Segunda-feira, 30 de Junho de 2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

a redacção


tags:

publicado por porabrantes às 21:50 | link do post | comentar

''Relvado sintético escapa sempre à vida austera



Montalvo é uma freguesia com 1.275 habitantes, localizada no concelho de Constância (4.056 habitantes). No mês passado, o município de Constância decidiu "investir" mais de 100 mil euros (100.556,50 € + IVA) no relvado sintético do campo municipal daquela freguesia. É bom saber que continua a haver dinheiro para (quase) tudo.''
com a devida vénia
o campo de futebol ficaria melhor decorado com oliveiras centenárias, a Julinha só tem de telefonar prá Céu, para pedir o número do Acácio Catarino, o melhor vendedor de oliveiras do mundo, eu vou tomar uma imperial antes de almoço com o Sr.Oliveira da Figueira que ainda não é centenário
artecurial.com
ma


publicado por porabrantes às 12:35 | link do post | comentar

no número 21 da Zahara, revista dirigida por José Martinho Gaspar (ex-seminarista), que tem como subdirectores José Eduardo Alves Jana (ex-seminarista) e Teresa Aparício (conhecida frequentadora da Casa Diocesana de Santa Maria), com os apoios da Câmara Municipal de Abrantes e do Inatel, foi publicada uma entrevista à Senhora Dona Aurélia Rodrigues, mulher do Pastor da Igreja Evangélica do Rossio ao Sul do Tejo ou para ser mais exacto à Senhora Dona Maria Aurélia Jesus Valle Rodrigues.

 

 

 

E ainda para ser mais exacto da Igreja Evangélica Presbiteriana.

 

 

Um tipo que estudou num seminário deve saber discernir entre Lutero e Jonh Knox..

A história das variantes do cristianismo que surgiram a partir da Reforma pode ser complicada e às vezes labiríntica para um leigo, mas não para um ex-seminarista ou para a Direcção duma revista que parece mais uma Junta de teólogos que de historiadores.

O labirinto protestante será complicado e ainda pouco estudado no caso abrantino (não no caso português) mas há elementos publicados por historiadores de referência mesmo, para o caso abrantino, que é sobretudo um caso rossiense, onde há protestantes estabelecidos desde finais do século XIX.

No caso abrantino  há processos inquisitoriais contra protestantes pelo menos no início do século referido.

Já se publicou aqui alguma coisa sobre isso.   

Deixando estas subtilezas e as questiúnculas teológicas vou-me centrar numa pergunta feita pelo Alves Jana à sua entrevistada. Primeiro pergunta-lhe se teve problemas com o Padre Narciso, que  ‘’era o Professor de Religião e moral católicas’’ na Eica, segundo o tipo.

A D.Aurélia entrara para docente nessa escola.

Acontece que não era só ele, havia mais professores/as dessa disciplina, nessa Escola, entre as quais destaco a Senhora Dona Maria Justina Bairrão Oleiro.

O P.Narciso era ao tempo também Capelão do Colégio de Fátima e ainda responsável pela LOC-Liga Operária Católica, porque a Acção Católica estava dividida de acordo com as classes sociais. Os ricos estavam na LIC –Liga Independente Católica, caso de certa pintora abrantina que todos conhecem.

O P.Narciso naturalmente não  criou nenhum problema-respondeu a Senhora. Mas adiantou que quem lhe criou problemas, não na EICA, mas no apostolado presbiteriano fora o Padre José de Oliveira, que já encontrámos neste blogue criando ‘’problemas’’ à famosa Dona Arminda, que a Margarida Trincão entrevistou para o ‘’Mirante’’ e o António Colaço e algum amigo também entrevistou para a RAL. 

Para explicar quem era o P.José de Oliveira, que foi Pároco do Pego (onde o Jana fez estágio para padre e onde portanto poderia ter vasculhado os arquivos das paróquias e os armários das beatas) e ainda de São Miguel do Rio Torto desde os anos 30 do século XX  até 1990 e tal, seria importante fazer uma análise biográfica dele e interpretar as suas atitudes dentro do contexto da Igreja ultramontana que serviu, presidida por quatro sucessivos Bispos de Portalegre e ainda por um Bispo de Beja porque antes de desembocar em Abrantes, o R. José de Oliveira foi Pároco de Serpa.

Nesta diocese serviu às ordens de D.Domingos Frutuoso, D. António Ferreira Gomes, D. Agostinho e a ainda de D. Augusto César. 

Mas  não é  o P.Oliveira que me interessa, apesar de achar pelos documentos que compulsei, que a Senhora Dona Aurélia tem toda a razão e que o P.Oliveira procedeu duma forma semi-inquisitorial contra os protestantes, interessa-me Luís Ribeiro Catarino.

Porque o Jana dispara a seguir à entrevistada ‘’ E com o padre Catarino (pároco do Rossio)?’’

 

 

Nunca tivemos nenhuns problemas com ele’’. –diz a D.Aurélia.

E não podia ter tido porque à data que a Dona Aurélia chegou ao Rossio (Dezembro de 1966) o P.Catarino já não era Pároco do Rossio, apenas sendo Pároco de S.João de Abrantes.

A base da História é a cronologia e a Zahara pretende ser (não digo que seja ) uma Revista de História.

E o Jana é subdirector da dita Revista.

Portanto além de descurar o básico em História, vem lançar sobre um Homem Bom, já falecido e portanto incapaz de se defender a reles suspeita de ser um  Inquisidor. 

Quando pelo contrário, foi um homem bom e tolerante

 

MN 

 

 



publicado por porabrantes às 09:08 | link do post | comentar

Domingo, 29 de Junho de 2014

A história do empobrecimento e posterior enriquecimento da Igreja de São Vicente está por fazer. Graças à papelada que se compra nos alfarrabistas chegou-nos às nossas desorganizadas mãos o foro à Igreja de São Vicente dum quintal  do Senhor Anacleto e de mais bens imóveis foreiros à paróquia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

o Padre Semedo que era bom homem queria que o dr.Salazar lhe devolvesse os foros que a República jacobina confiscara ao clero, pela mão abrantina do humorista dos ''Perfis'', Justo da Paixão e o Botas disse que não.

 

Se bem nos lembramos o P.Semedo, beirão da zona de Castelo Branco, foi o antecessor do Cónego Freitas.

 

MN  



publicado por porabrantes às 22:11 | link do post | comentar

 

 

 

em 1904...

 

Curiosa colecção da qual publicaremos outros exemplares

 

redacção

 



publicado por porabrantes às 21:42 | link do post | comentar

Gastão Coutinho, Morgado de Punhete, Conde da Taipa, Senhor das Ilhas Desertas, soldado do Infante Dom Miguel na jornada de Vila Franca, oficial do Imperador Dom Pedro e da Rainha nas Guerras Liberais, Par do Reino, propôs um cisma com Roma e a escolha deste homem como Papa da Igreja Lusitana

 

 

 

 

cortesia do Prof António Ventura, que anotou que o Reverendo só chegou a Grão-Mestre de certa tribo de pedreiros-livres, certamente aquela onde punha o avental o Senhor Dom Gastão da Câmara Coutinho, herdeiro dos fidalgos que deram asilo a Camões na sua torre de Punhete.

 

Agora vou reler uma carta autógrafa da sua mulher D.Francisca de Almeida Portugal ou do enteado....o Marquês da Valada, herdeiro dos latifúndios abrantinos do Coutinho depois dum longo processo judicial que deu brado.

 

Até que chegue o livro do Francisco Carromeu.

 

MN



publicado por porabrantes às 15:15 | link do post | comentar

(...)
No próximo dia 5 de Julho, pelas 16h00, na Biblioteca Municipal de Ponte de Sor, será apresentado o livro «Criando os chaparrais: dois séculos de montado de sobro no Alentejo», da autoria de Carlos Manuel Faísca, através de uma conferência que incidirá naturalmente no conteúdo do mesmo.

O livro, prefaciado pelo Eng. Hugo Hilário, aborda, em pouco mais de 50 páginas, a evolução do montado de sobro alentejano ao longo da história, com o objetivo de conceder ao leitor uma visão geral sobre a «construção» do montado de sobro de uma forma despretensiosa e simples, mas séria e historiograficamente rigorosa.

Este sistema agro-florestal (e ecossistema), tal como ele se apresenta hoje – sem dúvida a principal imagem identificadora de grande parte do Alentejo –, não é mais do que o resultado de séculos de ações e transformações do Homem sobre a natureza. A uma primeira fase mais marcada pela destruição, opôs-se uma fase de construção do montado de sobro, cujas origens remontam a meados do século XVIII, mas que apenas se generalizou durante o século XIX aquando da valorização da cortiça como produto industrial. A obra acompanha assim as vicissitudes do montado de sobro, com especial incidência nos últimos duzentos anos, dando o devido destaque à ação de entidades privadas, às diferentes intervenções do Estado e, sobretudo, às consequências que daí advieram para um dos mais importantes setores da economia regional e nacional, visto que é em Portugal que o sobreiro encontra as melhores condições no planeta para o seu desenvolvimento.

Integrado na coleção «Alentejanando: conversas à sombra de um chaparro» da editora Apenas Livros, este é o primeiro número de uma coleção composta por «livros de bolso» e exclusivamente dedicada a temas alentejanos.

O livro será vendido pelo preço de 4,35 € (à venda no Centro de Artes e Cultura de Ponte de Sor).

 

(....)

 

 

Margarida Dias da Silva

 

no Histport

 

 

o dr. Carlos Faísca tem o recomendável blogue http://sobreaponte.blogspot.com.es/ sobre História rural da região e além disso um livro interessante sobre Montargil

 

 

 

João Lopes Fernandes junto à Sobreira de Assumadeira, cerca de 1963, na Herdade de Montalvo, em Montargil. Foto in "Devoção Suberícola - As Herdades de "Leitões" e "Montalvo" do Sr. Comendador João Lopes Fernandes" de Joaquim Vieira Natividade.''

 

página do facebook : Fundação João Lopes Fernandes

 

 

a redacção



publicado por porabrantes às 10:19 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Sábado, 28 de Junho de 2014

Quais os políticos abrantinos que dispõem de serviços de banca privada?

 

 

Podem esses políticos confiar nos engravatados que trabalham na banca privada de bancos falidos?

 

 

Quantas instituições de ''caridade'' abrantinas têm depósitos ou investimentos em papel comercial de bancos falidos por negócios angolanos? 

 

 

Qual é o montante desses investimentos?

 

 

O gajo da banca privada, enquanto aperaltava a gravata de ''seda'', disse-me não retire os depósitos, somos um banco ''seguro'' e a minha mãezinha andou no Colégio de Fátima.

 

Você lembra-me o gajo que angariava depósitos prá Dona Branca e depois cavou pró Brasil, só que ele era mais sério. Agora está prós lados de Leiria.

 

Está-me insultar.

 

Só estou a dizer que o outro era mais sério.

 

E aliás o risco era menor......

 

Quem era o tipo?

 

Acolho-me ao segredo profissional. E dou-lhe um bom conselho, vá angariar depositantes ao Colégio de Fátima onde estudou a sua mãezinha. As freiras receberam um montão de euros como sinal do contrato-promessa de venda do casarão.

 

V.Excelência tem a certeza? É V.Excelência um benfeitor.

 

A propósito, a sua mãezinha guarda o pé de meia debaixo do colchão ou no banco falido onde trabalha você?

 

  

mn

 



publicado por porabrantes às 23:07 | link do post | comentar

 

Acta do Conselho da Revolução, PREC, documento classificado ''secreto''.

 

Era Presidente da República o Chico Rolha, ou para ser formal o falecido  Marechal Francisco Costa Gomes, ex-membro do Governo de Salazar e que seria o último Presidente do PREC

 

Certo Coronel dos Comandos garante que António Ramalho Eanes entrou de pistola em punho (descreve o modelo e o calibre) no gabinete dele a 25 de Novembro de 1975 e se fecharam lá. 

 

Face ao argumento que Eanes tinha na mão direita, o Chico finalmente escolheu o seu campo.

 

Não consta que alguma missa por alma de Francisco Costa Gomes tenha  sido considerada pela autoridade militar um ''acto político''.

 

 

Rui Ochoa

 

A Senhora de Costa Gomes, D.Maria Estela Varejão no funeral apolítico do marido. Já enterrara o filho, morto em circunstâncias dolorosas.

 

MA

 



publicado por porabrantes às 16:31 | link do post | comentar

 

 

visita obrigatória

 

a redacção



publicado por porabrantes às 13:54 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A cacique e a incubação

Ataques Pessoais (2)

MP acusa Barroca Rodrigue...

Uma bofetada na cara da c...

Eleições

Ana Chambel Dias fustiga ...

Os ataques pessoais

Capitão de Abril denuncia...

Mouriscas contesta Orçame...

Como os caciques despreza...

arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

pcp

pego

pegop

petição

pico

pina da costa

política

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

vale das rãs

todas as tags

links
Outubro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds