Domingo, 26.10.14

mário semedo acb.jpg

 Ao Mário Semedo, que foi processado por utilizar o adjectivo ''siciliano'' em referência ao silêncio que havia sobre o projecto do arq. Carrilho da Graça para São Domingos.

Foto do Arq. Doutor António Castel-Branco (Abrançalha)

 

Quem conhece a cidade de Catânia, na parte menos mafiosa da ilha, sabe que quando há erupções no Etna, o síndico e o Bispo sacam as relíquias da Santa (incluindo as virginais mamas)  e metem-nas na trajectória que a lava ameaça percorrer. Por milagre multissecular a lava pára.

As mamas de Santa Águeda que lhe foram cortadas pelos romanos também deram possibilidade a múltiplos pintores de fugirem aos rigores da censura eclesiástica, obtendo assim licenciosa licença para pintarem o corpo nu da siciliana.

640px-Parmigianino,_Sant'agata_e_il_carnefice.jpg

 Wikipedia

   Como se nota neste notável fresco de Parmigiano, em Parma.

Santa Águeda tem uma capela no Maxial que a Ana Paredes Cardoso descreve assim

maxial.png

 A forma como está redigido o texto dá ideia que o São Pedro (morto uns 200 anos antes) foi ver a Virgem Águeda à cadeia. Como a Drª Paredes Cardoso sabe o que a hagiografia conta foi que a virginal e mutilada Águeda teve uma visão do primeiro Papa e lá se curou. Não sabemos se o Pedro lhe disse algum piropo ao busto, do género daqueles que o Cardeal Tisserant dirigia à Madre Pasqualina, que governava o Vaticano com mão de ferro no tempo de Pio XII, ao ponto de lhe chamarem a Papisa.

Virgo potens- poderia ter dito o Santo.

A forma de redacção da Drª Paredes Cardoso é muito peculiar e isso leva a bastantes confusões que se detectam nos vários folhetos que fez sobre o Norte do Concelho. No texto citado diz que o dia da morte da Santa foi ''sinalizado com um cataclismo natural, símbolo da injustiça a que fora sujeita''.

Quer dizer a Drª Paredes Cardoso que Deus mandou o Etna arrasar a cidade para castigar o sádico romano????

Deus, que estava numa de Júpiter, ''sinalizou'' o evento com explosões de lava????

Será isso???

Se a Drª Paredes Cardoso tem dificuldades de redacção faça favor de arranjar um revisor que a ajude, mas não chame o Gaspar que a coisa pode sair pior. 

Finalmente a Drª Paredes Cardoso, que foi muito bem paga por este projecto, onde ultrapassou largamente o prazo que lhe fora concedido para o fazer, deve ter muito cuidado com as fontes que usa.

É fiável usar o Moisés Espírito Santo, um curioso académico que chegou a sustentar que a população indígena da Lusitânia falava hebraico antes de chegarem os civilizadores romanos???

moisés.jpg

Entrevista de Inês Pedrosa ao Moisés. E.S. no livro Anos Luz

 Esta sebastianista que acha que não houve Lusitanos, quando a Lusitânia está cheia de inscrições sepulcrais deles?

A Drª Paredes Cardoso também cita o Eduardo Campos e o Doutor Candeias que terão dito:

água.png

 Ora este  bairrismo lealista é ridículo e infundado porque logo perto de Santarém há outra povoação com esse nome e não vou conferir se há mais. 

Deve ainda avisar-se a Drª Paredes Cardoso que tem que ter cuidado com o que diz, porque sendo profissional da área da história, atribuiu noutra publicação a autoria da Biblioteca António Botto ao nosso querido amigo Arquitecto Doutor António Castel-Branco, quando é do Pai dele.

E à porta do Convento está lá uma placa a dizer isso.

Ainda bem que não disse que era o António, o autor da famigerada torre do MIAA, porque poderia ser processada civelmente por danos criados na imagem do grande Académico abrantino e incansável militante anti-carrilhista, agora de novo no activo.

Para finalizar esta recensão felicita-se a autora por citar o maior Historiador do ranking do Norte do Concelho (o Sr.Traquina), mas deve ser criticada a ausência de citações do Autor da ''História do Souto'', dr. João Pico.

mn  

   

   



publicado por porabrantes às 18:53 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Sexta-feira, 23.05.14

  

 

 

 

Há muito tempo o Candeias Silva e o Prof. Doutor Encarnação deram a leitura acima reproduzida desta lápide das Mouriscas.

 

 A história é ''work in progress'' e o Prof. Encarnação colocou  há pouco tempo em causa  esta leitura num livro indispensável.

 

 

 

Voltou a dialogar com a lápide e diz....

 

 

 

 

 

O que o Professor Encarnação sugere é que o romano das Mouriscas poderia ser um ''S.P. f'' ou seja um bastardo, o primeiro registado oficialmente no concelho, e para ser erudito vai o latinzinho..........

 

 

Mas um ''S.P. f'' não assumido porque quando morreu, a mãe não quis que o Decumus figurasse prá posteridade como ''filho da puta'' ad aeternum......

 

Recomenda-se a leitura deste grande livro.....

 

 http://books.google.es/books?id=cpV1RXC3QMgC&pg=PT92&dq=mouriscas+encarna%C3%A7%C3%A3o&hl=es&sa=X&ei=01B-U5nLEoyc0wXVuIGYAQ&ved=0CDgQuwUwAA#v=onepage&q=mouriscas%20encarna%C3%A7%C3%A3o&f=false

MN'

 

 

créditos: livro citado do Prof. Encarnação e artigo deste Autor e de J.Candeias Silva, nos Cadernos para a História do Município.... 

 



publicado por porabrantes às 12:53 | link do post | comentar

Domingo, 04.05.14

Texto:

 

 

 

Talt[ic]us / Arconis / f(ilius) / h(ic) s(itus) e(st) s(it) t(ibi) t(erra) l(evis)

 

 

 

 

 

 

 

 

Local de achamento: Mouriscas

 

Tipo: Epitáfio / sepulcral

 

Bibliografia: AE 1988, 693 = HEp 2, 1990, 835 = HEp 3, 1993, 488 = FE 110    

 

ou seja entre outras coisas o Ficheiro Epigrápico da Universidade de Coimbra, onde Candeias da Silva a descreveu :

 

FICHEIRO EPIGRÁFICO 24 - 1988 (Suplemento de Conimbriga)

108 - Inscrição funerária de Soure

         Artur Corte Real

109 - Placa funerária achada em Condeixa-aVelha

         Ana Maria Gonçalves

110 - Mais uma inscrição de Mouriscas, Abrantes

          J. Candeias da Silva

111 - Fragmento de cupa epigrafado

          Maria Miguel Lucas

112 - Estela funerária romana procedente de San Martín del Castañar, Salamanca

          Miguel Figuerola

 

(ver aqui)

 

e leu: "Aqui jaz Táltico, filho de Arcão. Seja-te leve a terra!"

 

A placa foi encontrada em 2 bocados aquando da demolição da Igreja velha e os autores da Carta Arqueológica de Abrantes ( Álvaro Batista, Filomena Gaspar e o Candeias) sustentam que poderia ser proveniente duma estação romana chamada ''Aldeias'' e salientam que uns beneméritos da Acatim plantaram ''recentemente'' um centro da terceira idade mesmo em cima da estação romana, deixando o terreno irreconhecível ou seja dando cabo de quaisquer escavações possíveis. Bonito serviço!    

 

 

 (foto motg.no.sapo.pt)

O  Centro de idosos plantado em cima da estação romana que deu mais lápides ao concelho.

 

Quando é que construíram o centro em cima da estação? O grande blogue das Mouriscas : Terra Gente, Terra Nossa dá todos os pormenores :o centro ( 1ª fase) começou a construir-se em 1991 e terminou em 1995. Quem era o Presidente da CMA que permitiu a barbaridade?

Seria das Mouriscas? Era !

(foto motg.no.sapo.pt)

 

Era o Dr.Humberto Lopes que foi Presidente da CMA de 1989-1994. Quem era a Vereadora da Cultura?

 

Anabela Matias .

 

Retiro os dados biográficos do ex-Presidente do blogue citado, onde também nos informam que foi Presidente da Junta local e Vereador da Cultura com o Zé Bioucas. Portanto conhecia o terreno e tinha obrigação de não deixar construir o centro de idosos em cima duma presumível estação romana.

Mandou ao menos a Vereadora Anabela Matias fazer sondagens no terreno para saber se havia algo a preservar????

 

Era uma coisa importante para saber, porque estavam informados da importância do local, porque graças ao Álvaro Batista, coadjuvado pelo Joaquim Candeias, tinha entrado na CMA isto:

 

  

 

 

que era a candidatura do Batista e do Candeias a um Prémio local de História e onde estão perfeitamente descritas as estações das Mouriscas, incluindo as Aldeias.

 

 

Não tinha a edilidade desculpa (depois de avisada) para não ter mandado fazer pelo menos uma escavação de emergência....aliás como já aqui se disse a estação arqueológica era conhecida desde o século XIX

 

 

 

Dei-me ao trabalho de procurar nas bases de dados públicas e lá não está nada registado sobre escavações nas Aldeias. Se foram feitas, agradeço informação.

 

Porque aparentemente, como dizem os autores da Carta Arqueológica cá da terra, (...) ''No local foi recentemente construído um Centro Social para a Terceira Idade, denominado ACATIM, alterando por completo a paisagem originária.''(...) se havia vestígios, deram cabo deles. E isso é uma coisa imperdoável, se foi assim.....

 

Finalmente duas coisas, apurei que a inscrição esteve no falecido Museu local, que era da Junta. Não me digam que está encaixotada numa escola meio abandonada, pelo menos há uma década!

 

Bonito serviço!

 

Naturalmente a culpa é da CDU que governa a freguesia há uma década e não quero acreditar que a cederam a uma ''associação particular''....

 

E para terminar, o post do blogue das Mouriscas dá-nos uma exaustiva biografia do dr. Lopes, datada de 2013, salientando que desempenha os seus cargos de benemérito e à borla, e ainda que é o associado nº 1 da Associação bombeiral.

 

Já que estou a contribuir para a preservação do património local, vai mais achega para a biografia do sr. dr. Lopes: retirado do Livro -Distrito do Uíge, Elementos de Informação, Governo do Distrito do Uíge, 1972 - 535 páginas-, : '' Dr. Humberto Pires Lopes, — Director da Escola Preparatória, Dr.Humberto Pires Lopes, — Reitor do Liceu Nacional Salazar, ''.....Podem actualizar o CV

 

MA   

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 17:39 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.09.13

 

 

O sr. Oliveira Vieira  do Coisas de Abrantes e do Jornal de Alferrarede, é um homem muito elogiado pelo Doutor Candeias Silva, figura como se sabe politicamente ligada ao PS de Abrantes, partido pelo qual chegou a ser candidato a algum cargo.

 

Jornal de Alferrarede

 

Aqui o vemos no lançamento da Carta Arqueológica de Abrantes junto aos seus colegas Álvaro Baptista (pai da Carta), Filomena Gaspar,  de que foi co-autor (1), numa foto naturalmente divulgada pelo PS de Abrantes

  

A oradora é a chefa.

 

Candeias Silva foi candidato PS a Vereador em 2005.E como colega nas listas teve

 

 

 

que era candidato também suplente à Assembleia Municipal. O Bento aparece designado nas listas como Engenheiro, deve ser o síndroma Sócrates, porque ele só era engenheiro técnico como o  da Covilhã. Acho que o Doutor Candeias conhecido pelo seu rigor histórico devia ter corrigido esta publicação, mas esqueceu-se.

 

Porém voltando ao que tratamos os elogios ao Sr.Oliveira Vieira são merecidos, como vamos ver.

 

Em 2008 o sr.Oliveira Vieira publicou este post, donde retiramos as fotos com a devida vénia, alertando que o dr.Francisco Lopes, à época responsável do Arquivo Eduardo Campos e da Biblioteca o tinha avisado para a importância patrimonial deste relógio de sol sito na  fatídica Rua D.Miguel de Almeida

 

 

Coisas de Abrantes

 

 

 

O relógio estava no imóvel da antiga Pensão Santos

 

Coisas de Abrantes

 

 Se o Dr.Francisco Lopes alertou o Sr.Oliveira Vieira  terá também alertado os serviços urbanísticos e culturais da CMA, porque é funcionário da dita com importantes responsabilidades na época no campo cultural.

 

Além do mais a CMA teria de saber que estava lá o relógio, porque o edifício ainda está na área de protecção ao imóvel dos velhos Paços do Concelho, na Raimundo Soares, classificado como Imóvel de Interesse Público.  

 

Que fez a CMA para proteger o relógio????

 

Foto Armindo Silveira

 

Isto é a cratera que substitui o edifício da Pensão Santos. Antes da derrocada do edifício que dizem pertencer a um notabilíssimo boticário abrantino e da aparente demolição  forçada de quase todo este quarteirão houve a preocupação de salvar o relógio?????

 

Onde é que ele está  ????

 

Em mãos privadas, num armazém da CMA ou foi pró lixo?????

 

A negligência camarária não tem perdão.

 

Sabiam que havia lá um relógio de sol quase único na cidade (há outro não vou dizer onde, por causa das moscas)  desde 2008, as fachadas do século XVIII e XIX eram importantes e estavam em zona protegida, estavam avisados pela Imprensa (A Barca), por uma Associação de Defesa do Património, por particulares, designadamente através da queixa PG 16069/2012:90724 do Sr. César Tiago Estevão Fidalgo e deixaram produzir-se isto

 

Podia-se ter salvo a fachada do edifício ????? 

 

Claro que sim.

 

Fica isto por aqui????

 

Claro que não.

 

A propósito quem é o dono do nº 42 da R.D.Miguel de Almeida?

 

O dono é o PCP e o edifício tem o nº de matriz 42 704 701, da freguesia de São Vicente.

 

Sendo a sede dum partido de Oposição tão perto da cratera e das obras ilegais, não deu por nada o deputado municipal do PCP?????

 

O barulho das obras não perturbaria a leitura do Avante ou a escuta da cassete do Cunhal....decerto...

 

a redacção

 

(1) Sobre a carta arqueológica publicaremos uma coisa divertida um dia destes, com dedicatória ao Álvaro Baptista que ainda não era licenciado à data do documento que nos chegou às mãos. 



publicado por porabrantes às 10:27 | link do post | comentar

Sábado, 09.02.13

Um leitor enviou este reparo ao post  Um Reparo ao Doutor Candeias

 
 
 
Não me admira nada que o Doutor Candeias se tenha esquecido do único descendente de Diogo Oleiro que vive em Abrantes.
Afinal não foi ele que indicou o escultor Charters de Almeida como representante dos ALMEIDAS, esquecendo-se dos cento e tal descendentes dos Almeidas (com o mesmo grau de parentesco do tal Charters) que vivem em Abrantes. O homem quando soube ficou tão enfiado que obrigou o pobre Gaspar a censurar um artigo do dr. José Carreiras que estava para sair na Zahara e que lembrava isso mesmo. Pelo menos foi o que andou a espalhar o Gaspar que dizia que o coronel do lápis azul não era ele mas o Candeias.

 

Um leitor da Zahara 

 

Caro amigo:

 

Acontece então que alegadamente este senhor 

 

 

o bravo Dr. Martinho Gaspar, Director da revista subsidiada Zahara, espalhou que havia um coronel que tinha um lápis azul. O Gaspar é um benemérito e um ficcionista premiado, além de ser primo e conterrâneo do Sr.Dr.Pico que é licenciado em política rural. Com efeito o Gaspar ganhou o prémio de ficção de Vila de Rei, terra do autor do Dinossauro Excelentíssimo, aquele grande copo que era o Zé Cardoso Pires ( passava as madrugadas ingerindo uísques com o António Lobo Antunes e com o Melo Antunes) e da arguida Barata que está pior que uma barata porque a levaram aos tribunais....

Pode ser ficção..... porque o Gaspar é ficcionista. Mas em todas as ficções há um fundo de verdade. Poderá ter havido  censura mas pode acontecer que o censor seja só um sargento....

 

 

Diz o leitor que o Doutor Candeias sustentou, sábio e heráldico, que o escultor Charters de Almeida, premiado por algum pingue ajuste directo desta Câmara, era o representante dos Almeidas.

 

Ora, diz ainda o leitor que há 120 nobres descendentes dos condes e depois marqueses de Abrantes, nesta cidade, que pelos vistos é frondosa não só em ajustes directos mas também em descendentes de feudais.

 

Acontece que DJoão Charters de Almeida e Silva, 3º Conde de Oliveira dos Arcos e 4º Conde da Bahía já tinha suficientes títulos para dispensar que o Doutor Candeias o premiasse com a representação oficial da Casa de Abrantes que anda no Zé Abrantes.

 

E acontece ainda que indo à bibliografia especializada se verifica que  o seu pai D.  José Fernando Pais da Graça de Almeida e Silva, 3.º Conde da Baía e 2.º Conde de Oliveira dos Arcos, só foi Conde de Oliveira dos Arcos porque alegadamente a sua prima a Senhora Dona Maria da Nazaré de Almeida e Silva lhe cedeu os direitos feudais, sendo tal cedência autorizada por El-Rei D.Manuel II em  1931. (Nobreza de Portugal, Volume III, página 77).

E da mesma forma o pai do escultor Charters de Almeida só foi Conde da Bahía porque alegadamente a mesma prima lhe cedeu os seus direitos ao Condado.

(Nobreza de Portugal, Volume II, página 366).

 

Portanto segundo esta obra clássica o escultor Charters de Almeida nem sequer representa as varonias que segundo as leis bárbaras do feudalismo deviam ostentar os condados da Bahia e Oliveira dos Arcos.

 

 

As leis bárbaras do feudalismo supõem a transmissão hereditária da condição social, que podia ser afastada por graça régia.

 

As leis do capitalismo supõem que tudo pode ser transmitido por mera transacção  .....

 

Suponho que um socialista deve ser contra estas modalidades de transmissão. E o Doutor Candeias é socialista.

 

Mas o que verifico se os factos alegados são reais, é que o Doutor Candeias é a favor da transmissão do lugar de chefe do clã dos Almeidas, não por via hereditária nem por mera transacção, mas através do seu próprio arbítrio.  

 

Ou seja que o escultor Charters de Almeida é chefe de clã dos Almeidas.....   

 

 

  

 

 

por especial graça do Doutor Joaquim da Silva Candeias......

 

 

e teve um pingue ajuste directo para mudar de sítio a estátua de D.Francisco de Almeida na parada Abel Hipólito

 foto de Paulo Cardoso
 
por especial graça da D.Maria do Céu e sus muchachos.....
 
Miguel Abrantes


publicado por porabrantes às 13:27 | link do post | comentar | ver comentários (8)

Sexta-feira, 08.02.13

Jornal de Alferrarede

 

Não temos dado o justo relevo à obra científica do Sr. Doutor Candeias concentrando-nos demais nos problemas do Rev.Cónego com a polícia e nas façanhas  épicas do Sr.Dr.Armando Fernandes nas gazetas e nas rádios, onde assina uma rubrica que já está quase tão popular como os folhetins tide sendo conhecida na gíria por Simplesmente Armando. O erudito de Lagarelhos usa o tempo de antena e as folhas para responder aos blogues, prova de que apesar da sua avançada idade está quase tão actualizado na informática como a Senhora D. Maria da Piedade , a poetisa  da UTIA, que aos 95 anos trova na internet a propósito do Dia de São Valentim e diz que o importante é o amor. 

Assim sendo o erudito de Lagarelhos, em nome próprio e de dois colegas laranjas  anónimos, desanca Santana-Maia Leonardo. Depois diz que é um erudito muito frontal e não cita o nome do adversário e dos dois anónimos alegadamente prejudicados nas listas  de 2009. As características da frontalidade  são sui generis em Lagarelhos, devido à sua proximidade com a Galiza.

 

Passemos pois ao erudito Doutor Candeias que na Zahara (também andávamos esquecidos desta pérola da pesquisa histórica florida) resolve falar da família de Diogo Oleiro dizendo que era visita da Dona Maria Justina (Zahara nº 20) e amigo do Prof. João Manuel Oleiro. Tudo para tratar de fazer uma justa homenagem a Mestre Diogo Oleiro ( o artigo é interessante) e  responder a este blogue, que é uma actividade a que dedica ultimamente uma parte relevante da sua produção científica.

 

 

 

Naturalmente não esclarece as acusações injustas e infundadas que  fez a Diogo Oleiro. É o esclareces!

 

No texto, a que quando tiver tempo voltarei, o Doutor Candeias resolve com abundante recurso a pesquisa genealógica informar-nos dos descendentes de Diogo Oleiro, referindo e justamente o nosso amigo Dr.Manuel Bairrão Oleiro.

 

Porém há uma coisa que faz confusão o Doutor Candeias esquece o único  neto de Diogo Oleiro que vive em Abrantes (part-time porque trabalha na Torre do Tombo) o diplomata e escritor João Nuno Alçada, figura marcante da Cultura Portuguesa.

 

http://www.instituto-camoes.pt

 

O Dr.João Nuno Alçada com José Eduardo Agualusa em Itália, onde o diplomata teve um papel preponderante no lançamento dos grandes valores da Literatura Portuguesa.

 

Ficaria mal este blogue sem recomendar ao Doutor Candeias e a todos os leitores esta obra-prima dos Estudos Vicentinos que é provavelmente desde que António José Saraiva escreveu ''Gil Vicente e o Fim do Teatro Medieval, nos longínquos anos 40 do século passado, uma das mais estimulantes obras sobre o fundador do Teatro Português.  Trata-se do livro ''Por ser Cousa Nova em Portugal'', uma maravilha.

 

Só para terminar direi que João Nuno Alçada se dedica actualmente a uma missão impossível. Por em ordem o arquivo de Eduardo Lourenço no ANTT...

 

Realizada a missão de esclarecer o Doutor Candeias, dou por finda a prosa e vou comprar um maço de Malboro.

 

Marcello de Noronha



publicado por porabrantes às 17:17 | link do post | comentar

Terça-feira, 20.11.12

  Jornal de Alferarrede

 

O Sr. Doutor Joaquim Candeias Silva 



''desenvolverá, no próximo dia 28, a partir das 15 horas, na sessão da Academia Portuguesa de História, o seguinte tema:

 

"Um berço para um santo (S. Nuno): o Bom Jardim de Cernache".



 

 Entrada livre.

 

 

          Palácio dos Lilases, Alameda das Linhas de Torres nº 198-200

          1769-024 Lisboa ''

 in Arch-Port 


A informação diz que o Doutor Candeias é Professor Doutor. Com o nosso apego a uma informação exacta só mencionamos que o conhecido intelectual é Doutor, uma vez que desconhecemos onde prestou provas públicas para Catedrático.

A conferência trata obviamente sobre o local onde a barregã do Mestre do Hospital., Álvaro Gonçalves Pereira, deu à luz Nuno Álvares Pereira, o Condestável.

A barregã chamava-se Iria Gonçalves e foi uma das muitas  concubinas do Mestre que teve 32 filhos (as).

Já o pai de Álvaro Gonçalves Pereira era da mesma escola, porque era Arcebispo de Braga e teve amores com Teresa Peres Vilarinho, mãe de Álvaro.

Nuno foi homem quase casto e só teve uma filha, D.Beatriz Pereira, nascida de casamento canónico, que se casou com o primeiro Duque de Bragança, D.Afonso, bastardo de D.João I, cuja mãe tinha fama de ser de ascendência judia.

O nosso amigo, o Senhor Dom Duarte, Duque de Bragança, é descendente directo portanto de Nuno Álvares Pereira.

São nun'alvares pereira.jpg

   

Sobre o local exacto onde a barregã do Mestre do Hospital deu à luz há dúvidas.

Sobre essa dúvida tratará a conferência de Candeias Silva.


MN




 





publicado por porabrantes às 11:45 | link do post | comentar

Sábado, 13.10.12

Crónica de Maldizer – Compadres, parem lá com isso

 

 

por Eurico Heitor Consciência

Não se zanguem comigo (ou zanguem-se, se lhes aprouver), mas terei que repetir o que escrevi há anos, quando a Câmara Municipal de Abrantes, dominada pelo PS, promoveu uma homenagem a um dos seus camaradas, António Mor de seu nome, que fora vereador da Câmara durante longos anos.

 

Homenagem com medalha e discursos compridos.

 

Agora, a Câmara repetiu o pecado: homenagens, com medalhas e discursos que se poderão apodar de hagiografias, aos camaradas Nelson Carvalho, que deixara de ser Presidente da Câmara, e Manuel Dias, eterno deputado municipal e único fundador do PS abrantino – único se o Dr. Jorge Lacão desistir da afirmação antiga de que foi ele o fundador do PS de Abrantes.

 Tirando os Almeidas com que se tem entretido, ganhando merecida fama e ajustado proveito, o Mestre Candeias da Silva. Tirando, portanto, os Almeidas. Os Almeidas e os almeidas…

 

 

E, agora a sério, se se ignorar esse extraordinário servidor de Abrantes que foi o Dr. Manuel Fernandes. Quase 50 anos depois  da sua  morte, atente-se  no  que  ele fez ou  promoveu  em  Abrantes: o Cine-teatro  S. Pedro, o Hotel de Turismo de  Abrantes, um  colégio  masculino – o Colégio  La Salle –, liceu depois, agora Escola Secundária Dr. Manuel Fernandes, um colégio feminino – Colégio de Nossa Senhora de Fátima –, a Casa de Saúde, etc.. Querendo homenageá-lo devidamente, a Câmara, para o destacar dos seus homenageados recentes, teria que gastar todo o orçamento do próximo ano na medalha devida ao Dr. Manuel Fernandes…)

 

Pode ser que aqueles três camaradas devam fazer parte da galeria dos mais esforçados servidores de Abrantes – dos mais esforçados e mais devotados à comunidade, com reconhecido e notório prejuízo dos seus interesses pessoais e desprendimento das benesses públicas: ordenados, viagens, automóveis, senhas de presença, ajudas de custo, etc., etc. Mas os juízos da história carecem de distanciamentos que os contemporâneos, sobretudo secamaradas, não podem ter. Não podendo também ignorar-se que os amigos ignoram os defeitos dos amigos. Se lhes topassem os defeitos não seriam amigos. (Mas continuariam a ser camaradas).

 

Parem lá com isso, compadres. Porque nos estragam o nosso dinheiro e dão azo a que se pense que quem promove as homenagens está a preparar o caminho para também ter homenagens quando sair da Câmara.

 

P.S. – Ouvi noutro dia um senhor p’ró gordo que me dizem que é do PS e que já foi ministro de não sei quê e que se chama Lelo ou Lello mas não tem nada de lelo e revela grande sentido de humor. Reparem: ele disse com ar sério que o PS não votava moções de censura contra o Governo porque a política não se faz com hipocrisias; faz-se com a verdade.

Ganda Lelllllooooo!

 

 http://www.oribatejo.pt/2012/10/cronica-de-maldizer-compadres-parem-la-com-isso/ 

 

As crónicas  para nós devem ser como estas.

 

Destrutivas!

 

 

Ácidas!

 

Ilustradas com bonecos

 

 

''Bonecos'' é como se diz em gíria jornalística ilustrações......

 

Aqui estão os ''bonecos''

 

 

''Não se zanguem comigo (ou zanguem-se, se lhes aprouver), mas terei que repetir o que escrevi há anos, quando a Câmara Municipal de Abrantes, dominada pelo PS, promoveu uma homenagem a um dos seus camaradas, António Mor de seu nome, que fora vereador da Câmara durante longos anos.''

 

''Manuel Dias, eterno deputadomunicipal e único fundador do PS abrantino – único se o Dr. Jorge Lacão desistir da afirmação antiga de que foi ele o fundador do PS de Abrantes.''

 

 

 

 

  

 

''Homenagem com medalha e discursos compridos.

Agora, a Câmara repetiu o pecado: homenagens, com medalhas e discursos que se poderão apodar de hagiografias, aos camaradas Nelson Carvalho, que deixara de ser Presidente da Câmara, e Manuel Dias, (..)

 

 

 

jornal alferrarede

 

 '' Tirando os Almeidas com que se tem entretido, ganhando merecida fama e ajustado proveito, o Mestre Candeias da Silva. Tirando, portanto, os Almeidas. Os Almeidas e os almeidas…''



Ilustrada com ''bonecos'' a  cáustica crónica, cabe dizer que é publicada com a devida vénia e voltar a realçar o napalm que caiu destrutivo sobre os compadres e......


o compadrio...........



e da nossa lavra parafrasear o que a rapaziada de Maio-68 deixou escrito nas paredes de Paris....



''enquanto não destruirmos tudo, ainda restarão as ruínas''.......




Miguel Abrantes, ilustrou e comentou



publicado por porabrantes às 14:38 | link do post | comentar

Domingo, 09.09.12
  • Quando em Portugal existe Nun’Alvares, Camões, Bartolomeu Dias, ou S. Francisco Xavier, Portugal é verdadeiramente um povo, verdadeiramente uma pátria.
    E hoje?
    Tal nação, tal governo. Tal árvore, tal fruto. Quem nos governa, quem nos tem governado? Ladrões! 
    Nem só ladrões. Também idiotas vulgares, ambiciosos medíocres, loucos e pusilânimes a farsa além da infâmia, a estupidez além do crime.
    Quer dizer: o que há de mais baixo no homem, a imbecilidade, a vaidade, a inveja, a hipocrisia a cobiça - gula de porco, veneno de réptil, cinismo de macaco, rancor de fera — eis o governo da nação, eis o guia do povo, eis a norma da pátria.
    Voltamos à besta, pela escolha e cultura dos atavismos inferiores.
    É a sociedade organizada para o mal. Os refractários eliminam-se. Ou aplaudir e ser cúmplice, ou protestar e ser vitima.

    Guerra Junqueiro, discurso pronunciado em 27 de Julho de 1897

    Notas da Redacção: O Senhor Professor Doutor António Ventura é colega do Doutor Candeias 

    na Academia de História. O Senhor Professor Doutor Ventura é maçon e um grande Historiador. O senhor Doutor Candeias é Silva como o Cavaco, beirão como o nosso amigo, grande 
    Genealogista Sr. Dr. António Graça Pereira......O Senhor Professor Doutor Ventura é alentejano....
    Nota 3: O Sr.Guerra Junqueira era um mau  poeta segundo o Armando Fernandes. O Manuel Alegre também é um escritor menor segundo o Armando Fernandes.
    Nota 4: Segundo o Fernandes o Passos Coelho é um grande governante.
    Nota 5: Parece-nos que alguém precisa de comprar


    Como é que isto se explica?

    Um País de Canalhas

    Pensar Portugal. Nós somos um país de «elites», de indivíduos isolados que de repente se põem a ser gente. Nós somos um país de «heróis» à Carlyle, de excepções, de singularidades, que têm tomado às costas o fardo da nossa história. Nós não temos sequer núcleos de grandes homens. Temos só, de longe em longe, um original que se levanta sobre a canalhada e toma à sua conta os destinos do país. A canalhada cobre-os de insultos e de escárnio, como é da sua condição de canalha. Mas depois de mortos, põe-os ao peito por jactância ou simplesmente ignora que tenham existido. Nós não somos um país de vocações comuns, de consciência comum. A que fomos tendo foi-nos dada por empréstimo dos grandes homens para a ocasião. Os nossos populistas é que dizem que não. Mas foi. A independência foi Afonso Henriques, mas sem patriotismo que ainda não existia. Aljubarrota foi Nuno Álvares. Os descobrimentos foi o Infante, mas porque o negócio era bom. O Iluminismo foi Verney e alguns outros, para ser deles todos só Pombal. O liberalismo foi Mouzinho e a França. A reacção foi Salazar. O comunismo é o Cunhal. Quanto à sarrabulhada é que é uma data deles. Entre os originais e a colectividade há o vazio. O segredo da nossa História está em que o povo não existe. Mas existindo os outros por ele, a História vai-se fazendo mais ou menos a horas. Mas quando ele existe pelos outros, é o caos e o sarrabulho. Não há por aí um original para servir? 


    Vergílio Ferreira, in 'Conta-Corrente 2'
    in o CITADOR
     A redacção  


publicado por porabrantes às 12:03 | link do post | comentar

Quarta-feira, 20.06.12

 

O Sr. Dr. Álvaro Baptista, arqueólogo da CMA e colaborador habitual de Candeias Silva 

 

                                                                                                                                     

 

 

 

acaba de propor como solução para a crise um golpe militar

e o estabelecimento de uma ditadura quarteleira que irremediavelmente conduziria  a

rechear as prisões de milhares de portugueses, a  asfixiar as liberdades, à censura prévia, à delação policial, a uma nova pide, ao partido único tudo sobre o íntegro comando de um íntegro militar à Chavez

 

 

            

 

 

O dr. Baptista diz que seria um novo 25 de Abril.

 

Eu digo que o que defende o assíduo colaborador do Candeias é o quer quer Veríssimo Serrão, patrono intelectual do Silva, um novo

 

 

 

 

Transcrevo a prosa do ilustre intelectual, autor de várias partes do catálogo da IV Antevisão do MIAA onde se fala muito de pedra:

 

 

ENTÃO SE FAÇA DE NOVO UM 25 DE ABRIL E QUE AS FORÇAS ARMADAS ASSUMAM EFECTIVAMENTE O CONTROLE DESTE PAÍS. MAS QUE AGORA NÃO O DELEGUEM EM POLITICOS QUE TÊM ENRIQUECIDO Á CONTA DOS DINHEIROS PÚBLICOS.

 

 

 

 

 

Ao voluntarioso Baptista, defensor da ditadura à venezuelana, só lhe falta no texto citado, propor a recondução do pai espiritual do Candeias, o sinistro Veríssimo Serrão para Reitor da Universidade de Lisboa, para que o amigo do Candeias, faça regressar as cargas da polícia de choque contra quem levante o estandarte da

 

 

 

 

 

 

Para Secretária da Condição Feminina no novo Governo fascista sugiro a Camarada Sara Cura.

 

 

 

  Miguel Abrantes, jacobino que recorda Marx: os militares têm sempre tendência a trocar a divisa '' Liberdade, Fraternidade e Igualdade'' por '' Artilharia, Infantaria e Cavalaria''....

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 08:35 | link do post | comentar | ver comentários (2)

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Repondo a verdade históri...

Abrantes é melhor que Alh...

O sobrinho do alcaide

À Moda do MIAA: Usando o ...

Evolução na continuidade:...

A outra cara do fundador ...

Quem plagiou quem?

Um país de professores do...

Um pesado fardo

O distanciamento

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds