Segunda-feira, 29.02.16

bloco barreiras 28-2-16.jpg

 

bloco torre 28-2-16.jpg

 Fotos do Bloco de Esquerda com a devida vénia.

A pobre fonte de S.António nas Barreiras continua lixada há anos, mas muito menos que o lixado Tejo por quem luta este punhado de abrantinos.

Um conhecido empata pegacho impediu na Assembleia Municipal a aprovaçao duma moção da CDU que condenava o travessão.

a redacção 



publicado por porabrantes às 08:10 | link do post | comentar

Domingo, 14.02.16

Recebemos este comentário que publicamos

 

 

PS do Montijo critica PS do Médio Tejo

A PEGOP FALOU E ACHA QUE DEVE DAR ESCLARECIMENTOS A TODOS NÓS. AINDA BEM, MAS DEVERIAM TER PENSADO NISSO ANTES CORTAREM O RIO TEJO. Porquê esta tentativa de esclarecimentos agora em Fevereiro 2016? Respondo: tentar condicionar uma possível nova decisão ... A PEGOP FALOU E ACHA QUE DEVE DAR ESCLARECIMENTOS A TODOS NÓS. AINDA BEM, MAS DEVERIAM TER PENSADO NISSO ANTES CORTAREM O RIO TEJO. Porquê esta tentativa de esclarecimentos agora em Fevereiro 2016? Respondo: tentar condicionar uma possível nova decisão por parte da APA! Óbvio!Só para dizer que nestes longos comentários (neste jornal do Ribatejo) existem aqui diversas inverdades e a saber:1 - Os dados que nós ambientalistas e populações a montante desta Central, temos, dizem o contrário, ou seja, que pelo menos 200 dias por ano não existe caudal mínimo, logo na tal passagem que foi aberta, não é possível passar peixes e muito menos embarcações.2 - As imagens divulgadas pela Pegop são as que lhes interessam e obviamente muito "favoráveis", ou seja como digo no ponto anterior, na maior parte do ano não há corrente, logo mostrar imagens com o rio cheio é pura manobra de intoxicação da opinião pública. Aqui no alto Tejo dizemos que o Rio está parado. 3 - Mesmo que nesses restantes 160 dias, admitindo que houvesse água, a questão manter-se-ia: como é que a conectividade do rio se efectuaria nos outros 200 dias restantes? Passaria a haver um calendário para os peixes e pescadores! Hoje não sobes e amanhã talvez!4 - Se tivesse sido feito o tal estudo de impacto ambiental e as comunidades consultadas este assunto poderia e deveria ter um outro desfecho. As populações foram marginalizadas o que não aceitamos. É mentira o que está escrito nestas explicações da Pegop quando diz que as populações nunca reclamaram!. Isso já foi escrito aqui diversas vezes e existem provas e testemunhos. de que não é verdade. Esquecem-se, até, de que já naquela altura as autoridades também tiveram de intervir.5 - Não aceitamos que a Pegop utilize o Rio como se fosse seu, e além de que devem ser respeitadas as diversas Directivas Comunitárias entretanto saídas a partir de 2005 e adaptadas ao Direito Português.6 - Não aceitamos que a " ÚNICA" solução técnica de engenharia (para aumentar o volume de água disponível), seja somente esta, pois óbviamente que não o é! A solução conhecida de todos e até do LNEC, é o afundamento do rio e a cubicagem do afundamento será o correspondente à necessidade da água. Esta solução do dique/muro/mamarracho pode ser a mais barata, mas está longe de ser a mais aconselhável em termos ambientais. Desde quando o corte transversal dum rio é uma solução equilibrada para o ambiente?7 - Se alguém errou não fomos nós, ambientalistas, ou populações, e agora só vemos uma solução: TODAS AQUELAS PEDRAS DEVEM SER RETIRADAS, aceitando nós que talvez fiquem a reforçar as margens. Mesmo assim será assunto a discutir pois há demasiada pedra.8 - A nossa Associação SOS-rio tejo comunicou todas estas questões e incluindo o não respeito por diversas leis, à APA e a todos os grupos parlamentares.9 - Por mim, também confirmo algumas das palavras escritas nestas explicações da Pgop: ou seja, se as populações agora já estão mais sensibilizadas, isso significa que efectivamente há uma mudança de paradigma ambiental. Acresce a isso o facto de o Tejo não ser pertença de nenhuma fábrica, empresa, governo,ou autarquia. Houve manifesta marginalização da vontade das gentes ribeirinhas dado a ausência de estudos de IA. A acrescentar a isso tudo as leis deste ainda Estado de Direito, estão do nosso lado-das populações- dado sermos os herdeiros naturais deste Rio Tejo. A empresa que gere a central vai ter de se consciencializar de que nunca houve nenhuma privatização do rio Tejo, e muito antes desta empresa existir, já nós populações existíamos e temos o direito à vida e a vivermos do rio, para o rio e com o rio e da forma que o entendermos e não da forma que a Pegop quer condicionar e impor como facto consumado.http://www.oribatejo.pt/2016/02/11/central-do-pego-explica-o-polemico-travessao-no-rio-tejo-videos-e-fotos/

de Mattos Sébastien



publicado por porabrantes às 21:06 | link do post | comentar

Terça-feira, 09.02.16

O deputado do Parlamento Europeu, José Inácio Faria (MPT-Partido da Terra)

 questionou  através duma pergunta escrita à Comissão Europeia a legalidade do famigerado travessão da Pegop

 

josé inácio faria.jpg

''Assunto:  Construção abusiva de dique no Rio Tejo  

O rio Tejo é o rio mais extenso da Península Ibérica e, ao longo do seu curso, atravessa áreas naturais protegidas e ecossistemas específicos da região mediterrânica. Abastece de água potável núcleos urbanos e sustenta atividades económicas como a agricultura, a pesca, o turismo ou a geração hidroelétrica, servindo ainda na refrigeração de duas centrais nucleares em Espanha e duas centrais térmicas, uma delas em Pego, Abrantes, Portugal.

No entanto, o Tejo tem vindo a ser alvo de uma pressão ambiental e hidrológica crescente, por contaminação radiológica, pela rejeição de águas residuais urbanas e industriais e pelo transvase do seu caudal para outra bacia.

A estas, junta-se agora a construção abusiva de um dique, em Abrantes, transversal a todo o rio, impedindo a travessia por peixes e pequenas embarcações e visando alimentar o sistema de refrigeração da central térmica do Pego.

Pode a Comissão assegurar que a construção deste dique foi devidamente licenciada pela entidade nacional responsável no respeito pelas normas ambientais nacional e europeia?

Foram efetuados estudos de impacto ambiental em consonância com o regime hidrológico do Tejo?

Pode a Comissão assegurar a necessária proclividade e acompanhamento futuro desta situação por parte da Agência Portuguesa do Ambiente?''

 

ler aqui a pergunta

central pegop 3.jpg

 Aguardamos a resposta.

 

O escândalo da Pegop ganha dimensões internacionais, depois de ter enchido as manchetes e os  ecrãs nacionais e de ter chegado ao Parlamento luso.

 

ma

fotos: Parlamento Europeu, SOS Tejo



publicado por porabrantes às 11:30 | link do post | comentar

Terça-feira, 26.01.16

 

 

O Senhor Presidente da APA reconhece problemas de poluição nos Carochos (da Abrantaqua), em Constância, e também reconheceu que o travessão (Pegop) não estava a ser construído segundo o licenciamento

 

presidente da apa.png

 

Na última reunião da CMA, segundo o relato do Mário Rui Fonseca

valamatos 19-1-2015.png

O Presidente da APA desmente o Sr.Vereador e estranha-se que o edil venha assumir a defesa duma benta empresa privada

 

Quanto a atirar a culpa prás redes sociais, atire-a antes aos da Abrantaqua, da Endesa etc

carochos.jpg

 

mn

 

devida vénia ao Canal Parlamento e ao Médio Tejo Digital e naturalmente ao Artur Falcão, o fotógrafo da nossa Abrantes

 



publicado por porabrantes às 23:39 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Os deputados servem para defender os seus eleitores. Carlos Matias age em nossa defesa. Escrevam-lhe. Queixem-se.

Em resposta a um eleitor indignado pelo travessão da Pegop, Matias respondeu assim:

carlos matias.png

 

central pegop 3.jpg

Podem os agentes das multinacionais mentir na praça pública, mas é preciso desmascará-los.

ma



publicado por porabrantes às 16:35 | link do post | comentar

Sábado, 23.01.16

O Vereador do Bloco, Luís Gomes, denunciou, com firmeza,a poluição do Tejo e referiu dois casos gravíssimos no nosso concelho.

Luis_Gomes-400x374.jpg

 

 

(..) “As barreiras artificiais, como o açude insuflável de Abrantes e o “travessão” do Pego, ao serem autorizadas, revelam que as entidades oficiais responsáveis não se pautam pela defesa da biodiversidade do rio e dos seus afluentes. Nem tão pouco se importam com a destruição das actividades tradicionais que eram o sustento de dezenas e dezenas de famílias. São as populações e as diversas associações ambientais existentes no contexto regional quem tem alertado e denunciado o que se está a passar, substituindo-se à ineficaz Administração Pública Central, Regional e Local”, afiançou o vereador bloquista.(.....)

central pegop 3.jpg

 

 As declarações foram feitas na reunião da CM de Salvaterra de Magos em meados de Janeiro.

O cacique local, o Isménio, abanou os ombros face à denúncia. O Vereador do BE frisou ainda o caso mais grave: a poluente Celtejo,da Altri, em Rodao.

ma

declarações  citadas a partir do artigo do jornalista José Peixe no Jornal Tornado

Leia-o aqui

foto do edil: dito jornal tudo com a nossa vénia

 

 

 



publicado por porabrantes às 13:25 | link do post | comentar

Quinta-feira, 07.01.16

cdu antónio filipe.jpg

central pegop 3.jpg

Requerimento do Deputado do PCP, Doutor António Filipe sobre o famigerado travessão pegacho.

mn

créditos cdu abrantes



publicado por porabrantes às 18:04 | link do post | comentar

Domingo, 27.12.15
Dentro do seu espírito de mecenato, a prestigiada empresa Pegop atribuiu um subsídio de 100 € à Junta de Freguesia de Santa Margarida  da Coutada, no 2º semestre de 2014. Dentro do ranking dos mecenas desta ridente freguesia a Pegop é a 2ª  empresa mais generosa, dado que a CAIMA deu 750!

central pegop 3.jpg

 

Isto é o compúto dos apoios monetários, porque houve outros apoios em espécie:

 

santa margarida.png

margarida.png

Fonte: Boletim da Junta de S.Margarida

 

Quanto é que deu

 

à  Junta do Pego?

 

Não se sabe, a Junta do Pego ainda não descobriu a internet.

 

Estamos certos que não será por ter recebido esta generosa doação dos benfeitores hispano-britânicos, que  a autarquia local se absterá de condenar o travessão no Tejo.

 

Digo isto porque a Junta PC das Mouriscas ainda está a pensar o que vai fazer, segundo revelaram na última Assembleia de Freguesia.

 

Também terá recebido 100 euros e estarão muito agradecidos?????

 

Isto parece a conversa dum gajo da Intersindical que me dizia, em 1975, a malta não pode fazer greves em certa fábrica de azeite de Alferrarede porque o ''fascista'' nos paga uma mensalidade.

Proletários, mas agradecidos.

 

ma

 

 

 



publicado por porabrantes às 15:43 | link do post | comentar

A Quercus teve conhecimento na passada sexta-feira, 11 de Dezembro, da construção de um aterro - travessão no rio Tejo, a jusante da Central Termoeléctrica do Pego, no concelho de Abrantes, estando a acompanhar a situação.
 
Em visita ao local, a Quercus apurou que existia uma antiga estrutura de dimensões muito inferiores, que serviria para auxiliar a captação de água por parte da central termoeléctrica, e que actualmente se encontrava submersa. Na obra agora em execução, promovida pela empresa PEGOP, alegadamente tem como objetivo a requalificação do travessão, verificando-se que o mesmo está a ser construído numa cota muito acima do nível da água constituindo um claro obstáculo à navegação e à passagem de peixes, para além de afetar negativamente a paisagem deste troço do rio Tejo. Também quando ocorrerem cheias, as pedras de grandes dimensões podem ser arrastadas pela corrente para jusante, obstruindo o leito do rio, com as consequências que daí podem advir.
 
O rio Tejo, que ao longo dos últimos meses foi palco de vários problemas de poluição e caudais muito abaixo do desejável, vê agora construída mais uma barreira que só contribui para o agravamento das condições do meio hídrico com impates significativos ao nível da conetividade fluvial, dificultando a circulação das populações de peixes, quer de espécies migradoras quer de outras espécies que percorrem distâncias mais curtas ao longo do rio e que já se encontram em risco, em grande medida, devido à existência de obstáculos, como barragens e açudes, que interrompem a sua migração ou normal circulação.
 
A Quercus confirma que no local, não existe nenhum aviso de licenciamento da Agência Portuguesa do Ambiente para esta obra. Apenas uma placa do promotor PEGOP – Energia Eléctrica, S.A., que assegura a exploração da Central Termoeléctrica do Pego, a carvão, referindo “Reabilitação do Travessão do Rio Tejo”, com a Consignação da Obra a 8 de Setembro de 2015, com prazo de execução de 2 meses.
 

Aterro_travessão.JPG

 

Neste sentido, dada a gravidade da situação, a Quercus já solicitou a pronta intervenção do Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente da GNR para averiguar a legalidade da construção, tendo elaborado também um pedido de esclarecimento à Agência Portuguesa do Ambiente acerca do licenciamento da obra em domínio público hídrico e da existência de uma correcta avaliação dos impactos ambientais que lhe estão associados.
 
A Quercus está a aguardar por esclarecimentos oficiais das entidades e exige que seja efectuada uma avaliação ambiental, no sentido de que seja reposta a situação anterior para evitar a consolidação de mais uma barreira que impede a circulação das populações de peixes no rio Tejo.
 
Lisboa, 15 de Dezembro de 2015
 
A Direção Nacional da Quercus – ANCN
 


publicado por porabrantes às 13:21 | link do post | comentar

Petição de remoção da barreira no rio Tejo

Para: Sr Presidente da república

E tempo de dizer basta a obras ridículas e de exigir imediatamente a remoção da barreira que impede a fauna e impede que as espécies de peixes possam circular livremente no Tejo.
 
 
Assine aqui a petição



 

 

 

 

Apoiamos, com toda a firmeza, a petição para libertar o rio Tejo do Travessão.

 

Apoiamos a defesa do ecossistema contra a poluição e a privatização do rio.

 

Vamos dar uma lição aos da PEGOP e aos políticos que os servem!

 

Pedimos aos amigos de S. Domingos que assinem esta petição.

 

central pegop 3.jpg

a redacção



publicado por porabrantes às 09:08 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Sempre a aprender

Ministro do Ambiente copi...

Açude continua ilegal

Eleito PS denuncia traves...

Visto numa parede do Pego

Mudanças pegachas

Jogos florais

Março, Marçagão rima com ...

Cacique reconhece ilegali...

Como a Pegop violou a lic...

arquivos

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds