Terça-feira, 9 de Dezembro de 2014

É o que pode acontecer se a projectada municipalização do ensino for avante, diz o Diário Económico.

Abrantes é um dos concelhos em que a caciquização do ensino está a ser negociada com o governo do Crato.

Em alguns concelhos a percentagem dos docentes a despedir pode chegar aos 12%.

Sobre o assunto saiu já um interessante artigo do antigo dirigente da Fenprof, dr. Rolando Silva, que se recomenda ler.

Entretanto dizem-nos que apesar de ainda não se ter chegado a acordo com o Crato no nosso caso, há já ataques de municipalização por exemplo com a anunciada saída da Palha de Abrantes dos orgãos dirigentes de alguma escola, para ser substituída por outra associação mais solícita com o poder, que em breve será liderada por um ex-presidente da câmara.

Mas leiam o artigo do Diário Económico:

''As autarquias vão ter o poder de distribuir os professores com horários zero (sem turma atribuída) ou com horários incompletos por qualquer escola do seu concelho, sem necessidade de colocação por concurso. Esta gestão do corpo docente - que continua vinculado ao Ministério da Educação - vai permitir uma redução do número de professores, entre os contratados e dos quadros e de todos os anos de escolaridade, na ordem dos 10% ao longo dos próximos quatro anos lectivos.''

 

e ainda : (...) ''Há precisamente uma semana, a Fenprof entregou no Parlamento uma petição contra a municipalização das escolas. O texto - que por conter dez mil assinaturas obriga os deputados a discutir a questão em plenário - critica que as negociações destes contratos de transferência de competências para as autarquias não sejam públicas. Nesta petição, a Fenprof volta a argumentar que a municipalização é um "processo com que se pretende empurrar a educação", que "visa tão-só uma redistribuição de responsabilidades, que deixa, mais uma vez, as escolas a perder e tem como um dos seus principais alvos os professores".(...)

 

e ainda mais ''(...) Com esta regra, um professor com um horário de dez horas semanais, por exemplo, pode ser colocado num outra escola do concelho num horário de 12 horas, de forma a conseguir um horário completo (22 horas semanais) e sem ir a concurso. O mesmo pode acontecer com um professor com horário zero. (...)

 

artigo de Ana Petronilho

 

rt

porque é que o Espalha-Fitas va sair do Teatro São Pedro? E do edifício Milho segundo soa? Vai para onde? 



publicado por porabrantes às 12:49 | link do post | comentar

maldonado freitas.jpg

 Da família da mulher, que pertence a esta ilustre família de boticários reviralhistas das Caldas.

Quantos Zé Povinhos, produzidos por Mestre Rafael Bordalo, há na colecção?

Ou seja quantos abrantinos Zé Peres foram modelados na fábrica do Bordalo?

A quem se deveu que o Bordalo, grande artista, mas medíocre comerciante e industrial, não levasse a fábrica ao desastre?

A um empréstimo vultuoso dado pelo governo de Hintze Ribeiro nos finais da Monarquia.

Foi Hintze ao funeral de Rafael onde se misturou com a turba republicana e se acotevelou com Afonso Costa.

Que faz você aqui, se o Bordalo o satirizou, implacável, tantas vezes?

rei na barriga.jpg

Fontes é o Rei com o manto cheio de efíges do banqueiro Burnay, Hintze está à direita

(gamado a tp://www.semiramis.etc.pt/semiramis.weblog.com.pt/arquivo/bordalo_pinheiro/index.html   )

 

Disse-lhe o Hintze : dentro de cem anos ninguém saberá quem fui eu e todos saberão quem foi Bordalo.

Isto é dentro de 150 anos ninguém saberá quem foi Sócrates e todos saberão quem foi o Zé Vilhena.

A história do enterro li-a num livro do abrantino Martins Júnior, que apesar de mais novo, foi contemporâneo do micaelense Hintze Ribeiro.

Os políticos liberais eram assim, liberais.....

MN



publicado por porabrantes às 11:43 | link do post | comentar

Segunda-feira, 8 de Dezembro de 2014

 José adelino maltes.png

 os nossos agradecimentos ao Prof.Adelino Maltez

 http://porabrantes.blogs.sapo.pt/a-coincidencia-abrantina-2054037

ma

 



publicado por porabrantes às 20:26 | link do post | comentar

 Comentário no post A história de São Domingos de Abrantes

lamentável que o lançamento de um livro com uma história tão interessante como é a do Convento de S Domingos não tivesse merecido por parte das entidades responsáveis pelo património histórico uma palavra. Gostaria de saber onde posso comprar o livro "O Real Convento de S Domingos de Abrantes". Parabéns Dr Tavares

Agradeço a informação

José Manuel d'Oliveira Vieira

 

Caro Amigo:

Temos o prazer de informar que o livro

livro paulo.jpg

 se vende em Abrantes na Papelaria-Livraria Condes e ainda no Senhor Chiado, na Raimundo Soares, mesmo nas barbas do poder que tentou destruir o convento e boicotar o lançamento.

 

O livro vende-se já em Lisboa, na Livraria Ferin, ao Chiado.

 

Será feito o lançamento nacional aí no dia 22, com a presença de SAR o Duque de Bragança, bom amigo de São Domingos de Abrantes

 

horta.jpg

horta de zarate

 

Agradecemos os elogios à obra, e aproveitamos para agradecer ao Sr. Oliveira Vieira o bom trabalho que tem feito pelo Património da Cidade e Concelho, tanto nas páginas do Jornal de Alferrarede, como no blogue Coisas de Abrantes.

 

MN 

 

   

 



publicado por porabrantes às 19:05 | link do post | comentar

No dia em que o ''licenciado'' Pinto de Sousa inaugurou o açudezinho de Abrantes, o  António Balbino Caldeira era notificado de que passava a arguido por ter posto em causa que o Zé Sócrates fosse engenheiro.

 

É a coincidência abrantina que este velho post da Esquerda Net revela.  

 

O poder local prestava vassalagem ao cacique-mor que inaugurava uma obra inútil.  

 

Sobre a forma como o MP, vassalo e obediente ao poder socrático, usou da pressão como arma dissuasória contra vozes discordantes, escreveu  o prof. Adelino Maltez:

 

'' Temo que o nosso ministério público, perdido em tantas notas pé de página, não consulte o essencial do texto, talvez por não ter suficiente formação em hermenêutica bíblica. Seria interessante que interrogasse D. António Marcelino por causa do artigo que o mesmo publicou no jornal Correio do Vouga, face à denunciada cabala de conspiração contra o regime. Seria curioso que contratasse o Professor Paulo Morais para perito em matérias de pato-bravice. Ou que fizesse uma acareação entre o Professor Marcelo Rebelo de Sousa e o Professor Saldanha Sanches, para que dessem conteúdo probatório a todos os conceitos que utilizam, ao abusarem do epistemológico método indutivo dos casos práticos, oriundos da velha técnica da imaginação criadora dos académicos exemplos''

 

Estão a imaginar o falecido Bispo de Aveiro, metido numa sala esconsa dum Palácio da Justiça, porque qualquer animal revestido dos ouropéis fátuos do poder embirrara com uma crónica ácida do Bispo, no Correio do Vouga?

 

Quando era padre da Diocese de Portalegre, o padre Marcelino dirigia, entre muitas coisas,  grupos de casais católicos, estranha forma de ''apostolado jantante ecuménico''.

 

Não era ele que dirigia o grupo onde estava o dr. Esteves Pereira, Presidente da CMA. Era outro.

 

Mas dirigiu o grupo onde estava o eng. Octávio Duarte Ferreira e a mulher, a Senhora D.Maria Helena Duarte Ferreira, que ainda hoje continua no Tramagal a aplicar o pecúlio da família, lá na Vila, a fazer boas obras.

 

Quando me vêm pedir esmola natalícia pró cónego, prá misericórdia (que anda a esmolar para meter 6 janelas numa casa dada pelo dr.Armando Moura Neves à Sopa dos Pobres, organização que nada tinha a ver com a santa casa, antes das aventuras do  Capitão Horácio), pró cria, lembro-me da obra da  Senhora D.Maria Helena Duarte Ferreira, que sem pedir massas a ninguém, faz o Bem.

d.antónio.jpg

 Diocese de Aveiro

Ter-lhe-ão escrito os bombeiros de Constância, dizendo que que querem ma$$as para meter umas retretes femininas em Santa Margarida da Coutada? 

 

Estava a falar de D. António Marcelino, que também dirigiu um grupo de casais católicos onde andava o dr. Consciência. Deve ter sido aí que o Bispo se contagiou no fabrico artesanal de crónicas ácidas.

 

Mas D.António tinha uma vantagem sobre o dr.Balbino, estava protegido por uma mitra, e o poder socrático não se atreveu a processá-lo, com medo de levar com o báculo nos cornos.

MA 



publicado por porabrantes às 15:56 | link do post | comentar

 

diz o Inimigo Público......

António Costa desafia Sampaio a

avançar para presidente

 

da república e Tózé Seguro a

candidatar-se a director

da prisão de Évora

Por Mário Botequilha

 

No jantar de aniversário de Mário Soares, António Costa deu a Jorge Sampaio a ideia de tentar ser outra vez presidente da república ou administrador do condomínio ou treinador do Farense ou assim. Entusiasmado, o secretário-geral socialista sugeriu ao seu antecessor, Tózé Seguro, que metesse os papéis para tentar ser director da cadeia de Évora. “O Tózé podia facilitar o acesso de mais visitas ao recluso 44. Fica a ideia”, disse Costa. MB



publicado por porabrantes às 15:11 | link do post | comentar

rainha.jpg

 Por motivos de preguiça e azares editoriais não se festejou aqui o 1º de Dezembro, o dia da Restauração, que o retornado Passos, sem sentido de Estado ou de patriotismo, por imposição do estrangeiro, confiscou a Portugal e aos portugueses.

Corrige-se o lapso, publicando foto de Nossa Senhora  da Conceição, na sua casa de Vila Viçosa, onde um Bragança lhe entregou a coroa de  Portugal, para que protegesse as hostes lusas contra o estrangeiro.

Por algo somos Terra de Santa Maria e não Terra de Santa Troika.

Santa Maria de Vila Viçosa é Rainha de Portugal, apesar de Belém estar ocupado pela Maria de Boliqueime.

O Aníbal de Boliqueime presta culto a Santa Troika, a São BPN e ao Beato Salgado, nós honramos quem escolheu o chefe da Revolução de 1640, a Virgem de Vila Viçosa.

 

a redacção

 

  

   



publicado por porabrantes às 12:48 | link do post | comentar

Domingo, 7 de Dezembro de 2014

Estava o São Pedro à cunha como raramente se vira e na tribuna o dr. Mário Soares fazia o primeiro comício do PS cá na terra.

Soares andava a tratar da descolonização e falou nisso. Disse mais ou menos isto (cito de memória): ''Estive reunido em Bruxelas com o meu amigo Agostinho Neto e ele,que é um amigo de Portugal, disse-me que tinha muitas saudades nossas, especialmente de tomar uma taça de verde e de comer um pastel de bacalhau''.

petisco.jpg

 gamado a meu petiscos

 

Nisto o meu amigo Alcino, de origem africana,solidário com o Neto, e com os povos ''irmãos'',  levantou-se da plateia e subia a escada de madeira que unia o palco ao balcão e foi abraçar o dr.Soares, exprimindo atabalhoadamente o seu entusiasmo pelas amizades africanas do líder socialista.

Soares, político de raça, lá lhe deu um grande abraço, mas foi o cabo dos trabalhos para o separar do tribuno e o conduzir disciplinadamente à plateia.

Ah grande Alcino, instalador de gás de primeira!

Era 27 de julho de 1974, recorda a cronologia do Eduardo Campos.

O Rui Ramos diz num artigo certeiro que Soares foi um grande político de Oposição. Foi. E decisivo. E   ficará na História como o lider menchevique que derrotou os bolcheviques em 1975. Disse a Kissinguer que não seria um Kerenski e não foi. E por isso lhe devemos estar agradecidos. Mas o soarismo também foi isto:  

partidocracia.png

 ou seja a partidocracia, mal não do PS, mas de todos os partidos lusitanos.

 

ma

ps-há uma boa crónica do dr. Eurico Consciência (líder socialista da época) onde evoca Soares dançando num dos típicos arraiais abrantinos de Verão, nesta noite de 27 de Julho de 74.

 

créditos: documento da Fundação Mário Soares



publicado por porabrantes às 19:55 | link do post | comentar

jorge.jpg

 O nosso amigo e peticionário nº4 Jorge Santos Carvalho, historiador abrantino residente em Belgrado, desde os duros tempos do exílio (1965)  está a realizar, como bolseiro da Fundação Gulbenkian, um profundo trabalho de pesquisa nos arquivos do que foi a Jugoslávia e da Liga dos Comunistas (o partido do lendário Marechal Tito, o líder partisan que esmagou os nazis nos Balcãs e depois construiu um regime político socialista não-alinhado face a Moscovo) sobre as relações entre Portugal e aquele país e ainda sobre as relações entre o PCP e o titismo.

Tito foi ainda um dos fundadores do Movimento dos Não-Alinhados (com Nehru da Índia, Sukarno da Indonésia, Nasser do Egipto, o Imperador da Etiópia Hailé Selassié, etc) e distinguiu-se pelo apoio concedido à luta dos nacionalistas africanos contra o colonialismo salazarista.

Neste livro, que acho que é o primeiro em língua portuguesa a ser editado em Belgrado, retrata a Conferência de Belgrado e as posições da diplomacia do Marechal Tito face a Portugal, aos oposicionistas portugueses ( desde Delgado a Mário Soares) e aos dirigentes nacionalistas das colónias (de todas as facções passando por Holden Roberto, Jonas Savimbi a Agostinho Neto). 

s.carvalho belgrado.jpg

 O Jorge teve a gentileza de oferecer o livro aos ''Cidadãos por Abrantes''.

jorge 3.png

 foto: Tubucci

 O livro encontra-se à venda, cá na cidade, no Senhor Chiado, na Praça Raimundo Soares.

Vamos ler esta obra com a atenção que merece e posteriormente talvez haja tempo para novas abordagens.

MA

a primeira foto é do Centro 25 de Abril da Universidade de Coimbra



publicado por porabrantes às 15:17 | link do post | comentar

(fotografia de 1958- gamada ao facebook do António José Carvalho)

rua nossa senhora conceição antónio carvalho.jp

 

É a Rua de Nossa Senhora  da Conceição, que ligava a Barão da Batalha, onde ainda havia a Casa do Capitão Mor, ao Largo da Feira e ao Cemitério do Cabacinho.

Largo Gene Av Macahado 1.jpg

 

(imagem gamada ao Blogue Coisas de Abrantes, do sr. Oliveira Viana) 

 

Era uma rua pacata, decente e comercial, animada pelas chegadas e saídas das camionetas das carreiras dos ''Claras''. Hoje é uma nódoa.

 

Resolveram demolir a garagem dos Claras e só demoliram metade, deixando sobreviver o café onde o Mário Semedo ingeria um bagacinho, enquanto escrevinhava uma crónica prá aqui ou um artigo prá Barca descobrindo a careca ao Carrilho da Graça.

 

Diz-me um popular que não demoliram essa parte, porque não conseguiram despejar do primeiro andar uma senhora idosa que vive lá.

Ora bolas, se era para demolir, que o camartelo demolisse tudo, embora não devesse ter havido nenhuma demolição, porque a obra era da competência do Ministério da Saúde e não municipal.

 

Entusiasmados com o camartelo, arrasaram mais uma parte do baluarte que defendia São Domingos. Tinham licença da tutela para isso?

 

Quer alguém tratar do assunto? Ou vai uma cacique pedir-nos para estarmos quietos? 

 

Em frente dos Claras assassinaram a oficina das ''carreiras'' para construir a passo de caracol, com falência pelo meio, um mercado desnecessário, quanto mais abaixo o velho só precisava duma lavagem de cara.

Estou-me a alongar demasiado, tudo isto vã prosa, só serve para mostrar outra foto de 1958

cemitério tó zé carvalho.jpg

 

 (fotografia de 1958- gamada ao facebook do António José Carvalho)

 

Nesse local então era possível enterrar católicos, ateus e protestantes. Agora não.

Em compensação agora só é possível exportar mortos no centro agonizante de Abrantes.

Agradeço ao Tó Zé Carvalho e ao Sr.Oliveira Viana a disponibilização destas fotos históricas à comunidade. Se algum poeta amordaçado e uma arquitecta burocrática quiserem reproduzir as fotos, num site da treta, fazem favor, e o mesmo digo ao Gaspar da ''Zahara'' e a um ''sócio'', a quem reservo uma dose de sarcasmo quando me der na real gana.

 

Mas façam o que devem, citem a fonte.

Porra, como se chamava o cabeleireiro  do Entroncamento, sobre quem o Mário Semedo deixou crónica inédita com título assaz curioso? Saberá a arquitecta?

 

MA

foi depositado no blogue conjunto de documentos e alguma prosa pelo Mário, antes de falecer.....

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 13:14 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Nada melhor que umas bofe...

'Não apagarão o passado. ...

SOBRE A INSTRUMENTALIZAÇÃ...

Gaspar Castanho, Capitão ...

D.Pedro perdoa dívidas da...

Quando Júlio Dinis não ve...

Bibliografia abrantina: G...

Cada abrantino paga mais ...

CMA no banco dos réus

Um poeta que nunca estará...

arquivos

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Maio 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds