Terça-feira, 14 de Setembro de 2010

A Senhora Drª Canavilhas fez estas declarações ao Público (14-9-2010) : (...) “O Estado social está ameaçado”, disse a governante, indicando que “os défices públicos estão a obrigar a repensar o financiamento” que foi crescendo desde o período do pós-guerra, e sobretudo com os grandes investimentos realizados a partir dos anos 1970, nas áreas da cultura e do lazer. 

No caso concreto de Portugal, na área da cultura, recordou que esse investimento deu-se sobretudo a partir dos anos 1990, com a criação do Ministério da Cultura e a entrada de fundos comunitários que deram origem a uma “época dourada”, mas que viria a acarretar depois “o aumento de despesas de funcionamentos das estruturas” tuteladas. 
A ministra não quis prestar declarações quanto ao Orçamento de Estado de 2011 para a Cultura foto Público

Gabriela Canavilhas lembrou que em Portugal há instituições totalmente financiadas pelo Estado, como os museus, a Biblioteca Nacional e a Cinemateca Portuguesa, as que dependem do Ministério das Finanças, como os teatros nacionais, e as resultantes de parcerias com o sector privado, que deram origem à criação de fundações como Serralves, Casa da Música e Museu Berardo. (...)

 

Ler mais aqui

 

(...)Gabriela Canavilhas transmitiu esta ideia aos participantes do Seminário sobre Gestão Cultural que está a decorrer hoje no Centro Cultural de Belém, apresentado por Michael Kaiser, presidente do Kennedy Center for the Performing Arts de Washington, nos Estados Unidos. (...)

 

A mensagem da Ministra é clara, não há dinheiro para novas estruturas faraónicas e mesmo que houvesse não há dinheiro para depois serem mantidas, se não houver mecenas.

 

Qualquer bom entendedor verifica que projectos como o MIAA estão condenados e são insustentáveis no actual quadro económico.

 

Estudei o orçamento da remodelação dum dos Museus de Arqueologia duma das capitais europeias. Uma coisa que mete no bolso todos os Museus de Arqueologia (em conjunto) que há em Portugal.

 

Preço 30 milhões de euros. Prazo de execução : dois anos.

 

E tenho de aturar fantasistas que me crivam de impostos, delapidaram o erário municipal no Aquapólis, nomearam para chefe dos SMA o VPC que disse ao Mirante que o melhor que havia a fazer ao Aquapólis era afundá-lo (porque era muito caro) (1) e queriam repetir a façanha com o MIIA, destruindo o centro histórico de Abrantes e criando um monstro insustentável.

 

Felizmente o monstro não pode ser financiado diz Canavilhas, mulher sensata, portanto as perguntas agora são:

 

a) Sendo incapaz a CMA de construir o MIAA resta à Fundação Estrada rescindir o protocolo, pedir uma indemnização pelos prejuízos que lhe causaram  e procurar outro parceiro.

 

b) Os tipos que o povo escolheu podem gabar-se de :

1) Terem contribuido para criar o AFC que faliu.

2) Terem contribuido para a liquidação do atletismo no Tramagal ( diz a Barca, numa excelente reportagem).

3) Terem construído um monstro no Tejo cuja manutenção é incomportável (disse o ex-VPC ao Mirante).

4) Prepararem-se para fazerem outra com o MIAA.

5) Arranjar emprego a Isilda Jana, a Nelson Carvalho, ex-VPC e mais algum.

 

Bonito serviço!!!!!

 

Miguel Abrantes

 

(1) O Pina da Costa desmentiu essas afirmações feitas ao Mirante. A jornalista confirmou-as. Entre a palavra dum político como o ex-VPC e duma Senhora, fico com a última. O cavalheirismo ainda não morreu neste blogue.



publicado por porabrantes às 22:36 | link do post | comentar

2 comentários:
De Artur Lalanda a 15 de Setembro de 2010 às 14:10
O projecto do MIAA já deu entrada na Câmara.
Mesmo alguns que não concordam, estão a analizá-lo.


De porabrantes a 15 de Setembro de 2010 às 14:58
Obrigado Ser.Lalanda. Nós vamos fazer o mesmo.
Cumprimentos
Miguel Abrantes


Comentar post

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Welington isola Abrantes ...

Rua Freitas do Amaral

As novenas pelo Gameiro

Associação Comercial de A...

Conjunto “Capela de Santa...

Os amigos da cacique

A empresa da família Game...

Anacleto passa ao ataque

Empresário arrasa caciqui...

O deputado Gameiro no Púb...

arquivos

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

espanha

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Abril 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9


19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds