Quarta-feira, 5 de Julho de 2017

catarino 3.jpg

Padre Luis Ribeiro Catarino

 

freitas.jpg

Cónego Joaquim José de  Freitas

 

20127753_CDjhR.jpg

Cónego Henrique Pires Marques

 

padre lúcio.png

 

 Cónego Lúcio Alves Nunes  todos ex-Párocos das Freguesias de Abrantes....

O tonsurado Graça noutra entrevista de auto- propaganda desanca os colegas, três deles mortos e que não se podem defender,

 

'' No passado, esta cidade tinha uma determinada classe de pessoas que dirigiam isto tudo. Os padres eram de algum modo subservientes dessas pessoas''

 

O título bombástico é elucidativo:

 

:“Aquilo que faço a um, faço a todos”

 

O que fez ao Pedro Moreira foi isto:

nº 269/15.6TGABT

nº 518/13.5TAABT

 

 O que fez ao Doutor Arquitecto foi isto

 

E se o homem se calasse?

 

Qualquer dos colegas valia bem mais que ele....

 

ma 



publicado por porabrantes às 21:21 | link do post | comentar

 

O nosso amigo José Luz, ex-candidato PSD à autarquia de Constância e grande bairrista, enviou ao IGAMAOT uma queixa sobre um terrível acidente na CAIMA em 2013

 

Era 2014

 

luz.png

Estamos em 2017 e não lhe respondem, e volta a perguntar

 

---------- Mensagem encaminhada ----------
De: José Maria Horta Silvares Alves da Luz <
Data: 5 de julho de 2017 às 18:35
Assunto: ACIDENTE GRAVE NA CAIMA COM ÁCIDO NÍTRICO - PEDIDO DE INFORMAÇÃO
Para: igamaot@igamaot.gov.pt
Cc: belem@presidencia.pt, psd@psd.pt, cds-pp@cds.pt, quercus@quercus.pt


 
Exmo Sr
 
Inspector-geral
 
Venho por este meio solicitar informação sobre qual foi a decisão administrativa  proferida pela IGAMAOT, mormente, no âmbito do processo de contraordenação instaurado na sequência do grave acidente ocorrido na CAIMA - indústria de celulose, SA em 15-08-2013.
 
Pede deferimento
 
 
O ex-candidato a presidente da CMC E ENTÃO DENUNCIANTE
 
PS -
 
 
http://omirante.pt/sociedade/2013-08-16-derrame-de-acido-na-fabrica-da-caima-em-constancia
 
 
https://omirante.pt/sociedade/2013-08-21-nuvem-toxica-da-fabrica-da-caima-e-mais-um-caso-de-poluição
 
 
Quando os serviços de Inspecção do Estado funcionam assim, é sempre de perguntar....
 
A quem servem?
 
Ao povo, parece-nos que não....
 
Bem mandou cópia ao Marcelo, pode ser que o Presidente se apresente em Constância...
 
ma


publicado por porabrantes às 19:46 | link do post | comentar

O roubo dos lança-granadas em Tancos recorda a bandalheira militar no PREC em Abrantes......o Luta Popular, o órgão do MRPP, descreve assim o 25 de Novembro no RIA:

(...)

''3ª Anexo ao Relatório Preliminar do 25 de Novembro

OS «S»UV E O GOLPE (1º - RIA)

3.º Anexo ao Relatório Preliminar que continuamos a abordar.

QUEM ERAM OS «S»UV NO QUARTEL?

O RIA, tal como o nome indica, situa-se na cidade de Abrantes e é uma pequena unidade militar se a compararmos às unidades que integram o perímetro vizinho de Santa Margarida

Não obstante esse factor, o RIA tem a sua importância militar que lhe vem não só das armas que possui, das tropas que dispõe mas também da situação geográfica em que se encontra e que lhe permite rapidamente controlar algumas das mais importantes vias de comunicação terrestre com a região centro do nosso País.

Esta situação fez com que os social-fascistas do P«C»P e seus apêndices tudo fizessem para tomar conta da unidade controlar a sua actividade e mesmo dirigi-la.

Quando as manobras preparatórias do golpe social-fascista se iniciam, isto é, quase logo a seguir à reunião do MFA em Tancos que se realizou em Setembro do ano passado e onde os social-fascistas sofreram algumas derrotas, começa, no RIA. a tomar forma a actividade dos «S»UV. Essa actividade é então promovida, encorajada e fomentada pelo capitão Carvalhão, pelo capitão Pulguinhas e pelo alferes Soares, todos social-fascistas de primeira apanha. Estes três oficiais iniciam assim a sua actividade golpista e contra-revolucionária contando para isso com, o total e incondicional apoio que, consideram mesmo essencial e indispensável, de um certo número de estudantes universitários (os soldados de aviário) que fazendo parte do Curso de Oficiais Milicianos foram incorporados no exército com o posto de soldados.

Era a estes soldados de aviário que os oficiais social-fascistas do RIA davam instruções no sentido de espalhar e divulgar o que eram os «S»UV, quais os seus objectivos e no seio dos soldados de modo que esses pudessem vir a ser suficientemente «motivados» para serem mobilizados a participar nas actividades que os social-fascistas preparavam, isto é, o golpe.

Eram portanto estes senhores doutores, estes agentes do revisionismo que, infiltrados entre os soldados, espalhavam toda a sua ideologia podre e corrupta, todas as suas teses reaccionárias, as teses do P«C»P e do seu cão de fila UDPide as quais esses soldados de aviário bastas vezes demonstraram servir cabalmente.

Assim, no RIA, como na esmagadora maioria dos quartéis do nosso país, os «S»UV eram constituídos pelos oficiais social-fascista e por meia dúzia de agentes seus infiltrados entre os soldados e marinheiros. O que caracterizava estes agentes revisionis­tas ao serviço do partido social-fascista era o facto de serem indivíduos com cursos superiores ou sua frequência e na tropa terem o posto de soldados.

Bom exemplo do que dissemos anteriormente eram os casos dos soldados de aviário Canelas, Pereira, Ferro Rodrigues e Pessoa, todos eles com cursos universitários mas com posto de soldados e principais adeptos da suvalhada no RIA.

DOS «S»UV À COMISSÃO DE SOLDADOS

No entanto e apesar de todos os esforços dos social-fascistas, os filhos do povo do RIA não se deixaram iludir pelos «S»UV e os comunicados que por eles eram lançados eram na sua esmagadora maioria rasgados pelos próprios soldados e deitados nos caixotes de lixo ou nas instalações sanitárias da unidade. A mesma sorte tinham as mobilizações que os «S»UV tentavam fazer para levar os soldados a participarem nas manifestações por eles promovidas.

Vendo que os «S»UV não cumpriram a sua missão que era controlar a unidade e mobilizar os soldados para as suas manobras, os social-fascistas mudaram então de táctica.

Falando eloquentemente sobre uma necessidade que os soldados sentiam profundamente, a eleição do seu órgão da vontade popular a sua Comissão de Soldados, os social-fascistas souberam aproveitar-se desse facto e pondo-se à frente dessa justa reivindicação dos filhos do povo do RIA conseguiram alcando­rar-se à posição de controlar exclusivamente tal órgão. Isto revestia-se de um importante aspecto que era o de que os «S»UV passaram a actuar na Comissão de Soldados e em nome desses mesmos soldados preparam e executam as manobras que estavam dentro do plano social-fascista para o dia 25 de Novembro.

A PREPARAÇÃO DO GOLPE

É assim que a partir de então, os social-fascistas, nas costas dos soldados e contra os seus interesses, desenvolvem toda uma série de contactos que visam o planeamento do golpe. Usando do nome de Comissão de Soldados, soldados a quem nunca davam conta das suas actividades e das suas diligências os social-fascistas do RIA estabeleceram os seus primeiros contactos sistemáticos com as unidades militares controladas pelos social-fascistas para o planeamento das tarefas conjuntas e das que caberiam a cada unidade de forma a que todas elas agissem de acordo com um plano que batesse certo com as ordens do P«C»P.

Foi deste modo que a Comissão dita de «Soldados» do RIA participou em «visitas» e discussões políticas frequentes corno aquelas que se processaram no Ra­lis, na EPAM no RPM no DG. e que precederam o golpe que nelas foi discutido.

Ao mesmo tempo que esses contactos decorriam, outros eram iniciados: os contactos e a ligação às organizações locais do P«C»P e dos seus cães de fila cujos nomes o Relatório escamoteia mas que por outro lado utiliza para atacar os órgãos da vontade popular.

O que é facto é que a Comissão dita de Soldados utiliza a sua influência para intervir directamente nas fábricas e nos bairros de modo que o P«C»P fortalecesse a sua posição de controlo sobre os órgãos da vontade popular tão necessários que eram para mobilizar o povo em apoio ao golpe de 25 de Novembro.

Muitos desses contactos, senão a maioria, visavam estabelecer uma plataforma de entendimento entre os dois componentes do golpe: o partido social-fascista propriamente dito e os seus caciques e agentes na tropa.

É neste sentido, que a Comissão dita de Soldados contacta com vários elementos responsáveis pelo trabalho do P«C»P nas CTs e CMs e que de acordo com as conclusões se viu a necessidade desses senhores intensificarem a mobilização dos trabalhadores para serem armados caso fossem recebidas ordens do P«C»P.

Uma outra tarefa tinha também ficado definida, os social-fascistas deveriam realizar uma gigantesca movimentação «popular» junto ao quartel para que se pressionasse o comando do quartel caso ele tentasse reprimir os social-fascistas do RIS.

Esses contactos foram feitos com caciques como Afonso Campante, Fernando Amante, Rodrigues, Chambel e Branco, conhecidos pelos cargos que desempenhavam como membros das Comissões Administrativas das câmaras e juntas e das mais importantes direcções sindicais da zona. (....)

transcrito do ''Luta Popular'' por Gualberto Freitas - ''No Revolução Ressaca''.

reproduzido com a devida vénia  

mn



publicado por porabrantes às 16:22 | link do post | comentar


Jamaika, Portugal

 

Jamaika, Portugal

 

No concelho do Seixal, o bairro da Jamaika (assim, com “k”, como escreve quem lá vive) nasceu torto nos anos 80. Nasceu, não: abortou. Urbanização inacabada, por falta de dinheiro para a concluir, os nove prédios foram ocupados por quem não tinha casa. Com o passar dos anos, o refúgio para as cerca de 1300 pessoas tornou-se também numa bomba-relógio, por causa das obras desregradas que foram feitas pelos ocupantes. O perigo de desabamento é sério, como nos mostra a Antena1 nesta viagem pelo bairro da Jamaika, conduzida pela Rita Colaço, uma das melhores repórteres deste país.

 

 

 

RTP com a devida vénia

 

A reportagem é da Rita Colaço, filha do jornalista abrantino e nosso amigo António Colaço

 

A CM Seixal é da CDU desde sempre.

 

Como é que a autarquia permitiu isto ?

 

Como é que as tutelas permitiram isto?

 

Muito mais perguntas haveria a fazer....

 

Mas face aos factos, só resta bradar ''porca miséria''.

 

ma

 

 



publicado por porabrantes às 14:01 | link do post | comentar

isilda.jpg

A Isilda Manuela e o Pina da Costa estão em destaque no nosso colega Coluna Vertical, que recorda uma demolidora crónica do Dr.Eurico Consciência sobre estes elementos e o clientelismo à abrantina.

''Sacar uber alles'' é como termina o artigo do saudosos cronista abrantino.

ma



publicado por porabrantes às 10:46 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

O património arqueológici...

As propostas da AGIMOS

LUÍS LOURENÇO SOBRE OS IN...

O regresso da suástica

O regresso às lides

Viva a Caça!

A habitação social

Juan Marsé, o renegado

Malditas gralhas

A base social de apoio da...

arquivos

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

pcp

pego

pegop

petição

pico

pina da costa

política

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

vale das rãs

todas as tags

links
Setembro 2017
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds