carrilho da Graça para o edifício do Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes (MIAA), porque um museu vai muito para lá de um edifício.’’  
 (LER AQUI)
 
Longe de nós censurar a prudência do historiador que não se quer arriscar a ser increpado pelas autoridades.
 
Longe de nós censurar as opiniões que a seguir expressa sobre a forma de gerir museus e da necessidade de ter gente preparada....
 
Um dia destes começamos a falar nisso....
 
Aquilo que vimos pedir ao historiador Gaspar é que seja ainda mais prudente. Porque no número de Maio da Barca, resolveu dissertar e opinar sobre as origens sociais e convicções políticas do grupo de cavalheiros que constituiu a A.R.A. nos idos de 68.
 
‘’A A.R.A. – Associação Para o Desenvolvimento da Região de Abrantes foi fundada a 31 de Outubro de 1968, no Hotel de Turismo de Abrantes. Foram sócios fundadores Agostinho Rodrigues Baptista, António da Silva Martins, Duarte Castel`Branco, Fernando Dias Simão, João Soares Mendes, João Manuel Bairrão Oleiro, João Manuel Esteves Pereira, João Nuno Serras Pereira, Luís Fernando Velho Bairrão, Luís Gonzaga de Moura Neves, Luís Mena Moura Neves, Manuel António Baptista e Rui Duarte Ferreira. Tratou-se, pois, de uma agremiação criada por um conjunto de individualidades abrantinas de primeiro plano, perfeitamente identificadas com o regime vigente e que, em comum, tinham o desejo de guindar a região para outros patamares em termos de protagonismo económico. Entre estas figuras tínhamos o próprio Presidente da Câmara Municipal, o médico Agostinho Rodrigues Baptista, indivíduos provenientes de famílias de industriais, como Rui Duarte Ferreira ou Fernando Dias Simão, e latifundiários, como os membros das famílias Moura Neves e Soares Mendes. ‘’   
(LER AQUI)
 
Tudo muito bem se não esquecesse de duas personagens fundamentais na História da A.R.A. que foram o eng. António da Silva Martins e o dr. Eurico Heitor Consciência.
 
Por exemplo não destacar o papel do eng. António Silva Martins como Director do Gabinete da Área de Sines e a sua proximidade com sectores católicos que vieram a terrminar no PS.
 
Foi Silva Martins que deu a Guterres o primeiro emprego e seria um alto cargo no Governo PS de António Guterres.
 
Recrutava Guterres ''fascistas???
 
 
E se não cometesse erros de palmatória como vir-nos contar que o Arq. Duarte Castel-Branco ‘’estava perfeitamente identificado com o regime vigente’’ .
 
Desde quando, pergunta-se?
 
 
Desde o dia em que desempenhava o cargo de chefe de gabinete do Dr.Arlindo Vicente, candidato à Presidência da República contra Humberto Delgado e Américo Tomás?    
 
E identificar João Manuel Bairrão Oleiro com o ''fascismo''. Podia mostrar-nos a fotocópia do cartão da ANP ou da Legião do eminente arqueólogo?
 
Este tipo de história recorda um célebre prefácio em que se chamava plagiador a Diogo Oleiro ( como o autor está morto, esquece-se propositadamente o nome) sem uma prova.    
 
 
Também nos conta que o Dr. João Soares Mendes, pertencia a uma família de latifundiários, coisa que sugere que teria interesses diferentes, dos ‘’industriais’’ isto é  de Fernando Simão e Rui Duarte Ferreira.
 
Ora bolas, toda a vida foi João Soares Mendes um industrial, e se bem nos lembramos já o Avô dele fabricava máquinas agrícolas. E João Soares Mendes sempre foi a cabeça das FRA – Fundições do Rossio de Abrantes e teve o talento das manter em funcionamento durante todo o PREC, naturalmente com a colaboração preciosa do eng. Amadeu Soares Mendes.
 
Teria bastantes hectares João Soares Mendes? E Rui Duarte Ferreira não tinha? 
 
De maneira que o Pró Abrantes requer ao historiador GASPAR que seja mais prudente quando fale do seu ofício, ou seja da HISTÓRIA.
 
Declaração de interesses: Duarte Castel-Branco assinou a petição e a viúva de João Soares Mendes também. Não esperávamos outra coisa deles.
 
Por Abrantes

 



publicado por porabrantes às 20:19 | link do post | comentar

Não tinhamos agradecido ao blogue NABANTIA a sua generosa atenção  à questão da salvação de São Domingos. Ainda faltam outros blogues, mas o tempo é escasso. As nossas desculpas.

 

Publicamos nesta secção um post do NABANTIA  sobre o Museu  : 

                                                    O MAMARACHO  

A Câmara Municipal de Abrantes aprovou a construção de um edifício de forma paralelepipédica, com cerca de trinta metros de altura, sem janelas, para albergar o futuro Museu Ibérico de Arqueologia e Arte de Abrantes. O edifício ocupará grande parte da cerca do Convento de S. Domingos - um das mais importantes e históricos conjuntos arquitectónicos do burgo - situado num dos pontos mais elevados do monte onde se ergue a cidade de Abrantes."

 

Via AmetistaA descobri que a Camara Municipal de Abrantes quier construir um mamarracho para construir um... museu ibérico. Além de não saber muito bem o que é um museu ibérico, parece uma ideia absurda, própria de pessoal do betão, o projecto da coisa. Aterrador. Já há uma petição a correr. Ide lá e assinai, oh gentes...
(27 de Junho de 2009)

 



publicado por porabrantes às 17:56 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22 de Outubro de 2009

Vamos divulgar uma série de interessantes reflexões do Arq. Pedro Machado Costa em amável troca de ideias com o seu colega Pedro Jordão, no blogue sobre arquitectura http://quando-as-catedrais-eram-brancas.blogspot.com/

 

Juntamos pelo seu interese alguns dos comentários realizados por outros intervenientes no diálogo. O resto desta interessante conversa pode ser seguido aqui .

 

             Pedro Jordão:  

um pormenor que quase sempre falta quando se fala nos atropelamentos constantes dos concursos, muitas vezes com a cumplicidade da nossa Ordem: é que a indecência não está apenas nos projectos atribuídos sem concurso, mas na desproporção gritante entre concursos abertos a todos e concursos por convite (e esses não faltam, só não são publicitados)
(....)
Pedro Machado Costa:

 

(....)Depois porque poucos são os arquitectos verdadeiramente interessados em fazer concursos; sobretudo aqueles cujo garante de trabalho passa exactamente pela sua inexistência: Siza (exemplo recente: Biblioteca de Viana), Souto de Moura (exemplo recente: Museu em Quarteira), Carrilho da Graça (exemplo recente: Museu Ibérico de Arqueologia de Abrantes), só para citar alguns dos autores a quem são habitualmente adjudicados projectos públicos sem que o processo passe pelo crivo de qualquer tipo. Ainda assim não é sem curioso espanto que assisto ao rejubilo, por parte de jovens e menos jovens arquitectos, perante tais adjudicações directas aos seus (e alguns meus também, admito) mestres; sem que percebam que uma dos factos que explica não terem trabalho é exactamente a simples inexistência de justiça social.
(....)
Observatório de Arquitectura disse:

subscrevo... e acrescento;
sobre ajustes directo sem concurso:
. aeroporto de alcochete - joão leal + hok international limited, arup, bmm arquitectos e aviation solutions
. cerca de 400 escolas - vários (gonçalo byrne, bak gordon, ideias do futuro, vitor mestre, serralvarez, bernardo & bernardo, implenitus, pitágoras, carlos santos, mário martins, proengel, arquivisão, ribeiro torres, sérgio sousa, etc etc etc)
. piscinas da amareleja - souto moura
. edifícios da sanidade da APDL - adalberto dias
. estação coimbra-b - joan busquets
. centro de artes e espectáculos - filipe oliveira dias
. biblioteca municipal de guimarães - arqt.of
. centro de emprego e formação profissional - miguel saraiva
. cine-teatro de chaves - andré campos/joana mendes
. biblioteca municipal de vila nova de famalicão - joão eduardo marta
ficam estes a título de exemplo... mas posso-vos adiantar que deste 16.10.2008 contabilizei cerca de 70 deste tipo de processos, + as 400 escolas... impressionante não é ?
e para além destes temos outros, aqueles que até cumprem o requisito de se encontrarem abaixo do 25000€ do ccp; mas que os reprovo e considero eticamente inadmissíveis porque 24000,00€, 24500,00€, 24900,00€, 24915,00€, 24950,00€, 24960,00€, 24986,50€, 24990,00€, 24995,00€, 24998,00€, 24999,00€, etc etc, representam na práctica o mesmo valor que 25000,00€... e o alcino soutinho, a cpu, a proap, o frederico valssassina, o souza oliveira, o gonçalo byrne, o miguel saraiva, o fernando monteiro, a bernardo&bernardo, etc etc etc estão conscirnte disso. em ajuste destes, provincianos e (muito pouco) ingénuos já lá vão cerca de 100 desde 16.09.2008.
e a ordem nada diz, ou comenta... verdadeiros diplomatas diria... será que é porque alguns destes personagens tb eles são membros eleitos do cdn, srs ou srn ? onde já anda o vício... vergonha, profunda vergonha sinto. (...)

 

            E que dizemos nós?

            A mesma coisa que o Observatório de Arquitectura: 

 

CONCURSOS PÚBLICOS DE CONCEPÇÃO / ADJUDICAÇÕES DIRECTAS
Os concursos públicos de concepção deveriam ser o único instrumento que o Estado, as Regiões Autónomas, as Autarquias Locais, os Institutos e Empresas Públicas, e demais instituições públicas e/ou com participação pública têm ao seu dispor para a contratação de serviços de arquitectura e especialidades com vista à elaboração de estudos e projectos de construção, reconstrução, remodelação e planeamento urbano.
Não é concebível que ainda haja recurso a concursos públicos viciados e/ou com condicionantes de quase impossível cumprimento (só entre meados de Dezembro de 2008 e Janeiro de 2009, já tive oportunidade de alertar os serviços de concursos das Secções Regionais Sul e Norte para 11 destes procedimentos suspeitos). Não é concebível que colegas nossos actuando como júri, o façam com displicência e sem o zelo e respeito necessários à função e acto de ajuizar.
Não é concebível que ainda haja recurso a adjudicações directas de duvidosa legalidade e/ou justificação. Não é concebível que se convidem arquitectos nacionais e estrangeiros, ditos de referência e renome nacional e internacional, para servir única e exclusivamente objectivos políticos e operações de marketing político apresentadas como comemorações da república, projectos de interesse nacional, autárquico, etc. Não é concebível que se entreguem projectos a arquitectos com base nos seus compadrios ou meras afinidades de gosto dos responsáveis decisores. Não é concebível que importantes obras do Estado e das Autarquias, como por exemplo a renovação e aumento do parque escolar, os equipamentos de saúde, os museus e equipamentos culturais, a recuperação do nosso mais precioso património edificado ou até mesmo o futuro aeroporto, sejam projectados sem uma consulta pública e apreciação por um júri qualificado. Não é concebível que colegas nossos aceitem estas adjudicações directas tendo consciência absoluta que não o deveriam fazer, pelo óbvio desequilíbrio que provocam na normal regulação e livre concorrência da classe, consagrados aliás no Regulamento de Deontologia. Não é concebível que a Ordem dos Arquitectos apoie alguns destes procedimentos sendo ingenuamente instrumentalizada pelo sistema político. Não é concebível que a Ordem dos Arquitectos não se pronuncie desfavoravelmente sobre este tipo de procedimentos; não se distancie clara, objectiva e publicamente destas manobras de bastidores e não actue disciplinarmente sobre quem prevarica.

 

Mais reflexões  do Observatório podem ser lidas aqui

 

Finalmente esperamos que a nova Presidente tenha tudo isto em conta e abra um concurso público para a instalação do MIIA, que é certamente uma mais-valia para a cidade de Abrantes.

 

Por Abrantes

 



publicado por porabrantes às 21:41 | link do post | comentar

Terça-feira, 20 de Outubro de 2009

 

 
Continuamos hoje a divulgar mais opiniões de abrantinos e amigos de Abrantes expressas na petição on-line. Ou seja amostras da indignação popular !!! 
Ou seja a opinião que os comissários políticos a soldo das construtoras não deixam sair nalgum jornal local.... 
 
 
 
Há autarcas inconscientes e sem noção das conveniências.... e muitas vezes..., não têm sensibilidade artísticas!
Como estamos em época de eleições e as Câmaras gerem bem a "rés-pública", há que esbanjar dinheiros que não são deles, para "convencer" o eleitorado daquilo que não são, no geral.
Miguel Lima, Lisboa, 21-7-09
 
A questão não é estar contra o museu... mas com tantos estudos hoje em dia e com tantos terrenos mal aproveitados em Abrantes, tenho a certeza que encontrarão um sítio melhor ou um edifício que possa misturar-se com as formas da cidade sem criar esta diferença abismal de formas arquitectónicas.
 
Joana Vitório, Abrantes, 21-7-09
 
 
 
 
 
 
 
Basta de destruição do nosso património por iluminados!
 
José Manuel Craveiro Bioucas Santos de Jesus, 20-7-09
 
A arquitectura deve estar próxima dos cidadãos e não ser uma aberração que ninguém consegue entender.
Isabel Borda´Agua, Abrantes,
16-7-09
 
Para que um monstro desses... digo não ao mamarracho.!
Nuno Parreira, 26-07-09
 
O projecto (em simulação) do edifício parece realmente não se harmonizar bem com a zona histórica onde ficaria inserido.Assim, sem pôr em causa os objectivos a que se destina, considero que seria realmente de ser efectuado um debate público o qual poderia possibilitar outras modos de resolver o problema em termos melhor integrados na zona nobre da cidade, que todos gostaríamos de preservar.
 
João Almeida, Abrantes, 1-7-2009
 
Isto é que chamo sair em grande...com trinta de metros de altura !!! Concordava com este Museu se fosse colocado bem no topo do referido caixote , toda a Assembleia responsável pela aprovação deste ABSURDO E MÉGALOMANO PROJECTO... para a despedida, mAIS UM mAMARRACHO...
 
Célia Santos, 30-6-09
 
Mais um mamarracho para competir com aquele feito no aquapolis!
Fernando Soares Mendes, Abrantes, 1-7-09


publicado por porabrantes às 17:11 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A cacique e a incubação

Ataques Pessoais (2)

MP acusa Barroca Rodrigue...

Uma bofetada na cara da c...

Eleições

Ana Chambel Dias fustiga ...

Os ataques pessoais

Capitão de Abril denuncia...

Mouriscas contesta Orçame...

Como os caciques despreza...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

pcp

pego

pegop

petição

pico

pina da costa

política

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

vale das rãs

todas as tags

links
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds