Segunda-feira, 15 de Março de 2010

 O Departamento de Estudos Históricos do Por Abrantes acaba de dar uma enorme lição de história do Souto ao Snr. João Pico que nos agradeceu. 

 

Um pouco reticentemente mas agradeceu!!!

 

Milagre!!!! Da Senhora do Tojo!!!!

 

Mas as considerações históricas que faz o Snr. Pico são um pouco audaciosas.

 

O confisco dos bens da Igreja começou com D.Dinis (ou antes) e é uma constante na História de Portugal. Como é uma constante a forma rápida como a Igreja refaz o seu património e se torna outra vez um potentado económico.

 

Veja-se em Abrantes, a paróquia de São Vicente e os seus negócios.

 

Consegue o Sr. Pico interpretar um anúncio de jornal de 1824 com uma ligeireza aterradora.

 

O que sabemos é que havia uma gafaria com bens doados certamente por heranças pias e um grupo de pessoas ocupava esses bens pagando rendas irrisórias.

 

Por exemplo 1/2 galinha.

 

Entre os felizes contemplados estava o Padre Baptista e é curioso que sejam os clérigos e os beatos a conseguirem sempre os negócios pios.

 

A fazenda real quis pôr fim a estes abusos e pôs à venda as terras que o felizardo Baptista ocupava por tuta e meia.

 

O pobre Baptista teve o dinheiro para licitar na penhora e ficar os bens que pelos vistos transmitiu à família.

 

Isto é o Presbítero participou segundo Pico no saque aos bens da Igreja. Era pois porque o supomos que clérigo regular (portanto isento de voto de pobreza), além de chefe de uma quadrilha de guerrilheiros , homem de posses.

 

Onde fizera fortuna.? Algumas das fortunas de Abrantes fizeram-se com os negócios das guerras napoleónicas e liberais.

 

Se foi assim em Abrantes, também o terá sido lá para o Pinhal. 

 

Outras foram feitas recentemente graças a Abril.

 

Este Departamento comunica ao Sr.Pico que quando encontrar mais notícias do Sr.Pimenta  e do guerrilheiro.presbítero o avisará.

 

O Departamento de História.

 

Nota de Miguel Abrantes: Está o Snr. Pico enganado sobre os delatores. Estes eram aquela tropa a quem a Jota Pimenta fazia o favor de publicar anúncios no boletim oficial... 

 

 

 

  



publicado por porabrantes às 22:42 | link do post | comentar

 

Este blogue e a Petição homenageiam hoje o fidalgo de raízes abrantinas, apesar de ser de Tomar, D.Bernardo Mesquitella que foi Governador Civil de Santarém, desde meados dos anos 60 a 1974.

 

Há varias razões para a homenagem.

 

A primeira é a monumental obra jurídica do fidalgo que só nos atrevemos a dizer que é batida pelo manual ''A Posse'' do catedrático de Coimbra e Ministro da Ditadura (chegou a ser rival de Salazar)  Manuel Rodrigues, um homem do Concelho.. 

 

A obra de Mesquitella é o ''Regulamento Policial do Distrito de Santarém (1966)'' que ainda há pouco estava em vigor e permitia à GNR e à PSP multar pacíficos cidadãos com os pretextos mais inverosímeis, naturalmente todos produto da fúria legislativa do Fidalgo.

 

E os Senhores Juízes da Democracia aplicaram o Regulamento com um zelo digno do antigamente....

 

Mesquitella foi surpreendido pelo 25 de Abril  e não teve tempo de compor o ''Regulamento Policial para uso de Regedores das Freguesias Rurais do Distrito de Santarém'' e que seria o corolário lógico da sua carreira como jurista.

 

Foi certamente um político da Ditadura, mas pelo menos não virou a casaca nem aderiu ao PCP, ao MDP-CDE ou ao CDS-PP.

 

Por isso a homenagem vai a meias, porque para ser um político é necessário adaptar-se e ser flexível como o Prof. Veiga Simão que de Ministro de Caetano chegou a Ministro da Defesa de Guterres.

 

Mais flexível que o Simão foi o extraordinário malabarista Adriano Moreira que veio do MUD, tornou-se Ministro do Ultramar e salazarista ferrenho, apesar do Prof. Salazar o pôr andar por ter promovido os índigenas a pessoas, coisa que incomodou muito os interesses de certo Banco hoje de novo instalado em Angola, com pingues lucros segundo revela o relatório e contas.

 

O Moreira competiria com Caetano pela sucessão e depois desembarcou no CDS e transformou-o no partido do táxi. Mais o menos o que Jota Pico fez ao CDS de Abrantes, reerguido do nada por António Castel-Branco.

 

 Uma caricatura da Net sintetiza a extraordinária conversão à democracia dos dois senhores e mais do Prof. Hermano Saraiva.

 

 

 

A razão principal da homenagem foi a recusa sempre mantida de D.Bernardo nomear Jota Pico como Regedor do Souto.

 

Tinha Pico 22 anos e aspirava a começar na política, quando em 1974 D. Gonçalo o mandou bugiar.

 

Era um homem sensato mas medíocre político como explicámos.

 

Pela nega que deu ao Pico que queria ser o mais jovem Regedor do País, como o Dr.Eurico foi o mais jovem Presidente da Câmara, vai a meia homenagem. 

D.Gonçallo Mesquitela foto do Governo Civil de Santarém.

 

Miguel Abrantes com o Departamento de Estudos Históricos do Por Abrantes 

 

 Nota: Gostámos imenso de ver o Pico transformado em revolucionário de Abril, qualquer dia promovido a fundador da primeira célula do PCP do Souto. Em 1974 com 22 anos estava na plena posse dos seus direitos cívicos e políticos e naturalmente podia e queria ser Regedor.



publicado por porabrantes às 22:04 | link do post | comentar

 

O Snr. Dr. Miguel Abrantes declara por sua honra:

 

a) Não se responsabilizar pelas dívidas do Sr. Manuel Abrantes Pedro.

b) Não ser familiar, nem sequer parente afastado nem conhecer o  Sr. Manuel Abrantes Pedro..

c) Não ser conhecido do Sr. José Sócrates Pinto de Sousa que pelos vistos é amigo do Sr. Manuel Abrantes Pedro que segundo a Imprensa lhe dirigiu uma carta onde dizia isto :"Caro amigo, desculpe fazer-lhe chegar esta missiva à sua residência, mas considerei ser esta a via mais adequada, atendendo ao interesse de manter este contacto sob reserva."

A carta foi enviada em 4 de Abril de 1996.

d) O Snr. Dr. Miguel Abrantes compreende perfeitamente as razões que levam o Sr. José Sócrates Pinto de Sousa a dizer que não conhece, como o signatário, o Sr. Manuel Abrantes Pedro.

e) O Snr. Dr. Miguel Abrantes compreende as razões porque é proibido à Imprensa de Abrantes e do Distrito mencionar o nome do advogado/a que defende o Sr. dr. Nelson de Carvalho. É tabu.

 

Não tendo mais a declarar,

Miguel Abrantes aos 15 de Março de 2010



publicado por porabrantes às 19:28 | link do post | comentar

 Em 1824 a Justiça régia foi implacável o cura do Souto (não sabemos o que aconteceu ao sacristão ) foi penhorado.

 

 A Gazeta de Lisboa de 9 de Setembro de 1824 transcrevia a penhora mandada fazer pela Real Fazenda aos bens de vários súbditos entre eles o Padre José dos Santos Baptista. 

 


O que sabemos é que o Padre Baptista (com p) se beneficiava de uma fazenda  composta por vinha e algumas ameixeiras que era da Gafaria e por algum motivo a fazenda régia penhorou a vinha.

 

Dizem que o homem era um herói da luta contra os franceses.

 

Pelos vistos também chegou a ser um privilegiado que se aboletava com uma vinha que era da Gafaria..

 

Um grande economista como Jota Pico que nos explicou os motivos da falência da Apolinário Marçal atirando-os para cima do nosso amigo eng. Marçal só porque ele assinou a petição, que nos explique a penhora do Padre Baptista (com p) e já agora como é que o homem em vez de se dedicar às missas, se dedicava a aboletar-se com os bens da Gafaria!!!

 

 

Transcreve-se o Edital:

 

 

Nos dias 25, 27, e 28 do corrente mez de Setembro, se ha de pôr em praça no Conselho da Real Fazenda , para se arrematar no ultimo delles ,(..) também nos referidos últimos três dias, o resto dos bens pretencentes á Capella da Gafaria, na Provedoria de Thomar,que constâo de trez Domínios directos de foro; dos quaes o primeiro he de 10 gallinhas imposto nos prasos, de que hemphiteula o Padre Joaquim Joté de Souto, de Moraes , que partem com os herdeiros de D. Maria Machado , de Obrantes , e fazenda da dita Capella : os dois de 300 réis cada hum impostos em diflferentes prasos, do primeiro dos qua es heemphiteuta o Padre José dos Santos Baptista, e consta de vinha, e algumas amexeeiras, e parte com o mesmo emphiteuta; e o segundo de que he emphiteuta Manoel Soares, e parte com fazenda do dito Padre Baptista; e huma tapadinha a Santo André, subúrbios de Abrantesi, em que seconstruio huma fortificação, e se reunirão os dois domínios á Real Coroa, porque era foreira á dita Capella. em 150 réis: o que tudo melhor se pôde ver na Secretaria do dito Tribunal, para se arrematarem no ultimo dos referidos dias, pelas 11 horas da manhã, ao maior'lanço, que se offerecer, sobre a avaliação livre de Sisa, e pago em Títulos liquidados da Divida Publica, pelo valor que elles representarem, na conformidade das ultimas rleaes Ordens.

 

Gazeta de Lisboa nº 213 - 9 Setembro de 1824

 

 

Departamento de Estudos Históricos do Por Abrantes com o Dr. MIguel Abrantes.

 



publicado por porabrantes às 16:12 | link do post | comentar

 homenagem a D.Gonçalo Mesquitella

 

proximamente 



publicado por porabrantes às 14:02 | link do post | comentar

O blogue do Pinhal volta a caluniar  o Sr. Eng. José Eduardo Marçal, referência moral do PSD e generoso benemérito abrantino (como provaremos) alegando que ele tentou prejudicar a sua candidatura pelo CDS-PP.

 

 

Ora segundo as informações de que dispomos, o nosso apoiante eng. Marçal familiar próximo do Sr.Dr. Ribeiro o que tentou foi esclarecer o ilustre farmacêutico da verdadeira personalidade de Jota Pico mostrando que este não dispunha de idoneidade e de cultura para ser Presidente da Câmara

 

E nem sequer Regedor, como muito bem salientou, D.Gonçallo Mesquitela.

 

Infelizmente o Dr. Ribeiro, homem generoso, acordou tarde e só em 2009 verificou que Pico não tinha as características de liderança para desempenhar esse cargo.

 

De novo repomos a Verdade e mostramos que Rádio Souto não fala Verdade.

 

Miguel Abrantes 



publicado por porabrantes às 13:21 | link do post | comentar

 

 

 

Hoje o Presbítero do Pinhal continua em retiro espiritual fazendo penitência sobre o escândalo de abusos sexuais a menores divulgados pelo Vaticano.

 

Não pode assim vigiar a linha editorial do blogue Pico do Zêzere.

 

E jota pico aproveita:" A ROLHA EXÓTICA" - será esta a mascote do protesto de Nelson?

 

com o texto:   

" A ROLHA EXÓTICA" - SERÁ ESTA A MASCOTE DO PROTESTO DE NELSON?

 

Ò homem acalme-se senão o Presbitero manda-o dar 100 voltas à capela da Senhora do Tojo.!!!

 

A estátua foi recomendada pelo Baptista Pereira?

 

Miguel Abrantes

 



publicado por porabrantes às 10:54 | link do post | comentar

 João Pico escreveu isto ''Nelson fez considerações ofensivas para a minha honra, mas depois recuou e já não deixou transcrever para a respectiva "Acta", tudo o que disse de injurioso!!!

 

Ou seja este Vereador de Verão, 

 

que agia debaixo das instruções políticas de Armando Fernandes e de Pedro Marques,

 

 

 

 

os bosses de Pico no PSD.

 

 

foi ofendido na sua honra pelo

tal Carvalho e

 

FICOU-SE!!!!

a honra em Portugal defende-se de várias maneiras: a) confronto físico em plena sessão política partindo a casa ao adversário.

 

Foi o que fez em plena Assembleia da República, o dr. Tareco Sousa Tavares dirigindo-se a Raul Rego que tinha feito umas alusões desprimorosas à mãe do  dr. Tareco Sousa Tavares.

 

Os deputados foram separados pelos seus pares, mas a honra da fidalga Mãe do Dr. Sousa Tavares ficou lavada.

 

João Pico não partiu a cara a Nelson Carvalho porque teve medo dos seguranças ?

 

Isto é o tipo que ameaçou ''dar um pontapé no cu'' a António Castel-Branco por defender Abrantes, teve medo de ser sovado pela segurança do edil Carvalho.

 

Por isso não lavou a sua honra à bofetada!!! 

 

 b) Processo Judicial por injúrias e eventualmente difamação. Não temos constância da entrada no Tribunal de Abrantes de nenhum processo contra o ex-seminarista movido por Jota Pico.

 

c) Polémica pública nos Jornais. Impossível devido aos conflitos conhecidos de Jota Pico com a gramática e ortografia.

Exemplo: '' já estava com os textos do recoratdos à minha chegada''ltimo pontapé no cu da ortografia de Jota Pico!!!, não estava lá o Presbítero para corrigir....) 

 d) Duelo : Impossível por estar proibido por lei e pelo facto dos dois antagonistas desconhecerem o uso do florete e da pistola.

 

e) Processo judicial por falsificação de documento público, porque Jota Pico diz'' A Acta na reunião seguinte não dava conta de nada do que ele dissera de injurioso.''

 Ora as Actas devem reflectir o que se passa nas reuniões. Jota Pico não apresentou nenhuma queixa judicial por falsificação de documento público. 

Porquê?

 

Ou não havia falsificação,

ou ficou-se.....

coisa que demonstra que tem uma honra muito prudente........

 

Miguel Abrantes

 



publicado por porabrantes às 09:51 | link do post | comentar

 

 A Nova Aliança é o órgão informativo do Arciprestado de Abrantes. É dirigido há muito tempo pela Srª Drª D. Ana Soares Mendes, conhecida aristocrata e casada com o Sr. Eng. Fernando Soares Mendes, conhecido empresário e também aristocrata ( o Sr. Eng. Fernando Soares Mendes é neto do Marquês da Graciosa).

 

O Snr. Eng. Fernando Soares Mendes assinou a petição, por ter bom gosto e detestar que prostituam a sua terra com construções cúbicas como a assinada pelo Carrilho da Graça.

 

O blogue defensor do Carrilhismo, Pico do Zêzere, acusa a Igreja de Abrantes e em especial a Dr. Ana Soares de ter censurado um escrito  (seria insultar os jornalistas portugueses chamar-lhe artigo)  assinado por um tal João Pico, ao tempo Vereador de Verão graças à insensatez do Armando Fernandes (pai político de Jota Pico).

 

O blogue defensor do Carrilhismo, Pico do Zêzere, em sintonia com as posições a favor do lobby gay, tem atacado vilmente os abrantinos heterossexuais  que se manifestaram publicamente contra o casamento gay, caso do Sr. Santana-Maia e Eng. Marçal, nossos apoiantes e portanto excelentes abrantinos.

 

A Imprensa da Igreja tem tomado publicamente posições de defesa da sua doutrina, explicitada pelo Papa, pela Conferência Episcopal   e pelo Senhor Bispo de Portalegre.

 

Pico do Zêzere (através dum dos seus escribas, certamente neste caso à revelia do Presbítero senil do Pinhal)  diz que a mando da Vereação Socialista da época um escrito de um dos mais medíocres colaboradores desse blogue, João Pico,  foi censurado.

 

Todas as pessoas de bem conhecem o carácter indomável da  Srª Drª Ana Soares Mendes, que sempre recusou pressões censórias.

 

Nisso coadjuvada pelos Sub-directores da Gazeta, Cónego Graça e Solicitador Anacleto Baptista.

 

A Nova Aliança sempre publicou artigos do plumitivo Jõao Pico, apesar dos seus conflitos quotidianos com a gramática e a ortografia.

 

 

Este ataque à Impressa católica insere-se na campanha pro-casamento Gay e contra a Imprensa Livre porque o carrilhismo quer impor em Abrantes o pensamento único.

 

Uma espécie de Face oculta à abrantina, como sustentou o Sr.Dr. Santana-Maia Leonardo nas páginas desse Jornal.

 

Manifestamos a nossa solidariedade aos visados pela manobra da Opus Gay e da sua voz abrantina o blogue Pico do Zêzere.

 

Manifestamos  a nossa solidariedade à Advogada e Aristocrata visada pela manobra canhestra do carrilhismo para silenciar a Imprensa livre abrantina!!!!

 

Miguel Abrantes

Coordenador da Petição 

 



publicado por porabrantes às 08:13 | link do post | comentar

 O Senhor Secretário de Estado da Cultura visitou Abrantes e fez declarações que pela sua importância para o Património da Cidade são importantes.

 

 

Pode ouvi-las aqui

 

Duas perguntas acerca delas. 

 

A primeira: O Senhor Secretário de Estado da Cultura não visitou a Igreja de São João que é Monumento Nacional e se encontra em situação de conservação no seu interior (imagens, talhas, pinturas) bastante degradada.

 

Em compensação visitou edifícios que do ponto de vista monumental são menos importantes (Santa Casa por exemplo). Se tivesse visitado São João os seus comentários sobre o estado de conservação do património abrantino seriam decerto menos optimistas....

 

 

 

Orgão de São João (foto D.G.M.N)

 

E podia-se ter informado da velha querela entre a Santa Casa e a Paróquia acerca dos limites dum imóvel vizinho abordado pela Imprensa haverá algum tempo e assunto sobre o

qual parece pairar um estranho tabu.

 

Em São Vicente, o Secretário de Estado não se limitou a ser protocolar e lançou uma crítica pouco diplomática sobre a necessidade de obras anuais de conservação, tão rotineiras como realizar cada ano uma vistoria ao telhado e mudar as telhas partidas.

 

Disse que para fazer isso não necessário estar a telefonar para Lisboa.

 

A crítica era dirigida ao Conselho Económico e Social da Paróquia de São Vicente e foi certeira.

 

Tendo a paróquia tantos rendimentos não podia mandar uma vez por ano fazer uma vistoria ao telhado?

 

Ou os trolhas abrantinos têm todos vertigens e é necessário importá-los de Lisboa?

 

Miguel Abrantes

 

 

 



publicado por porabrantes às 08:05 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Presos políticos abrantin...

Presos Políticos Abrantin...

Presos Políticos Abrantin...

Uns acessos da treta à Lo...

Postal para saudosistas

Visitando o burlão

A bibliografia arqueológi...

A vergonhosa promiscuidad...

Nem os cisnes escaparam

Dia do Senhor: O retrato ...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds