Domingo, 20.10.19

''Nossa Senhora da Luz

É uma linda santinha

(....)

Nossa Senhora da Luz

Tem uma linda toalha

Foi lavada no Paúl

Engomada n' Abrançalha''

(popular)

 

 

Ao contrário das mentiras propaladas em escritura pública, pelo Graça das seringas,

graça benfeitor

e piedosamente asseveradas pelo Anacleto e restantes testemunhas, em instrumento público, a Capela da Senhora da Luz foi adquirida pela Paróquia de S.Vicente, por escritura pública assinada por António Antunes Guilherme, Jerónimo Rodrigues Chaleira,Manuel Gonçalves de Oliveira, Augusto Rodrigues Chaleira,António Pedro Pacheco,António Maria Selada, Prudêncio António Maria e esposas. 

senhora da luz 2

Pelo seu interesse reproduz-se documento, publicado por Fernando Velez, no  Jornal de Abrantes, de 28-11-97, sobre a história da capela. Segundo  ele foi o morgado António Pinto de Almeida, que depois de 1600, construiu a Capela.

Na Vida Ribatejana, nº especial de 1954, D.Licínia Ludovice, publicou um artigo ''A ermida e o lugar de Nossa Senhora da Luz no concelho de Abrantes'', onde o mesmo pergaminho era transcrito.

img20191020_16323809

Porque é o Graça foi mentir?

Porque omitiu o nome dos beneméritos?

Começa-se a mentir em escritura pública e termina-se a burlar o Estado?

Não, termina-se a desobedecer ao Bispo e a lançar católicos contra católicos.

ma

 

 



publicado por porabrantes às 16:02 | link do post | comentar

Quinta-feira, 17.10.19

Em 10-8-2011, a Comissão Fabriqueira de S.Vicente, representada pelo Graça das Seringas outorgava esta escritura de justificação

img20191010_19244206

.

Vinham dizer que a Paróquia era dona desde tempos imemoriais duma série de templos religiosos, mas que não tinha documentos para justificar a propriedade.

Entre os edifícios a secular capela da Senhora da Luz.

senhora da luz

Dizia o cónego e as testemunhas asseveram que era verdade,.

 

 

senhora da luz 3

que eram donos da capela deste tempos imemoriais e que tinham andado a vasculhar arquivos e não tinham encontrado provas doutros donos.

Vou apenas analisar o caso da Senhora da Luz, agora.

E era falso, o que diziam.

O que se dizia não era verdade, ou seja o Cónego usava expedientes (ou era um crasso ignorante) para legitimar juridicamente a apropriação do edifício.

O Rev. Padre Francisco Valente traça aqui parte da história da Capela e dos donos, a Ordem de Cristo e António Pinto de Almeida.

ordem cristo

E certamente para tempos mais recentes há mais documentos, incluindo da responsabilidade do Cónego Freitas e da diocese.

Foi o Cónego Freitas que tratou da aquisição da capela, que era particular.

freitas - copia

 

Diz o Rev.P. Francisco Valente que só na década de 1950 a capela passou a estar disponibilizada ao povo da Abrançalha.

O texto do Padre Valente é um claro desmentido do que se afirmou nesta escritura.

E se começamos a examinar as escrituras de justificação da Paróquia, encontramos mais coisas dessas.

A Capela não era de S.Vicente, era da Ordem de Cristo e depois particular.

Não me digam que a Senhora Conservadora dos Registos aceitou registar isto.

Vamos anular????

Parte das testemunhas foram das que disseram que D.Amélia Baeta estava boa da cabeça quando testou a favor da Paróquia. 

ma

Bibliografia

Sobre o assunto ver a Zahara'' de Julho de 2012, sobre Santuários Marianos no Concelho de Abrantes, do J Candeias Silva 

Se houver anulação, metemos o Candeias Silva como testemunha

Texto do P.Valente na publicação Rota das Sete Irmãs (2014), com a devida vénia

Nota: Também há justificações deste género, outorgadas por Nelson Carvalho, com o Notário municipal, Bento Pedro 

 



publicado por porabrantes às 09:07 | link do post | comentar

Quarta-feira, 16.10.19

O Vereador Armindo Silveira levou à sessão o caso da Fonte da Amieira.

O Valamatos disse que os proprietários têm direito a vedar as suas terras.

O Luís Dias ficou calado.

Mas sai mal na fotografia. Porque foi ele e o GAT que andaram a gastar 5, 2 milhões de euros a recuperar fontes.

luis_dias_2

Amieira

amieira 2

O homem estudou a fonte e portanto estava capacitado para explicar se a fonte era pública ou privada.

Mas ficou caladinho, e mal na fotografia.

ma

créditos: Público, artigo de Manuel Fernandes Vicente e dr. Rui Lopes

 



publicado por porabrantes às 19:31 | link do post | comentar

Quinta-feira, 10.10.19

Na inarrável série de negócios entre a Construforte e os caciques, há nova faena.

Perdoam-lhe uma dívida de 129.350 € que era a garantia dada pela Construtora (que vendeu o andar do jacuzzi à cacique) para terminar as obras duma urbanização na Rua José Saramago, Brejo, Alferrarede.

A construtora não fez todas as obras de urbanização que era obrigada pelo alvará.

construforte 2

(acta de 19-9.2019)

r. josé saramago

Isto é a CMA aprovou a urbanização e agora vem dizer ''que ela não é necessária''

Recebeu a garantia bancária de 129 mil euros para fazer as obras que faltam e agora diz que não as faz e a Construforte poupa 129.000 € .

Aliás o texto da deliberação é aldrabónico, remete para uma deliberação datada de 29-1-2018, em reunião da autarquia.

Nesse dia não houve nenhuma reunião do executivo.

A deliberação é de 14-2-1018 e tinha a Construforte dez dias para se pronunciar e não respondeu.

Finalmente só falta avisarem que vão comprar a área não urbanizada à Construforte.

Um assunto que envolvia mais de cem mil euros esteve mais de um ano à espera de resolução e a deliberação vem cheia de lapsos.

Entre os negócios polémicos da autarquia com esta construtora conta-se este, denunciado pelo Vereador Santana-Maia.

E ainda as aventuras com a Solar Azul, denunciadas por Armindo Silveira.

E é esta tropa que quer arrendar o Teatro S.Pedro por escassa quantia, durante décadas.

Acho que vou propor vender o S.Pedro à Construforte.

ma 

    



publicado por porabrantes às 17:51 | link do post | comentar

Terça-feira, 08.10.19

planta ocupados

Isto é um pormenor duma planta municipal que pretende identificar os imóveis desocupados no centro urbano ( a verde)

Como qualquer observador identifica não corresponde à realidade

O imóvel 32004 é o palacete Avelar Machado e está ocupado é a residencial Lirius

E assim por diante proliferam os erros e as omissões

ocupados 2

O imóvel 12007 está desocupado, a cair e é da CMA, que pagou por ele uma pipa de massa, é a antiga Pensão Central, mas o mapa diz que está ocupado.

O imóvel 29012 Casa Correia está em perfeito estado e ocupado pelo menos a parte habitacional

Se vou para a Zona do Castelo, o mapa identifica o Casarão das Zitas como ocupado e está às moscas há quase uma dezena de anos.

Com mapas destes querem fazer planeamento urbano, podem limpar às mãos à parede.

mn   



publicado por porabrantes às 10:53 | link do post | comentar

Numa célebre sentença sobre ciganos uma juíza sentenciou assim:

'' São grandes e intensíssimas as exigências de prevenção geral em matéria de crimes deste tipo dado que está em causa o desrespeito da autoridade e, por arrastamento, a própria administração da justiça, como flui com particular ingência dos recentes acontecimentos da Cova da Moura, Aziaga do Besouro, Quinta da Fonte e ainda culminando na agressão selvática dos agentes da PSP no passado fim-de-semana em Abrantes” e que, como atenuantes nada existe, salvo a ausência de antecedentes criminais do G… e I… e que “à excepção do arguido G… são pessoas malvistas socialmente, marginais, traiçoeiras, integralmente subsídio-dependentes de um Estado (ao nível do RSI, da habitação social e dos subsídios às extensas proles) e a quem «pagam» desobedecendo e atentando contra a integridade física e moral dos seus agentes e obstaculizando às suas acções em prol da ordem, sossego e tranquilidade públicas. Face ao percurso de vida marginal bem firmado no relatório social e antecedentes dos arguidos Y… …ao percurso de vida, personalidade e passado criminal …, bem como ao juízo de prognose sólido e irrefragável espelhado no relatório social em conjugação com os factos apurados (arsenal bélico em seu poder)….” E “O mesmo pano de fundo e argumentário colhe para os arguidos (irmãos) J… e G… face à sua péssima imagem social, subsídio-dependência, a conotação com actividades ilícitas ''

Por isto foi acusada de racismo e fez condenar o Advogado dos ciganos por difamação.

Agora o causídico foi ao Tribunal de Estrasburgo que condenou Portugal por violação dos direitos humanos por essa sentença da Relação de Guimarães. 

mn



publicado por porabrantes às 10:25 | link do post | comentar

Sábado, 05.10.19

200

aqui no Dinheiro Vivo, artigo de Ana Margarida Pinheiro e Sónia Pereira



publicado por porabrantes às 08:24 | link do post | comentar

Sexta-feira, 04.10.19

A histórica bandalheira na Igreja abrantina chegou alguma vez ao Papa?

Pronunciou-se alguma vez o Pontífice a favor dum Bispo contra bandalhos que faziam as Igrejas de Abrantes suas, contra a autoridade episcopal  ?

eveque

Nesta obra clássica francesa denuncia-se a bandalheira e como o Papa Clemente VIII se pronunciou contra ela, reconhecendo o poder episcopal de limpar as igrejas de Abrantes.

episcopus

bandalhos q

Não nos digam que o advogado do burlão não leu Sua Santidade Clemente VIII????.....

  mn



publicado por porabrantes às 21:22 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.10.19

javardice 2

acta nº 14/2019

O nível de linguagem autárquica está cada vez mais elaborado. Um empresário diz que um autarca classificou um programa de TV como ''javardice''.

E que ''javardice'' foi o que lhe fizeram a ele.

Entretanto os javardos passeiam-se na cerca da Escola Manuel Fernandes e certos moradores dedicam-se a alimentar os leitões.

Não há pachorra para o palavreado cinegético.

mn



publicado por porabrantes às 09:42 | link do post | comentar

Quinta-feira, 19.09.19

padre castanheira 2

A Reconquista noticia a homenagem e a despedida do P.Castanheira que vem assumir a pesada herança do burlão.

Povo e autarcas homenageiam sacerdote.

mn

 



publicado por porabrantes às 08:51 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A história de Nossa Senho...

Padre Valente desmente o ...

Luís Dias vai à Fonte da ...

Nova faena imobiliária mu...

Um mapa aldrabónico do ur...

Jurisprudência cigana abr...

200 euros para um quarto ...

Bispo apela ao Vaticano c...

Não há pachorra para o pa...

A despedida

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13

22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds