Sexta-feira, 11.10.13

 

O Cidadão abt disse sobre a morte anunciada do Hotel Turismo de Abrantes na Quinta-feira, 10 de Outubro de 2013 às 22:51:

 

     

Porque há sempre por aí um "pró der" ou um "que ren" na mira... 

Às vezes as insolvências não passam de manobras estratégicas de vitimização com o consequente despedimento de funcionários e lavagem das cestas, para recandidaturas a balões de oxigénio e outras benesses inseridas dos programas comunitários... 

Câmara revitalizada = projectos assegurados... e tudo à revelia do zé pagode.

 

 

 

 

Caro Amigo: 

 

Cada vez estou mais estupefacto com a agressividade da sociedade civil e a ingenuidade dos nossos políticos em exercício, o sr. dr. Humberto Lopes na ''Barca'' quase desafia para um duelo o deputado do Mação Duarte Marques (PSD) porque está ofendido porque o Marques faltou ao respeito aos velhos.

A antiguidade no PSD e no ex-PSD é um posto quem, será neste grupo etário laranja abrantino o mais velho : Anacleto Baptista, Humberto Lopes, ou o Armando Fernandes????

Os duelos devem ser com igualdade de armas e a escolha das armas compete ao desafiado que é o parlamentar Marques.

Mas é óbvio que como o Marques é jovem, é mais ágil e robusto que esta classe etária laranja e ex-laranja ofendida e para haver igualdade de condições deve-se enfrentar a uma selecção de idosos laranjas e ex-laranjas abrantinos , sugerindo-se que estes pais da pátria, todos com experiência parlamentar, experiência na redacção de epístolas moralizantes tipo Ana Soares Mendes na imprensa dos senhores Bispos, à falta de poderem estar num Senado jogando à sueca com o centenário Adriano Moreira, devido à Constituição de Abril nos ter dispensado desse Lar de Idosos que costuma ser a instituição senatorial, que se comecem a preparar para o repto, começando a fazer preparação física sob direcção de Mestre Fernando Correia.

prosimetron
Aqui temos, todo catita, o vovô da velha laranja Manuela Ferreira Leite lavando a honra.  Já pode a terceira idade ofendida estudar como um duelista se põe ''em guarda''....
Passando ao teu comentário sobre o Qren, ou coisa que o valha, quero dizer-te que me telefonou a esposa dum dos da sociedade civil pedindo para eu não ser tão duro com a Céu, porque ela não é má pessoa, só é um bocadinho ingénua....
Recordo que disse que a Céu teve um bom mestre, o Sr. Carvalho, que segundo este papelinho também era muito ingénuo....
 
Porra, estou farto de Presidentes e Presidentas ingénuos......
Tragam alguém com experiência de vida, gente que tenha trabalhado a sério e que saiba o que é o mundo dos negócios, tragam-me outra vez
 um jovem como o Zé Bioucas, que não se deixava aldrabar pelo primeiro chico esperto que aparecia na esquina...
E que naturalmente não é um velho laranja, apesar de ter andado pela sede do PSD quando aquilo era ao pé do Hotel. O Zé Bioucas é um jovem..... só com umas gotas alaranjadas....
Abraço pá
MN 


publicado por porabrantes às 19:07 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 10.10.13

Este foi o fundador do Hotel Turismo de Abrantes, um homem excepcional

 

 

 

 

 

Este é o anúncio da sentença de insolvência

 

 

 

ANÚNCIO
Processo: 1043/13.0TBABT
Insolvência pessoa coletiva (Requerida)
Referencia: 3099508
Data: 07-10-2013
No Tribunal Judicial de Abrantes, 2º Juízo de Abrantes, no dia 04-10-2013, às 14:00, foi
proferida sentença de declaração de insolvência do devedor:
Hotel de Turismo de Abrantes, S.A., NIF - 500135401, Endereço: Largo de Santo António,
Abrantes, 2200-349 Abrantes
com sede na morada indicada.
São administradores do devedor:
a quem é fixado domicílio na morada indicada.
Para Administrador da Insolvência é nomeada a pessoa adiante identificada, indicando-se o
respetivo domicílio.
João Manuel Correia Chambino, Endereço: Rua Cidade de Bolama, N.º 38, 10º - Esq.,1800-079 Lisboa.
Ficam advertidos os devedores do insolvente de que as prestações a que estejam obrigados, deverão ser feitas ao administrador da insolvência e não ao próprio insolvente.
Ficam advertidos os credores do insolvente de que devem comunicar de imediato ao administrador da insolvência a existência de quaisquer garantias reais de que beneficiem.
Declara-se aberto o incidente de qualificação da insolvência com carácter pleno. (alínea i do artº 36 –CIRE)
Para citação dos credores e demais interessados correm éditos de 5 dias.
Ficam citados todos os credores e demais interessados de tudo o que antecede e ainda:
O prazo para a reclamação de créditos foi fixado em 30 dias.
O requerimento de reclamação de créditos deve ser apresentado ou remetido por via postal
registada ao administrador da insolvência nomeado, para o domicílio constante do presente
edital (nº 2 artº 128º do CIRE), acompanhado dos documentos probatórios de que
disponham.
Mesmo o credor que tenha o seu crédito por reconhecido por decisão definitiva, não está dispensado de o reclamar no processo de insolvência (nº 3 do Artº 128º do CIRE).
Do requerimento de reclamação de créditos deve constar (nº1, artº 128º do CIRE): 
A proveniência do(s) crédito(s), data de vencimento, montante de capital e de juros;
As condições a que estejam subordinados, tanto suspensivas como resolutivas;
A sua natureza comum, subordinada, privilegiada ou garantida, e, neste último caso, os bens ou direitos objeto da garantia e respetivos dados de identificação registral, se aplicável;
A existência de eventuais garantias pessoais, com identificação dos garantes;
A taxa de juros moratórios aplicável.
É designado o dia 05-12-2013, pelas 14:00 horas, para a realização da reunião de assembleia de credores de apreciação do relatório, podendo fazer-se representar por mandatário com poderes especiais para o efeito.
É facultada a participação de até três elementos da Comissão de Trabalhadores ou, na falta desta, de até três representantes dos trabalhadores por estes designados (nº 6 do Artº 72 do CIRE).
Da presente sentença pode ser interposto recurso, no prazo de 15 dias (artº 42º do CIRE), e/ou deduzidos embargos, no prazo de 5 dias (artº 40º e 42 do CIRE).
Com a petição de embargos, devem ser oferecidos todos os meios de prova de que o embargante disponha, ficando obrigado a apresentar as testemunhas arroladas, cujo número não pode exceder os limites previstos no artigo 511º do Código de Processo Civil
(alínea c do nº 2 do artº 24º do CIRE).
Ficam ainda advertidos que os prazos para recurso, embargos e reclamação de créditos começam a correr finda a dilação e que esta se conta da data da publicação do anúncio no portal Citius ou da data da afixação dos editais, se posterior.
Os prazos são contínuos, não se suspendendo durante as férias judiciais (nº 1 do artº 9º do CIRE).
Terminando o prazo em dia que os tribunais estiverem encerrados, transfere-se o seu termo para o primeiro dia útil seguinte.
Informação Plano de Insolvência:
Pode ser aprovado Plano de Insolvência, com vista ao pagamento dos créditos sobre a insolvência, a liquidação da massa e a sua repartição pelos titulares daqueles créditos e pelo devedor (artº 192 do CIRE).
Podem apresentar proposta de Plano de Insolvência o administrador da insolvência, o devedor, qualquer pessoa responsável pelas dívidas da insolvência ou qualquer credor ou grupo de credores que representem um quinto do total dos créditos não subordinados reconhecidos na sentença de graduação de créditos ou, na falta desta, na estimativa do Sr.
Juiz (artº 193º do CIRE).
O Juiz de Direito,
Dra. Ana Reais Pinto
O Oficial de Justiça,
Hugo Peixoto

 

Certificação CITIUS:
Elaborado em: 09-10-2013

 

Esta é a cara do tipo que Maria do Céu Albuquerque garantiu perante os representantes eleitos do povo de Abrantes, reunidos em Assembleia Municipal, que era  um 'empresário de confiança''

 

 

a primeira lição a tirar é que a Presidente é uma ''mulher de confiança''  .....do Carlos Marques e se calhar do Paredes Alves e da sociedade civil.....

 

 

e que quem acreditou nela são uns anjinhos.....

 

 

não vou traçar aqui um requisitório contra a forma como o algarvio Marques administrou o Hotel, mas posso anotar que entre os frequentadores habituais daquilo que já tinha deixado de ser um Hotel, para passar a ser apenas

 

 

a PENSÃO MARIA DO CÉU,

 

.....estavam os estimados membros da Sociedade Civil, organizados em certo clube e qualquer observador via em que ambiente tabernário o Marques transformara aquilo....

 

 

 

também recordo que  o ''novo grupo económico'' que administrava a Pensão Maria do Céu agia graças ao apoio dado pelo accionista maioritário chamado Paredes Alves e a operação concretizou-se numa Assembleia Geral, cujo Presidente era o sr. dr. Jorge Moura Neves Fernandes.

 

Que vai acontecer agora????

 

 

O lógico seria os accionistas minoritários exigirem uma sindicância às contas que respondesse a esta pergunta: onde foi parar o dinheiro (mais de um milhão de euros) da venda do edifício, dizem-nos os senhores Administradores cessantes?????

 

Em termos políticos a cacique deveria já em sede camarária e na Assembleia Municipal  responder pelo mal que fez a esta Cidade apostando nesses algarvios do carago, como diria Pinto da Costa.

 

É normal que isto tenha acontecido. A Presidenta é  afinal a herdeira do tipo que arranjou emprego na RPP e fez Vereador Júlio Bento.

 

Para a Cidade de Abrantes tudo indica que vamos ter o edifício fechado e com um letreiro a dizer vende-se.

 

Espero que não chegue a ficar como a ruína municipal que há 2 décadas decora o Jardim fronteiro. A Piscina era assim

 

 

 

 

não quero recordar como a deixaram ficar Nelson de Carvalho e Maria do Céu.

 

Devia ser mais duro?????

 

Claro que sim....

 

Fica para outro dia

 

MN



publicado por porabrantes às 20:14 | link do post | comentar

Sábado, 05.10.13

 

O blogue Restos de Colecção publicou recentemente um post sobre o Hotel Turismo de Abrantes. É um blogue estimável e aliás tinha-se referido amavelmente ao nosso, mas as incorrecções produzidas e a informação que se omite, certamente por engano ou desconhecimento sobre o HTA ,merecem um esclarecimento, dado o valor deste edifício, o seu significado na vida social e cultural da cidade e o estado lastimoso a que o conduziu a actual gerência.

 

 

  

 

 

Passo a comentar os erros a) Diz-se que o Hotel foi fundado por iniciativa de ''investidores locais'' entre os quais o dr. Manuel Fernandes e Albuquerque do Amaral Cardoso.

 

 

 

Manuel Fernandes, médico e chefe político local da Ditadura a partir de meados dos anos 40, foi a alma política e empresarial do projecto, que aliás contou com a férrea oposição da CMA enquanto foi dominada pelo grupo de Henrique Augusto Silva Martins. O Hotel esteve inclusivamente para ser construído onde está hoje o Colégio de N.Senhora da Fátima.

 

A influência política do líder estado-novista levou à intervenção directa de Salazar para concretização dum empréstimo e à cedência de terrenos públicos para se construir o Hotel.

 

 

 

 

 

Houve também investimento directo do Estado, que ainda é accionista da Sociedade Hotel Turismo de Abrantes SA, que foi dona do edifício até que o vendeu.

 

 

Os investimentos do Dr.Manuel Fernandes vieram do dinheiro da mulher a D.Vírgínia Moura Neves e ainda arrastaram todo o então clã Moura Neves. Quando o texto citado fala do ''Albuquerque do Amaral Cardoso'' estou a pensar que se refere a D.Luís Albuquerque Amaral Cardoso, filho do militar quase homónimo D.Luís Amaral Cardoso. Morava o titular numa  casa da R.D.João IV  . A casa do D.Luís foi pela família Amaral Cardoso doada ao Patronato Santa Isabel.Outro dia talvez faça a história da casa que pode ser curiosa, mas agora só adianto que o papel dele como ''investidor'' ou impulsionador do Hotel ou do São Pedro foi menor.

 

Os accionistas que fundaram o Hotel são mais ou menos os mesmos que fundaram o São Pedro.

 

 

Já agora vai a lista dos fundadores do São Pedro:  Manuel Luís Fernandes, Armando Henrique Moura Neves, ;Fernando Alberto Moura Neves, ; Joana Pimenta Godinho Soares Mendes, ; família  Paim Barreto Soares Mendes,  ;José Guilherme Moura Neves, ; Armando Ferreira Matafome, ; António Eduardo Moura Neves, Manuel Proença Robalo Lisboa, ;Manuel Cordeiro Duarte Ferreira, ; Eduardo Cordeiro Duarte Ferreira, ; Georgina Segurado Avelar Machado Soares Mendes, ; família Serra da Mota , ; Ramiro Guedes de Campos, ; João Duarte Marques, ;Luís Almada Albuquerque Amaral Cardoso, ; José Sousa Falcão,:  Ramiro Antunes Farinha Pereira,; António Serrão Burguete, ; Mário Serrão Burguete, ; António Apolinário Ferreira da Silva Oleiro,; José Almada e Melo, ; Maria Cristina Castro Ataíde Castel-Branco, ; Maria Amélia Castro Ataíde Cordeiro, ; Aníbal Lopes Pinheiro, ;Luís Gonzaga Moura Neves, ; Construtora Abrantina,L.da,  ; Maria Manuela Nunes de Carvalho Serra da Mota,; Maria Teresa Nunes de Carvalho Serra da Mota,; Diogo Armando da Silva Oleiro, ; Maria Almada Albuquerque Bobela Mota, ; Alfredo Manuel Pimenta, ; Emílio Damas Pombo Salgueiro, ;Fernanda Mena e Silva Moura Neves, ; Manuel Pimenta Almeida Beja Camões Godinho, ; José Pimenta Almeida Beja Camões Godinho, ; João Pimenta Beja Marques Godinho, ; Alfredo Pimenta Beja Marques Godinho, ; Fernando António Pimenta Beja Marques Godinho,. 

b) Diz-se ainda no Restos de Colecção que tinham sido colocados uns quadros do pintor Lozano, mas já se disse aqui os quadros desapareceram em circunstâncias que os sócios deviam apurar.

    

 

o pintor  Lázaro Lozano

 

 

c) Diz-se ainda que o Hotel é propriedade da Best Western. A Best Westwen não é, nem nunca foi dona do edifício.  A Sociedade Hotel Turismo SA  que foi dona dele, vendeu-o  a um Fundo de Turismo e hoje é mera inquilina do dito Fundo 

 

 

 

 

É para mim incrível que contactado por nós o sr. dr. Luís  Moura Neves, Administrador do Hotel até recentemente, não soubesse desta venda.

 

Desde que o Hotel é administrado por um estranho grupo económico ligado a Promociones el Santiscal (assunto largamente abordado neste blogue) sucederam-se uma série de acções em tribunal  tanto de carácter laboral como por dívidas de que se faz um mero resumo:

 

 

100667

Entrada: 
26-09-2013
Distribuição: 
26-09-2013

Autor: João Daniel Granja dos Santos 
Réu: Hotel de Turismo de Abrantes, S.A.

Juízo Único

250/13.0TTABT

Valor:
2.152,68 €

Ação de Processo Comum

  

2192

Entrada: 
28-01-2013
Distribuição: 
29-01-2013

Exequente: Acção Contínua - Saúde e Prevenção, Unipessoal Lda. 
Executado: Hotel de Turismo de Abrantes S.A. 
Agente de Execução (Sol.): Carla Ribeiro

2º Juízo

128/13.7TBABT 

Valor:
1.402,69 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 12290617

99/12.0TTABT
Juízo Único
Ação Impugnação Jud.Regul.e Licitude do Despedimento

Autor Anabela Barroso de Sousa 
Réu Hotel de Turismo de Abrantes, S.A.

Julgamento ou Audiência final

09-01-2013 10:00

46984

Entrada: 
03-05-2013
Distribuição: 
04-05-2013

Exequente: G. J. Silva, Lda. 
Executado: Hotel de Turismo de Abantes, Sa 
Agente de Execução (Sol.): João J. Oliveira Coelho

1º Juízo

534/13.7TBABT

Valor:
666,99 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 13166763

795863

Entrada: 
15-01-2013
Distribuição: 
15-01-2013

Exequente: Abrancome - Fornecimento de Produtos Alimentares e Bebidas, Lda. 
Executado: Hotel Turismo de Abrantes, Lda. 
Agente de Execução (Sol.): João J. Oliveira Coelho

3º Juízo

67/13.1TBABT 

Valor:
1.016,67 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 12136621

 

 

Depois deste rol resumido, verificou-se que os donos do imóvel, a Fundo do Turismo, executaram por alegadas dívidas o inquilino do Hotel, a Sociedade Hotel Turismo de Abrantes, SA

77288

Entrada: 
12-07-2013
Distribuição: 
12-07-2013

Exequente: Tf Turismo Fundos, Sgfii, S.A.
Executado: Hotel de Turismo de Abrantes, S.A. 
Agente de Execução (Sol.): David Roque

3º Juízo

803/13.6TBABT

Valor:
30.001,00 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 13959

 

coisa que dá ideia que se as dívidas não forem pagas.....haveria

 

 

 

 

mas entretanto outro credor foi mais radical e pediu a insolvência da Sociedade Hotel Turismo SA.......

 

892982

Entrada: 
05-09-2013
Distribuição: 
06-09-2013

Requerente: Maria Amélia de Jesus Coimbra 
Insolvente: Hotel Turismo de Abrantes, Sa

2º Juízo

1043/13.0TBABT

Valor:
50.000,00 €

Insolvência pessoa coletiva (Requerida)
Entrega Electrónica - Refª 14326825

 

 

d) Diz ainda o blogue Restos de Colecção que o Senhor Gonçalo Byrne, arquitecto estrela, muito do gosto das autoridades abrantinas, apresentou em Novembro de 2012 um projecto de ampliação do Hotel. É verdade e não resistimos a desafiar o nosso estimado colega e a sua decorativa colaboradora abrantina a ilustrar o arrazoado com isto:

 

carlos marques 2.JPG

 

 cidadãos por abrantes

 

 

E)  Finalmente não diz o Resto de Colecção o resto que é o essencial: foi deliberado por unanimidade na CMA e na A.M. (por esmagadora maioria) ceder por uma verba irrisória (à volta de 6.000 euros) terrenos públicos (as velhas piscinas abrantinas e parte do jardim do Hotel)  avaliados pela CMA em muitas centenas de milhares de euros ao inquilino do edifício do Hotel, inquilino esse cujos contornos já foram aqui largamente abordados....  

Vou-me repetir, mas este negócio é   muito mais sinuoso, ruinoso, duvidoso, etc para a cidade e para edilidade que o  estranho caso das celeradas oliveiras do Catarino.

 

 

Resta-me ainda dizer que o apreciado arquitecto-estrela ao trabalhar com esta gente se arrisca a  ter de meter nova penhora.

 

 

Fica pois anotado o post do Restos de Coleção.

 

 

Miguel Abrantes

 

 

Sobre a medriocridade do projecto do Byrne também já aqui se falou

 



publicado por porabrantes às 12:12 | link do post | comentar

Quinta-feira, 04.04.13

 

 

 

 

 

 

Garantiu a Presidenta, na Assembleia Municipal, segundo a Imprensa, que o ''empresário'' do Hotel ''era de confiança'' e por isso se  venderiam a essa sociedade a ''preço simbólico'' as piscinas arruinadas, por desleixo e incúria, a marca desta Câmara, e para completar o bodo aos ricos, como cereja em cima do bolo, mais uma parte dum jardim público.

 

 

 

 

A confiança da Dona Céu é uma coisa, a confiança dos trabalhadores no dito enquanto entidade patronal é outra e está a ser dirimida no Tribunal de Trabalho:

 

Em 6-3-2013 deu entrada aí

 

5457

Entrada: 
06-03-2013
Distribuição: 
06-03-2013

Autor: Clara Sofia Lopes Prates 
Réu: Hotel de Turismo de Abrantes, S.A.

Juízo Único

63/13.9TTABT

Valor:
829,62 €

Ação de Processo Comu

 

 

E a 3-4-2013

 

63/13.9TTABT
Juízo Único
Ação de Processo Comum

Autor Clara Sofia Lopes Prates 
Réu Hotel de Turismo de Abrantes, S.A.

Audiência de partes

03-04-2013 15:

 

 

 

a pergunta é:

 

 

não tinha o tipo em que a Senhora Céu, tão confiante ,deposita a sua confiança, 892,62 € para resolver de uma penada o assunto????

 

 

Por 892 € deixa o Hotel andar nas bocas do mundo e não chega a um acordo prévio para evitar as lides judiciais e resolver o assunto?

 

Pelo que sei, tomo partido, como tomou a Senhora Céu.

 

E temo ver o Hotel outra vez penhorado e invadido pelos oficiais de diligência a  arrolar bens.

 

 

Fica por aqui o assunto? Não.

 

Há mais trabalhadores a não terem confiança no gestor e na empresa em que a Senhora Céu,confiante e crédula, os edis e a maioria quase esmagadora da A.Municipal confiaram

 

77/13.9TTABT
Juízo Único
Ação de Processo Comum

Autor Maria Amélia de Jesus Coimbra 
Réu Hotel Turismo de Abrantes, Sa

Audiência de partes

24-04-2013 14:00

 

 

Face a isto tudo, resta-me a poesia e a Presidenta tão pródiga a introduzir versos nos discursos que pronuncia, que se fique com a frase dum dos cumes da poesia brasileira, Carlos Drummond de Andrade...

 

''A confiança é um acto de fé,


e esta dispensa raciocínio.....''

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 11:12 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30.01.13

 

 

 

A alfaiataria Dias vai ficar rica de tantos capotes que vai fabricar, tendo em conta todos os políticos que sacudiam a água do capote no estranho caso da

 

 

PENSÃO MARIA DO CÉU

 

 

ENTROU MAIS UMA PENHORAZINHA DE FORNECEDORES....

 

 

contra Hotel Turismo de Abrantes, SA

 

 

 

2192

Entrada: 
28-01-2013
Distribuição: 
29-01-2013

Exequente: Acção Contínua - Saúde e Prevenção, Unipessoal Lda. 
Executado: Hotel de Turismo de Abrantes S.A. 
Agente de Execução (Sol.): Carla Ribeiro

2º Juízo

128/13.7TBABT 

Valor:
1.402,69 €

Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 12290617

 

 

 

Marcello de Noronha

 

também entrou uma coisa do género contra um Vereador, mas está em lista de espera......



publicado por porabrantes às 10:44 | link do post | comentar

Segunda-feira, 21.01.13

Tinha de ser. A malta já sabia. Mas faltava a confirmação judicial. Ignoro se os executados já foram notificados, mas estou-me nas tintas, como a Céu que se está nas tintas para qualquer diligência para saber da situação real da Hotel Turismo SA.

 

 

Ou melhor sacode a água do capote.  Eu não sacudo a água do capote. Não uso capote. Ela usa.

 

 

 

Acaba de ser distribuída uma nova penhora contra a Soc. Hotel Turismo SA

 

 795863 Entrada: 
15-01-2013
Distribuição: 
15-01-2013 Exequente: Abrancome - Fornecimento de Produtos Alimentares e Bebidas, Lda. 
Executado: Hotel Turismo de Abrantes, Lda. 
Agente de Execução (Sol.): João J. Oliveira Coelho 3º Juízo 67/13.1TBABT 

Valor:
1.016,67 € Execução Comum (Sol.Execução)
Entrega Electrónica - Refª 12136621



Desta vez aparentemente por fornecedores.


Aqueles vereadores que falavam em ódios certamente estariam a referir-se a ódios de classe entre trabalhadores e a entidade patronal. 


Falarão agora em ódios ?


Sustentarão que os fornecedores meteram a acção para cobrança de dívidas com base em ódios ?


Ou duma forma mais sensata reconhecerão que um credor tem, num país sério, o direito a cobrar dívidas?


Temos impressão que vai haver mais acções destas.



E começa a ser difícil sustentar que a  actual administração desta sociedade é um parceiro em quem a autarquia pode confiar.



 E não só para a autarquia, também para os fornecedores.


Quem não tenha capote, e quiser sacudir a água dele, pode comprar um. Com este frio é uma peça de roupa aconselhável.


Miguel Abrantes (sem capote)



publicado por porabrantes às 14:53 | link do post | comentar

Terça-feira, 01.01.13

Depois da farra, chega a ressaca

 

 

Foto divulgada no facebook pelo Hotel Turismo de Abrantes de curiosos acontecimentos durante o artístico reveillón

 

 

A minha pergunta é :

 

aquilo é uma unidade hoteleira ou uma mesquita onde  se tem de entrar descalço?

 

 

 

O novo plano para lixar o alto de Santo António até parece ter um minarete

 

 

 

E como neste caso ano novo não é vida nova, recomeça a luta de classes, supondo-se que irão ao tribunal calçados, porque nesta Abrantes católica ainda não vigora a sharia ignara e islâmica

 

99/12.0TTABT
Juízo Único
Ação Impugnação Jud.Regul.e Licitude do Despedimento

Autor Anabela Barroso de Sousa 
Réu Hotel de Turismo de Abrantes, S.A.

Julgamento ou Audiência final

09-01-2013 10:00

 

 

A Senhora Doutora Presidenta não pode alegar que desconhece a luta de classes porque se perguntar à Doutora avençada Ana Paula Milho ela pode informá-la porque.....também terá de ir ao Tribunal de Trabalho

 

314/12.7TTABT
Juízo Único
Ação Impugnação Jud.Regul.e Licitude do Despedimento

Autor Sofia Alexandra Lopes Gomes 
Réu Ana Paula Milho

Julgamento ou Audiência final

31-01-2013 10:00

 

 

O novo ano judicial promete.....

 

A malta comentará a história.....

 

 

Miguel Abrantes

 



publicado por porabrantes às 21:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19.12.12

 

 

O Mirante

 

Uma das funções das Assembleias (como a Municipal de Abrantes) é a de fiscalizar as actividades do Executivo. Os deputados, representantes do povo, existem para isso. Infelizmente existem deputados/as com vocação de yes-man. Não é o caso e por isso está de parabéns a deputada municipal do ICA dr.ª Sónia Onofre que confrontou a Presidenta com as múltiplas dúvidas existentes sobre o negócio da cedência do terreno das piscinas velhas e jardim adjacente por tuta e meia a um grupo de ''investidores'' de contornos pouco claros.

 

Sónia Onofre salientou as informações disponibilizadas pelas redes sociais (ou seja fundamentalmente por este blogue) e pela Imprensa (que seguiu a via aberta por ''Cidadãos por Abrantes'') criam muitas dúvidas sobre este negócio.

 

Confrontada com estas questões Maria do Céu foi incapaz de afastar as dúvidas levantadas por Sónia Onofre, afirmando ''desconhecer' tais problemas.

 

É caso para perguntar para que tem a Presidenta uma assessora de Imprensa, a Fernanda Mendes.?

 

Uma assessora escolhida por razões de conveniência política como salientou Carlos Arês em 22-8-2011.

 

''O Vereador Carlos Arês absteve-se por, apesar da pessoa em causa estar contratada como jornalista, desempenha funções de informação e divulgação da actividade municipal, por isso a sua nomeação ser de carácter mais político, no sentido de uma escolha de confiança pessoal. À
semelhança de um assessor ou secretário.''

 

 

A questão dos terrenos do Hotel foi objecto de deliberação que analisaremos quando tivermos acesso à acta da Assembleia Municipal.

 

 

 

 

Agora só queremos realçar o papel de deputada capaz de defender os interesses do Concelho de Sónia Onofre, a incapacidade da Presidenta em lhe responder e ainda o papel cada vez mais primordial das redes sociais no debate político.

 

 

Um papel que traça cada vez mais a certidão de óbito da lei da rolha.

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 13:32 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26.11.12

Funcionários do Tribunal de Trabalho acompanhados por representantes da credora, um trabalhadora injustamente despedida, segundo reconheceu a Administração do Hotel irromperam nas instalações do Hotel, no dia 23,  para penhorar bens para garantir o pagamento duma indemnização a que desde Julho, Carlos Marques, Presidente  do Conselho de Administração daquela unidade hoteleira se furtava ao pagamento aparentemente com notória má-fé.

 

Porque entretanto acordara com a  ''socialista'' Maria do Céu Albuquerque a ''compra'' de parte dos jardins do Hotel e das piscinas velhas para aumentar um edifício que não pertence à sociedade....

 

Tal e qual como se eu negociasse com a CMA a compra duma faixa de terreno para aumentar a vivenda onde sou inquilino sem conhecimento do proprietário....

 

Porque entretanto aparecera em público com a dita  ''socialista'' Maria do Céu Albuquerque   para comunicar ao ''povo'' que ia aumentar o Hotel e apresentar os ''esquissos'' do novo projecto que seria do Arq.Gonçalo Byrne, que pratica preços da primeira divisão,

 

 cma

 

 

Ora, quem tem dinheiro para contratar Gonçalo Byrne, tem dinheiro para  pagar as dívidas.

 

 

E confrontando com os oficiais de diligências o Marques não tinha dinheiro para pagar uns escassos milhares de euros.

 

 

Tentou esquivar-se ao arrolamento dos bens, esgrimindo a tese (falsa) que a mobília do Hotel era do Fundo Turístico que é proprietário do imóvel, coisa que o obrigou a confirmar que negociara com a Presidenta em nome de terceiros e sem que estes disso tivessem conhecimento, como apurámos.

 

 

Propôs que a penhora incidisse sobre o parque de estacionamento do Hotel.

 

A malta está a flipar ainda, aquilo vai à praça, um credor arremata-o e passa a proibir que os clientes estacionem em frente daquilo que já é conhecido na gíria turística abrantina por

 

 

PENSÃO MARIA DO CÉU...

 

 

Tentou que penhorassem algum ferro-velho.....

 

Foi apurado que as contas bancárias do Hotel no BPI com um saldo de 1.800 € e outra no BES com um saldo algo superior estavam penhoradas por dívidas à Segurança Social....

 

 

O Carlos Marques não faz o que é um dos deveres essenciais dum empresário, descontar dentro do prazo adequado, para a Segurança Social, sujeitando uma empresa ,que foi de referência, ao enxovalho na praça pública.

 

A Presidenta premeia com favores políticos negociantes com dívidas à Segurança Social, promovendo o prémo político a quem desfalca as pensões dos trabalhadores.....

 

Apurou-se que há salários em atraso e dívidas a trabalhadores.....

 

 

 

Vários bens foram penhorados e serão retirados do Hotel pela autoridade policial numa próxima diligência .

 carlos marques 2.JPG

 

 cma ''tratado'' por Suzy de Noronha

 

 

Finalmente a gazeta gratuita cobriu a coisa, esperamos ansiosos a ''notícia''

 

E ainda ''last but not least'' o Sr. Dr. Armando Fernandes fez outro dia uma crítica de cozinha gabando os petiscos e a pinga do Marques. Esperamos que quandoda próxima crítica tenha cadeira para se sentar e guardanapo de pano para pendurar ao pescoço.....

O combate ao caloteirismo por parte dos credores podem fazer desaparecer essas coisas no Hotel de Abrantes.......

 

 

Miguel Abrantes 



publicado por porabrantes às 11:54 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.11.12

 

 

 


TUBUCCI assoc.defesa património região ABRANTES

Recheio do Hotel Turismo de Abrantes foi penhorado hoje para pagar dívidas a trabalhador. Contas bancárias da Sociedade do Hotel Turismo de Abrantes, SA já estavam penhoradas pela Segurança Social. Oficiais de diligências do Tribunal de Trabalho de Abrantes irromperam esta tarde pelo Hotel Turismo perante a desorientação do P. do C.Administração e alter ego do negócio das piscinas de Maria do Céu Albuquerque para arrolar os bens a nomear à penhora pelo credor.
É para nós lamentável que a sala de visitas da Cidade chega a esta situação, herança das gestões do Paredes Alves (filho) e do Carlos Marques.
É para nós inaceitável a ''venda'' dum terreno que vale 700.000 € por 6.000€ (números arredondados) a uma empresa nesta situação.

 

 

 

A Direcção da Tubucci

 

                 

 

 Maria do Céu 

 

Nota de Cidadãos por Abrantes

Acompanharemos o evoluir desta situação e as suas consequências ao longo desta semana. Lá para segunda-feira contaremos esta história com mais pormenores, dado que temos bastantes elementos. A operação de arrolamento dos bens foi acompanhada por uma jovem jornalista do boletim do Jana. Estamos curiosos por ver como a edição de Dezembro da folha conta a história.... 

 

 

MA



publicado por porabrantes às 23:55 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Será isto forma de gerir?...

Hotel Turismo, continua a...

a última batalha do Hotel...

Em Abrantes, já nem o Hot...

Recheio da pensão Maria d...

A Senhora de Pilatos, no ...

A morte do Hotel Turismo

Os credores do empresário...

Milagre de Natal (2)

Era uma vez um hotel

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds