Domingo, 29 de Agosto de 2010

A discriminação contra os homoxessuais e contra quem mantém práticas heteredoxas no campo sexual foi em Portugal incentivada pela Igreja Católica e pelo Estado ao longo dos séculos.

 

Abrantes não fugiu à regra.

 

Iremos revelando alguns casos paradigmáticos.

 

E mesmo os que se dizem progressistas foram capazes de enxovalhar a honra de grandes personalidades porque tinham hábitos sexuais diferentes dos seus.

 

Uma Câmara dominada pelo PCP (o MDP era, em 1974-1975, um simples heterónimo do PCP) foi capaz de tirar de uma rua o nome do maior escritor abrantino, António Botto com o vago pretexto de que era homoxessual para o substituir pelo nome da rural Catarina Eufémia.

 

Eram discípulos dos que expulsaram do PCP o dirigente comunista Júlio Fogaça, um rico proprietário de Alcobaça, que resistiu à tortura fascista no Tarrafal (onde o sr. dr. Álvaro nunca pôs os pés por ser filho de quem era), dirigiu o partido na clandestinidade e foi afastado porque a corja estalinista era mais homófoba que os nazis.

 

Ou que João Pico.

 

E agora a personagem do post  o ''Pisco''.

 

Chamava-se João Rodrigues, ''o Pisco''. Era meio judeu, filho do cristão velho, Sebastião Lopes, ferreiro, e da ''Pisca'', alcunha da sua mãe Ana Rodrigues que tinha sangue hebraico.

Natural e residente em Abrantes.

De profissão fora sirgueiro (isto é fabricante de tecidos de seda) e quando foi incomodado vivia da sua fazenda. Ou seja dos seus rendimentos.

Casara duas vezes, a primeira com Leonor da Presa, cristã-velha, a segunda com Isabel da Rocha também sem sangue marrano.

Aos 53 anos as autoridades religiosas deitaram-lhe a mão, foi em 3 de Junho de 1656, já os ocupantes espanhóis tinham sido expulsos e a Independência restaurada.

Continuava a guerra com Castela, mas para os ratos do Santo Ofício havia coisas mais importantes.

O ''Pisco'' foi acusado de sodomia. Esteve nas masmorras mais de dois anos e por auto-de-fé privado de 30/12/1658 foi condenado.

Pena: '' Que ouça a sentença na Mesa do Santo Oficio perante os inquisidores e notários, que seja admoestado na forma ordinária e pague as custas.''

 

Há perguntas a fazer :

Se João Rodrigues tivesse limpeza de sangue, ou seja fosse cristão-velho, teria sido incomodado?

Se o ''Pisco'' fosse pobre teria valido a pena ao Tribunal eclesiástico persegui-lo?

 

Tendo em conta a forma do processo, o inquisitório, o Pisco tinha de provar que não era sodomita e certamente terá sido submetido a tratamentos de polé.....

 

Vão dizer-me que o João Rodrigues, sobreviveu. Mas eu vou dizer que as autoridades eclesiásticas que o prenderam era um bando de pulhas e canalhas. Os mesmos que pela mesma época também prenderam o Padre António Vieira.

 

O processo do Pisco jaz na Torre do Tombo com a referência  Tribunal do Santo Ofício, Inquisição de Lisboa, proc. 9440.

Júlio Fogaça júlio fogaça foto www.iscsp.utl.pt  Ler mais aqui

Júlio Fogaça devia ser masoquista. Quando morreu legou a sua vasta fortuna ao PCP. Ao partido que nunca o readmitira por ser ''sodomita''.

Mas Júlio Fogaça que depois de Abril só pôde estar pelo MDP, porque não era digno de acamaradar com Cunhal ou Domingos Abrantes, teve um enorme sentido de humor.

Da sua vasta biblioteca tudo foi legado à burguesa Academia das Ciências, hoje presidida pelo ex-Ministro de Salazar, Adriano Moreira. O bando de fundamentalistas que o tentara aniquilar moralmente não era digno de ler livros. Eram tipos só capazes de ler catecismos.

 

Quanto a João Rodrigues, o meio-judeu ''Pisco, não sei a quem deixou os bens. Espero que não tenha sido tão trouxa como o Fogaça e não tenha testado a  favor dos seus algozes.

 

Ou seja da Igreja de Abrantes.

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 14:58 | link do post | comentar

0 comentários:

Comentar post

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Nem os mortos respeitam

Não há mais nada a dizer

Dr.Gilberto Vasco (2)

Imprensa diocesana retrat...

Colega da cacique no olho...

O assunto não deve ser p...

Quando Gomes Mor se senta...

Caçadores das Arreciadas ...

Presos políticos abrantin...

Críticas a livros de semi...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds