Domingo, 17.02.19

A ex-PGR Joana Marques Vidal proferiu uma Conferência em Ponta Delgada onde esteve presente o Presidente da Tubucci, que aí se encontra para o lançamento do seu livro sobre a Ordem de Maurício e S.Lázaro

52586408_10214151861658908_1346077428132347904_n

mn

 



publicado por porabrantes às 12:20 | link do post | comentar

Domingo, 02.09.18

D.Aurélio Granada Escudeiro, que pretendia ser descendente dos antigos reis mouros de Granada, daí o seu apelido, desempenhou vários cargos na Diocese, até que uma sólida preparação académica, o levou para mais altos voos.

AURÉLIO

Açoriano Oriental com a devida vénia

Foi assistente nacional da Acção Católica, onde confraternizou com Lourdes Pintasilgo.

Foi pároco do Mação e Alvega e boss do jornal da Diocese, ''A Reconquista''.

Para uns tinha espírito social (ver a obra do Cónego Geraldes Freire), chegando a ter problemas com a Ditadura, para outros era um truculento reaccionário, despertando mesmo anti-corpos no PSD de Mota Amaral.

Bispo auxiliar  de Angra sentiu na pele o levantamento anti-gonçalvista de Ponta Delgada, onde o povo expulsou das Ilhas, o Governador Civil de Ponta Delgada, D.António Borges Coutinho, filho do Marquês da Praia e Monforte, por ser comunista (1975).

11205517_718453824930666_8254070550515769711_n

 

Os insurrectos estavam em parte manipulados pelos separatistas da FLA e pela CIA.

Além do afastamento do aristocrata vermelho, um grande latifundiário de S.Miguel, conotado desde sempre com a Oposição ao fascismo, também se pediu a deportação dos padres ''comunistas''.

D.Aurélio fez a vontade aos tipos.

Teve um papel destacado na reconstrução de Angra, destruída por um sismo.

Acabou condecorado por Carlos César, que tinha sido uma das vítimas da agitação reaccionária e golpista em 1975.

Lamentamos que a Ana Soares Mendes ou o Cónego Graça nunca tenham explicado aos leitores da ''Nova Aliança'' o papel do ex-pároco de Alvega, na luta contra o bolchevismo eclesial.

mn

 

foto de D.António, Anti-Fascistas da Resistência



publicado por porabrantes às 20:19 | link do post | comentar

Quarta-feira, 14.09.16

 

A Senhora Presidente da CM de Lagoa veio a Abrantes ver os grandes progressos na desmaterialização de documentos. Nós fomos à Lagoa e verificámos que eles não desmaterializam, assim têm disponíveis as actazinhas da 2 Assembleias Municipais de 2016 e em Abrantes não há nenhuma disponível de 2016.

Na reunião de 27 de Abril de 2016, na prática nenhum deputado municipal abriu a boca e foi tudo aprovado por unanimidade e estavam todos contentes para irem para casa, quando o povo pela voz do Sr. Carneiro de Sousa que deu a todos os presentes uma lição de democracia açoriana. Uma democracia que tem em Antero de Quental, Teófilo Braga, Hintze Ribeiro ou Manuel da Arriaga sólidos referentes.

Carneiro de Sousa.png

O Senhor  Carneiro  Sousa  prosseguiu numa crítica implacável e impiedosa, atacando de seguida o Divino Espírito Santo

carneiro de sousa 2.png

A intervenção deste valoroso cidadão ocupa várias páginas e deu origem a que a Senhora Calisto e a Presidente da A.Municipal interviessem tentando salvar a honra do convento e dos deputados silenciosos

Mas antes disso o Senhor Carneiro Sousa invocou o testemunho do actor Joaquim de Almeida....

cordeiro de sousa 4.png

 Damos agora palavra à autoridade

16211.jpg

Cristina Calisto Decq Mota, foto do Açoriano Oriental, com a devida vénia

calisto 1.png

 

Ou seja a Senhora Presidente da Lagoa acha que os deputados não falarem é prova de transparência....é genial a tese de que parte dos deputados não falam ''porque não estão ainda reformados''... 

 

Face a isto o Sr.Carneiro Sousa voltou ao ataque....mas sugerimos ao leitor, que passe à acta duma assembleia municipal à maneira da Lagoa.

 

mn

 

Damos os parabéns à autarquia da Lagoa por ter actas destas!

créditos acta da AM da Cidade da Lagoa de 27-4-2016



publicado por porabrantes às 21:43 | link do post | comentar

Cristina-Calisto-Lagoa-Açores-Abrantes-Smart-City

Diz o Diário da Lagoa que a Cristina Calisto visitou a cacique abrantina para aprender.

 

Também diz  que, na Lagoa, há a ''Casa de Cultura Carlos César'', que foi o político que derrotou a Opus Dei obscurantista nos Açores, quando as Ilhas foram governadas por tipos da estatutura moral e política da pia fidalga.

 

Devia a Cristina mudar o nome à Casa, não se devem homenagear políticos vivos e no activo.

 

Isso é próprio de ditaduras como o Uganda.

 

A Cristina Calisto Decq Mota (apelido do primeiro deputado comunista no Parlamento Açoriano) era funcionária municipal, passou ao staff do  Presidente local, foi Provedora duma Santa Casa (ignoro se ainda é), entrou na Vereação e foi Presidente, porque o João Ponte, que era o P. eleito, se demitiu, porque arranjara um tacho, foi nomeado Presidente da ''Atânticoline, a empresa pública dos Açores responsável pelo transporte marítimo de passageiros e viaturas entre as nove ilhas do arquipélago.'', diz o Açoriano Oriental, o mais antigo jornal de Portugal.

 

A Cristina Calisto é assim, uma Presidente por acidente

 

O Governo dos Açores tem on-line um devastador relatório que desvenda como o Ponte e a Senhora Calisto administraram a autarquia.

 

A Senhora Calisto responde no contraditório ao Governo Regional, dando ordens para a legalidade seja reposta e faz bem.

 

A Senhora Calisto identifica os trabalhadores que administraram mal e dá ordens para que reponham  as verbas a mais que receberam.

 

A Senhora Calisto e o Governo dos Açores não têm medo em publicar on-line um relatório de inspecção.

 

Nisto dão uma lição ao caciquismo abrantino, que só por pressão da CADA, e com intervenção dum conhecido Advogado abrantino, foi obrigado a entregar um desses relatórios.

 

calisto 3.png

 Também manda que se passe a respeitar o Estatuto de Direito de Oposição, que a cacique abrantina não cumpriu quando era Vereador Santana-Maia, não entregando a informação de quem era o autor da famigerada minuta da RPP Solar.

 

Trato a Presidente da Lagoa por Calisto, porque foi assim que o Diário da Lagoa etiquetou a foto que ilustra este post ''Cristina-Calisto-Lagoa-Açores-Abrantes-Smart-City''.

 

Veio a Presidente açoriana para aprender, mas quem devia ir aos Açores estudar era a cacique local, para ver como a Cristina Calisto mandou que se respeitassem os direitos da Oposição.

 

E como os relatórios da Inspecção estão on-line.

 

Por muito que a cacique se vista de mandarim,

 

tintinmouse.jpg

 

 

deve aprender que em democracia não há mandarins!!!!  

mn   

 



publicado por porabrantes às 10:18 | link do post | comentar

Sexta-feira, 05.08.16

Bernandes.jpg

Desempenhou o General Bernardes, e antes dele a Advogada avençada da CMA dos SMAS  a drª Ana Paula Milho e antes dela o Coronel Maximino Chaves, um cargo inconstitucional?

 

Ou para ser mais exacto violou a Constituição da República, a lei suprema deste Estado, que devia ser de Direito, a decisão da CMA,em 1998, que criou o cargo de Provedor de Munícipe?

 

Eminentes Mestres do Direito Constitucional sustentam a inconstitucionalidade da criação de Provedores do Munícipe.

 

Passo a citar:

 

''  (...)muito em especial, o caso de Jorge Miranda (artigo 23.º, Constituição Portuguesa Anotada, org. Jorge Miranda/Rui Medeiros, t. I, Coimbra 2005, p. 220), que sustenta:
«A lei não pode criar Provedores de Justiça especializados, como já tem sido preconizado (Provedor para as Forças Armadas, Provedor Ecológico, Provedor do Consumidor, Provedores Municipais, Provedor da Criança, Provedor das Pessoa Idosas, Provedor da Saúde) ou como já chegou a ser estabelecido (Defensor do Contribuinte). A competência de um órgão constitucional decorre da norma constitucional, explícita ou implicitamente, ou tem nela a sua base. Daí que não possa o Provedor de Justiça, órgão constitucional, ser despojado de faculdades que lhe pertençam, em proveito de outros órgãos, nem que possam as suas competências ou as matérias delas objecto ser desdobradas ou repartidas através de mais de um Provedor. Não pode haver dois ou mais Provedores [...]»
Na mesma linha de pensamento vai Vieira de Andrade, ao declarar o seu «alinhamento incondicional com aqueles que defendem uma
concepção unitária e plurifuncional da instituição e se opõem à proliferação de provedores especializados em função das várias áreas da actividade administrativa» («O Provedor de Justiça e a protecção efectiva dos direitos fundamentais», in O Provedor de Justiça —Estudos, Lisboa 2006, p. 62).(...)'' (1)

 

É certo que há autores, como João Caupers, que  acham que tal cargo não viola a Lei Suprema da República, que deve ser cuidadosamente respeitada por qualquer democrata.

 

No entanto, a Assembleia Regional dos Açores quis criar o cargo de Provedor Regional, na revisão do Estatuto Político Administrativo local, em 2009 e viu essa possibilidade ser contestada no Tribunal Constitucional, pelo Provedor de Justiça, que suscitou a questão da inconstitucionalidade.

 

Para resumir, a posição defendida pelo P. da República, sustentava que sendo os seus poderes gerais de fiscalizar toda a Administração estabelecidos  pela CRP, não podia haver provedores sectoriais.

 

O TC declarou a inconstitucionalidade da norma do Estatuto que dava poderes ao Parlamento açoriano para criar provedores ''sectoriais''.

 

Como escreveu no parecer PARECER JURÍDICO N.º 64 / CCDR-LVT / 2011, da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, a prestigiada e exímia Jurista, drº Marta ALMEIDA TEIXEIRA,  :

 

(...) '' Nestes termos, verifica-se que a criação da figura do “Provedor Municipal” ou “Provedor do Munícipe”, por parte dos municípios,através de Regulamentos, não é isenta de dúvidas, podendo mesmo, atentos os argumentos defendidos pelo Tribunal Constitucional,vir a ser posta em causa a sua constitucionalidade, designadamente, por violação do art. 23.º da CRP. Pese embora o facto, de o parecer jurídico solicitado não incidir especificamente sobre a possibilidade da criação da figura do
“Provedor Municipal” ou “Provedor do Munícipe”, não podíamos deixar de mencionar o enquadramento doutrinal e jurisprudencial que esta questão, dos “Provedores especiais e sectoriais”, tem tido em Portugal.''(...)

 

Tudo isto leva a perguntar como é que o caciquismo abrantino criou um cargo aparentemente inconstitucional?

 

Como é que o General Bernardes, que é licenciado em Direito e desempenhou funções em Tribunais superiores, aceitou tomar posse dum cargo  cuja existência,  Jorge Miranda, diz que é inconstitucional?

 

E ainda  como escreveu o dr. Santana Maia, um  '' , o cargo de provedor municipal de Abrantes não é mais do que uma extensão do gabinete de apoio ao cidadão da Câmara Municipal de Abrantes, funcionando o nome de provedor municipal como uma autêntica ratoeira para os munícipes, violando o princípio constitucional da imparcialidade e da boa-fé na sua relação com os administrados.''

 

(Amar Abrantes, 16-3-2010, excerto de Exposição dos Vereadores dr. Santana Maia e Belém Coelho ao Sr.Provedor de Justiça)  

 

E ainda mais o General Bernardes tomou posse em 2010

bernardes 2.png

e a Sentença do Tribunal Constitucional declarando a inconstitucionalidade de Provedores sectoriais, nos Açores, é de 2009. 

 

Não leram a sentença do Tribunal Constitucional os serviços jurídicos da CMA, que tinham o dever de fundamentar em matéria de Direito, as propostas camarárias?

 

O parecer da drª Marta ALMEIDA TEIXEIRA era sobre coisas mais comezinhas, relacionadas com o pilim que um Provedor poderia receber....

pj.png

 

mas a jurista fez um grande trabalho ao alertar as autarquias para a possibilidade de andarem a criar cargos, à balda, sem cobertura legal, violando a Constituição ou outras leis.

 

Na nossa opinião também é ilegal, por desprovisto de cobertura legal, o celebérrimo Conselho Consultivo da CMA, que parece que nunca reuniu.

 

Os órgãos dos municípios estão taxativamente descritos na Lei das autarquias e a competência para criar novos órgãos é da Assembleia da República e não de nenhuma cacique...

cacique.png

 Ou mesmo de qualquer órgão municipal. A disposição que o criou também é ilegal (fica para outro dia)

 

mn

 

 

 

 

 

(1)Drª Marta ALMEIDA TEIXEIRA,PARECER JURÍDICO N.º 64 / CCDR-LVT / 2011

 



publicado por porabrantes às 13:54 | link do post | comentar

Sábado, 07.03.15

 Por Artur Lima

na página do CDS-PP de Angra do Heroísmo:

 

''Por estes dias levei ao Parlamento um assunto que deveria ser tratado com a seriedade que se impunha, dada a temática – o funcionamento dos Bombeiros e do Serviço Regional de Protecção Civil. O CDS-PP denunciou as dificuldades porque passam as corporações de Bombeiros Voluntários na Região, criticando simultaneamente as nomeações milionárias por amizade e filiação partidária que se têm feito para o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores (SRPCBA). (...)
 

 

 ''O SRPCBA parece não ter vontade de apoiar a contratação de mais bombeiros, preferindo, ao invés, nomear um Director de Serviços de Planeamento e Operações que ganha milhares de euros e a quem não se encontra a devida experiência curricular para assegurar as suas competências. Para além disso constatamos que, lamentavelmente, reina um clima de medo e caça às bruxas que até arrepia no seio destas instituições. No caso do SRPCBA bem sabemos que alguns dos seus principais dirigentes tem formação na matéria, dado os seus destacados cargos de chefia na extinta Mocidade Portuguesa!
O CDS não coloca em causa a existência do SRPCBA. Fomos e somos a seu favor.
O que não é aceitável e por isso é criticável são os abusos que se verificam: nomeações por amizade e filiação partidária de gente que não tem a experiência e o currículo necessários; criação de prateleiras douradas para militantes do Partido do Governo, como se pode constatar, pelo referido director de serviços, e pela existência de um Vice-presidente a quem não lhe são conferidas competências para além da substituição do Presidente.

Ora, perante estas denúncias que deveriam ter merecido uma resposta séria o que ficamos a saber, pela voz do quase veterano Deputado socialista José San-Bento, é que o PS e aquele Deputado em particular não aceitam “lições de clientelismo” de ninguém e que para o partido do poder um cartão de filiação partidária não pode ser impeditivo para que os cidadãos colaborem na sociedade. Efectivamente o cartão partidário não deve ser impeditivo, mas também não pode ser factor de favorecimento, como infelizmente acontece com frequência. Por outro lado, fique o Deputado San-Bento a saber que o CDS-PP não dá lições de clientelismo a ninguém até porque não temos cargos para oferecer a amigos e combatemos acerrimamente o caciquismo promovido por estas prateleiras douradas.
Estas afirmações, de um parlamentar que reocupou o seu antigo estatuto de Vice-presidente de bancada parlamentar, são, no mínimo, endémicas do estadio a que o PS chegou.(...)

 

''Termino, citando palavras recentes de Mário Soares: “havia muita gente dentro do PS que, não sei, tinha dúvidas na formação do Partido, mas que pensava que o Partido era uma coisa boa para se estar e para poder ganhar dinheiro e fazer uns negócios (…) Depois, esta coisa de um Partido demorar muito tempo no poder e tal, foi-se deteriorando um pouco…”. Para bom entendedor… ''

 

com a devida vénia e a nossa gratidão ao CDS-PP das mais bonitas ilhas do Mundo (o pateta do Alberto João deu cabo da Madeira...)...

 

a redacção  

 

 



publicado por porabrantes às 18:07 | link do post | comentar

Quinta-feira, 05.06.14

Em 6 de Junho de 1975 o  povo da Ilha de São Miguel revoltou-se e depôs o governante local, o dr. António Borges Coutinho (Praia e Monforte), Governador Civil  indicado pelo MFA e pela oposição ''clássica'', anti-fascista de sempre e cuja  nobre família era a mais importante proprietária rural (1) da Ilha. 

 

 

 

  

 

roubo a foto ao blogue ligado ao PCP http://anibalcpires.blogspot.com.es/2011/02/voto-de-pesar-pelo-falecimento-de.html

 

 

 

 

 

o povo toma a Rádio

 

 

 

o povo toma as ruas de Ponta Delgada

 

 

 

o sr dr. Borges Coutinho anuncia a sua demissão às amplas massas populares.....

 

 

foi graças a variados factores (onde muito pesou o apoio da CIA e da Igreja Católica e da ANP local) a primeira batalha ganha contra o gonçalvismo

 

o dr. Borges Coutinho era um gentleman, um anti-fascista, provavelmente um camarada de Álvaro Cunhal, um grande latifundiário, uma excelente pessoa...mas aprendeu que não se pode governar contra o povo....

 

 

que é quem mais ordena....

 

MN

parece que as outras fotos são de autor desconhecido (meu) mas certamente conhecido pelo sr. dr. João Bosco.....

 

(1) ter muitas terras não significava ser o mais rico de São Miguel, a maior fortuna era a da Casa Bensaúde cujos activos eram outros 



publicado por porabrantes às 22:47 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.04.14

O sr. dr. Armando Fernandes precisa urgentemente de comprar pílulas prá memória. Faz um artigo que não está mal, gabando as suas intimidades com o oficial spinolista (como Eanes) Salgueiro Maia e diz que deportaram o herói para Ponta Delgada, onde este num acto de bravura assinalável irrompia pelo café Gil que seria o antro dos separatistas da FLA, organização muito acarinhada pelos laranjas do dr. Mota Amaral, eminente figura do partido onde o Fernandes ajuda a desgraçar este país.

 

 

Acontece que o oficial que tomava muitas vezes a bica no Gil, inevitavelmente quando estava em Ponta Delgada, local a que o ligavam grandes interesses econónicos, devido à fortuna da primeira mulher que era açoriana, era Ernesto Melo Antunes, filho dum capitão tarimbeiro que fazia a escrita da Legião Portuguesa.

 

O capitão Antunes foi dentro no 28 de Setembro, porque os militares moderados tinham elaborado uma lista de ''fascistas'' a prender e os comunas resolveram ampliar a lista para aproveitar a ocasião. (1) O capitão Antunes não fazia mal a uma mosca. O Fernando Melo Antunes (irmão do Ernesto) teve uma carga de trabalhos para libertar o pai e estava naturalmente furioso.

 

O Ernesto Melo Antunes não era obviamente um separatista, o Gil é o café onde toda a vida tomaram a bica o Mário Mesquita, o Medeiros Ferreira, o Carlos César, o Jaime Gama e o Eduardo Soares da Albergaria que tem um solar na Fajã de Baixo com umas estufas para plantar ananases.

 

O Café do ex-fascista dr. José de Almeida (fascista porque foi Deputado à Assembleia Nacional como o colega do Fernandes, o casto João Bosco Mota Amaral) era o Royal. Ai parava a escória azul e branca da FLA.

 

Quanto ao Ernesto Melo Antunes tinha sido candidato a Deputado pela CDE em 1969, organização cuja cabeça visível era, em Ponta Delgada, o dr. António Borges Coutinho (Praia e Monforte) próximo ao PCP. Também tomava a bica no GIL e não no Royal.

 

Se não me falha a memória em 1969 o Jaime Gama já andava pela CEUD de Lisboa....com o dr. Soares. Aliás foi preso nessa altura. 

 

 

Já não vou a Ponta Delgada há uns meses, mas quando for tomarei a bica no Gil com o Carlos César.

 

MA    

 

PS- Sobre a descoberta arqueológica que o ''insigne'' Maia fez dos Mourões no Rocio de Abrantes e sobre a beata salva de palmas que uma plateia abrantina lhe brindou, a identificação dos Mourões com uma ponte mandada fazer no século XIX já o capitão Rodrigues Vicente o fizera pelo menos uma década antes e o publicara na imprensa abrantina. Não assisti à conferência do Maia, por isso não sei se ele fez o que tinha a fazer, que era prestar continência ao Rodrigues Vicente.....

 

 

(1) memórias do Vasco Lourenço, decoradas com uma foto dele no R. de Infantaria de Abrantes



publicado por porabrantes às 09:02 | link do post | comentar

Sexta-feira, 17.02.12

 

 

A baleia mais nobre de Portugal

 

MA


tags:

publicado por porabrantes às 16:46 | link do post | comentar

Quarta-feira, 13.07.11
É arqueologia virtual, a expedição deve ter dido organizada por Isilda Jana, com assessoria de Nelson Carvalho que garantiu que em Abrantes se iria decifrar a língua tartéssica e o Baptista Pereira a receber mais umas chorudas massas!!!
www.publico.pt
Não existe um consenso em relação à descoberta dos novos sítios arqueológicos no Monte Brasil, em Angra do Heroísmo, na ilha Terceira, Açores. A descoberta foi anunciada na passada quinta-feira pelos arqueólogos Nuno Ribeiro e Anabela Joaquinito, da Associação Portuguesa de Investigação Arqueológica
Pub por Marcello de Noronha


publicado por porabrantes às 21:33 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Conferência de Joana Marq...

Ex-Pároco de Alvega expul...

Uma Assembleia Municipal ...

Em democracia não há mand...

Da inconstitucionalidade ...

Clientelismo bombeiral

Levantamento anti-latifun...

Os amigos do Armando Fern...

Heráldica-1

Arqueologia Virtual: no f...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds