Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020

jn.png

Devida vénia Jornal de Negócios

Enquanto os caciques e a angélica doutora trocavam piropos carinhosos, os infectados disparavam

A protecção civil é assim, à abrantina

ma


tags:

publicado por porabrantes às 21:04 | link do post | comentar

retrato.png

retrato 2.png

A. H. Oliveira Marques, Iria Gonçalves, Amélia Aguiar Andrade, Atlas da Cidades Medievais Portuguesas, Centro de Estudos Históricos da Universidade Nova de Lisboa/ Instituto Nacional de Investigação Científica, Lisboa., 1990

Os dados abrantinos seguem a obra de Iria Vasconcelos Vilar, Abrantes Medieval....

com a devida vénia 



publicado por porabrantes às 19:25 | link do post | comentar

doutores.png

Um concelho de doutores, nem por isso?

Atlas da CCR Lisboa e Vale do Tejo, 2017

E depois venha explicar a Celeste estes resultados e pode encomendar outro estudo à Católica, para explicar o desastre.

ma



publicado por porabrantes às 18:28 | link do post | comentar

charrua 1900.png

A charrua com que Eduardo Duarte Ferreira ganhou um prémio na Expo de Paris, em 1900.

charrua 1900 2.png

Na mesmo Expo, o Mendonça, Visconde da terra, também leva um prémio, na classe azeites.

ma 



publicado por porabrantes às 15:41 | link do post | comentar

Miguel de Almeida, a quem o Candeias diz que chamavam o ''Toucinho'' e que era quase um incapaz, limpa a pistola e faz os últimos contactos. Manda um lacaio meter uma cabeça sobre um cepo e dispara várias vezes. 

Como está a minha pontaria, António?

A cabeça está desfeita, Senhor D.Miguel.

Tem 60 anos, mas a pontaria continua intacta.

Volta a limpar a arma.

É 30 de Novembro de 1640.

No dia seguinte, o alvo não será um boneco, mas um traidor.

A 1 de Dezembro de 1640, a pistola de D.Miguel fará justiça, implacável, sobre quem representa o Estrangeiro.

d.miguel.jpg

Terá larga vida e quando morre aos 80 anos, um familiar manda-o enterrar no Carmo, junto a Nuno Álvares.

Bom sítio para enterrar homens que foram decisivos para que Portugal não fosse província de Castela.

Ah, e quando D.João, o novo Rei, o faz Conde de Abrantes, os da autarquia, os mesmos que tinham servido lealmente a Filipe de Habsburgo, informam Lisboa que não o querem como Senhor.

Certamente preferiam a Alfonso de Lancaster, que em Madrid, serve a Monarquia dos Áustrias.

Por isso, D.Miguel preferiu ser enterrado em Lisboa, a ser sepultado em Abrantes.

ma



publicado por porabrantes às 09:33 | link do post | comentar

O Sr.António Louro, membro da Assembleia de Freguesia das Mouriscas (AGIMOS), bairrista incansável ( com um papel destacadíssimo na mais importante e activa Associação de Defesa do Património da terra, a ACROM), relança a petição para salvar a Escola das Mouriscas, que está em ruínas.

A Escola, propriedade da CMA, está cedida (por 50 anos) à ADIMO, cujo principal vulto é o ex-Presidente, Humberto Lopes.

Apesar de protestos da opinião pública e dos eleitos, que desde há 7 anos se fazem sentir, a Escola continua a degradar-se.

 

 

Pela recuperação e requalificação da antiga escola primária de Mouriscas!Antes que a mesma nos caia em cima da cabeça!

83908_1.jpg

 

Para: Exmo Sr. Presidente da Câmara Municipal de Abrantes e Exmos/as Senhores/as Vereadores/as, Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Municipal de Abrantes, Exmos/as Senhores/as Deputados/as Distritais dos Partidos Políticos, Outras Entidades e Imprensa em Geral:

  • Exmos/as Senhores/as,

São do conhecimento geral as vicissitudes que conduziram ao abandono o edifício da antiga escola primária de Mouriscas, situada à beira da estrada nacional EN-3. Houve fundos comunitários e camarários aprovados para a recuperação do edifício, que nunca foram aplicados por razões que não interessa agora estar aqui a divagar sobre as mesmas.

Também é público e notório que, no momento presente, existem graves riscos para as pessoas e bens que circulam pela EN-3 e ainda para as construções adjacentes à referida escola. A degradação do edifício está em ritmo acelerado havendo já partes da cobertura que ruíram, tendo-se registado a queda de telhas sobre edificações vizinhas.

Foi oportunamente alertado o SMPC - Serviço Municipal de Protecção Civil para a situação acima relatada, tendo-se efectuado uma vistoria no local, da qual, porém, não resultaram quaisquer acções práticas, não obstante tratar-se de um edifício camarário.

Na freguesia de Mouriscas existem várias associações que não têm sede própria, e existe também um vasto espólio museológico que não se encontra em exposição por falta de instalações adequadas. A recuperação e a requalificação do edifício da antiga escola primária de Mouriscas iria colmatar estas e outras lacunas.''
 
Num só dia mais de 200 pessoas assinaram a petição

 

 

 



publicado por porabrantes às 09:11 | link do post | comentar

Domingo, 29 de Novembro de 2020

''Oito luas empós, como soem dizer os naturalistas guiando-se pela ampulheta dos céus, Pio Palha Ribeiro, um punhetense taful, foi levado ao caldeirão e, a seguir, almoçado. Não esperneou. Não gritou. Não desesperou. Seu olhar perdia-se a muita distância e um sorriso colhia-se-lhe, sem que ninguém entendesse. E é de acreditar que seu pensamento último voou para Punhete. Pio Palha Ribeiro mostrava-se de boas avenças com os homens ''

 

12586SK1418749843G.jpg

tetraneto.jpg

Nesta obra genial  do grande escritor Haroldo Maranhão, uma sátira à colonização lusa do Brasil, com um herói punhetense que acaba comido pelos índios  .

Ainda em Constância vão dar uma rua a  Pio Palha Ribeiro, a quem diziam  '' Olha, Ribeiro, se não sabes, à conta de tua pascacice de natural lá de Punhete, que é onde o diabo perdeu o rabiote''

ma 



publicado por porabrantes às 16:55 | link do post | comentar

anacleto 4.png

Reproduzimos com a devida vénia, o post do Colega Sardoal Cultura e Progresso sobre a degradação e uso político da Santa Casa do Sardoal, pelo Anacleto, o amigo dilecto do burlão José da Graça: 

 

SANTA CASA DA MISERICÓRDIADO SARDOAL, UMA BOMBA PRESTES A EXPLODIR
Perante a grave situação que a Santa Casa de Misericórdia apresenta e num exercício de responsabilidade e compromisso político com o Sardoal, os vereadores eleitos do partido socialista decidiram reunir-se com o Director Distrital da Segurança Social de Santarém, em delegação ao vereador Pedro Duque a representação.
A preocupação é máxima, tendo em conta a situação e as consequências que a falência da Instituição pode ter ao nível social e económico e essencialmente nas valências e serviços que presta à população.
Os principais aspectos da reunião são detalhados a seguir.
RELATÓRIO DA REUNIÃO
O Director fez questão de que não pretendia de forma alguma ocultar qualquer informação acerca da Instituição apesar da gravidade de algumas situações.
Apresentou-se munido de uma ficha de acompanhamento da SCMS, que é normal ter relativamente a cada parceiro com quem a Seg. Social tem protocolos.
Nessa ficha enunciou um conjunto de irregularidades técnicas e funcinais, apuradas numa recente inspeção dos serviços, tais como:
- Falta de qualidade das refeições fornecidas;
- Desconformidades nos quartos onde os idosos estão internados com excesso de utentes por unidade;
- Incumprimento de inúmeras regras de manutenção dos locais de internamento, com especial destaque para os cuidados em matéria de prevenção do COVID;
- Inexistência de actividades complementares de ocupação dos internos;
- Incumprimento dos rácios de Técnicos e de pessoal credenciado, em diversas áreas, designadamente, fisioterapia, animação, motricidade, etc..
- Internamento de utentes em vários locais (pelo menos 3) dispersos do Lar Principal, sem qualquer licenciamento para o efeito (Infracção Grave);
- Declaração em duplicado de vários utentes para várias valências em simultâneo, o que obrigou ao reembolso de avultadas verbas por parte da SCMS à Seg. Social (atenção que esta matéria é suscetível de ser crime na obtenção de comparticipações do Estado);
Por outro lado referiu que sempre que se reúnem com os Provedores, e têm que o fazer com alguma regularidade, o Sr. Anacleto, procura sempre intervir em matérias de âmbito nacional, ou seja está sempre muito mais empenhado em debater e criticar sistematicamente o Governo, acusando-o de insuficientes comparticipações do que em abordar a situação particular de SCMS.
A este prepósito, diz o Dir. Reg. que o Provedor não tem qualquer razão até porque em 2019 as comparticipações aumentaram 3,2% e em 2020, 5%, portanto valores bem acima da inflação.
Ainda disse que recentemente teve uma acesa discussão com o Sr. Anacleto, onde lhe disse que a SCMS era a única que se queixava da viabilidade e sustentabilidade de determinadas valências em todo o Distrito e que todas as outras SCM ou IPSS, ao longo do tempo, umas mais rápido e facilmente que outras, foram adaptando as suas estruturas às valências que proporcionam às população e prestavam na generalidade serviços com melhor qualidade que a SCMS.
Também disse que lhe tinha dito, que a gestão da SCMS supostamente até deveria ter sido mais facilitada, atendendo aos donativos de privados que recebeu e que muitas das suas congéneres nunca receberam, mas prestam serviços de qualidade, em termos legais e sustentáveis financeiramente.
Disse-lhe que era evidente que o problema da SCMS resultava unicamente da sua gestão, pois tem por exemplo um rácio de praticamente dois funcionários por cada utente, o que a torna insustentável.
(Neste ponto, lembrar que a SCMS nas últimas décadas foi um elemento político sempre ao dispor do PSD, ainda mais quando a Câmara deixou de poder contratar mais pessoal, pois havia ultrapassado os limites legais, a SCMS foi quem cumpriu muitas promessas eleitorais do PSD de Sardoal).
O Sr. Diretor referiu a este propósito que chegou a dizer ao Sr. Anacleto que estranhamente e perante a evidência de que a SCMS tem uma estrutura demasiado pesada para as valências que dispõe, nunca viu a SCMS tentar atenuar esse desequilíbrio alargando o leque de valências com um conjunto de programas de apoio que a Seg. Social dispõe em várias matérias, designadamente relacionadas com a ocupação de tempos livres dos utentes e no alargamento dos serviços a prestar em matéria de apoio domiciliário, o que possibilitaria alargar o valor das comparticipações sem que tivesse que efectuar qualquer contratação de mais pessoal, bastava afectar pessoal superavitário de determinados setores a estas novas valências.
Neste caso, insistiu, dizendo que os técnicos da Seg. Social insistem constantemente com a SCMS, para aderir a estes novos programas, e que inclusivamente informam que caso seja necessária alguma formação, a Seg. Social tem protocolos com o Instituto de Emprego, que assumiam este encargo, mas ainda assim, a resposta é invariavelmente negativa. Parece que estamos no tempo do “Orgulhosamente sós”.
O Provedor recentemente veio para a comunicação social alegar que a Seg. Social também culpa da situação financeira da SCMS, pois devia disponibilizar um maior número de vagas para utentes protocolados.
O Sr. Diretor comentou que ele próprio teve acesso a esse artigo que de imediato lhe telefonou e o convocou para uma reunião de urgência em Santarém, que entretanto o Sr. Anacleto, já adiou duas vezes.
Neste capítulo, referiu que o Provedor mentia descaradamente, pois a SCMS nem tem utentes suficientes para ocupar as vagas protocoladas e apresentou os seguintes dados:
Lar
- Capacidade SCMS
70
- Acordo com Seg. Social
44
- Utentes
39
Apoio Domiciliário
- Capacidade SCMS
80
- Acordo com
Seg. Social
60
- Utentes
46
O Sr. Diretor afirma que estes números acordados/protocolados com a segurança social, podem ser revistos a qualquer momento, aliás é frequente que assim seja, o que acontece é que a SCMS tem vindo a perder imensos utentes nos últimos anos e que considera que a fraca qualidade do serviço prestado e com pouca humanidade, tem afastado eventuais interessados.
Referiu que por vezes fica a ideia que a gestão da SCMS se torna como que “bafienta”, amorfa, conformada e sem iniciativa o que é pena pois dispõe de alguns bons técnicos, só que a direcção corta-lhes as pernas para poderem inovar.
Referiu que nesta altura está em curso um programa “PARES” com comparticipações de pelo menos 75% dos investimentos elegíveis e que se destina a novas edificações, ampliações ou remodelações já existentes e que pelo menos até aquela data a SCMS não tinha manifestado a intenção de aderir.
Disse também que teve conhecimento que recentemente o Sr. Anacleto foi convocado, com carácter de urgência, para uma reunião com o Sr. Bispo e que o Coordenador Distrital das Misericórdias também foi convocado.

bispo (2).png

 

(Nesta altura já se vislumbram manobras nos bastidores por forma a que se crie uma lista, mais uma vez, proveniente de um circulo restrito de pessoas, maioritariamente afetas ao PSD).
O nosso papel e responsabilidade é denunciar esta situação,
com autorização do Director Distrital da Segurança Social, para tornar pública esta reunião.
NOTA FINAL
Agradecemos ao Sr. Pedro Duque as informações que a opinião pública em geral e os sardoalenses em particular têm direito de saber.
Sentimos um gosto amargo na boca e uma grande indignação. Agora que cada um tira suas próprias conclusões.''
Sardoal
Cultura&Progresso
(imagens nossas)
 
Comentário: o Anacleto reedita o tonsurado das seringas
 
 

 



publicado por porabrantes às 15:37 | link do post | comentar

No velho Rossio, depois Largo do Príncipe Real, que era , em 1908, D.Luís Filipe de Bragança e que a canalha, representada pelo Buíça e pelo Costa, mataram, como assassinaram a D.Carlos, actual Praça da República, levanta-se, altaneiro, o monumento aos abrantinos caídos na 1ª Guerra, interessante peça escultórica (Roque Gameiro) e arquitectónica, que merecia respeito.

O enquadramento escolhido para meter o novo gadget natalício destoa com a dignidade exigida ao Monumento e não podia ser mais infeliz.

ma 

127760742_3977771538900704_6857525611663928072_o.j

 



publicado por porabrantes às 13:20 | link do post | comentar

Em 1755, por Setembro, um homem de Santa Margarida, foi à festa do Espírito Santo, em Punhete. Chamava-se Lourenço Ferreira e dedicou-se a blasfemar, estaria chateado.

Entre outras coisas interessantes, tinha por hábito dizer que '' “nem frade nem nenhum dos que serviam o Espírito Santo eram mais que ele e nem capaz[es] de falar diante dele”, e que “o Espírito Santo” ali festejado “não era capaz de andar debaixo das solas de seus sapatos”. (1)

Resultado foi detido pelo Santo Ofício e teve tratos de polé, graças às denúncias das beatas contra o barqueiro livre-pensador.

O doutor IGOR TADEU CAMILO ROCHA, da Universidade de Belo Horizonte, nesta tese de doutoramento, '' ENTRE O ‘ÍMPETO SECULARIZADOR’ E A ‘SÃ TEOLOGIA’: TOLERÂNCIA RELIGIOSA,
SECULARIZAÇÃO E ILUSTRAÇÃO CATÓLICA NO MUNDO LUSO (SÉCULOS XVIII-XIX)'' (2019), estuda este assunto. O  académico brasileiro dá-nos uma grande obra relacionada parcialmente com a  História da Região e começo a pensar que há que ler a produção brasileira, como recomendaria o António Hespanha ou o Fernando Catroga, para descobrir coisas novas e estimulantes sobre o Médio Tejo.

Saravá doutor IGOR!!!!

ma 

(1) expressões retiradas literalmente da obra citada



publicado por porabrantes às 10:23 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A contratação do Almeida ...

Estrupo em S.Facundo

Um casamento abrantino fr...

Constância deixou perder ...

E não fizeram ao Pastor o...

Quando chegaram os domini...

Bibliografia abrantina : ...

Uma Nova Visão do Mundo R...

O Bloco na CMA

Marcado julgamento do emp...

arquivos

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9


23
24
25
26

27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds