Sábado, 7 de Setembro de 2013

Vamos dedicar uns posts à típica freguesia das Mouriscas, terra dos antepassados do Dr.Santana Maia-Leonardo e única freguesia liderada pela CDU cá no concelho..... 

 

 

Hoje contamos com a colaboração involuntária da nossa querida Margarida Trincão,

 

 

 

que faz uma excelente entrevista ao Dr.Humberto Lopes, Presidente (ao tempo) duma coisa chamada ADIMO

 

 

Arquivo: Edição de 25-03-2004

SECÇÃO: Sociedade

Associação de desenvolvimento de Mouriscas quer fazer obras para reabrir o espaço 
fotoUm museu com o espólio arrecadado 

O museu de Mouriscas tem o seu espólio guardado longe da vista do público. A antiga escola primária, onde se encontra instalado, está degradada e era frequentemente alvo de actos de vandalismo.
O edifício das antigas escolas primárias de Mouriscas (Abrantes), onde posteriormente foi instalado o museu etnográfico e arqueológico da localidade, está completamente degradado. Nas grandes janelas poucos são os vidros que resistiram às pedradas e aos constantes arrombamentos. Lá dentro o espólio museológico foi armazenado numa das salas, mas a Associação de Desenvolvimento Integrado de Mouriscas (Adimo) aposta na recuperação do espaço.
O museu de Mouriscas só poderá voltar a funcionar quando o edifício onde está instalado for recuperado. Este é o primeiro objectivo da Adimo, associação a quem foi cedido o imóvel, por protocolo com a Câmara Municipal de Abrantes, e igualmente detentora do espólio museológico por cedência da junta.
Aliás a associação, fundada há três anos, foi criada com o objectivo de levar por diante o museu, segundo afirma o seu presidente, Humberto Pires Lopes. O projecto que existia orçava, só em trabalhos de construção civil, em mais de 500 mil euros, verba que a junta não podia comportar e que dificilmente conseguiria financiamentos. 
“Através de uma associação seria mais fácil, como se prova. O Governo pode financiar a associação mas não podia financiar a junta, assim como os empresários financiam muito mais facilmente uma associação do que a junta”, continua Humberto Lopes, ex-presidente da Câmara de Abrantes eleito pelo PSD, natural de Mouriscas.
A Adimo vive da quotização dos cerca de 100 sócios – “todos de Mouriscas ou com ligação à freguesia” – e de apoios de algumas empresas da região e do Governo Civil de Santarém. Para a recuperação do edifício vai apresentar uma candidatura a fundos comunitários através da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo. 
Além disso, a Adimo quer promover outro tipo de actividades. “Mas primeiro é preciso recuperar o edifício”, salienta o presidente. O imóvel construído na década de 30, é quase só por si uma obra de museu. Grandes janelas com muitos vidros deixam entrar a luz para sete salas de aulas, divididas por dois pisos, com os respectivos vestiários, amplos corredores e um pé direito com mais de quatro metros de altura. No mesmo espaço foi integrada a casa da professora e tudo se corre por dentro num sobe e desce de escadas de madeira.
Enquanto escola primária, o edifício funcionou até ao início da década de 80. Altura em que os alunos passaram para a nova escola e a junta de freguesia, presidida por Arminda Pina, decidiu criar o museu etnográfico e arqueológico de Mouriscas.
O espólio cedido ou emprestado foi exposto pelas várias divisões. O vestuário representativo de outras épocas compõe a maior parte do acervo. Mas também existem peças das fábricas de fogo de artifício e de capachos para os lagares, utensílios agrícolas, entre eles um arado todo em madeira, medidas de cereais e de azeite e um velho tear. 
“Tudo o que estava no museu, está lá devidamente guardado e tratado com produtos anti-traça no caso do vestuário”, afirma Pires Lopes desmentindo deste modo o boato de que as peças tinham sido roubadas ou se encontravam deterioradas.
Embora com muito pó e alguma desarrumação o espólio deste museu apinha-se numa das divisões, que já esteve fechada com trancas de ferro. “De facto, o edifício tem sido vandalizado com frequência. De uma das vezes chamámos a GNR, o caso foi entregue ao Ministério Público, fizeram averiguações e nunca se descobriu quem foi”, conta o director da Adimo, adiantando que são actos de vandalismo puro e simples, dado que nunca desapareceu ou foi estragada nenhuma das peças do museu. 
Margarida Trincão

 

 

in mirante

 

A nossa pergunta seria óbvia: como estão as coisas arqueológicas quase uma década depois????

 

Continuam embrulhadas?????

 

Não vamos perguntar porque já sabemos a resposta e falaremos nisso  noutro post, daqui a uns dias.

 

MN, na Serra da Estrela olhando a casa dum abrantino sita nas Penhas da Saúde.

 

PS-Esqueci-me do beijo para a Margarida



publicado por porabrantes às 13:34 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Homenagem ao Visconde-cac...

O Visconde da Abrançalha

A Manif Khoi contra D.Fra...

Povo Khoi celebra vitória...

Quem matou D.Francisco de...

A sucata da Robison vem p...

Bye Bye Aeroporto de Tanc...

Os silos do Largo Ramiro ...

Abrantino comanda lista P...

“Torna, torna marquês à M...

arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds