Segunda-feira, 12 de Abril de 2010

 

O historiador que se encontrou em 4º lugar no ranking da gloriosa escola histórica do Souto definiu certa vez o dr. João Castro e Solla Soares Mendes como ''fascista'' e ''latifundiário''.

 

O homem  é dado ao políticamente   correcto.

 

Não disse ''fascista'' disse ligado ao antigo regime.

 

Não disse ''latifundiário'' mas disse qualquer coisa como grande proprietário rural.

 

Numa versão recente, revista e corrigida, da revista da seita, aproveitou as nossas lições à borla e lá disse que João Soares Mendes era um industrial.

 

Mas continuou a considerá-lo um ''fascista''.

 

 

Não conseguiu o homem mostrar uma só prova da admiração ou ligação de  João Soares Mendes à Ditadura.

 

 

O dr. João Castro e Solla Soares Mendes de  que falamos foi um aristocrata pelo sangue materno e paterno mas sobretudo foi um aristocrata do espírito.

 

A indústria deve certamente muito ao empresário que conseguiu manter a funcionar as Fundições do Rocio de Abrantes em pleno Prec, enquanto as falências se multiplicavam graças à crise económica e ao Prec.

 

Quem tem boa memória lembra-se do que sucedeu aos Investimentos ousados da fábrica de reboques Bioucas, já no concelho de Constância, onde está hoje a Tuperware.

 

E não é preciso ter grande memória para sabe o que sucedeu à MDF. Ou ao Jota Pimenta......

 

Pois bem, João e Amadeu Soares Mendes em plena recessão e em anarquia revolucionária mantiveram  em funcionamento uma unidade de indústria pesada com mais de uma centena de trabalhadores.

 

Se isso não é ser bom empresário e merecer a gratidão dos abrantinos, estamos todos certamente a nadar num mar de ingratidão.

 

Mas, João Soares Mendes foi um homem dado ao mecenato, à preservação das memórias abrantinas e chegou a ser (como hobbie)  antiquário, com estabelecimento aberto ali para a bandas da Rua de São Pedro.

 

Amador de coisas belas foi um grande coleccionador de arte e se a sua colecção não chegou a um Museu Abrantino, podem agradecer a humilhações e favoritismos municipais, que magoaram a sua viúva, a escritora e apoiante da petição, Tereza de Mello, que aliás protestou nas páginas dum jornal local contra esses favorecimentos mesquinhos.

 

 

 




Como exemplo do mecenato do Dr .João Soares Mendes e da sua Família recordamos este altar da Igreja de São João, por ele doado, embora lá figure una lápide com o nome dos seus Pais.

 

Aspecto parcial do altar referido foto da D.G.M.N.

 

Parte da colecção de arte do Dr. João Castro Solla Soares Mendes vai agora do dia 15 a 18 a Leilão na prestigiado Palácio do Correio-Mór e é possível através da Net ter acesso ao catálogo das peças.

 

Dizem-nos que o dinheiro obtido será destinado a obras benéficas por vontade da Escritora Tereza de Mello e naturalmente pelo respeito a essa vontade manifestado pelos seus Herdeiros.

 

 

 

Lote 0191
Descrição Salva e gomil em prata portuguesa, trabalho da primeira metade do séc. XVIII. Gomil com corpo liso em forma de balaústre com bocal largo, terminando em bico, com asa em forma de 'S' estilizado. Salva lisa de bordo moldurado com centro circular alteado com encaixe para o gomil. Ambas as peças com marca de contraste de Lisboa (L-24), datável de c.1720 a c.1750, marca de ourives ourives F/M.R. (variante L-249), de Manuel Roque Ferrão, datável de c.1720 a c.1770. Sinais de uso e gomil com amolgadelas no bojo. (2)
Peso aprox.: 1546 gr.; Diam. aprox.: 33,5 cm.

Ewer and salver, Portuguese silver, first half of the 18th century.
Notas Salientamos a invulgar proporção deste gomil, que se inspira em modelos mais recuados, de desenho simples, obra do importante ourives de Lisboa, Manuel Roque Ferrão. O Museu Regional do Abade de Baçal, em Bragança, tem um gomil muito semelhante na sua colecção, embora de maiores proporções e com a gravação das armas episcopais de Frei João da Cruz. Na colecção da Sé de Angra do Heroísmo, Açores, existe um gomil semelhante, na forma e propoção.
Proveniência Antiga Colecção Dr. João Castro Sola Soares Mendes.
Estimativa € 8.000 /  € 12.000

 

 

 

A peça que reproduzimos, com a devida vénia, do excelente Catálogo do leilão, demonstra a qualidade e os gostos da colecção do Dr. João Soares Mendes, um apaixonado pelos trabalhos da prata portuguesa do século XVIII.

 

O Por Abrantes apela aos coleccionadores abrantinos e às autoridades municipais que licitem no leilão, para impedir que estas obras saiam de Abrantes e ao mesmo tempo para que se enriqueça o MIIA.

 

Uma Câmara que pagou 5.600 € por uma medalha de oiro dos anos 60 mais umas papeladas do Dr. Agostinho Baptista, não tem desculpa para deixar fugir estas peças

 

 

Miguel Abrantes




publicado por porabrantes às 23:27 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Lacão, em bicos dos pés, ...

Restaurar a democracia na...

Milagre do Pai Bento: Len...

PS encosta gestora da Tej...

O irmão do Pinto de Sousa

A Universidade deles

Para o Estudo da Idade Mé...

Tramagal, 1936

Dia do Senhor: Ciganas sa...

Os desastres do cacique d...

arquivos

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

pcp

pego

pegop

petição

pico

pina da costa

política

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

links
Dezembro 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
13
14
15

20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds