Domingo, 16.06.19

Dizia Bento Pedro

 

bp 2

E o célebre Carvalho da minuta da RPP Solar, apresentava esta documento técnico, era 25-8-2009

E a D.Isilda faltava à sessão, estaria no  Pego?

E o inarrável VPC- Vereador Pina da Costa faltava à sessão. Onde estaria?

A banhos?

Estavam os 2 de férias.

Presentes o Vereador Valamatos e ainda a Antunes. , o Pedro Marques e o Moreno.

Estes dois últimos terminariam as suas aventuras autárquicas propondo criar o arruamento Nelson Carvalho.

Prometeu a CMA pôr a Mercar em tribunal e pedir ser ressarcida se os documentos autênticos e a sua propriedade fossem postos em crise.

Foram, uma, duas, três e finalmente quatro vezes  colocados em crise pelos Tribunais da República, desde o Supremo até ao Tribunal da Comarca de Santarém.

Não pode alegar o Valamatos que não sabe.

Estava presente à sessão.

bp 4

A última sentença, sarcástica e muito bem fundamentada, acusa-os de raiar a má-fé processual e coloca em crise o alegado direito da CMA.

Foi ditada no processo nº 1692/12.3TBATT-M.

Para ser ainda mais  sarcástica chamava-se a escrivã Srª D. Maria do Céu Castanheira.

Assim sendo resta ao Valamatos processar a Mercar.

Estamos à espera.

E não venha repetir que como era Vereador dos cachopos e da bola, não sabia de nada.

Sabia, estava na sessão de 25 de Agosto de 2009.

ma 

 

 

        



publicado por porabrantes às 20:01 | link do post | comentar

Um pobre doente que tinha de fazer um TAC em Tomar esperou 5 horas trágicas e angustiosas por uma ambulância para vir de Nabância a Abrantes.

Depois esperou mais 3 horas no Manuel Constâncio para ser atendido.

Entretanto as loas dos políticos ao SNS florescem viçosas.

E se fossem bugiar?

Os dos Hospitais, os das ambulâncias e os políticos.

O colega Tomar na Rede conta tudo.

mn



publicado por porabrantes às 09:34 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.06.19

artur imagem

Abrantes vista pelo seu melhor fotógrafo

artur imagem 4

artur imagem 3

um cabeço despovoado, outrora quase a melhor cidade do Ribatejo.

O nosso obrigado ao fotógrafo e amigo.

ma


tags:

publicado por porabrantes às 09:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12.06.19

A ilustre causídica drª Alexandre Sapateiro, que representou as Construções Jorge Dias num pedido de indemnização de mais de 6 milhões de euros contra a CMA

escritura com documentos adulterados

Extracto da acção que está on-line (por enquanto) na página municipal (anexos documento nº 40)

Se há uma acusação desde 4 de Junho de 2013 contra a CMA de que se fez uma escritura com documentos adulterados, porque não se esclareceu isto?

Ou não se processou o acusador por dimafação?

Quem cala consente!

Porque não se mandou realizar uma auditoria aos serviços jurídicos?

Há mais?

Muito mais....

 

O Sr. Vereador Armindo Silveira disse que havia documentos ''truncados'' na resposta camarária.

É isto admissível?

Não é.

Pedem-nos serenidade, coisa semelhante pedia o delinquente das seringas nas homilias, e só nos resta o direito à indignação.

Vejo um neo-liberal dizer que a culpa é das TVs, já tinha visto fascistas dizerem que a culpa era da Rádio Moscovo, que não falava Verdade, já tinha visto um comunista analfabeto, chamado Vasco Gonçalves, bradar que a culpa era do ''Expresso'' e que havia que proibi-lo.

De seguida, uma voz indignada, a do António Colaço.

Porque o escândalo não é Abrantes andar nas bocas do mundo por más razões, o escândalo é não se fazer justiça!    

mn

 



publicado por porabrantes às 15:29 | link do post | comentar

Terça-feira, 11.06.19

A CMA  nomeou uma  mandatária(o) para em seu nome dizer isto e agir assim: 

alegação

Ou seja mandou dizer que a Mercar tinha tido a posse do prédio

E antes dela a D.Maria Clara e a D.Isilda....

Não conseguiu provar quase  nada do que dizia

nao

 

Ou seja alegou falsidades

E mais que isso, veio dizer, que por ter a Mercar e a CMA feito um acordo judicial onde a primeira reconhecia a propriedade camarária dum terreno, que era do Jorge Dias, o terreno passava a ser do município e todos tinham de acreditar que tal acordo era constitutivo de direito de propriedade!!!!!

Está-se mesmo a ver!!!!!

Eu faço um acordo judicial com o Zé da Esquina, e acordamos que o prédio nº 17 da Raimundo Soares é meu ....

E depois espeto o acordo na cara dos caciques,  e o palacete Falcão é meu!!!!!

Se alguém fizesse isto, que estava a fazer??????

Segundo a douta sentença:

''A perspectiva do Autor leva a que, no limite, qualquer pessoa possa adquirir todos os imóveis que bem entender, bastando propor uma acção contra um qualquer terceiro e fazer uma transacção com o mesmo, onde uma declara que a outra é proprietária por via de qualquer modo de aquisição da propriedade.''

O que a drª Juiz disse da acção da autarquia, liderada por Maria do Céu Cacique Albuquerque, era que era uma acção temerária e despropositada e que (se o fizesse por via duma acção em tribunal), que raiaria a má-fé processual.!!!!!

Numa ''tal de informação técnica'' tentam virar o que disse a drª Juiz, como aqueles que viram o bico ao prego, dizem que a Magistrada não acusou a cacique de raiar a má-fé processual.

Porém  ela acusou a Câmara, não a mulherzinha!!!!!

E isso é mais grave!!!!

Disse  que uma instituição pública praticou actos (para se apoderar dum imóvel) temerários e despropositados e que raiavam a má-fé processual.

Isto é a utilização ilegítima dum processo e de manhas processuais, para obter um fim indigno.

ma

 

       

 



publicado por porabrantes às 19:11 | link do post | comentar

Domingo, 09.06.19
 
 
TUBUCCI assoc.defesa património região ABRANTES
27 de Maio

Cerca de 100 pessoas vindas de todo o Portugal, incluindo o Frei Provincial da Ordem de S. Domingos Fr. Luís Nunes (na imagem), assistiram a uma conferência de mais de 1 hora, no auditório da Escola Dr. Manuel Fernandes, em Abrantes, sobre Abrantes e a Ordem dominicana. Agradece-se ao Arquivo Histórico de Abrantes (Tó zé Morgado e Graça Simões) que levaram uns documentos para mostra aos visitantes. Um muito obrigado ao Senhor Professor Alcino Hermínio, Distinto Director da mesma Escola. O orador foi Paulo Falcão Tavares. Foto: Maria Helena Pereira da Silva.

La imagen puede contener: 2 personas, personas sentadas, pantalla e interior
texto da TUBUCCI assoc.defesa património região ABRANTES
 


publicado por porabrantes às 10:09 | link do post | comentar

Visite a página web da Quinta das Arribas,  



publicado por porabrantes às 09:19 | link do post | comentar

Sábado, 08.06.19

Comissão Política do PSD de Abrantes, perante a peça apresentada pela jornalista Ana Leal no passado dia 30 de Maio na TVI, relativamente ao diferendo existente entre o munícipe Jorge Ferreira Dias e o Município de Abrantes, entende dever comunicar o seguinte:

1. Perante a gravidade das acusações feitas, ficou esta Comissão Política a aguardar uma tomada de posição oficial por parte do Presidente do Município, o que, até à data, não se verificou. Este silêncio é inquietante e ensurdecedor, não só pelo facto de os munícipes abrantinos merecerem ser esclarecidos sobre as graves acusações feitas aos governantes locais, que, a confirmarem-se atentam contra as expectativas dos cidadãos relativamente aos órgãos do poder, mas também, pelo facto de este silêncio poder significar consentimento (“quem cala consente”).

2. Independentemente de considerar que existem algumas questões que necessitam de ser esclarecidas, a CPS do PSD manifesta a sua solidariedade para com o munícipe Jorge Ferreira Dias, alvo de uma conduta com contornos persecutórios por parte da Câmara Municipal de Abrantes e, como tal, inaceitável num Estado de Direito. A confirmar-se tudo o que ali foi dito, a conduta dos governantes locais assume contornos de desumanidade e de perversidade. Esta situação envergonha os abrantinos, desprestigia o concelho, exigindo-se aos responsáveis políticos locais que assumam as suas responsabilidades e acatem as decisões dos órgãos de soberania.

3. Questões como esta, devem mobilizar todas as forças políticas locais, pela importância que têm para a construção de uma sociedade justa e livre e também para a dignificação da chamada classe política, de quem se espera uma conduta digna e exemplar. Ao longo dos últimos anos, foram várias as vozes da oposição que se fizeram ouvir – quer em contexto de Câmara Municipal, quer em contexto de Assembleia Municipal – pedindo esclarecimentos sobre este diferendo. À semelhança do que acontece em muitos outros casos, a discussão séria e responsável foi sempre negada. A título exemplificativo, refiram-se as reuniões da Assembleia Municipal de fevereiro e junho de 2013 (imagens de apoio ao comunicado).

4. A indisponibilidade constante para ouvir e discutir de forma construtiva com quem está “do outro lado” é uma consequência inevitável do défice democrático há muito existente em Abrantes, e legitimado por uma maioria prepotente e acrítica que encara como ataque toda e qualquer divergência de opinião. Num contexto controlador, calar as vozes discordantes é a prioridade, mesmo que tal exija o sacrifício da legalidade. Em Abrantes a oposição é esmagada nos Órgãos do Poder Local, pois o grande desígnio é impedir que o seu trabalho tenha visibilidade fora desses mesmos órgãos.

5. Um tal contexto reduz à insignificância qualquer iniciativa da oposição política local quando, no exercício das suas funções, procura ter voz ativa em questões relevantes como esta. Todos conhecemos, há vários mandatos, uma máquina que bloqueia o funcionamento democrático das instituições políticas locais. Em Abrantes, os órgãos do poder nada mais são do que os branqueadores da vontade imposta por quem governa, como o PSD várias vezes afirmou em sede de Assembleia Municipal no mandato anterior.

6. A CPS do PSD de Abrantes lamenta que ao longo de mais de uma década não tenha sido possível a quem governa encontrar uma solução para o diferendo em causa. Face a essa incapacidade, resta à CPS do PSD congratular-se com o facto de o assunto ter vindo para a “praça pública” e estar a agitar consciências, pois face à “impotência” da oposição local, talvez seja essa a única forma de apurar responsabilidades e de abrir as portas a uma solução justa.

7. Também não pode a CPS do PSD de Abrantes ficar indiferente às palavras do Presidente do Município que em nada dignificam o exercício do poder em Abrantes. Como é possível que um vereador com 15 anos de mandato afirme, perante os ecrãs e perante o País, desconhecer o assunto por ser vereador do desporto e da cultura? Com 15 anos de vereação, o atual Presidente participou certamente em muitas das reuniões onde os membros da oposição pediram esclarecimentos sobre este caso. O que estava a fazer durante essas interpelações? Terá sido tomado pela “amnésia da moda” que parece estar a tomar conta do País? Algumas das atas consultadas dão conta da sua presença nas reuniões dos órgãos colegiais onde os governantes foram interpelados sobre este assunto, pelo que defender-se invocando desconhecimento revela uma preocupante falta de verticalidade e de honestidade.

8. Por outro lado, e sendo a Câmara Municipal um órgão colegial, tais afirmações são particularmente preocupantes. Como é possível que, perante um assunto com esta gravidade e envolvendo a intervenção de tribunais (incluindo tribunais superiores), o Executivo camarário não tenha apreciado em conjunto esta questão? Se assim foi, o défice democrático em Abrantes assume contornos inaceitáveis num Estado de Direito Democrático, exigindo um efetivo apuramento de responsabilidade. A ser assim, confirma-se aquilo que no último mandato autárquico foi amplamente denunciado pelo PSD: Abrantes sofre de asfixia democrática!!

9. Não tendo sido questionada sobre a posição a tomar pelo PSD em relação a este assunto, e tendo tido conhecimento, a posteriori, da posição assumida pelo vereador eleito pelo PSD na reunião de Câmara em que o vereador eleito pelo Bloco de Esquerda interpelou o Executivo Camarário sobre esta questão, cumpre à Comissão Política do PSD de Abrantes demarcar-se dessa posição, bem como da iniciativa que, autonomamente, o vereador Rui Santos tomou de pedir uma reunião extraordinária para discutir o assunto que não quis discutir anteriormente.

10. Neste momento, e no respeito pelo funcionamento das instituições democráticas, a CPS do PSD de Abrantes entende que se deve aguardar pelo fim de todos os procedimentos judiciais relativos a este assunto, não deixando, contudo, de entender que se deve começar, de imediato, a trabalhar para uma solução que conduza à realização da justiça e dignifique a legalidade e o Concelho de Abrantes e os seus munícipes, independentemente das consequências que devam ser posteriormente exigidas, uma vez apuradas as responsabilidades.

Abrantes, 8 de junho de 2019

A CPS PSD de Abrantes

neo-liberal na bola

foto: do Luís Dias com o sexto vereador caciquista

sublinhados nossos



publicado por porabrantes às 22:57 | link do post | comentar

Quinta-feira, 06.06.19

''Depois da ressaca eleitoral, a vida continua, e cá estamos nós para fazer o nosso caminho na política local, em prol do concelho de Abrantes.

Sobre o Plano de desenvolvimento social de Abrantes:

Depois de tapar o sol com a peneira, durante décadas, o executivo municipal vem agora demonstrar a sua enorme preocupação com o envelhecimento da população e a quase impossível renovação da estrutura populacional do concelho.

Pois, apesar desta ser uma realidade transversal à grande maioria do concelhos do interior do país, não se começa a atacar um problema numa lógica paleativa, mas sim de prevenção. Trabalhando na antecipação desta problemática com políticas que contrariem uma tendência há muito conhecida.

Este executivo nunca poderá queixar-se de ter herdado uma batata quente assim, dado que foi apanágio do seu partido, esse que nos diz "governar" (ou talvez desgoverna) há quase 30 anos, priorizar investimentos e projeções de cidades do futuro, sem olhar ao que de facto acontecia à sua volta.

É fácil compreender que um concelho que se quer forte, desenvolvido, capaz de fazer frente às tendências socio-demográficas há muito conhecidas, terá sempre de trabalhar numa lógica piramidal, quase como a da pirâmide de necessidades de Maslow.

Na base da pirâmide nunca poderiam estar projetos megalómanos de Milhões de Euros. Idealizações de "smart cities". Planos com slogan "tudo incluído" - tudo incluído excepto o mais importante... As Pessoas do concelho. E são as pessoas que tinham de ter sido a base dessa pirâmide, não apenas agora quando a situação de torna irrespirável.

Políticas direcionadas para a fixação da população jovem, ao nível por exemplo de incentivos fiscais à fixação; à habitação; facilidades de acesso aos estabelecimento de ensino para que reside nas freguesias rurais; possibilidades de crescimento profissional que não à base do QI - "quem indica", mas de uma séria procura de pessoas com valor e competências, para diferentes setores profissionais que fossem competitivos, independentes e não obsoletos e manietaveis; sermos um concelho em que as taxas de IMI ou saneamento ou tarifas de água não fossem das mais altas do país, porque o são! - entre tantos outros factores e políticas de incentivo.

O PSD Abrantes tem vindo sempre a alertar para este cenário, tido agora como uma realidade alarmente mas que só choca os que andaram a assobiar para o lado durante décadas.

A grande maioria da população jovem do concelho foi embora - porque as oportunidades eram melhores "lá fora" (seja dentro ou fora do país), ou mesmo porque só existiam "lá fora".
Porque foram renegados pelos sucessivos executivos que a todos foi mostrando que em Abrantes não havia futuro.

Reitaramos - São as Pessoas a base desta pirâmide. Porque sem elas, o que nos interessa ser uma smart city, quando deambulamos por um centro histórico fantasma ou por aldeias quase inabitadas. O que nos interessa prémios internacionais de arquitetura, se As Pessoas não se identificam com os espaços criados e a cada projeto realizado vão retirando mais identidade a este concelho?

Espanta-nos o espanto de dizerem que em muitos conselhos municipais se sobrepõem os mesmos intervenientes - pois não há mais!

São aqueles e aquelas pessoas com sentido de responsabilidade que não deixam de querer ter um papel ativo no concelho e outros são os que tão bem conhecemos - aqueles que querem manter sob controlo e para proveito de um grupo restrito, a influência nas decisões tomadas.

Depois destes quem virá? Os filhos deles/delas, que por graça divina encontraram emprego no concelho assim que terminaram os estudos?

Temos agora um Sr. Presidente de Câmara com uma certa amnésia política, que diz ser hora de nos preocuparmos com as freguesias rurais, com as necessidades das pessoas, a defesa dos territórios fragilizados. Agora Sr. Presidente???
Pois como sabemos, fez parte dos diferentes executivos durante décadas seguidas e agora não há como pousar bem para a fotografia - as palavras bonitas de "cooperação", não ajudam a sacudir a água do capote de quem tem muita responsabilidade do estado a que chegámos.

É hora sim de mostrar a massa de que se é feito, assumir os erros e apresentar soluções.

Talvez este possa ser mais um plano de intervenção para se compreender e intervir a nível macro neste Plano de Desenvolvimento Social de Abrantes - identificar quem nos governou o que fez, Ou Nada Fez, para que aqui chegássemos.
Toda e qualquer medida ou acção que seja pensada de forma séria e com responsabilidade, sem demagogia e não para a fotografia, poderá contar com a colaboração, apoio e disponibilidade do PSD.

Iremos sempre trabalhar e colaborar em políticas que tenham como objetivo sermos um território COM população e PARA a população.

Abrantes, 27 de maio de 2019

PSD Abrantes

 
Este comunicado social-democrata deixou a D.Celeste muito amarga

celeste

e fiel à sua vocação de professora primária puxou as orelhas ao neo-liberal em sessão camarária. Este respondeu que '''foi eleito como vereador do PSD e não responde pelo que foi escrito na página do Facebook do PSD'. '' Diz a Paula Mourato no Médio Tejo

Ora o homem não foi eleito, quem foi eleito foi o Rui Silva......

rui mesquita pálio

Quanto às tricas laranjas, deixamos o assunto à consideração da CPC do PSD.

mn  

 

 


publicado por porabrantes às 21:44 | link do post | comentar

 

 

Tinha-se dito aqui ,a 27 de Maio, que este caso iria dar muito que falar.

A profecia cumpriu-se.

A 30 de Maio o assunto passou a ter dimensão nacional.  

E já tínhamos falado muito dele. Por exemplo há um ano.

Tribunais arrasam Município (o caso Jorge Dias)

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/credores-de-jorge-dias-processam-4001999

Por exemplo há cerca de 2 anos

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/reentree-o-julgamento-do-senhor-jorge-3108324

Por exemplo  há 6 anos

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/reentree-o-julgamento-do-senhor-jorge-3108324

Resta perguntar se forem condenados outra  vez, onde irão arranjar uns  milhões de euros para pagar a indemnização? .

 

mn

 

 

 



publicado por porabrantes às 12:26 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Continua o folhetim Jorge...

Ambulância leva 5 horas d...

Dia da Cidade

Uma escritura com documen...

Da má fé processual

A Ordem Dominicana em Abr...

Turismo : Quinta das Arri...

Comunicado do PSD: O caso...

Comunicado do PSD

A profecia cumpriu-se

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds