Segunda-feira, 11.05.15

fernando catroga.jpg

O Professor Doutor Fernando Catroga, da Universidade de Coimbra, é o mais importante pensador e intelectual abrantino e um dos académicos mais importantes em questões de Pensamento Político e da Historiografia lusitana.

Todo o país o escuta, é uma celebridade nas Universidades Brasileiras, e uma referência na bibliografia internacional..

Apesar do seu contributo decisivo para analisar o Pensamento Republicano, a História da Maçonaria (que ele interpretou melhor que o saudoso A.H. de Oliveira Marques), o Laicismo como religião política do liberalismo português, análises essas traduzidas em dezenas de publicações, só uma vez, que eu me lembre, foi convidado a fazer uma conferência em Abrantes, no âmbito das comemorações dum aniversário da EICA, de que foi aluno.

Tal como o seu irmão, o político, empresário e também Professor Universitário, Doutor Eduardo Catroga.

Os dois são naturais da freguesia de São Miguel do Rio Torto, filhos dum operário corticeiro que depois passou a empresário das cortiças, um patrão empreendedor, talentoso e extremamente inteligente.

Tinham a quem sair, os ''Catrogas dos 20'', como lhes chamavam na EICA, segundo recordou um Professor deles, o Zé Bioucas, numa entrevista ao Mirante, onde disse cobras e lagartos daquela mania obsessiva do Sr.Carvalho, da Isilda do Pego, do Pina que emigrou de Vereador para Vice-Rei do saneamento básico, de destruírem São Domingos para meterem lá a torre parola do Carrilho da Graça.

 Homem de esquerdas, comprometido com a luta académica contra o fascismo, estrela da historiografia portuguesa, glória da Academia coimbrã, bom amigo do Dr. Jorge Santos Carvalho, peticionário nº 4, Fernando Catroga chega ao fim duma carreira docente na Universidade e jubila-se. Vai dar este mês a sua última aula. É a jubilação dum Mestre e dum homem bom, respeitado por todos os seus alunos. Mas a Universidade e Portugal esperam ainda muito dele.

 

Este é o programa:

 

fernando catroga 2.jpg

E esta a nossa homenagem ao abrantino, esquecido na sua terra, porque tem um pensamento demasiado denso para ser compreendido por ex-seminaristas educados no mais reaccionário e clerical neo-tomismo.

 

a redacção

 

fotos: roubada ao Mestre Rui Lopes, aluno e amigo do Fernando Catroga

 

Leia aqui uma grande entrevista ao Prof. Catroga onde explica a sua vida e o seu percurso.

 

 

 

 

 

    



publicado por porabrantes às 13:17 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 30.06.14

no número 21 da Zahara, revista dirigida por José Martinho Gaspar (ex-seminarista), que tem como subdirectores José Eduardo Alves Jana (ex-seminarista) e Teresa Aparício (conhecida frequentadora da Casa Diocesana de Santa Maria), com os apoios da Câmara Municipal de Abrantes e do Inatel, foi publicada uma entrevista à Senhora Dona Aurélia Rodrigues, mulher do Pastor da Igreja Evangélica do Rossio ao Sul do Tejo ou para ser mais exacto à Senhora Dona Maria Aurélia Jesus Valle Rodrigues.

 

 

 

E ainda para ser mais exacto da Igreja Evangélica Presbiteriana.

 

 

Um tipo que estudou num seminário deve saber discernir entre Lutero e Jonh Knox..

A história das variantes do cristianismo que surgiram a partir da Reforma pode ser complicada e às vezes labiríntica para um leigo, mas não para um ex-seminarista ou para a Direcção duma revista que parece mais uma Junta de teólogos que de historiadores.

O labirinto protestante será complicado e ainda pouco estudado no caso abrantino (não no caso português) mas há elementos publicados por historiadores de referência mesmo, para o caso abrantino, que é sobretudo um caso rossiense, onde há protestantes estabelecidos desde finais do século XIX.

No caso abrantino  há processos inquisitoriais contra protestantes pelo menos no início do século referido.

Já se publicou aqui alguma coisa sobre isso.   

Deixando estas subtilezas e as questiúnculas teológicas vou-me centrar numa pergunta feita pelo Alves Jana à sua entrevistada. Primeiro pergunta-lhe se teve problemas com o Padre Narciso, que  ‘’era o Professor de Religião e moral católicas’’ na Eica, segundo o tipo.

A D.Aurélia entrara para docente nessa escola.

Acontece que não era só ele, havia mais professores/as dessa disciplina, nessa Escola, entre as quais destaco a Senhora Dona Maria Justina Bairrão Oleiro.

O P.Narciso era ao tempo também Capelão do Colégio de Fátima e ainda responsável pela LOC-Liga Operária Católica, porque a Acção Católica estava dividida de acordo com as classes sociais. Os ricos estavam na LIC –Liga Independente Católica, caso de certa pintora abrantina que todos conhecem.

O P.Narciso naturalmente não  criou nenhum problema-respondeu a Senhora. Mas adiantou que quem lhe criou problemas, não na EICA, mas no apostolado presbiteriano fora o Padre José de Oliveira, que já encontrámos neste blogue criando ‘’problemas’’ à famosa Dona Arminda, que a Margarida Trincão entrevistou para o ‘’Mirante’’ e o António Colaço e algum amigo também entrevistou para a RAL. 

Para explicar quem era o P.José de Oliveira, que foi Pároco do Pego (onde o Jana fez estágio para padre e onde portanto poderia ter vasculhado os arquivos das paróquias e os armários das beatas) e ainda de São Miguel do Rio Torto desde os anos 30 do século XX  até 1990 e tal, seria importante fazer uma análise biográfica dele e interpretar as suas atitudes dentro do contexto da Igreja ultramontana que serviu, presidida por quatro sucessivos Bispos de Portalegre e ainda por um Bispo de Beja porque antes de desembocar em Abrantes, o R. José de Oliveira foi Pároco de Serpa.

Nesta diocese serviu às ordens de D.Domingos Frutuoso, D. António Ferreira Gomes, D. Agostinho e a ainda de D. Augusto César. 

Mas  não é  o P.Oliveira que me interessa, apesar de achar pelos documentos que compulsei, que a Senhora Dona Aurélia tem toda a razão e que o P.Oliveira procedeu duma forma semi-inquisitorial contra os protestantes, interessa-me Luís Ribeiro Catarino.

Porque o Jana dispara a seguir à entrevistada ‘’ E com o padre Catarino (pároco do Rossio)?’’

 

 

Nunca tivemos nenhuns problemas com ele’’. –diz a D.Aurélia.

E não podia ter tido porque à data que a Dona Aurélia chegou ao Rossio (Dezembro de 1966) o P.Catarino já não era Pároco do Rossio, apenas sendo Pároco de S.João de Abrantes.

A base da História é a cronologia e a Zahara pretende ser (não digo que seja ) uma Revista de História.

E o Jana é subdirector da dita Revista.

Portanto além de descurar o básico em História, vem lançar sobre um Homem Bom, já falecido e portanto incapaz de se defender a reles suspeita de ser um  Inquisidor. 

Quando pelo contrário, foi um homem bom e tolerante

 

MN 

 

 



publicado por porabrantes às 09:08 | link do post | comentar

Sábado, 17.05.14

com a devida vénia

 

 

Painéis temáticos na Escola Secundária Dr. Solano de Abreu...

com frases retiradas de "Os Lusíadas", de Mestre António Soares.

Antes de ir a Abrantes ver ao vivo os magníficos painéis, executados por encomenda da Junta dos Liceus em 1958, aquando da inauguração das novíssimas instalações da Escola Industrial de Abrantes, já havia encontrado imagens dos mesmos, mesmo que não devidamente identificados, na internet. A antiga Escola Industrial e Comercial de Abrantes, depois Escola Secundária Nº.1 de Abrantes, e actualmente, Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, continua por tradição a formar técnicos e a ensinar ofícios, tal como foram tão magníficamente ilustrados pelo Mestre António Soares. As imagens abaixo, permitem ficarmos com uma ideia da grandiosidade dos painéis, e da beleza dos mesmos.
Estas imagens foram tiradas aquando da cerimónia de entrega de diplomas do Centro de Novas Oportunidades da Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, em Junho de 2012 (http://cnoessa.blogspot.pt/2012/06/no-dia-6-de-junho-pelas-21-horaso.html).
Foi nos finais de Maio deste ano de 2013, que tive oportunidade de ir à Escola Dr. Solano de Abreu. Não tinha marcado entrevista prévia mas fui mais uma vez muitissimo bem recebida, desta vez pelo (ainda) Director da Escola, Dr. Jorge Costa (que aparece a dirigir a mesa, na mesma cerimónia acima referida, e onde se pode ver um detalhe do painel da direita).
A minha intenção, mais uma vez, era averiguar do grau de conservação dos painéis, apresentar-me e deixar contactos para futuros eventuais encontros ou outras acções de sensibilização para a obra do Mestre António Soares. Comecei a conversa por me congratular junto do Dr. Jorge Costa, por me parecer que, nesta escola, tinham realmente conservado e colocado em evidência os painéis que foram executados nos finais dos anos cinquenta, aquando das obras de execução da remodelação do Parque Escolar.
Surpreendentemente, o Dr. Jorge Costa corrigiu-me e, depois de ter explicado que era professor do grupo de Desenho, acrescentou que tinha sido ele mesmo a fazer "finca-pé" porque logo de início, mais uma vez julgo que por total desconhecimento de quem é António Soares por parte dos projectistas do Parque-Escolar - o grande auditório fica localizado no corpo mais á direita, na foto, a intenção era simplesmente deitar abaixo os dois painéis.
Por corajosa determinação do Dr. Jorge Costa, estes foram colocados em evidência e o antigo Ginásio onde os painéis se encontravam inicialmente foi transformado num magnífico Grande Auditório da Escola Secundária Dr. Solano de Abreu. E, como as imagens documentam, ficou a Escola e toda a comunidade a ganhar um espaço de excelência! Bem haja, Dr. Jorge Costa.
Logo que haja oportunidade serão colocadas aqui no blog mais imagens com mais pormenor, dos painéis
no blogue Mestre António Simões
Blogue Mestre António Soares
Com isto temos, que se não fosse o distinto artista plástico e professor Jorge Costa, a rapaziada da Parque Escolar, dirigida no caso pelo arquitecto Abílio Junqueira, a quem tinha sido adjudicado por ajuste directo, pela dita empresa, o projecto, e cujo maravilhoso CV está no link anterior, se preparavam, segundo as declarações de Jorge Costa, para liquidar, ignaros, os painéis de Mestre António Soares, que estavam assim, antes das obras:

 

 

Portanto, numa terra pródiga em medalhar, uma medalha pró Dr. Jorge Costa, já!!!!

 

Sobre as condições em que a velha EICA foi na prática arrasada, talvez fale outro dia...

 

Sobre a insensibilidade e a incompetência municipal em defender o património temos mais um caso, obsceno, flagrante e que não foi mais gravoso, graças à acção do Dr.Jorge Costa que salvou os painéis de Mestre António Soares.

 

MN  

 

créditos: foto da EICA: revista Vida Nova, Revista dos Alunos Finalistas da EICA, editada em 1 de Maio de 1959. 

 

blogue citado  



publicado por porabrantes às 13:10 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.11.13
Jorge Zuniga A. Santo ( disse sobre 60 Anos da EICA na Terça-feira, 5 de Novembro de 2013 às 22:51:

 

     

Caros amigos:

Conheci a EICA, desde (quase) a sua fundação, apesar de nunca a ter frequentado como aluno, e aprendi a respeitá-la como se lá tivesse andado.
Ouvi dizer que foi organizado um almoço para comemoração dos 60 anos no próximo sábado dia 9 de Novembro, mas não sei em que local.
Abraço
Jorge Zúniga de Almeida Santo

 

 

Caro Jorge:

Obrigado pelo seu comentário. Para quem conhece a História da EICA os seus apelidos estão indiscutivelmente ligados a esta prestigiada Escola Abrantina. Ainda não vimos noticiado o almoço de Novembro dos antigos alunos da EICA, mas um amigo nosso esteve presente neste almoço .....de antigos alunos realizado em Santarém.

Abraço

MA

 

ps- tenho uma vaga ideia que o Jorge andou no Colégio La Salle....

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 10:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 02.04.13

O nosso amigo dr. Jorge Pessoa Santos Carvalho, abrantino, Historiador, signatário nº 4 da petição lança novo livro.

 

 

 

 

 

Exilado ao fascismo em Belgrado onde se licenciou em História e defendeu Tese de Mestrado, Jorge Santos Carvalho é hoje o maior especialista português das relações entre o nosso país e as nações balcânicas, sendo provavelmente um dos poucos portugueses que além de conhecer a fundo o idioma servo-croata  está como peixe na água nos arquivos sérvios e dos outros países que compunham a federação da Eslávia do Sul de que o Marechal Tito foi o regente.

 

É uma sinfonia sobre a forma como Tito, pai dum comunismo não-alinhado, se relaciona com Portugal e  com um partido que devia ser irmão, o PCP, mas que se passa para o lado do estalinismo, que define a partir dos anos 50 ''os titistas'' como os inimigos a abater.   Não li ainda o livro mas é natural que as relações entre a política colonial de Portugal e o apoio de Belgrado aos nacionalistas de Além-Mar aí seja abordado. 

 

Procuremos estar presentes neste acto cultural e para chatear o Jorge, aqui fica a foto dele como finalista da EICA

 

 

Para que a distinta redacção da folha da Srª D.Hália Santos fique contente na foto está também a Sr.Drª D. Teresa Aparício e outros ilustres jovens abrantinos.

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 17:49 | link do post | comentar

Domingo, 11.03.12

A Drª Helena Nunes Pires que concorreu ao anterior Prémio  E. Campos com a sua tese de Mestrado sobre o Surgimento e Implementação da EICA, só ganhou uma menção honrosa porque o trabalho era muito extenso ...... dizem as más línguas .. 

 

 

Estamos de acordo com elas, os senhores do júri, coitados, não se devem cansar.

São como o Sr. Provedor de Justiça, o Sr. Presidente do Tribunal de Contas e outros a quem nos dirigimos por causa de São Domingos e coitados levam quase 2 ou 3 anos para responder.

 

Portugal é um país que está cansado desde que descobrimos a Índia, disse, lapidar, Fernando Pessoa.

 

Foi ele ou um Sr.Caeiro, não posso garantir, só posso garantir que não foi o Sr. Nelson C. autor desta coisa que me deslumbra:'' Era uma vez o tempo dos dias claros e tranquilos/ O tempo dos dias claros e tranquilos/ Andava/ Tranquilamente calmamente serenamente/ E com ele andávamos tranquilos/ Calmos e serenos à velocidade/ Dos ponteiros do relógio” ---------- VENCEDOR DO PRÉMIO LITERÁRIO ANTÓNIO BOTTO''

 

 

Quem será este C.????

 

Porque não terá voltado aos versos???

 

Porque não inventa um novo pseudónimo????

 

 

Nelson P. (porque escreve como o Pico)

 

Nelson D. ( porque me soa a Diap)

 

Nelson J. (porque me soa a Jeremias, um profeta que havia na Bíblia .....; J portanto de Jeremias e não do amigo do Senhor Dias)

 

Nelson B ( de Benta Poesia).....

 

 

O Prémio de poesia nunca mais se fez à espera que o vate decidisse porque Letra ia seguir-se o nome de Nelson, na sua próxima fúria poética......

 

Devemos ser : Calmos e serenos à velocidade/ Dos ponteiros do relógio.....

 

 


 

 

Bem sejamos sérios, para os prémios abrantinos devem ser apresentadas coisas com um máximo de 75 páginas que é o número que tinha o trabalhinho da menina Andreia de Almeida que resolveu, certamente por se chamar Almeida, escrever o que D.Lopo não fizera ou seja

as memórias  do nobre Conde......

 

 


Entretanto fomos ler in loco o notável trabalho da Senhora Doutora Drª Helena Nunes Pires 

ENSINO TÉCNICO PROFISSIONAL E DESENVOLVIMENTO LOCAL : TEXTO POLICOPIADO] : A ESCOLA INDUSTRIAL E COMERCIAL DE ABRANTES : CRIAÇÃO, INSTALAÇÃO E FUNCIONAMENTO (1935-1960) / HELENA LUÍSA NUNES PIRES ; ORIENT. ÁUREA ADÃO
 
AUTOR(ES): 
Pires, Helena Luísa NunesAdão, Aúrea, 1942-, orient. tese
PUBLICAÇÃO: 
Lisboa : [s.n.], 2007
DESCR. FÍSICA: 
198 f. : il. ; 30 cm
TESE: 
Tese mestr. , Ciências da Educação , Área de Ciências da Educação, Dep. de Ciências Sociais e Humanas, Univ. Lusófona de Humanidades e Tecnologias , 2007

 

 

 

que é brilhante

 

e a quem apresentamos os nossos cumprimentos por este serviço magnífico à

 

 

História de Abrantes !!!!!!

 

Marcello de Noronha



publicado por porabrantes às 18:44 | link do post | comentar

Quinta-feira, 02.06.11

 foto Correio da Manhã

 

O jornalismo a sério é isto que vamos publicar a seguir, retirado do Correio da Manhã e o que se diz tem entre outros responsáveis Gomes Mor.....

 

88 médicos com subsídios ilegais

Auditoria denuncia gestão ruinosa nos hospitais de Torres Novas, Abrantes e Tomar. Mau desempenho resultou em défice de 25 milhões de euros.

Por:Cristina Serra

 

 

 

Oitenta e oito médicos, entre directores de departamento, directores de serviço e chefes de serviço, do Centro Hospitalar do Médio Tejo, das unidades de Torres Novas, Abrantes e Tomar, recebem cada um mais de 15 mil euros por mês - uma verba que inclui suplementos ilegais, como o subsídio de transporte, revela uma auditoria da Inspecção-Geral das Finanças que arrasa a gestão daquele centro hospitalar.

A inspecção conclui que as remunerações dos seis administradores, de três assessores e de três estruturas de gestão custam 308 mil euros por ano ao Estado. "Este valor seria reduzido se a administração assumisse a gestão das unidades", refere o documento.

O relatório afirma que a "situação financeira se degradou entre 2007 e 2010, com maus desempenhos económicos, que resultaram em défices de 25 milhões de euros, 10 milhões acima da média anual de 2007 e 2008". A auditoria sublinha que houve "menos cirurgias e internamentos mas aumentaram os custos com fornecimentos e serviços externos". A administração e o Ministério da Saúde foram contactados pelo CM, mas não comentaram.

FINANÇAS RECOMENDAM MAIS CIRURGIAS

A reforma das Urgências no Centro Hospitalar do Médio Tejo não foi feita, uma vez que há urgências e consultas da mesma especialidade a funcionar em mais do que uma unidade, o que duplica custos, refere a auditoria das Finanças. O relatório refere que "nem sequer foram implementadas as medidas previstas no plano de redução da despesa apresentado em Junho de 2010, que permitiriam poupar 150 mil euros". O documento conclui que o centro hospitalar pode fazer mais cirurgias, dado os meios existentes, e diminuir o recurso a entidades convencionadas.''

 

 

Moral da história: se o Gomes Mor fosse um administrador profissional e não um político metido na administração hospitalar só por ter um cartão PS, tinha ficado no gabinete do Centro Hospitalar do Médio Tejo a tentar resolver s situação e não andava a abrilhantar a campanha eleitoral do PS com a inauguração da EICA a poucos dias das eleições.

 

 Foto CMA

 

Marcello de Noronha



publicado por porabrantes às 13:34 | link do post | comentar

Terça-feira, 24.05.11

Foi a EICA um viveiro de poetas?

 

Foi Lacão, o melhor poeta da EICA, como sugeriu a poética e doce Maria do Céu, certamente embevecida pelas estrofes nacionais-militaristas, em que o precoce vate fulminava os turras e cantava em versos de pé quebrado a gesta colonialista?

 

http://mundophonographo.blogspot.com/2008/05/guerra-descolonizao-e-

 

tentativa-de.html

 

(ler sobre a repressão colonial um artigo interessante aí. E recordar que a UPA/FNLA, UNITA e MPLA têm as mãos tão sujas de sangue como as Forças Armadas de Portugal. Tempo de guerra é tempo de crimes, coisa que não significa que a maior parte dos soldados de Portugal não sejam Homens de Honra e que se tenham batido com bravura, sem participarem em atrocidades.)

 

A resposta ao entusiasmo poético da carrilhista Céu Albuquerque pode ser esta, quem é capaz de destruir o tecido urbano com isto:

 

também é capaz de gostar de mau versos, que neste caso não passam de propaganda fascista.

 

E ao dizer o que disse, mostra desconhecer a história da cidade e em particular a da EICA.

 

  

 

Em 1 de Maio de 1959, os alunos finalistas do primeiro curso da EICA publicavam esta interessante revista ''visada'' pelo Director da Escola, o saudoso Dr.Américo Santo.

 

Na revista há imensos dados sobre o corpo docente e discente da EICA, artigos dos alunos sobre uma grande variedade de assuntos, publicidade comercial, colaboração literária e naturalmente fotos dos finalistas, onde encontramos nomes conhecidos da cidade e não só, tal  como vimos os nomes de alguns professores ainda felizmente entre nós, como é o caso do eng.Bioucas e da Pintora Maria Margarida Castel-Branco, mãe do nosso amigo António Castel-Branco.

 

Esta revista é um testemunho imprescindível para a história da EICA que devia ser encomendada (aqui admitimos um ajuste directo) ao antigo aluno e peticionário Doutor Jorge Pessoa Santos Carvalho.

 

 

 Na colaboração literária há muita poesia do finalista Luís Pereira Eduardo, melhor que a do Lacão e sem histerismos fascizantes.

 

 Quem é o Luís Pereira Eduardo?

 

 Confesso que não sei, mas tenho aqui a sua garbosa fotografia ao terminar o curso.

 

 

Ao lado de abrantinos muito conhecidos, entres eles o peticionário Doutor Jorge Pessoa Santos Carvalho, de que não farei o elogio para ele não se zangar, mas que era a pessoa indicada para fazer a história da Eica ou pelo menos dos seus Poetas.

 

Miguel Abrantes

 

(1) Peço desculpa de não reproduzir todas as fotos disponíveis. Questão de espaço...



publicado por porabrantes às 22:24 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.05.11

Transcrevemos parcialmente a notícia do Mirante sobre a inauguração da EICA não por Américo Tomás

 

 foto da Rádio Renascença portanto com imprimatur de Nosso Senhor Jesus Cristo

 

mas pela Senhora de Rui Vilar, madame Alçada e restante séquito

 

Sociedade

Investimento de 12,3 milhões de euros deixou estabelecimento irreconhecível para alunos, professores e funcionários 
Há uma nova Escola Solano de Abreu em Abrantes 

foto

 

  Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos

“Seria aqui o pátio das raparigas?”, pergunta Maria de Lurdes Pereira que integrava a comitiva que no dia 11 de Maio seguia de perto a ministra da Educação, Isabel Alçada, durante a cerimónia de inauguração da Escola Secundária Dr. Solano de Abreu, em Abrantes, após ter sofrido grandes obras de remodelação. Foi aqui que estudou nos anos 70 mas quase nada reconhece da antiga Escola Industrial e Comercial de Abrantes que, criada em 1953, passou a funcionar neste edifício em 1959 e recebeu em 1993 a actual designação de Escola Secundária Dr. Solano de Abreu.

Os mais de doze milhões investidos em obras de modernização, que tiveram o seu início em 2008, deixaram a antiga Escola Técnica Industrial irreconhecível para alunos, ex-alunos, funcionários e professores. “Como isto era e como isto está” foi uma frase repetida por muitos convidados. E também quem passa na Av. das Forças Armadas, em Abrantes, dificilmente pensa tratar-se de uma escola devido à arquitectura contemporânea do edifício, facilmente confundido com um museu.

 

Os edifícios pré-existentes foram requalificados, as oficinas demolidas e os acessos passaram a realizar-se através da Rua Visconde de Abrançalha, na traseiras, porque esta rua tem um menor fluxo rodoviário. Para além de uma biblioteca, bar, refeitório e espaços lectivos, a escola conta com uma loja do aluno e uma área de pausa para professores. O antigo ginásio foi reconvertido em sala polivalente e foi construído um novo pavilhão gimnodesportivo, através da modelação de terreno que desce até ao pátio dos alunos. Os espaços exteriores também foram redesenhados, permitindo criar melhores condições de acesso e maiores áreas de recreio coberto e de espaços verdes. Para o director da Escola, Jorge Costa, era “imperioso” tornar esta escola de novo num local aprazível e adequado ao processo de aprendizagem. “Inauguramos uma nova escola, num concelho que se pretende sempre novo. A escola saberá encontrar novos caminhos para o sucesso”, disse.

 

Maria do Céu Albuquerque, presidente da Câmara de Abrantes, iniciou a sua intervenção lendo um poema com uma mensagem dirigida a D. Dinis. “ Hoje temos que apostar fortemente na qualificação das pessoas como forma de ganharmos espaço e património”, disse, realçando a existência de um Centro de Novas Oportunidades nesta escola. A autarca destacou ainda o facto do actual ministro dos Assuntos Parlamentares e presidente da Assembleia Municipal de Abrantes, Jorge Lacão, ter sido aluno desta escola nos anos 60.

 

Maria do Céu Albuquerque apresentou um recorte de um jornal da antiga Escola Industrial e Comercial de Abrantes, datado de Abril de 1978, que dava conta de que “Mário Rui Fernando e Jorge Lacão Costa eram, sem dúvida, os dois mais altos valores poéticos da nossa escola”. Jorge Lacão agradeceu emocionado e subiu ao palanque para discursar tal como fez a sua colega de governação, que não perdeu a ocasião para fazer um discurso de obra feita, concentrando a tónica do mesmo em propaganda eleitoral.

 

Desde o arranque do programa de Modernização, em 2007, a Parque Escolar já requalificou 90 escolas do ensino secundário, tendo actualmente em curso intervenções em 53 escolas. O programa prevê a intervenção em 370 estabelecimentos de ensino, em detrimento da construção de novas escolas. (...)

 

in Mirante

 

Temos várias considerações a fazer.

 

O frenesim eleitoralista do PS leva-o a fazer o ridículo mais absurdo que alguma vez o  país viu.


Vão ganhar as eleições?

 

É possível, com tipos como Passos Coelho, Miguel Relvas e cá no burgo o Marçal a comandar as operações (segundo sustenta Santana-Maia Leonardo, )acredito em tudo!!!!.

 

Mas do ridículo mais vibrante não se livram!

 

Vejam o disparate de trazer a Milú, a inepta Ministra que construiu um conflito com os professores em digressão turística!!!! 

 


 

 

A Milú deve ter sido contratada para assustar manifestantes da classe docente e os pobres alunos, no caso de manifs adversas!!!!

 

O problema é que ela chega a morder no dono!!!!

 

 

 

Diz no texto que aquilo foi confundido com um Museu.

 

Terá sido com este?

 

 by António Colaço.

 

Também se diz que a Presidente, suponho que depois de ser autorizada superiormente pela Chefa, disse um poema.

 

Dedicado ao Lavrador!!!! Ou seja a el-Rei D.Dinis!!!

 

A sessão poética prosseguiu com a D.Maria do Céu, lírica como sempre, dizendo : ''Mário Rui Fernando e Jorge Lacão Costa eram, sem dúvida, os dois mais altos valores poéticos da nossa escola”

 

Ora bolas, quem era o Mário Rui Fernando?

 

E o Lacão tem vocação poética?

My Good!!!!!

 

Porra!!!! Esqueci-me que era ateu!!!!

 

O meu querido Fernando Pessoa emborcava mais três bagaços de seguida, depois de ouvir esta!!!!!

 

 

Quem será o poeta ou a poetisa  preferida pela Presidente?

 

Será um ou uma recomendada pela Chefa????

 

Ou um poeta do cordel da pesada à brasileira  como este a precisar de ser internado na chafarica do cónego?

 

Miguel Abrantes 


publicado por porabrantes às 11:07 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A inflação dos currículos

Ensino público abrantino

Professores abrantinos no...

Eurico Consciência, profe...

Antigos alunos da EICA

O arguido Abade Milheiro ...

Provedor da Misericórdia ...

Vende-se casa do director...

O desenho satírico nas re...

Esteve o Padre Narciso ao...

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12

18
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds