Segunda-feira, 21 de Fevereiro de 2011

A resposta dos abrantinos honrados e mais refinados a Carrilho da Graça e a Maria do Céu Albuquerque é esta:

 

 

A resposta dos abrantinos honrados e menos  refinados a Carrilho da Graça e a Maria do Céu Albuquerque é esta:

 

 

Obrigado pela ideia Doutor Lobo Antunes

 

A resposta dos abrantinos honrados e  mais mal educados a Carrilho da Graça e a Maria do Céu Albuquerque é esta, com colaboração filantrópica de Mestre Rafael Bordalo  e de Vilhena

e da nossa velha aliada a pérfida albion

 

 

OU SEJA: Não Passarão !!!!!

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 22:17 | link do post | comentar

Corpo do presidente

da Junta de Freguesia

de Galveias encontrado

O corpo do presidente da Junta de Freguesia de Galveias, no concelho de Ponte de Sôr, já foi encontrado, pouco depois de ter sido encontrada a sua viatura. António Augusto Delgadinho estava desaparecido desde a noite de sábado, altura em que terá tentado atravessar uma ribeira com o seu jipe. O comandante dos bombeiros voluntários de Ponte de Sôr, Joaquim São Facundo, afirma à Antena 1 que o corpo vai ser levado para autópsia.

2011-02-20 17:11:33

Fonte RTP

 

António Augusto Delgadinho tinha sido eleito pela CDU e administrava o património da Vila das Galveias, cuja Junta de Freguesia recebera grande parte da herança do Sr.Marques Ratão e era uma das maiores entidades patrimoniais do Concelho da Ponte Sôr.

 

A gestão da CDU tinha vindo a ser criticada violentamente pelo PSD local que acusava o executivo no poder de má gestão.

 

Aqui (http://www.galveias.org) pode ter uma visão do que é o património deixado às Galveias pela família Marques Ratão e quais são os interesses em jogo.

 

Segundo a Imprensa o  corpo do falecido foi transferido para Abrantes, para as necessárias provas de medicina legal.

 

Naturalmente começará agora a batalha dentro do PCP para saber quem administrará a herança Marques Ratão.

 

 

Assunto a seguir com atenção, recomendando-se a leitura do Correio da Manhã e ainda nos blogues locais da oposição laranja (por exemplo: http://tribuna-publica.blogspot.com)

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 09:31 | link do post | comentar

Domingo, 20 de Fevereiro de 2011

Conheci o Luís Bairrão montado num cavalo em pleno inverno caçando na charneca abrantina. Era eu menino e moço e desde aí habituei-me a respeitar o desportista, o grande lavrador, uns dos escassos criadores de cavalos do nosso concelho ( juntamente com o eng. Vasco Ramires, também do Tramagal) quando ainda não pegara a moda queque e nova-rica de mandar os meninos aprender equitação, o gentleman capaz de tratar de igual para igual o seu amigo Octávio Duarte Ferreira ou um humilde criado da lavoura.

 

Engenheiro Agrónomo, oriundo duma velha família radicada no Tramagal pelo menos desde o século XVIII, que produziu algum Presidente da Câmara abrantino nos finais da monarquia ( o dr.António Bairrão, companheiro político do Partido Regenerador do Gen. Avelar Machado e conhecido Advogado), dedicou-se à lavoura e à exploração industrial especialmente de cerâmica, tendo sido ele que fabricou em moldes especiais os atípicos tijolos com que Duarte Castel-Branco construiu a abóboda do Grémio da Lavoura.

foto (grande foto ) da Margarida Trincão

 

 

A sua família estendia-se a Abrantes sendo parente próximo de João Manuel Bairrão Oleiro em cujo convívio aprendeu a amar o património, a zelar por ele e a estudá-lo. Especialmente o da época romana.

Foi sócio e  dirigente de inúmeras colectividades tramagalenses e abrantinas, em especial das ligadas à lavoura, e tomou um papel destacado na criação da CAP e na organização da resistência dos lavradores ribatejanos ao plano comunizante da reforma agrária gonçalvista.

A sua grande obra final foi a fundação da Caixa de Crédito Agrícola do Tramagal que dirigiu até à sua morte.

 

No ramo do património fez tudo o possível para valorizar, defender e estudar as ruínas romanas de Alcobre (situadas na fronteira do concelho de Abrantes e Constância, entre o Crucifixo e Santa Margarida), contando para isso com a colaboração de vários especialistas em especial do Director do Museu de Conímbriga, Prof. Bairrão Oleiro. Aí fez estudos sobre a época romana e era provavelmente em Abrantes uma das poucas pessoas capazes de olhar para uma peça do tempo dos Flávios e com um faro de velho caçador datá-la imediatamente. Nunca ninguém o ouviu gabar-se disso, mas foi um coleccionador notável de antiguidades romanas.

 

Parte da sua colecção encontra-se depositada ao que sabemos em instalações públicas de Constância. Aqui vemos como o grande lavrador era ao mesmo tempo um erudito e um mecenas.

 

A petição que contava com a sua simpatia  verga-se perante a sua memória e apresenta as suas condolências à ilustre família enlutada, em especial à sua viúva Senhora D.Isabel Barreira Antunes Bairrão e aos seus filhos e nossos amigos Luís, Bernardo e Guida.



Com a morte de Luís Bairrão desaparece um dos últimos grandes lavradores abrantinos. Um homem que amava a terra e a compreendia, como diria o nosso amigo e Mestre Gonçalo Ribeiro Telles.

 

Marcello de Noronha

Créditos : Foto do Prof. B.Oleiro- U.Coimbra

Foto de Luís Bairrão- A Barca (obrigado Margarida!!!!)



publicado por porabrantes às 23:17 | link do post | comentar

Amanhã ou depois

GRANDES NOVIDADES

e

carta aberta de

Marcello de Noronha

à Srª Presidente da Câmara



publicado por porabrantes às 20:19 | link do post | comentar

Sábado, 19 de Fevereiro de 2011

 

E aquela história do Fernando Namora, O Caso do Sonâmbulo Chupista?
Eu apenas fiz a divulgação da vigarice do Namora… e eu estou em Agosto na cervejaria Trindade com o Serafim Ferreira e com o Herberto Helder, que se está a queixar que aquela gaja, a Maria Estela Guedes, tinha feito um livro com textos que tinha roubado, e de repente o Serafim diz: “opá, isso plágios é o que para aí há mais, eu tenho lá em casa a edição especial da Aparição que me deu o Vergílio Ferreira com coisas anotadas que o Namora lhe roubou...” E eu estou a ouvir aquilo e estou calado. No dia seguinte telefono para a Amadora, onde mora o Serafim, e pergunto: “ouve lá, aquela tua conversa de ontem, aquilo era blague de café ou era a sério?” “Não, tenho cá o exemplar da Aparição. Combinámos então o terrível crime nas escadinhas do duque, em que ao cimo das escadinhas eu digo: “ouve lá, tu vais fazer um panfleto e eu edito-te e vamos ganhar um bocado de massa os dois, estamos em Agosto, agora não se vende nada mas vende-se em Setembro”. E ele disse: “eu não posso fazer” – não perguntei porquê, devia favores ao Vergílio Ferreira ou ao Namora, porque o Serafim é um bocado marçano. E eu disse: “então passa-me para cá isso e faço eu”. Estive semanas ou talvez mais, um mês ou dois, a confrontar na Biblioteca Nacional, foi tudo verificado... eu mostrava às pessoas e as pessoas concordavam, aquilo era tudo roubado, o Namora, no Domingo à Tarde, tinha copiado partes do Aparição, do Vergílio Ferreira. Fui então ao O Jornal ter com o Rodrigues da Silva: “ouve lá, achas que isto aqui é publicável? Reposta dele: “opá, o José Carlos Vasconcelos é muito amigo do Namora, nem pensar...” Ninguém queria publicar aquilo. Estavam com medo do Namora. Tive eu de publicar, melhor, tive de arranjar um gajo, o Vítor Belém, ele é que fez a edição. O Belém foi comigo à Tipografia Mirandela, na Travessa Condessa do Rio, perto da Calçada do Combro... era a gráfica desses gajos da extrema-esquerda… aquilo foi composto, eu revi provas, num papel muito ordinário... saiu num folheto de 8 páginas, fiz 5 ou 6 mil exemplares. Despachei tudo, vendeu-se à maluca, alguns iam parar as caixas do correio.

 

 

extracto duma entrevista ao Luís Pacheco, participante nas 1 ª Jornadas Culturais de Abrantes até que o dr. Eurico lhe deu dinheiro para o comboio para o gajo desandar.....

leia aqui a entrevista toda

 

ou melhor leia os livros dele. Se o armando fernandes diz que são maus, é porque são bons.....

 

Miguel Abrantes

Adivinhe a quem me lembra o Namora.....


publicado por porabrantes às 21:22 | link do post | comentar

O blogue Portugal Dominicano tenta ser um interessante repositório da História e do Património da Ordem de São Domingos em Portugal.

Passa a fazer parte dos nossos links.

 

O Portugal Dominicano insurge-se também contra a Carrilhada!!!!

 

Com a devida vénia reproduzimos o seu post:

ABRANTES, Convento de Nossa Senhora da Consolação


A Câmara Municipal vai demolir a parte esquerda toda desta foto, incluindo os 2 longos armazens Conventuais, a Cerca Dominicana citada em 1834, a entrada para o Real Hospital Militar e o Horto Botânico (que agora é um parque de estacionamento automovel !). Como vão intervir no resto do edificio, a descaracterização será absoluta. Palavras para quê...





posto por adérito abrantes



publicado por porabrantes às 18:19 | link do post | comentar

Quando Américo Tomás visitou Abrantes pela última vez vinha vestido de marujo.

 

Assim:

 

 

 

 

Quem foi o exaltado salazarista que bateu o record de Vivas a Salazar, a tal ponto que um Pide o mandou calar porque ''ficava mal'' só gritar ''Viva Salazar'' e nem um ''Viva o Pai Américo''?

 

Para se fazer perdoar a descompostura o gajo fez oinc, oinc e quis lamber a mão da D.Gertrudes Thomaz, depois de se ter ajoelhado em frente de D.Agostinho de Moura e ter implorado que lhe desse a sua benção.

 

A PSP pensando que o entusiasta salazarista estava maluco, proibiu-o de entrar no jardim do castelo, onde havia uma verbena dadas pelas autoridades ao Tomás e o tipo começou a protestar ameaçando fazer queixa ao chefe do terço da Legião em Santarém ....

 

Uns anos depois era um dos mais distintos anti-fascistas do Distrito de Santarém....

 

Pena que quem conviveu com ele, nos diga que faz recordar esta sarcástica caricatura que os estudantes de Coimbra fizeram em 1969.....

de Américo Tomás.....

 

Especialmente quando sai assim disfarçado

 

 

Edite Fernandes



publicado por porabrantes às 17:34 | link do post | comentar


O deputado social-democrata afirmou que Portugal esteve, na quarta-feira, à beira da bancarrota quando o Governo lançou no mercado mil milhões de euros de dívida pública.

 

 

 

Pacheco Pereira, Deputado do povo de Santarém, ao Jornal de Negócios.

 

Leia aqui

 

Depois pense que se não falimos nesta quarta-feira, pode ser para a próxima.....

 

E uns tótós preparam-se  para individar ainda mais Portugal para fazer o MIAA....

 

São só 20 milhões de euros....

 

Haja Deus....

 

Marcello de Noronha



publicado por porabrantes às 12:17 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18 de Fevereiro de 2011

Abrantes sempre foi uma cidade militar. São Domingos foi um quartel. No século dezanove Abrantes era um vasto quartel e a espada o ofício da maior parte dos que viviam no centro histórico.

 

Do RI2 (hoje EPC) partiram centenas ou milhares de portugueses para aquilo que Manuel Alegre chamou a Jornada de África.

 

Uma Nação e uma Cidade que se preze honra os seus soldados.

 

Está em curso a petição''

 

Petição Pública \
Os ex-combatentes solicitam ao Estado Português o reconhecimento cabal dos seus serviços e sacrifícios. Faltam ainda 1300 assinaturas. Os não-combatentes também podem assinar. Para saberes mais, clica na imagem''

 

in

Luís Graça & Camaradas da Guiné

Aqui outro símbolo da intervenção abrantina na Guiné

 

[Pel.Indep.Morteiros_912_(1963-1965)_(3)-1.jpg]

 

Apoie os nossos ex-combatentes e os heróis de ontem que apoiem a nossa petição, por favor.

 

No blogue referido há uma informação preciosa sobre as campanhas da Guiné e muita coisa abrantina.

 

Já demos o devido relevo ao excelente livro do Sr.Traquina.

 

Voltaremos a ele em breve

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 23:42 | link do post | comentar

Arquivo Histórico Madeira

 

Um dos mais importantes organismos culturais do Funchal: o Arquivo Histórico da Madeira acaba de manifestar o seu apoio à luta contra a carrilhada.

 

Obrigado Amigos!

 

Viva a Madeira!

 

Marcello de Noronha



publicado por porabrantes às 21:45 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Senhor dos Passos

Porra, fale em concanim

Tudo sob controle

Paisagem típica da Abrant...

Jota Camelo

Pintasilgo e as cheias de...

Na mouche

Bispo com salários em atr...

Imprensa regional não dá ...

O Bispo abrantino e a exp...

arquivos

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carlos marques

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Fevereiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds