Sábado, 27.06.15

 

damas.png

Henrique Augusto da Silva Martins, o cacique de 33, tinha uma ética igual à da Santíssima Trindade da imprensa clerical.

 

Isto foi um ajuste de contas num pasquim fascista com um homem bom, João Damas, cujo único ''crime'' foi não ser da ''cor'' deles. Damas era maçon, médico e tinha sido deputado afonsista entre 1911-1926 (com algum intervalo, no tempo de Sidónio, em que também o Governador Civil sidonista, Ramiro Guedes, ajustou contas políticas com ele.Mas Ramiro Guedes era um ''gentleman'' e os outros eram ....do Carvalhal) 

DAMAS.jpg

 imagem do blogue São Miguel do nosso amigo dr. Rui Lopes

 

Nunca ninguém tinha colocado a honra pessoal do médico em questão e foi França Machado (que terminou suicidando-se depois duma inspecção à CMA) e Henrique Augusto que o fizeram.

henrique augusto.png

 

O pior insulto ao Damas foi escrito por um tenente desbragado, chamava-se Humberto Delgado e foi por estes tempos. Mas se Delgado lhe chamou pau-mandado e burro, nunca colocou em questão a sua honorabilidade pessoal

 

Isto saiu na Voz do Salazar, ou seja no Diário da Manhã

 

O dr.Damas teve certamente culpas numa política sectária e suicida de perseguição aos católicos, que inclusivamente produziu mortos

 

Segundo Eduardo Campos,sendo o Damas Administrador do Concelho (ou seja responsável da ordem pública) há uma brutal repressão no Pego, realizada pela GNR, a 17 de Setembro de 1916 .....com 2 mortos e múltiplos feridos

 

E com ele como Administrador houve censura nos jornais locais ( mas era tempo de guerra mundial.....e houve-a a nível nacional)....

 

Como foi o ajuste de contas? Assim....

 

damas terreno 1.png

damas terreno 2.png

Moral da História: acham que se faz política & religião   sem vinganças e ajustes de contas?

Leiam o florentino

bibliografia; Eduardo Campos, Cronologia

Imagens extraidas do blogue São Miguel do dr. Rui Lopes e dum pasquim fascista de Lisboa (deixo o trabalho aos historiadores oficiais de encontrarem o dia exacto) 

ma

 



publicado por porabrantes às 15:58 | link do post | comentar

Quinta-feira, 26.03.15

alvaro damas.jpg

 

O texto é elucidativo, Álvaro Damas, pai do então deputado do PRP, dr. João Damas e rendeiro do Visconde da Abrançalha, de quem foi feitor muito tempo, entra em litígio com as vorazes Finanças acerca da Contribuição Predial. Tinha razão e os serviços assim o informam, mas o Ministro Tomás Cabreira que apascentava as exauridas arcas do Estado encontra irregularidades processuais e com apoio de Arriaga recusa o recurso do abrantino.

Foram só questões financeiras ou andou por aqui a política?

Cabreira e Arriaga eram inimigos da facção afonsista do PRP de que João Damas era fiel e denodado partidário.

A questão da Contribuição Predial  agitara tempos antes a Opinião Pública e começara a afastar os lavradores e os grandes rendeiros da República.

Voltaremos a isto um dia destes.    

 

MN



publicado por porabrantes às 00:16 | link do post | comentar

Sábado, 27.04.13

do homo sapiens.....

 

 

É um violentíssimo panfleto de Humberto Delgado, como se sabe  na época um excitado tenente de Maio (de 1926)...

 

Um panfleto contra a facção dominante na 1ª República-os afonsistas que hegemonizaram a vida política nessa época a nível nacional e em Abrantes.

 

Além dum ajuste de contas com várias personagens (no caso abrantino a mais evidente é o médico e ex-deputado dr. João Damas, da facção

democrática do PRP)

 

 

            

 

 

 

 

 

 

 

O Dr. João Damas é este

 

 

cuja foto fui roubar ao São Miguel do nosso amigo Dr.Rui Lopes,  agora brioso cidadão da Lusa Antenas. No link citado podem encontrar uma biografia deste médico que foi um João Semana à boa maneira dos romances do Júlio Dinis.

Isto era para ser um pequeno apontamento mas noutro blogue do Sr. Luís Gonçalves,  o Sardoal com Memória, encontra-se uma notícia do periódico republicano Jornal de Abrantes sobre as eleições para a Constituinte de 1911  com os resultados.

E temos para mim a novidade que o PRP abrantino se achava em conflito com os caciques lisboetas e apresentou três candidatos autónomos : os Dr. Ramiro Guedes, Dr. João Damas e o capitão António Maria Baptista, oficial então  colocado no Quartel de São Domingos. Os 2 primeiros foram eleitos.

 

E o quarto classificado, que concorria sem o aval partidário abrantino (seria independente ou teria aval lisboeta?) é o célebre revolucionário que atacou São Domingos e lá procurou a República, enquanto o Sr.Capitão Baptista estava a dormir, como já se viu neste blogue. Ou seja João Augusto da Silva Martins, filho do influente regenerador (o velho partido do General Avelar Machado) conhecido na política como Martins Júnior. 

 

 

 

Também há uma cena divertida, em alguma página escrita por Delgado, tendo como participante Martins Júnior. Este era um dos líderes dum grupo de civis e sargentos, do Partido Radical ,que para fazer um golpe de estado e atacaram a Escola Prática de Aeronáutica (2--2-1926), em Vendas Novas. Delgado foi ferido a tiro.

 

Já conhecia Martins Júnior de Abrantes onde crescera e aliás se alistara em Artilharia ( como cadete-sargento) e estivera no Quartel então situado no Castelo de 8 de Agosto a Outubro de 1922.

 

A única coisa que preocupou Delgado (que aliás estava próximo ideologicamente dos assaltantes, o golpe é um dos que antecedem o 28 de Maio onde Delgado participa)  foi que tinha sido atingido a tiro por um sargento. Resolveria mais tarde a questão à bordoada, deslocando-se a Viseu onde estava o sargento, para o espancar pessoalmente. Um alferes não podia ser alvejado por um sargento! Faltaria mais !!!!

 

 

Só para terminar se estiverem interessados neste período e nestas personalidades comprem o livro. Um reparo, o panfletário Delgado era um homem que escrevia muito mal...em 1933. Há livros posteriores mais legíveis, terá melhorado a prosa do General ou haveria por aqui mãozinha marota? Dum negro certamente....

 

M.N



publicado por porabrantes às 12:58 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Um estudo fundamental sob...

A instalação do telefone ...

Empresa denuncia CMA e Ju...

O deputado do Rocio de Ab...

A Oposição abrantina nas ...

Deputados abrantinos: Joã...

João Damas, um afilhado g...

Prisões em 1935 e 1891

Repellentemente Porco! A...

Publicidade encapotada

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds