Sexta-feira, 29 de Janeiro de 2021

Divulgamos com a devida vénia, da página da Alternativa.com, um artigo do dr. Rui André, Presidente da Junta de Rio de Moinhos, sobre a questão das freguesias

 

OPINIÃO | 29 de janeiro de 2021
por Rui André
REORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA DO TERRITÓRIO DAS FREGUESIAS
No ano de 2013, o país foi alvo de uma reforma territorial, tendo sido reduzido em 27% o número de freguesias, passando de 4.260 para 3.091. Na altura, muitas críticas se ouviram pela forma como todo o processo foi estruturado e conduzido.
O concelho de Abrantes tinha 19 freguesias, distribuídas pelo seu território de 714 km2, passando a ter 13. Passados quase 8 anos, muito trabalho foi desenvolvido e torna-se pertinente fazer um balanço geral dos prós e contras que esta lei pode trazer.
Em 2020, o governo apresentou uma proposta de lei (68/XIV/2.ª), em parceria com a Associação Nacional de Municípios Portugueses e a Associação Nacional de Freguesias, defendendo que a estabilidade territorial seja garantida por um mínimo de três mandatos (12 anos).
A proposta de lei visa definir o regime jurídico de criação, modificação e extinção de freguesias. O documento vai ser apreciado hoje na Assembleia de República e poderá entrar em vigor antes das próximas eleições autárquicas.
No entanto, esta temática requer uma abordagem de todos/as para que os próximos anos possam ser preparados com rigor, maturidade e planeamento.
Para os mais pessimistas, as freguesias poderão desaparecer e perder notoriedade. Para os mais arrojados, as freguesias poderão ganhar dimensão e, consequentemente, defender melhor a sua terra e as suas gentes.
O que interessa é que todos/as possam projetar-se no futuro e analisar, sem filtros nem ruídos, as vantagens e desvantagens que essa reestruturação pode trazer para a melhoria da qualidade de vida das pessoas.
O propósito desta abordagem visa despertar as diversas sensibilidades e pretende que, com sabedoria e consenso, haja discussões construtivas. Para tal, vou explanar alguns dados estatísticos para um melhor conhecimento do nosso território, assim como as previsões para o futuro.
Os dados da população do nosso concelho são referentes aos Censos de 2011. Os Censos de 2021 estão a ser trabalhados e os resultados só serão conhecidos no início de 2022. A população poderá variar consoante as dinâmicas e as estratégias políticas implementadas.
Em 2011, a população no concelho de Abrantes era de 39.325 habitantes (menos cerca de 3.000 habitantes a cada 10 anos para trás, 45.697 em 1991).
Em 2021, a população do concelho é estimada em 34.500 habitantes (menos cerca de 5.000 habitantes a cada 10 anos para a frente, 24.500 em 2041).
O número de eleitores no concelho de Abrantes em 2021 é de 31.806 (em 2016 foi de 34.063).
Poderia aprofundar os dados de todas as freguesias do concelho, mas vou concentrar-me na zona norte por conhecer melhor a sua realidade. Em 2020 existem cinco freguesias rurais, mas vou basear a minha reflexão nas seis freguesias que existiam antes de 2013.
Se dividirmos a zona norte em duas freguesias, resultaria o seguinte quadro:
1.1. União das Freguesias de Aldeia do Mato, Martinchel e Rio de Moinhos Aldeia do Mato – 31 km2 | 400 eleitores em 2017 | 349 eleitores em 2021
Martinchel – 17 km2 | 550 eleitores em 2017 | 490 eleitores em 2021
Rio de Moinhos – 20 km2 | 1.030 eleitores em 2017 | 958 eleitores em 2021
A União das Freguesias ficaria com uma área geográfica de 68 km2 | 1.980 eleitores em 2017 | 1.797 eleitores em 2021.
1.2. União das Freguesias de Carvalhal, Fontes e Souto
Carvalhal – 17 km2 | 655 eleitores em 2017 | 584 eleitores em 2021
Fontes – 28 km2 | 529 eleitores em 2017 | 484 eleitores em 2021
Souto – 13 km2 | 400 eleitores em 2017 | 349 eleitores em 2021
A União das Freguesias ficaria com uma área geográfica de 58 km2 | 1.584 eleitores em 2017 | 1.417 eleitores em 2021.
2. Noutro cenário, criando uma única União de Freguesias no norte do concelho de Abrantes, resultaria o seguinte quadro:
Aldeia do Mato – 31 km2 | 400 eleitores em 2017 | 349 eleitores em 2021
Carvalhal – 17 km2 | 655 eleitores em 2017 | 584 eleitores em 2021
Fontes – 28 km2 | 529 eleitores em 2017 | 484 eleitores em 2021
Martinchel – 17 km2 | 550 eleitores em 2017 | 490 eleitores em 2021
Rio de Moinhos – 20 km2 | 1030 eleitores em 2017 | 958 eleitores em 2021
Souto – 13 km2 | 400 eleitores em 2017 | 349 eleitores em 2021
A União de todas as freguesias teria uma área geográfica de 126 km2 | 3.564 eleitores em 2017 | 3.214 eleitores em 2021.
3. Comparação com as freguesias de Bemposta e União de Freguesias de S. Facundo e Vale das Mós:
Bemposta – 187 km2 | 1.588 eleitores em 2017 | 1.471 eleitores em 2021
S. Facundo e Vale das Mós – 101 km2 | 1.264 eleitores em 2017 | 1.162 eleitores em 2021
Na proposta de lei, o governo pretende criar critérios de apreciação para a criação de freguesias, os quais passam por: prestação de serviços à população; eficácia e eficiência da gestão pública, população e território; história e identidade cultural; e vontade política da população.
Sendo assim, e para terminar esta abordagem, questiono as vantagens obtidas pelas freguesias de Alferrarede e São Miguel do Rio Torto, ao agregarem-se com as de Abrantes (S. João e S. Vicente) e Rossio ao Sul do Tejo, respetivamente.
Com esta reflexão, não pretendo analisar o trabalho desenvolvido pelos respetivos executivos, mas sim destacar a importância estratégica de cada uma das freguesias. Deixo a questão para análise cuidada, tendo em conta os critérios elencados anteriormente.
Em suma, urge fazer-se uma discussão ampla e consensual nas Assembleias de Freguesia e na Assembleia Municipal, a fim de se preparar melhor o nosso futuro. Fica o desafio …
O movimento ALTERNATIVAcom está e estará sempre disponível para o diálogo construtivo, a fim de encontrar com os cidadãos as melhores soluções para o nosso território.
Rui André

 



publicado por porabrantes às 10:42 | link do post | comentar

Quinta-feira, 28 de Janeiro de 2021

O Público analisa o escandaloso caso dum testamento impingido a um demente por uma quadrilha de burlões. 

Há anos, no Pego,

'' 

F e G acompanharam H na altura em que foi lavrado no Cartório Notarial de Abrantes, o referido testamento;

F e G acompanharam H ao Cartório Notarial de Abrantes;

H nem sempre comia às horas normais;

Não conseguia subsistir por si, sem a ajuda de terceiros, nomeadamente de E;

Tendo dificuldade em movimentar-se;

H chegava a andar descalço pelas ruas;

Em estado de sujidade e de falta de higiene;

H vivia numa casa que não tinha água nem luz eléctrica;

O tecto da casa onde vivia H estava degradado;

H chegou a dormir no mesmo compartimento dos animais;

E comprava e dava ao seu tio bens essenciais;

H estava só, assim vivendo;''

Outorgara testamento no Cartório de Abrantes, revogando o anterior e deixando os bens só a certos sobrinhos.

Os prejudicados tentaram anular o testamento, por motivos óbvio, levando o caso até ao Supremo. Perderam.

leia o acordão 



publicado por porabrantes às 22:11 | link do post | comentar

O Vereador Armindo Silveira interrogou a maioria sobre a situação das ruínas de Santo Amaro, imóvel classificado, destruídas criminosamente pelos vândalos.

A Outeiro das Mós era detentora do Alvará nº 82A, emitido pela Câmara Municipal de Abrantes, em 28-6-2017, para intervir no prédio fronteiro dessa rua (Marquês de Pombal), tendo as obras sido aprovadas por despacho de 24-11-2016.

O dr. Silveira afirmou que o espaço vandalizado, que contém pinturas murais inéditas e túmulos de abrantinos de Seiscentos, estava cheio de ervas e abandonado.

O Caseiro, aparentemente grande amigo dos promotores, afirmou que os pato-bravos tinham metido novo projecto a parecer da DGPC.

Mas calou sobre o resultado do processo de contra-ordenação que em Novembro de 2017, moveu à pataria a autarquia.

Estamos em 2021, o que aconteceu à contra-ordenação?

Levou sumiço?

Continua a andar a passo de caracol?

Como a metida contra o boticário Silva, que destruiu meia rua, ao lado dum imóvel de interesse público, a Casa da Câmara, edifício joanino do máximo interesse, apesar de ter sido abandalhada pelas obras do Bioucas?

Sobre os vândalos pende um processo-crime na comarca e a Judite, também vagarosa, investigava.

santo amaro 18-7-28.jpg

Toda esta situação, edis como o Caseiro, patos-bravos como os do Outeiro, Vereadores da Incultura como o neo-fascista Dias, serviços de urbanismo incompetentes como os da Sara Morgado, tornam a vida do património abrantino....um calvário.

Pelo menos desta vez sentaram-se disciplinados perante um magistrado.

Num processo-crime.

E outros também se sentaram no caso da Amieira.

É para aprenderem.

ma  

  

 

 

 



publicado por porabrantes às 18:09 | link do post | comentar

A orgulhosa bandeira sikh flutua, vitoriosa, no Forte Vermelho.

Os lavradores (50% da população da Índia) estragaram a palhaçada militarista do Dia da Independência......

Os protestos alastram na antiga colónia portuguesa de Goa

 

 


tags:

publicado por porabrantes às 17:17 | link do post | comentar

Outro dia, coitadinho, o Valamatos alegava que havia confidencialidade nas intenções dos privados sobre o futuro da Central pegacha.

E que por isso não devia falar sobre o assunto.

O Galamba, que é um rapaz loquaz, tanto que as polícias o escutam dando à língua com o Costa, foi mais claro. À confidencialidade disse : isso, é treta.

Mas antes disso, já a bófia escutara o Galamba informar o capo, ou seja o Sócrates, sobre outro assunto.

Voltando ao Pego, o Galamba disse que : '' A central a carvão do Pego é um consórcio onde há várias empresas com entendimentos diferentes sobre o futuro daquele projeto", começou por explicar o responsável esta quarta-feira no Parlamento. Esta unidade é detida pela Tejo Energia, que resulta de uma parceria entre a TrustEnergy ("joint-venture" da Engie e da japonesa Marubeni) e a Endesa. .'' no Jornal de Negócios, artigo de Sara Ribeiro

Depois disparou que o Governo tem tentado servir de árbitro, mas que a coisa anda difícil.

ma 

 



publicado por porabrantes às 15:14 | link do post | comentar

É o sítio dele, foi um homem justo e nunca andou a dizer que era capelão real. Dava-se com o povo alentejano da sua terra.

 

O Padre José da Graça era de Nisa e foi um um professor e sacerdote notável no século XIX

 

Tinha como apelidos Semedo Ribeirinho, apelidos notáveis daquela Vila e era parente do Mário Semedo

Os filhos do beatério de Nisa, costumam chamar-se da Graça, em homenagem à Virgem da Terra.

 

Outro padre parente  do Mário era o P.

padre diniz.png

filho de José Semedo Beato Gomes e Isabel Diniz, da casa dos Viscondes de Vale da Sobreira, título dado salvo erro por D.Luís.

 

 O P.Beato Gomes foi Pároco de N.Senhora da Graça, onde sucedeu àquele sacerdote que fundou a Paróquia de Nossa Senhora da Conceição do Rossio de Abrantes, tendo sido aí colocado com uma gloriosa cunha de D.Maria II, Joaquim Faustino Diniz Bitacolo

 

Deve dizer-se que essa Igreja foi construída em terrenos dados pela família Castro Ataíde , disse-nos um Arquitecto, chamava-se Duarte Castel-Branco e tinha pela Igreja pouco apreço ....

 

Beato Gomes estudou Direito em Coimbra e foi um grande Advogado na Vila alentejana, com sério prestígio na Vila de Abrantes

moura.png

 

Também foi Provedor da Santa Casa local e azorrague de vendilhões do templo

vendilhões.png

 

Esta história tinha-nos sido contada pelo Mário Semedo (que dizia sempre que tinha demasiados padres na família e um pai ex- seminarista). Foi completada pelo escrito pelo P.Severino Diniz Porto (a família Diniz também produzia padres a todo o vapor) e pelo Sr.Júlio Basso, no Álbum da Plebe em 1902.

ma

 

 



publicado por porabrantes às 09:26 | link do post | comentar

amanhã: Valha-nos Santo Amaro



publicado por porabrantes às 00:01 | link do post | comentar

Quarta-feira, 27 de Janeiro de 2021

Leia o artigo do nosso amigo dr. Santana-Maia no Observador



publicado por porabrantes às 21:08 | link do post | comentar

Ana Rita Cavaco diz que os doentes transferidos de Lisboa, depois do flop do oxigénio, protagonizado no Amadora-Sintra e noutros hospitais, correm  risco de vida.

Afirma a Bastonária da enfermagem: “não há só doentes do Amadora-Sintra a serem transferidos para o Santa Maria ou para o São João mas também para o hospital de Abrantes” e sublinha que “os doentes correm risco de vida, quer os que estão em ventilação não evasiva quer os que estão ventilados em cuidados intensivos.”

“Não vale a pena dizerem que não, isto é uma realidade e é com ela que vamos ter de lidar nos próximos dias”, afirma, acrescentando que “é altura de começarmos todos a dizer a verdade, a dizer aquilo que se está a passar, para ver se, de uma vez por todas, nós todos nos apercebemos daquilo que está a acontecer.”(...)

ler mais no Executive Digest 


tags: ,

publicado por porabrantes às 20:34 | link do post | comentar

O nosso amigo Paulo Falcão Tavares lança novo livro, editado pela Academia Tubuciana, sobre um tema inédito na bibliografia abrantina, a sair dos prelos em Março

 

pft 2.png

 

O livro analisa:  cerca de 100 brasões dos concelhos de Abrantes, Sardoal, Constância, Mação, Vila de Rei e Ponte do Sôr, ao longo de c. 200 páginas, todas com os desenhos e fotos dos brasões das famílias em causa. Desde o final da 1ª Dinastia que a nossa região, conserva alguns dos exemplares heráldicos mais bonitos de Portugal, desde os brasões góticos dos condes de Abrantes até ao importante legado artístico dos actuais cemitérios. Surgem centenas de personagens e de histórias completamente desconhecidas do leitor. São mais de seis séculos de arte/ património e de uma riqueza que é estratégica para todo o turismo do centro e que permite conhecer melhor os locais e compreender as suas gentes. Esta é, a primeira obra do género em toda esta vasta região. 

 Os pedidos de subscrição da obra podem ser feitos para: academiatubuciana@hotmail.com, apartado 43 2200-006 Abrantes. PVP: €25.  Tel. 965647495. 

 

ma



publicado por porabrantes às 18:25 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Anacleto passa ao ataque

Empresário arrasa caciqui...

O deputado Gameiro no Púb...

O caso do alegado interme...

Os honestos comerciantes ...

Fraude informática torrej...

Um homem marcante na Cult...

A placa do vigarista

Jorge Dias em Liberdade

''Angola sempre na rota d...

arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Abril 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds