Quinta-feira, 3 de Outubro de 2013

Foi a expressão usada pelo ex-vereador ICA Arês, para definir o trabalho dos seus colegas da Oposição Santana Marques e Belém-Coelho, em declarações feitas à rádio oficiosa na noite eleitoral.

E o homem, construtivo, declarou que preferiu trabalhar com a maioria, coisa que se viu nos 3 anos iniciais do seu mandato, concordando com tudo o que ela dizia.

Excepto naquela bronca da Escola de São Facundo em que foi enganado como um ingénuo papalvo.

Mas se examinamos o trabalho do Sr.Vereador ao longo do último ano, parece-nos ver o fantasma do absentismo alentejano, que era aquela expressão propagandística usada pelo PCP para classificar o modelo de produção dos latifundiários alentejanos.

Foi o senhor doutor Arês no último ano do mandato um vereador absentista porque raramente meteu os pés na sala de sessões. A sua assiduidade se fosse examinada por um director de turma zeloso dava um chumbo por excesso de faltas.

Em resumo no seu mandato o Arês:

 

 

a) nos 3 anos iniciais:

 

 

''TRABALHOU PRÁ CÉU''.....

 

 

b) no último ano

 

DEDICOU-SE AO ABSENTISMO ALENTEJANO!!!!!

 

 

haverá crise????

 

 

nem por isso........nem sequer houve crise quando Deus Nosso Senhor se dedicou ao absentismo celeste

 

 

 

 

 

adérito a, ultimamente absentista deste blogue como o nosso estimado colaborador António Castel-Branco 

 

 

nr-seria injusto esquecer que quando se debateu a tradição taurina abrantina, o Arês se solidarizou com o gado vacum, como se solidarizara com outras espécies animais enquanto Vereador do Gavião...... 

 



publicado por porabrantes às 13:55 | link do post | comentar

VISITS
    
   Total 465,776   
   Average Per Day 369   
   Average Visit Length 2:03   
   Last Hour 13   
   Today 74   
   This Week 2,582   
    
  
    
         
         
         
         
         
    ,   

 




 
©2009 Site Meter      (0.06 s) 03  Privacy Statement    Contact
Site Meter 

MN


tags:

publicado por porabrantes às 11:22 | link do post | comentar

Quarta-feira, 2 de Outubro de 2013

Xavier Argenton et Jean-Paul Garnier avec les élus et présidents des comités de jumelage des quatre villes jumelles européennes.

 

La Nouvelle Republique

 

O Maire da cidadezita que está ''geminada'' com Abrantes meteu-se em 2010 num monumental escândalo ligado ao anti-semitismo. 

 

 

 

Madame Grinspan, Ida de nome próprio, era uma miúda de 10 anos, judia e francesa, coisa que devia fazer muita confusão  ao Marechal Petain, o traidor, que fez uma Lei retirando a nacionalidade aos judeus.


De Petain trataram os tribunais, condenando-o à morte e o General usou o seu direito de graça, para converter a pena capital em prisão perpétua . É a única atitude que eu não  aplaudo a De Gaulle.


Ida Grinspan foi enviada pelos pais para  a região de Parthenay  onde estudou escondida entre amigos, a mãe foi caçada pelos nazis em Paris em Julho de 1942, em 1944, 3 polícias franceses prendaram Ida, tinha então 14 anos e entregaram-na aos alemães. O destino foi os campos de concentração no Reich e assistir a quotidianos envios de vítimas da Shoah para as câmaras de gás. Sobreviveu e escreveu este livro a meias com uma das mais ilustres penas da França,


 


Uma escola da região  de Parthenay pediu a   Madame Grinspan que escrevesse uma carta para ser lida nas escolas, em 2010, no dia em que se evocavam ''as vítimas e heróis da deportação'' nazi-petainista.


Madame Grinspan escreveu a carta e o Maire local,  M. Argenton, na foto acima com Alves Jana e Maria do Céu Albuquerque, proibiu alegadamente a leitura da carta, porque podia ''estigmatizar'' a polícia francesa, que sob ordens do agente nazi e traidor Petain procedeu voluntariamente e sem ordens alemãs à caça dos judeus na zona ocupada e para mostrar serviço entregou-os aos carrascos do Reich.


O Argenton diz que não deu ordens para censurar, mas Madame Lanzi, política local PS e professora de História dos miúdos diz ter provas escritas do contrário e condena com veemência esta atitude, que a ser real, seria vergonhosa.


  Madame Grinspan, justamente indignada, afirma: ''c’est terrible, cette mentalité-là. Il faut savoir regarder la vérité en face. Ce que je dis dans ce texte, je le dis à chaque fois que j’interviens dans une école. Je dis simplement ce qui a été".


Tudo isto desencadeou uma violenta polémica e a atitude do político direitista foi condenada por organizações anti-racistas e pelos grandes títulos da imprensa francesa. 


Le Point, um grande semanário nacional, da centro-direita, acusou a municipalidade de Parthenay  de censura.


Accueil

comunista, é mais contundente.Fuzila o sarcozista Argenton e o seu adjunto Michel Birault,  com o sugestivo pelouro de ''questões patrióticas'', acusando-os  de banalizar Petain e Vichy.



Não vou perder mais tempo com o Argenton, mas aproveito para dizer que é um indesejável  em Abrantes ou em qualquer local civilizado.


Será certamente bem recebido entre os ayatolas anti-semitas ou nos comícios da Front Nacional. . Que ele esteja ao lado do tipo que censurou no ''Jornal de Abrantes'' o António Castel-Branco é natural.


 


Finalmente parece que se festeja a geminação abrantina com a terra dum Maire  duvidoso. 


Não se podiam ter geminado com outra parvónia ?????


E agora vamos ouvir Madame Grinspan



Miguel Abrantes


publicado por porabrantes às 18:35 | link do post | comentar

 

Vista do  Hotel Turismo. Lá em embaixo à direita ainda não tinha sido aberta a modernista Azinhaga do Baptista, que sairia ao lado das instalações fabris da Apolinário Marçal e que a onomástica oficial consagraria como Rua de Angola, para consolo dos valentes mancebos que caçavam turras em Angola e para que os colonos brancos pudessem continuar a pensar que o sonho absurdo dum Portugal pluri-continental e multirracial seria alguma vez uma realidade....

 

Quem baptizou o arruamento como azinhaga do Baptista foi o Dr.Consciência e pretendia homenagear de forma irónica o dentista de Vale de Cambra, então Presidente da CMA, dr. Agostinho B.

 

Como o Correio de Abrantes não recebia subsídios da Autoridade publicou a ironia e como o distinto oficial do Exame Prévio tinha sentido de humor ou horror aos dentistas, a boutade do Dr.Eurico saíu na primeira página do semanário.

 

MN 



publicado por porabrantes às 17:47 | link do post | comentar

Eis o número de alunos colocado na Esta

 

 

 

Escola Superior de Tecnologia de Abrantes
Comunicação Social - 6
Engenharia Mecânica - 0
Tecnologias de Informação e Comunicação - 0
Vídeo e Cinema Documental – 1
Vagas - 103
Alunos colocados - 7
Vagas sobrantes – 96

 

Dados retirados do colega Tomar na Rede.

 

 

A Esta parece aqueles exércitos da América bananeira onde há mais generais que soldados. Na Esta há mais professores que alunos colocados.

 

 

Que fazer com a Casa Milho?????

 

 

Que tal requalificá-la para lar de idosos para fazer concorrência à Domus anaclética?????

 

 

Suzy 



publicado por porabrantes às 14:24 | link do post | comentar

Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

 

A Senhora Dona ''Meyrielle Abrantes, ex miss Pernambuco e ex mulher do Senador Jarbas Vasconcelos assinou e terá uma edição para chamar de sua!!!. Quando convidada anteriormente, Meyrielle não pode fechar contrato devido a ligação com o senador em seu contrato de união estável. Agora solteira, terá um mês para chamar de seu na revista do coelho''

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tudo sobre o Playboy 

 

 

Apresentamos os nossos cumprimentos ao Senador Jarbas e à Senhora Dona Meyrielle  por levar a marca ''Abrantes'' a uma das mais prestigiosas capas mundiais.

 

Esperamos que a Camarada Sara Cura, Deputada do Bloco, não comunique à bófia que nós não podemos deixar de  dizer piropos à  Meyrielle.

 

Esta garota é uma brasa e é mais bonita que a filha do Lula da Silva:

 

 

 

 

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 21:40 | link do post | comentar

Os protagonistas são:

 

 

ao tempo chefe de bancada do PSD na Assembleia Municipal de Abrantes e 

 

 

ao tempo Vereadora da Cultura e grande dinamizadora do ajuste directo ilegal a Carrilho da Graça, da falhada destruição do Convento de São Domingos, e da construção dum empreendimento turístico que ia criar muitos postos de trabalho, um centro de investigação e colocar Abrantes no mapa cultural europeu.

 

 

Postos de trabalho criados: 5!!!

 

O dela, o do Oeesterbeck, o do Baptista Pereira ( e ainda de mais dois arqueólogos que são docentes no IPT). Todos os postos de trabalho criados, excepto o da ex-Chefa,  são part-times desempenhados por pessoas a trabalhar no Estado, em regime de acumulação.

 

 

 

Na sessão da 26-6-2009 da Assembleia Municipal o Armando Fernandes soltou, em nome do PSD, isto:

 

AM 26JUN09 - ARMANDO MUSEU IBÉRICO.jpg

 

 

Que nos merece os seguintes sucintos comentários:

 

a) A Isilda tem, segundo o Fernandes, uma figueira no quintal.Não sei no qual. Temos aqui a lista dos vários imóveis que possui a esposa do sr. dr. Jana, mas não  sabemos em que  quintal  está a figueira.

 

b) A figueira não é uma figura de retórica, porque a prosa do Fernandes é incapaz de atingir tais subtilezas. É uma prosa rústica, onde abundam as hortas e toda a viçosa produção que um hortelão é capaz de retirar de um terreno bem estrumado.

 

c) O Fernandes não sabe subir às árvores.

 

d) O Fernandes é uma amador  e a Isilda também o é, por  serem portugueses, como diz Jorge de Sena. Aliás tanto a intervenção política dos dois mais a gestão dela,  no imaginário MIAA, só vieram provar isso.

e) Dirige-se depois o Fernandes ao Sr.Carvalho e pergunta quais são os ''esteios financeiros'' do MIAA.

Como se sabe, não existem, 4 anos  depois, nenhuns esteios financeiros do MIAA.

 

f) Dirige-se depois  o Fernandes ao Sr.Carvalho e diz: quais são as medidas cautelares para  impedir que os ''proprietários'' da Fundação de lá retirem as peças.  


Como se sabe, não existem, 4 anos anos depois, nenhumas ''medidas cautelares'', para impedir que os ''proprietários'' da Fundação que de lá retirem as peças. 

 

Mas aqui o Fernandes esquece-se de perguntar quais são as ''medidas cautelares'' para impedir que a D.Lucília Moita ou o nobre Conde da Bahía  de lá retirarem as peças.... 

 

 

Esqueceu-se porquê?

Será que as peças da D.Lucília ou do nobre Conde da Bahía 

valiam pouco e por isso o Fernandes não se pronunciou, douto e sabedor, sobre elas????

Finalmente o Fernandes, ocupado certamente a anotar o livro de receitas da D.Maria de Lourdes Modesto, não se deu ao trabalho de estudar como se organizam juridicamente as fundações e a procurar saber que um dos  ''proprietários'' das peças era o Administrador vitalício da tal Fundação, o cónego Graça!!!!!!

 

g) Pergunta ainda, curioso, se há algum estudo sobre os públicos que visitariam o Museu. Como se sabe, o estudo encomendado ao IPT, por insistência de Santana-Maia, continua ainda nalgum desvão municipal a aguardar que a cacique o publique.

Já agora, há algum estudo que avalie o impacto em termos de público dos visitantes às jornadas de vinhos e petiscos do Mação, jornadas essas assessoradas por certo consultor que a malta conhece?

 

 

Os textos são importantes também pelo que não dizem. Não se pronunciou o Fernandes sobre a enorme volumetria do projecto, a destruição do  Convento, os problemas de eventual violação dos planos de ordenamento urbano.  Naturalmente a lei que regula os concursos públicos, que proibia explicitamente um ajuste directo dum montante tão elevado ao

 

 

 

também foi esquecida pelo Fernandes!!!!!

 

Mas o PSD   tinha votado esse ajuste directo em   sede municipal, através dos Vereadores que se enganaram a propor a Av.Nelson Carvalho, quando o que queriam  era propor criar a Rotunda Armando Fernandes.....

 

Apesar destas falhas e das digressões bucólicas sobre hortas e figueiras, e  as zootécnicas sobre ''burras velhas com saias'', teremos de concordar que o Fernandes fez algumas perguntas pertinentes que ainda não foram respondidas.

 

 

Seria matéria para elogio, se ao longo destes anos o Fernandes não se tivesse dedicado  a criticar quem levantou dúvidas a este projecto (entre eles o sr. eng.Marçal no Ribatejo) e a defender com um entusiasmo de recém-convertido( típico daqueles cristãos-novos que passavam o tempo a papar missas para fazer esquecer  o zelo com que frequentavam a sinagoga)  quem criticou o projecto e a aberrante torre.

 

O último a ser crucificado por ser rigoroso com o projecto MIAA foi Santana-Maia, numas declarações feitas pelo Fernandes na Voz do Betão.

 

Como é que se explica esta inversão de posições numa criatura conhecida pela sua rígida coerência, caso do Fernandes????

 

Só a podemos explicar por algum inesperado acidente. Por exemplo, o sr. dr. Fernandes aproveitou o tempo livre para aprender a subir às árvores. E um dia......aziago....escorregou e caiu.....

 

Como estaria sem capacete de segurança........algum inesperado traumatismo fê-lo esquecer-se do que dissera e mudar de opinião.....


Terá sido isso?


E já agora a árvore donde caiu seria uma figueira, localizada num quintal duma nossa conhecida?????



a redacção

 

agradecemos ao Senhor Arquitecto Doutor António Castel-Branco o envio da fotocópia do discurso do sr. dr. Fernandes

 

 



publicado por porabrantes às 12:50 | link do post | comentar

Vender sardinhas fresquinhas, carapau a pataco, apetitosas lulas ou uns jaquinzinhos para o gato da mulher do dr.  Estrela??? 

 

 

Ou teria ido à Pharmacia Silva, vender robalos ao dr. Rogério Ribeiro, aproveitando para de novo se surpreender  com o mocho de cachimbo e óculos, que espreitava pela montra?

 

 

Da janela duma casinha, espreita uma freguesa, que devia ter escutado o pregão e poupa o caminho até ao mercado diário, para se abastecer de peixe fresco.

 

 

 

Das fachadas pendem vasos e flores, lá ao fundo da R.José Estevão, espreita a Casa Milho.

 

O centro da velha Abrantes, quando era habitado pelo povo. Talvez anos 50. Colecção Passaporte.  Edição Loty.

 

 

Suzy



publicado por porabrantes às 09:15 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Directora do MIAA, procur...

A casa incendiada

O PUA é sagrado

As redes sociais, ágora d...

Questão de teatros

Não digam que é descabido...

Aluga-se terminal ferrovi...

O Banquete de Natal dos B...

Um bruto chamado Baptista

Elogio de Cecília Matias

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds