Quarta-feira, 16 de Junho de 2021

A miserável política da cacique de perseguição aos bombeiros abrantinos teve o desfecho que se conhece.

bombeiros_abrantes_manif.jpg

 

Curiosamente não vimos nenum autarca interrogar o Valamatos sobre isto.

Entretanto 5 valentes bombeiros da nossa cidade, que foram '' enxovalhados, ameaçados e discriminados'' metem a autarquia contra as cordas.

Honra aos Valentes!

5 valentes.png

É vergonhoso que os Tribunais Administrativos tardem tanto a sentenciar sobre os direitos dos Cidadãos!

Há quem gostasse que isto ficasse esquecido, mas não fica!

ma

  



publicado por porabrantes às 20:53 | link do post | comentar

rm.png

Faleceu o importante empresário abrantino  Raul Martins, radicado na África do Sul RIP

Conhecemo-lo há anos e era um homem dinâmico e encantador, exemplo de tantos portugueses que lá foram abriram novos caminhos

ler a biografia no Jornal da Madeira  



publicado por porabrantes às 17:35 | link do post | comentar

Mais uma crónica do Zé Luz sobre Constância. Saborosa e acutilante.

Monumento aos combatentes de Constância  une esquerda em Constância... com omissões

received_2790702711168946.jpeg

 

 
Foi com alguma pompa e circunstância provincianas  que a câmara socialista de Constância inaugurou no dia  de Portugal , de Camões e das Comunidades Portuguesas o seu pequeno monumento  "Aos combatentes do Concelho de Constância por Portugal'.
Tal como já tinha publicado, na legenda deste  "monumento" em aço corten (de estética desagradável) não há qualquer referência ao Império nem à Guerra de Espanha.
Já escrevi que não concordo com uma visão assim, selectiva da história.

punh.jpeg

 

Vou dar dois exemplos que ilustram o meu ponto de vista:
- Os militares que foram mobilizados para a defesa do Império não estavam a combater "por Portugal" apenas, mas pela defesa do Império Colonial  e das populações cuja defesa incumbe ao Estado. Aliás, é sintomático que, no Dia de Camões, dia do génio da lusitanidade, se tenha vergonha de cantar "Os Lusíadas" neste "monumento". Seria  até uma excelente oportunidade consagrar no dito "monumento"  uma legenda assim:" À constância se deve toda a glória".As novas gerações vão olhar para aquela legenda ( onde faltam letras nos nomes do Concelho e do nosso país, num evidente mau gosto estético) e não vão relacionar o dito com o ultramar, ou com o Império, palavras proibidas no léxico marxista... É, seguramente, caso pensado. 
- Tomaz Vieira da Cruz foi voluntário na Guerra de Espanha, na luta contra o comunismo de então.  Lutou contra o marxismo. Daí a exclusão que a legenda deste "monumento" faz? Tomaz é uma espinha nos desígnios do marxismo cultural. O seu prestígio internacional não passou ao lado, por exemplo,  da enciclopédia britânica. Mas passou ao lado no discurso do Tenente-general da Liga dos Combatentes o qual não se coibiu de citar Camões, O'Neill e mesmo Lima Couto. É grave. Omitir um dos filhos mais ilustres de Constância, na presença do padre, dos órgãos autárquicos, das associações e daquelas entidade todas, civis, militares, etc. É quase um ultraje à memória deste grande poeta da diáspora, combatente na Guerra civil. É caso pensado.  Só pode ser, como adiante se perceberá. Sobre Tomaz já tinha escrito anteriormente. Deixem-me dizer-vos que também Ernest Hemingway esteve nesta guerra.  Foi correspondente em Madrid.  A sua obra "Por quem os sinos dobram" deve o seu sucesso ao que consta, por causa da experiência deste escritor na luta fratricida de Espanha. 
O Tenente-General que discursou acha que as críticas "de alguns" ao monumento são descontextualizadas. Mas não justifica a sua reacção. Creio que recebeu da câmara algumas dicas... Fala em "visão redutora" de alguns críticos deste monumento. Mas depois acentua que o monumento "foi aprovado por unanimidade no município". Grande novidade. São todos de esquerda e contra o Império Colonial Português. 
A sua visão da guerra do ultramar coincide em parte com o discurso da esquerda parlamentar. Ouvi tudo. Percebo a sua estratégia em querer desacreditar a nossa política ultramarina.  Onde é que eu já li isto... Estive atento. Ouvi-o falar de Camões e dizer que Camões tratou a nossa vila como vila das flores e dos frutos.  Esta dica deve ter vindo da câmara?  Não dá para acreditar. Falou de O'Neill e de Lima Couto. Nunca citou Tomaz Vieira da Cruz afinal o constanciense que integrou "Os Viriatos" na Guerra de Espanha.  Concordo com o que disse sobre o juramento dos militares, sobre a Pátria, sobre as fragilidades do estatuto do antigo combatente. Todos os oradores tentaram justificar a  "simplicidade" do dito   monumento. Sai mais barato não é?!
É notório o incómodo... Afinal nem todos os constancienses estão maravilhados com as latas ferrujentas. Qual é a descontextualização da crítica? Não percebi, de todo. Qual o motivo  do ataque aos impérios?  Então não foram os republicanos que aquando da Revolução decidiram defender o Império? Diz o Sr que a geopolítica mudou muito cedo  e que na prática "corríamos todos em vão". Só é estranho terem dado por isso já muito tarde ...  O discurso do "bota abaixo" dos impérios caiu muito bem nos ouvidos dos Exmos Vogais dos órgãos autárquicos ali tratados por "deputados".  Muita pompa a circunstância  e duas latas e meia. Muitos agradecimentos ao Sr presidente que cedeu instalações à liga da sua terra (instalações que não são dele) O que fica de tudo isto? Um tímido e pouco digno "monumento" que não refere o Império nem a Guerra de Espanha.  E vem baralhar os jovens. Ao longo de todo o discurso do militar há  ainda uma reacção à onda que tenta negar o esforço de guerra de Portugal. Há aqui uma ambiguidade.  Aparentemente o orador estará a criticar aqueles que acham que não se devem inaugurar monumentos aos combatentes.  Temos visto alguns deputados e partidos radicais com este discurso no PS, por exemplo... Acontece que o orador disse mais sobre ao que vinha. Disse que o combatente corria por valores em que acreditava ou jurou defender e que os desfechos das guerras lhes são totalmente alheios. Disse que todo o soldado deseja a Paz. E é em nome dessa paz que ele, orador, crê  justificar-se mais este monumento. Pareceu-me um discurso  reactivo e sempre na defensiva.  Por vezes a puxar pela emoção da plateia. Pena é que a legenda do monumento seja selectiva e ideológica. Quem tem medo do Império?
A Liga tem um objectivo político claro e louvável: pugnar por um estatuto digno para o antigo combatente.
A câmara municipal, por sua vez, l corre atrás de todas as oportunidades para manter as boas graças do Zé pagode. Desta vez e em dia de Camões choveram convites para toda a gente, associações, colectividades, secretários, tesoureiros, entidades religiosas, civis, militares, militarizadas. Não foi ainda desta vez que se convidou o Conselho Fiscal da Casa de Camões. As boas práticas não são o forte do novel autarca que por razões de quarentena esteve ausente. Desejo-lhe tudo de bom nessa cruzada.
 
 
José Luz (Constância)
 
PS- Não uso o dito AOLP. 
O município de Constância tem uma visão negacionista da nossa história do ultramar que resulta do facto das forças ali representadas serem de esquerda.. Para eles a diáspora portuguesa  não pode ser exaltada. É tabu. A coroa que vão pôr no Camões é parte da encenação de uma peça com vários actores. Camões exaltou o império que eles querem silenciar no "monumento" aos combatentes. É um paradoxo previsível.
 


publicado por porabrantes às 12:42 | link do post | comentar

Em 15 de Junho de 1813, falecia Frei António Baptista Abrantes, no Rio de Janeiro, onde era Confessor de SAR, a Princesa Carlota Joaquina de Borbón, mulher do Príncipe Regente, D.João e Capelão-Mor da Casa Real, exilada na Guanabara, devido à invasão francesa.

Carlota Joaquina: biografia, resumo e curiosidades - Toda Matéria

(imagem retirada daqui com a devida vénia)

Frei António era natural da vila abrantina e foi um distinto orientalista, professor de árabe, que aprendera com um clérigo maronita e autor de várias obras de referência sobre a língua arábica, ainda hoje citadas.

Apesar de franciscano, morreu riquíssimo, como anota, Luiz Marrocos, que do Rio escreve a seu pai, no Reino. Esta correspondência é interessantíssima para saber o quotidiano duma Corte onde o frade levava 30 anos, muitos deles a confessar a mais lúbrica e escandalosa Princesa e depois Rainha, que Portugal viu.

O correspondente anota que Frei António não pôde levar as moedas de oiro para o Céu.  É uma pena.

junho de 1913.png

mn

  

 



publicado por porabrantes às 07:27 | link do post | comentar

nmn sant ant.jpg

Foto do Sr.Nuno Moura Neves no face

Alto de Santo António

Estamos certos que a Junta do Bruno vai pedir financiamento comunitário à drª Isabel Damasceno para cortar a erva.

ma

 



publicado por porabrantes às 07:06 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Chegou a Direita Nacional...

Teologia Conciliar Abran...

Vacas sagradas

Jogos Olímpicos

Otelo : manda à merda o p...

Quando se demite o Gameir...

Manuel Fernandes evoca mo...

O Fundador do La Salle de...

Burrocracia

O falo caído imagem de um...

arquivos

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Julho 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9

11
16




mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds