Sexta-feira, 27.03.15

angola.jpg

 

Enquanto o Zé Grande o tipo que deu um presente de 14 milhões ao Salgado se refugia na ditadura cleptocrata de Luanda, o jornalista Rafael Marques, autor do livro ''Diamantes de Sangue'' onde se denunciam as negociatas e os crimes da oligarquia militar do MPLA, é julgado por um tribunal, que recorda os famigerados tribunais-plenários do fascismo lusitano.

O dr. Janota, um réptil subserviente ao serviço de José Eduardo dos Santos, faz de MP, com o assombroso garbo daqueles pretinhos que os colonos lusos tinham para fazer recados.

Pode ouvir aqui a acusação feita pelo moço-de-fretes Meretíssimo Lucas Miguel Janota  e a corajosa defesa dos Advogados do jornalista.

Há ainda o dr. Baptista, ''juiz'' que tem medo da liberdade, porque mandou fechar as portas do Tribunal,  dado que o regime tem medo que os jornalistas ouçam a palhaçada montada pelo regime tribalista e corrupto de Luanda.

Enquanto o mundo civilizado e a Amnistia Internacional condenam a farsa criminosa encenada pelos gorilas da horda  que chacina em Cabinda, que faz o Parlamento de Lisboa?

Enquanto o Bloco pede no Parlamento a solidariedade com Rafael Marques, a maioria, o PS e o PCP colocam-se ao lado dos donos de Portugal- a corrupta elite luandense.

Saem na foto os partidos pró-angolanos quase tão janotas como o títere que conspurca uma toga em Luanda, o lacaio Janota.

Saem conspurcados de lama e ofendem Portugal e a Liberdade.

Salvam-se os deputados do Bloco e os dissidentes do PS que defenderam a honra e a Civilização votando ao lado do Rafael Marques de Morais.

Foram eles  Isabel Santos, Eduardo Cabrita, Bravo Nico, Carlos Enes e António Cardoso.

 

a redacção

 

Foto: Maka Angola



publicado por porabrantes às 17:46 | link do post | comentar

Sábado, 21.03.15

amigo.png

 O benfeitor da Cabeça Gorda é manchete no Expresso. Disse que era residente entre os musseques e as torres para cleptocratas que decoram Luanda, para se furtar às perguntas incómodas da CPI sobre a falência do BES e poder responder por escrito.

Encontrou-se com o Ricardo Salgado? Leia o Expresso.

O Blogue dos amigalhaços do Graça cobriu de insultos esta semana o grupo empresarial de Pinto Balsemão, certamente porque sabia que esta iria ser a capa do semanário.

Veio confessar-se a São Vicente o benemérito ou foi o Capelão à Amadora?

É matéria coberta pelo sigilo de confissão.

Entretanto António Costa continua a fabricar estratagemas legais para beneficiar o Benfica onde o Guilherme é um dos grandes accionistas. Encontrou-se o Guilherme com o Costa?

Leia o Expresso.

 

MA

 

estará na lista de pedófilos certo sargento da GNR de Abrantes que abusou de  duas menores? não se sabe, a lista é secreta, como as as contas em Angola dum milionário que deu dinheiro para a campanha dum galego da direita abrantina...

ao menos sabemos o nome do marcial pedófilo e temos a sentença, que publicaremos, chamava-se António Garrinhas e era natural de Alvega e certamente esteve sentado durante anos na CPCJ de Abrantes, enquanto abusava de criancinhas

os membros da sociedade civil estavam a olhar para o outro lado, enquanto frequentavam as inaugurações ao lado do pedófilo....



publicado por porabrantes às 09:46 | link do post | comentar

Quinta-feira, 05.03.15

 Por Orlando Fonseca
Analista Politico Angolano
Residente nos EUA,Palm Beach-Florida
USA

 

 

 

Angolanos e Angolanas,meus compatriotas,por mais que sejamos do MPLA,da UNITA,da CASA-CE,ou que façamos parte de qualquer classe social em Angolana, seja ela pobre ou rica, etc etc,porem a actual situação económica,Politica, ou social da nossa Angola, verdadeiramente desastrosa,de cujo o promotor, não podia ser outra pessoa, se não o ditador, José Eduardo dos Santos,aconselha uma tomada de medidas radicais e definitivas,para que a África,ou o resto do mundo moderno, deixe de rir-se, dos pobres Angolanos,julgando que o espertalhão de JES,pode continuar a abusar ou a desusar, milhões de pessoas famintas,frustradas, ou verdadeiramente deprimidas,por conta da actual tirania dos Dos Santistas em Angola.

Agora eis aqui a grande questão:

Pessoalmente,tenho tido acesso a informações substanciais, sobre como JES,distribuía ou ainda distribui,os dólares do BES-Angola,para a sua própria família,particularmente seus filhos,como Curion Du,Txize Dos Santos,já para não falar da ladra Isabel dos Santos,entre outros.

De facto, JES roubou,não só os dólares do petróleo Angolano,mas o déspota, foi ainda mais distante,ao mandar roubar os dólares depositados pelos clientes no Banco Espírito Santo Angola,dos quais os filhos de JES, e varias outros membros da elite politica do MPLA-JES,continuam a comprar propriedades de Luxo em Portugal,onde só a Isabel dos Santos, é dona de quase tudo em terras Lusas.

Para os Compatriotas, terem apenas uma ideia,só a irmã de JES, a Sra Marta dos Santos, recebeu uma (gasosa) sem garantia,da parte do seu irmão, Eduardo de Angola, mais de 800 milhões de dólares,dos quais a mulher está a desenvolver um Monstruoso projecto, em Talatona- Luanda,através do empresário Português,de Construção civil o Sr José Guilherme, presente em Luanda.

Os Srs, Roberto Victor de Almeida, Dino Matross,Ferreira Neto,o actual ministro da Defesa João Lourenço,entre vários outros membros da elite Mpeleira, beneficiaram de vários milhões de dólares Norte Americanos, com destaque para o ancião Almeida, que sozinho,teria sido contemplado, com mais de 30 milhões de dólares sem garantia e, o Sr Dino Matross é o dono da Clínica Luanda Center,de cujo o dinheiro dos clientes, JES mandou roubar, das suas contas do BES-Angola, ou eventualmente de outros bancos comerciais,Angolanos, por isso verificamos esta falta gritante dos dólares em Angola, sendo que eles, estão apenas , a beneficiar elites do MPLA-JES,tais como o general Dino Matross,a construir a sua famosa Clínica Luandina, etc etc.


Na verdade,presentemente é comum em Angola,particularmente os Bancos Angolanos, dizerem que não tem dinheiro,particularmente dólares Norte Americanos, para satisfazerem os seus clientes, mesmo que estes hajam depositado milhões de dólares nas suas respectivas contas.

Agora, compatriotas, o dito acima só demonstra, que teu dinheiro está sendo simplesmente usado, por estes ladroes verdadeiros sanguessugas sem vergonha,e você que é do MPLA,ainda está a aplaudir um ladrão sem vergonha, como o Sr Eduardo de Angola.

Angolanos e Angolanas,a actual situação difícil da nossa terra,não tem nada a ver, com o facto de você, ser do MPLA,da UNITA, Da CASA-CE do Bloco Democrático,etc etc.

Na verdade,necessitamos de unir-nos, todos em Angola,não importa de que partido você pertence,ate porque os partidos políticos,que eram supostos serem opositores de JES,agora também parece serem, autênticos parceiros da ditadura dos Santista.

De resto, a recente reunião do Conselho da Republica, onde JES investiu tais opositores, como sendo seus conselheiros, ou parceiros,é um facto marcadamente indesmentível,a menos que essa oposição demonstrem o contrário.

Então, se você tem o seu dinheiro depositado num banco,e noutro dia necessitares dele,e o banco te diz que não há dólares,quando afinal JES, está a usar o seu próprio dinheiro, trabalhando com ele nos projectos da sua família,ainda que você seja militante do MPLA,ou membro da segurança de estado, das forcas armadas, da policia, etc etc,você vai participar na manifestação pacifica, generalizada, para correr com JES e seus filhos, que estão a usar o seu próprio dinheiro,ou você vai continuar cegamente, a apoiar sentado o seu sofá, o ladrão do seu dinheiro JES,

Mas, o mais engraçado para mim, é ver a incomensurável ironia,com que esta comissão de inquérito criada pela Assembleia da Republica Portuguesa, que está a investigar esses roubos de JES-seus filhos,dos dinheiros dos clientes,do BES-Angola.

Na verdade,a lista que temos tido acesso,onde constam os nomes de todos os dos Santistas gatunos, do BES,porque razão essa lista não foi entre aos parlamentares Portugueses desta comissão de inquérito, que ocorre actualmente em Portugal;

Outro erro,verdadeiramente crasso,que a comissão de inquérito do parlamento Português está a cometer, é a maneira como estão sendo ouvidos, os delinquentes, Álvaro Sobrinho, ou Ricardo Salgado, entre outros que ajudaram a JES a afundar o BES-Angola.

Na verdade, minha própria experiência, aqui nos EUA,sempre e quando no Capitólio, em Washington DC,se cria uma comissão de inquérito, para escutar algum prevaricador, os inquiridos, ficam do lado oposto da comissão de inquérito,a partir do qual, são bombardeados, com perguntas geralmente muito difíceis de responder,sempre e quando hajam culpados etc etc.

Contrariamente, o que acontece com essa burra comissão de inquérito, do parlamento Português,onde Álvaro Sobrinho, Ricardo Salgado geralmente aparecem, sentados ao lado dos membros da comissão de inquérito,as vezes dando azo, que são os membros da comissão de inquérito, os delinquentes, e não Álvaro Sobrinho, ou Ricardo Salgado, entre outros ladroes dos Santistas.

Francamente,com todo o respeito que tenho pelas instituições Portuguesas, pelos lideres Portugueses,ou pelo Povo Português,porem essa brutal gaffe, que ocorre no parlamento Português, representa de facto uma autêntica ofensa,das almas do capitães, da Revolução de 25 de Abril de 1975,que derrubaram o ditador Oliveira Salazar, que culminou com o nascimento,da ainda jovem democracia Portuguesa, que de facto, ela, ainda tem muito que aprender, com as grandes nações modernas, do nossa planeta, da nossa casa comum.

De facto,eu percebo que os Portugueses, necessitam dos dinheiros de Angola,ou de manter os seus emigrantes que saciam a sua fome em Angola.

Porem,a comissão de inquérito do Parlamento Português,se quiser pode lamber as botas do ditador JES,fingindo que de facto esta a investigar, o que quer que seja em Portugal ou em Angola.

Mas, fazer o papel de autênticos estúpidos,que são incapazes de mostrar um semblante seriamente de investigação,duma verdadeira comissão de inquérito,a vista dos pensantes, Portugueses e Angolanos,de facto é no mínimo, uma ofensa verdadeiramente brutal,contra os Angolanos e contra os Portugueses.

Mas,prometo aqui aos compatriotas,que nos próximos dias, irei enviar uma carta para o Departamento de Estado Norte Americano,com vista a pedir a Casa Branca e ao Congresso dos EUA, no Capitólio, para que os EUA,investigue a todos os dos Santistas,incluindo os Portugueses, que ajudam o regime de JES, a lavar os dólares Norte Americanos em Angola e Portugal.

Sendo que, o Departamento de Estado dos EUA ou o Congresso,tem o dever moral de banir os vistos de entrada nos EUA, de todos gatunos dos Santistas que constam na lista de mais de 40 nomes, que temos tido acesso, mas que irónica-curiosamente, tarda chegar as mãos da comissão de inquérito do parlamento Português, que supostamente esta a investigar,os roubos da família dos Santos, nos bancos Angolanos particularmente no falido BES-Angola.

Claro,se Administração do Presidente Barack Obama, já restringiu a entrada nos EUA,ou o congelamento dos bens dos Chavistas Venezuelanos,que mais faltaria, para fazer o mesmo, com os gatunos da família dos Santos, de Angola,que estão agora lavar a nota verde, Norte Americana em Bancos Portugueses;

Voltando a vaca fria,Angola se de facto esta em crise, então é porque o teu dinheiro,meu compatriota, o da sua conta bancaria,quanto o que você deveria ter direito ainda que projectos sociais etc, etc,tais dinheiros,fique sabendo meu compatriota do MPLA,da UNITA, da CASA,CE,da JMPLA,da JURA etc, etc,na verdade fique sabendo definitivamente, que teu dinheiro, está com Sr Marta dos Santos,Txize dos Santos, Curion Du, entre outros gatunos dos Santistas em Angola.

Então, na verdade a única solução possível,ou definitiva, para nos salvarmos da sanguessuga dolareira dos Santista, é e só partirmos hoje mesmo,e não amanha , para uma desobediência civil, pacifica, generalizada em Angola,onde todos, os Angolanos,Policias,órgãos das Forcas Armadas,membros da defesa e segurança,etc todos para as ruas de Angola,dizer basta os dos Santistas,que partam em paz e que deixem Angola e os Angolanos em paz.

Por isso, quanto mais Angola, tolerar a família dos Santos no poder, mais você meu compatriota, vai continuar a ir no seu banco, e este sempre de dirá, que seu dinheiro afinal evaporou,ou não existe etc etc.

folha 8.jpg

 


Na verdade,JES, pode abandonar o poder hoje mesmo, ou amanha, se fizermos uma grande pressão nas ruas de Luanda, organizados aos milhares, pacificamente, com lenços brancos nas nossas mãos, como símbolo de paz e perdão, do Santo Deus das alturas.

Mas, necessitamos de ganhar primeiro consciência ,de que o digo aqui e uma verdade verdadinha,sempre e quando o compatriota,está de facto a sofrer,não vejo razão alguma, para que você continue a apoiar cegamente, o seu próprio algoz, JES da ditadura brutal em Angola.

Angolanos e Angolanas, para frente é o caminho,com ou, sem esta surda e muda oposição em Angola, que ainda não sabemos, se de facto já está, ou não a comer,com o Eduardo do problema, a menos que essa oposição nos mostre outro semblante opositor, contra o Sr Eduardo do mambo.

Por isso, todos para frente, tal como os capitães de Abril Português, derrubar JES,é agora a única prioridade absoluta, para todos os Angolanos, sem importar que partido politico o compatriota pertence.


  e ainda

 

 

 



publicado por porabrantes às 21:46 | link do post | comentar

Segunda-feira, 02.03.15

invesfundo.png

celebrada a 24 de Junho de 2014 tinha os seguintes sócios, um dos quais o homem mais rico da Cabeça Gorda,

invesfundo 42.png

e  parceiro eticamente aconselhável para ser um grande amigalhaço do Rev.Cónego José da Graça, grande investidor internacional que meteu massa do Centro Interparoquial de Abrantes, no Goldam Sachs, de que é administrador um amigo meu que foi Ministro.

 

A GESFINO foi Presidente da Assembleia Geral do BES.

 

A Invesfundo andou metida em bonitos negócios. Quanto ao papel comercial da Rio Forte alimenta as evasivas de alguns e a falta de memória de Zeinal Brava e temo que a surdez do Conceição Guilherme.....

 

A propósito terá o Sr.Cónego investido no papel comercial da Rio Forte, como investiu na Goldman Sachs, digo investimentos relacionados com as propriedades amplas e viçosas da herança Baeta e o património da Fábrica da Igreja?

 

A Mariana Mortágua explica aqui o que era a Rio Forte.

 

Pode o Sr.Cónego explicar o paradeiro do Zé Grande, como eu explico onde estava a sede da Rio Forte????

rio forte.png

Se a Rio Forte está falida, o sócio dela na Invesfundo como está?????

 

Poderia o Centro Interparoquial fazer um empréstimo ao Guilherme ou organizar um peditório?

 

Ou o Cónego pedir às Doroteias que das centenas de milhares que já receberam da CMA saia um subsídio para o Guilherme e uma esmola pró Salgado?

freiras doroteias.jpg

freiras 2.jpg

 

freiras 3.jpg

 

 

 

quem é que tem mais fundos imobiliários fechados em Abrantes?

há algum da Lena em Alferrarede?????

quanto é que pouparam com isto em IMI enquanto os desgraçados são esfolados????

 

houve partidos locais que receberam dinheiro desta gente?

 

pode o sr. dr. Humberto Lopes telefonar para o Luxemburgo para saber se alguém da RIOFORTE tinha casa na Serra da Estrela e já agora informo que a primeira casa das Doroteias foi na Covilhã, mas não na Serra. 

 

ma

 



publicado por porabrantes às 10:27 | link do post | comentar

Quarta-feira, 28.01.15

''Ao que o jornal i apurou, os 14 milhões de euros que terão sido uma prenda do empreiteiro José Guilherme ao ex-banqueiro Ricardo Salgado poderão não ter sido, afinal, um agradecimento, mas sim uma comissão disfarçada.

 

A mesma fonte adianta que o Departamento Central de Investigação e Ação Penal está a investigar esta tese por acreditar que aquele valor seja referente a comissões camufladas, tendo a casa do empreiteiro ter sido já alvo de buscas neste âmbito.

Os investigadores da Operação Monte Branco acreditam que José Guilherme terá sido um intermediário de dinheiro entre Ricardo Salgado e Angola, onde tinha negócios

Durante os interrogatórios levados a cabo ao longo deste processo, o gestor de conta de Ricardo Salgado e um dos sócios da Akoya, afirmou que os 14 milhões transferidos de uma offshore do construtor para outra offshore do ex-banqueiro terão tido origem em negócios que o empreiteiro realizou naquele país africano.''

 

Notícias ao Minuto com a devida vénia

 



publicado por porabrantes às 15:44 | link do post | comentar

Terça-feira, 04.11.14

A Casa de Abrantes  lá para as bandas da Capital, na Amadora, foi um projecto muito acarinhado pela CMA no mandato de Nelson Carvalho, para juntar os bairristas abrantinos que viviam na Grande Lisboa, mantê-los ligados ao nosso concelho e ainda conseguir que alguns deles que tinham grandes meios de fortuna pudessem apoiar as suas terra de origem.

Por variados motivos falhou e foi um flop. Outro como a RPP, o futebol profissional abrantino, o Aquapólis e a ampliação do Hotel Turismo ou a Ofélia.

O Joaquim Raposo e a CM da Amadora  assinaram em Julho a certidão de óbito da dita.

acta da cm amadora 2-7-2014.png

 Como é sabido o Raposo tem  ligações com o abrantino José da Conceição Guilherme.

MA

   



publicado por porabrantes às 20:24 | link do post | comentar

Segunda-feira, 03.11.14

O Sol revela hoje novas declarações contraditórias sobre o caso ''Salgado/Guilherme'', o mecenas da Cabeça Gorda, grande benemérito do Graça das seringas

guilherme 4.jpg

'' Ricardo Salgado deu à família uma explicação diferente da que fornecera ao Ministério Público sobre os 8,5 milhões que recebeu  do construtor José Guilherme: negou que tenha sido uma comissão ou presente por algum negócio, enquanto no Departamento Central de Investigação e Acção Penal (DCIAP), em Dezembro de 2012, quando foi prestar declarações no processo Monte Branco, justificara a quantia, recebida numa offshore em 2011, paralelamente à sua actividade de banqueiro, como honorários por serviços de consultadoria àquele empresário em Angola. “Bons conselhos”, como corroboraria depois o empreiteiro no DCIAP – embora tenham ficado por explicar outras transferências através do BES Angola, de 2009 e 2010, para a mesma conta de Salgado no Panamá, que juntamente com o restante perfazem 14 milhões de euros e dos quais, segundo o SOL apurou, ainda se desconhece a proveniência. ''

 

:::)

'(...)'

Ricardo Abecassis, o primo que gere o escritório do BES no Brasil, reportando-se à tese que circulava de que o dinheiro de José Guilherme seria um presente, põe  o dedo na ferida: “Temos visto um desgaste muito grande do grupo na figura do Ricardo. Houve este ano um desgaste adicional com a situação de José Guilherme, que não é normal”. E sobe o tom: “Não aceito a explicação que foi dada. Desculpe Ricardo, mas tenho de dizer isto: não é normal. Não posso aceitar que um presidente de um banco aceite um presente desta magnitude de um cliente”.

E retira conclusões futuras: “Isto leva a que todos os funcionários do banco possam receber presentes e justificar que são amigos dos clientes. Eu não conheço nada que tenha acontecido assim, mas é a explicação que o Ricardo deu e a gente aceita como quer aceitar. Mas eu acho que ela é complicada de ser aceite e há muita gente que não aceita”, insiste Ricardo Abecassis. E conta como  foi abordado no Brasil, por gente perplexa: “‘O que é que se passa que o presidente recebe comissões de terceiros’? Tive de disfarçar. A mim choca-me. Se amanhã um director meu receber uma comissão, o que lhe vou dizer? Isto foi muito para lá do que se pudesse imaginar”.

Salgado não está habituado a ser encostado ao ringue: “Recuso-me a falar do assunto José Guilherme”. Mas vai falando: “Quando aconteceu esse assunto, eu fui o primeiro a ir ao MP e o assunto foi completamente esclarecido”. Nunca conta, porém, que ao DCIAP justificara o rendimento como decorrente dos  conselhos que dera ao empreiteiro. “Fui duas vezes ao Banco de Portugal (BdP) falar sobre o assunto. O BdP considerou que era uma questão do foro pessoal. Isto não é nenhum presente, é um assunto que tem a ver com a minha relação pessoal com José Guilherme. Nunca tive uma sociedade fora do grupo, nunca participei em capital de nada, não sou conselheiro de ninguém. Não aceito mais conversas sobre essa matéria”, encerra Ricardo Salgado.'' (...)

 

Salgado não está habituado a ser encostado ao ringue: “Recuso-me a falar do assunto José Guilherme”. Mas vai falando: “Quando aconteceu esse assunto, eu fui o primeiro a ir ao MP e o assunto foi completamente esclarecido”. Nunca conta, porém, que ao DCIAP justificara o rendimento como decorrente dos  conselhos que dera ao empreiteiro. “Fui duas vezes ao Banco de Portugal (BdP) falar sobre o assunto. O BdP considerou que era uma questão do foro pessoal. Isto não é nenhum presente, é um assunto que tem a ver com a minha relação pessoal com José Guilherme. Nunca tive uma sociedade fora do grupo, nunca participei em capital de nada, não sou conselheiro de ninguém. Não aceito mais conversas sobre essa matéria”, encerra Ricardo Salgado.

A discussão acaba por ficar por ali, mas não sem antes o próprio Ricciardi anotar uma contradição: “Quando foi do Ministério Público, foi-nos dito que era uma operação pessoal, que o Rui Silveira [administrador com pelouro jurídico] também sabia, que tivéssemos confiança porque era investimento pessoal teu. Só depois soube da história do José Guilherme, pela capa do SOL”.

Salgado sobe o tom: “Não recebi comissão nenhuma”.(...)

artigo de Felícia Cabrita no ''Sol''

com a devida vénia

sn

PS- quem é o afilhado do Zé Grande que se maneja nos círculos do poder abrantinos?



publicado por porabrantes às 19:25 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.09.14

 

 

O Sobrinho, sabe-se claramente, é um problema e não é dos pequenos. Cá e lá em Angola. O Mosquito e outros também. É a expressão da cleptocracia no poder. Quanto à expressão cleptocracia tenho direitos de autor. Fui, penso, o primeiro a usa...r a essa expressão em relação ao poder dos Santos angolanos. E depois o problema desta Mosquito(ada) é que têm muitos Sobrinho(s) por cá. Até, há quem diga mas eu não acredito, no PS... "O Banco Nacional de Angola (BNA) terá pedido a substituição de Álvaro Sobrinho na liderança do Banco Valor, segundo informação avançada pela imprensa angolana, que relaciona a situação com o caso Banco Espírito Santo Angola (BESA). A agência Lusa questionou o BNA sobre este assunto, mas fonte oficial do banco central angolano não adiantou qualquer informação sobre a formalização de um pedido de substituição de Álvaro Sobrinho. O pedido, recorda o Semanário Económico, de Angola, estará relacionado com a passagem de Álvaro Sobrinho pela administração do BESA, de onde o empresário angolano saiu em 2012, quando ocupava a presidência da Comissão Executiva. Já as fontes citadas na imprensa angolana garantem que para o BNA não faz diferença que a substituição aconteça, ou não, em assembleia de acionistas, desde que "ocorra dentro dos prazos", os quais estão "à beira de vencer". Álvaro Sobrinho é acionista e presidente do Conselho de Administração do Banco Valor há mais de um ano, tendo o BNA requerido a sua substituição, bem como de outros dois administradores, também alegadamente provenientes do BESA. Em causa está a situação no BESA, detido em 55,71 % pelo BES português e que enfrenta um problema na carteira de crédito que levou à intervenção do BNA, com a nomeação de dois administradores provisórios, no âmbito das medidas de saneamento adotadas para o banco. Esta posição é atribuída ao volume de crédito malparado, que várias fontes estimaram nos últimos meses em 5,7 mil milhões de dólares (cerca 4,4 mil milhões de euros), alegadamente concedido durante a gestão de O Banco Nacional de Angola (BNA) terá pedido a substituição de Álvaro Sobrinho na liderança do Banco Valor, segundo informação avançada pela imprensa angolana, que relaciona a situação com o caso Banco Espírito Santo Angola (BESA).
A agência Lusa questionou o BNA sobre este assunto, mas fonte oficial do banco central angolano não adiantou qualquer informação sobre a formalização de um pedido de substituição de Álvaro Sobrinho.
O pedido, recorda o Semanário Económico, de Angola, estará relacionado com a passagem de Álvaro Sobrinho pela administração do BESA, de onde o empresário angolano saiu em 2012, quando ocupava a presidência da Comissão Executiva.
Já as fontes citadas na imprensa angolana garantem que para o BNA não faz diferença que a substituição aconteça, ou não, em assembleia de acionistas, desde que "ocorra dentro dos prazos", os quais estão "à beira de vencer".
Álvaro Sobrinho é acionista e presidente do Conselho de Administração do Banco Valor há mais de um ano, tendo o BNA requerido a sua substituição, bem como de outros dois administradores, também alegadamente provenientes do BESA.
Em causa está a situação no BESA, detido em 55,71 % pelo BES português e que enfrenta um problema na carteira de crédito que levou à intervenção do BNA, com a nomeação de dois administradores provisórios, no âmbito das medidas de saneamento adotadas para o banco.
Esta posição é atribuída ao volume de crédito malparado, que várias fontes estimaram nos últimos meses em 5,7 mil milhões de dólares (cerca 4,4 mil milhões de euros), alegadamente concedido durante a gestão de Álvaro Sobrinho no BESA.
João Soares
com a devida vénia


publicado por porabrantes às 09:04 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.09.14

 

 

 

''

O empresário socialista Sobral de Sousa, acusado com o social-democrata António Preto no "caso da mala", foi sócio de José Sócrates , Armando Vara e Rui Vieira (dirigente nacional do PS e marido de Edite Estrela) no início dos anos 90.

Associaram-se na empresa Sovenco, na Amadora, e António Manuel Simões Costa, fundador do PS/Lisboa, foi o mentor da empresa que teve vida curta.

António Preto conheceria Sobral mais tarde, em 1997, e garante: "Nunca me disse que conhecia Sócrates ou Vara". Simões explicou ao Expresso como nasceu a Sovenco e o que o aproximou dos demais sócios: "Conheci-os nas campanhas do partido e estivemos todos com Guterres". O partido aproximou-os e Guterres uniu-os. Mas também os haveria de separar. Sócrates, Vara e Rui Vieira prosseguiram a carreira política. O primeiro chegou a líder do partido e do Governo, o segundo foi ministro de Guterres e fez carreira na banca, e Rui Vieira chegou à direcção nacional do PS e a deputado.


Ler mais: http://expresso.sapo.pt/o-que-une-antonio-preto-e-jose-socrates=f547093#ixzz3CtoyZJvf
''(...)

 

 

A Sovenco foi fundada no escritório do benemérito da Cabeça Gorda, o Guilherme, na Amadora.

 

O Preto do PSD deu origem a um dos julgamentos mais engraçados da história deste país. Tudo por causa duma mala de dinheiro que ele garantia nunca ter visto.

 

''Confrontado com o PÚBLICO com o facto de a   Sovenco, na época em que Sócrates e os outros deputados ainda eram sócios, ter tido sede no escritório da Amadora de José da Conceição Guilherme, um dos maiores construtores civis da região de Lisboa,   Simões Costa confirmou-o, mas sustentou que esse empresário "nunca teve nada a ver" com a sociedade. "Ele esteve lá antes de nós e cedeu-nos aquilo por gentileza com o Sobral de Sousa" - o homem que na altura era vereador do PS na câmara de maioria comunista e pretendia ser o número um do seu partido nas autárquicas de 1993, lugar que acabou por ser ocupado por Armando Vara. (...)

do Público de 17 de Setembro

 

 Quem é que forneceria pneus ao Sr.Cónego???? 

 

Ao qual? perguntou sonolenta a Suzy

 

Não foi àquele que dizia missa na capela do Sr.Soares dos Santos, na Covilhã.....

 

 

MA

 

 

foto do benemérito Cónego Anacleto, gentileza do boletim da CM Sardoal

 

Silva Martins foi o verdadeiro pai do Colégio de Fátima de Abrantes, alguma vez  visitou o Cardeal Cerejeira na Serra da Estrela e disse missa na capela referida



publicado por porabrantes às 09:23 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.08.14

 

http://imagensdemarca.sapo.pt/atualidade/junte-se-ao-lado-forte-da-poupanca/

 

O melhor é ouvir um especialista, para saber como anda o Montepio Geral:

 

 

 

 

 

''

(....)

OS PROBLEMAS DA CAIXA ECONÓMICA NÃO RESULTAM APENAS DO FINIBANCO

No entanto, não pensamos que os problemas atuais da Caixa Económica resultem apenas da aquisição do Finibanco. A crise atual está a ter também um impacto grande na Caixa Económica, como sucede com todas as instituições financeiras, o que agrava os problemas

resultantes de uma gestão pouco adequada, e mesmo, a nosso ver, com erros graves. A prova-lo está, por ex., o disparar do crédito concedido sem garantias, cuja taxa de incumprimento é muto elevada e, depois, de muito difícil recuperação (reembolso). Como

mostram os dados do quadro, entre 2010 e 2013, aumentou bastante tendo registado em 2012 uma quebra (entre 2011 e 2012, passou de 1625 milhões € para 1.445 milhões €), para novamente aumentar de uma forma muito rápida. Entre 2010 e 2013, o crédito sem

garantias aumentou de 976 milhões € para 1.995 milhões € (atualmente dever ultrapassar largamente os 2.000 milhões €). E o risco deste crédito de não ser pago é muito mais elevado do que o restante crédito. Basta ter presente que, de acordo com o Relatório e

Contas de 2012, dos 902,7 milhões € de imparidades (provisões) 253,3 milhões € (28%), diziam respeito a imparidades para “crédito sem garantias”, quando este crédito representava apenas 8,5% do crédito total (...)

 

 

(...)

Foi precisamente pelo facto de ter de criar provisões/ imparidades para prováveis perdas elevadas de crédito concedido que os prejuízos da Caixa Económica dispararam tendo, fundamentalmente devido a isso, os prejuízos operacionais de 2012 e 2013 somado 540 milhões de euros (168 milhões € em 20’12 mais 372 milhões € em 2013). E só nesses dois anos as provisões/imparidades por prováveis perdas de crédito concedido (inclui também

as resultantes de operações financeiras) somaram 629 milhões €, determinando os elevados prejuízos operacionais que a Caixa Económica – Montepio Geral teve nesses dois anos. E mesmo em 2014, só no 1º semestre, a Caixa Económica já teve de criar 293 milhões € de provisões/imparidades por perdas prováveis de crédito concedido, nomeadamente a empresas do grupo Espírito Santo que afectam os resultados do Montepio, anulando praticamente os elevados ganhos (mais-valias) que a Caixa Económica obteve no 1º semestre de 2014 (275 milhões € com operações financeiras-ver contas), nomeadamente resultantes da venda de dívida publica portuguesa.(...)

 

As minhas poupanças estão seguras na Associação Mutualista? –ler aqui

 

retirado do relatório de Eugénio Rosa -membro da conselho geral da AM-MG, e da AG da Caixa Económica -MG Pág. 3

 

que denuncia a cultura de autoritarismo dos corpos sociais  do Montepio:

 

 

(..) Para que os associados possam ter uma ideia da cultura de autoritarismo do presidente que existe no Montepio basta relatar o seguinte episódio.

Aquando da emissão dos 200 milhões € de unidades de participação, eu fiz uma informação aos associados que os esclarecia de aquele produto não garantia nem um rendimento certo  (dependia dos lucros da Caixa Económica que têm sido reduzidos) nem estava garantido o reembolso da totalidade do capital investido terá de vender as unidades de participação no mercado secundário e recebe o que for oferecido – em 17.8.2014 os 200 milhões € valiam 188 milhões € -ver Euronext -https://europeanequities.nyx.com/pt-pt/products/equities/PTCMHUIM0015-XLIS/quotes#- o valor varia quase todos os dias). Por ter informado os associados, e após um ataque pessoal a mim pelo presidente todos aprovaram uma moção em que me ameaçavam com um processo no tribunal. Foi só quando disse que se avançassem com tal processo iria defender-me não só em tribunal mas também junto dos associados é que o bom senso acabou por imperar pois o risco reputacional era grande. Este episódio mostra bem as dificuldades que enfrento. (...)

 

Com uma liderança destas e uma trajectória do banco como a descrita no documento (importante ler tudo) o melhor é desandar do Montepio Geral.

 

a redacção

 

quadro e texto entre aspas retirados com a devida vénia do relatório do senhor Eugénio Rosa  



publicado por porabrantes às 22:09 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Cónego sem garantia

Amigalhaço do Zé Guilherm...

PÚBLICO destaca amigalhaç...

Corrupção ou Amizade?

Cooperativismo à abrantin...

As dívidas do cacique Alb...

Dia do Senhor: Cabeça Gor...

A igreja das off-shores

Montepio Insolvente

Revista da actualidade

arquivos

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Julho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9

16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds