Segunda-feira, 17 de Maio de 2010

''Recolhi, com mero interesse antropológico, a seguinte reza para desconjurar o quebranto, de uma senhora da minha terra Natal - Carvalhal, Abrantes. A senhora - que, sem o saber, ao fazê-lo, está a faltar aos preceitos da Igreja Católica - é conhecida por ter mãos nestas coisas. Mas diz que é a oração, e não ela, quem procede à cura. A oração pode, portanto, ser usada por quem acreditar, embora me pareça que a mesma já foi muito alterada pela memória (tanto da curadora quanto de quem lhe ensinou a reza). Há frases cuja intenção original se perde numa construção frásica heterodoxa. É interessante a inclusão bairrista, na principal apóstrofe, da Nossa Senhora do Tojo, cuja devoção é, actualmente, restrita àquela zona de Portugal (embora se creia que a capela da Senhora do Tojo, na Ribeira da Brunheta, fosse local de peregrinação popular desde a Idade Média, embora não existam dados arqueológicos de relevo no local, pelo menos que eu conheça). 

(Nome da pessoa a benzer), Deus te fez,
Deus te criou,
Deus te tire o mal que no teu corpo entrou:
Nas tuas pernas
Na tua barriga
No teu estômago
No teu coração
Nos teus olhos
Na tua cabeça
No teu interior, fizeram-te mal.
Atravessados Sol e Lua, tornem a vir
Que te hão-de deixar a tua saúde.
São três, são três, são três as pessoas da Santíssima Trindade.
Com que se benze o quebranto,
Com água da fonte,
E com Bom Jesus defronte,
Que é tão bom, que é tão santo,
Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo:

Valei-te o Senhor dos Aflitos;
Valei-te a Senhora do Tojo;
Valei-te o Divino Espírito;
Valei-te o Santíssimo Sacramento;
Valei-te aqui São João
(repetem-se os últimos cinco versos, 5 vezes)
Que te tirem o teu mal e te ponham são.

As santas cruzes de Cristo te alevantem maus olhos odiados.
Aleluia,
Aleluia,
Aleluia!

Credo, credo,
Credo, credo,
Credo, credo
Credo à Virgem.
Nossa Senhora te entregue.
(repetem-se os dois últimos versos, três vezes)

Valei-te o Divino Espírito Santo
Que te leve do teu corpo para fora esse malvado quebranto
Lá para as ondas do mar
- que ninguém o possa apanhar.

Santo é só Deus
Santo é só Deus
Santo é só Deus

Abrenúncio
Abrenúncio
Abrenúncio

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

A reza é feita perante o doente, com uma bacia de água defronte e com um copinho de azeite. Depois de feita a reza, molham-se os dedos no azeite e deixam-se cair algumas gotas sobre a superfície da água. Se o mal é, de facto, quebranto, as gotas individualizar-se-ão na forma de pequenas lentes, com um centro de luz, semelhante a olhos (os olhos das bruxas que lançaram o quebranto) - caso contrário, o azeite espalha-se sobre a superfície... Posso estar enganado em questões de pormenor quanto a este procedimento [ver a este propósito o comentário de Sónia Henriques a este artigo]. 

Tal aparato divinatório é comum deste género de rezas. Nos autos da Inquisição no Brasil há a denúncia de um tal de Bento de Lima Prestello, vindo  das minas do Sabará, da freguesia de Santo Antônio da Roça Grande, que averiguava se a maleita era provocada por feitiço ou não, entregando algumas raízes "contra beninos" nas mãos do doente: se a mão tremesse (não sei se a ele, se ao enfermo, mas creio que a este último) é porque a doença era consequência de magia. A reza consistia em: "Jesus, Nome de Jesus, Deus te fez, Deus te curou, Deus acanhe a quem te acanhou. Deus te tire o mal que no teu corpo entrou: o ar de lua, ar de figueira, ar de pereira, ar de perlezia, ar de corrupto, ar de inveja, ar de feitiçaria, ar de enchaque, ar de maleitas e mais coisas que não estou ciente pelos poderes da Virgem Maria, São Pedro e São Paulo, que o corpo de (diz o nome do doente)  fique são e salvo como na hora em que foi nascido, assim como Nosso Senhor sarou das cinco chagas. Padre-Nosso, Ave Maria". Há, de facto, contactos na forma e no conteúdo das duas rezas. Seria interessante averiguar outras semelhantes para estudar um fenómeno característico da tradição oral luso-brasileira.''

 

Manuel Anastácio in Da Condição  Humana

 

 

Na nossa busca para encontrar as raízes culturais que explicam a persistência de rurais como o Pico:

 

 

ENCONTRÁMOS ESTA ORAÇÃO CONTRA O MAU OLHADO. O ESTUDO ANTROPOLÓGICO DESTAS PRÁTICAS EXPLICA MUITAS COISAS. E EXPLICA TAMBÉM O FRACASSO DO VIGÁRIO DO PINHAL EM ERRADICAR PRÁTICAS PAGÃS DO CULTO CATÓLICO...

 

a  TRADIÇÃO continua entre os rurais e uma leitora do blogue citado comenta:

 

De sonia henriques a 4 de Agosto de 2008 às 14:54

 

boa tarde! 

gostava de lhe dizer que á muitas rezas para tirar o cobrante ou quebranto, mesmo em Carvalhal, umas maiores outras mais pequenas.
a pessoa com o mau -olhado não tem de estar presente, e o azeite se espalhar é que tem mau olhado e se, se mantiver à superfície é porque esta-se bem. a própria lua , o ar podem alterar todo o nosso bem estar dp de se rezar fica-se melhor . acredite pois é real.
eu também sei, mas é dedicada a nossa senhora da conçeição, pois a minha "Avó", era muito devota desta santa.obrigado...gostei muito e vou acrescentar no meu livro de orações. boa tarde e tudo de bom para si

 

Agora a questão prática deitaram mau-olhado (o Armando Fernandes e quem convidou Nelson Carvalho) para que haja na política abrantino exemplares como o Pico?

 

Temos de aplicar a oração mágica para que a Virgem do Tojo os pique e espante definitivamente dos nossos horizontes?

 

Miguel Abrantes

 

(publicaremos ainda um vídeo com o povo rural na Romaria à Santa anti-mau olhado!!!)

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 07:44 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Dia do Senhor: Os padres ...

A CIA e o quartel de S.Lo...

A Voz do Bode (1948)

Major Baptista Coelho der...

O herói moçambicano que s...

Salazar e a homenagem ao ...

A colónia chinesa e Mr.Tr...

Palmela denuncia os carli...

Augusto CID

Feira de Gado

arquivos

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Março 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9



25
26
27
28
29
30

31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds