Terça-feira, 08.12.15

rainha de portugal 2.jpeg

 Comemora-se hoje o dia da Virgem que el-Rei D.João IV fez Rainha de Portugal e capitã-general dos exércitos que expulsaram o estrangeiro.

 

Na rua abrantina que leva o nome da Virgem morreram 2 operários da construção civil em Agosto, em acidente de trabalho e ainda não há um relatório da ACT que tenha sido divulgado pela CMA, que tutelava as obras.

 

Podemos fiar-nos na Virgem e esperar que o relatório seja divulgado?

 

D.João IV não se fiou só na Virgem, reforçou os castelos da raia, contratou mercenários para engrossar as hostes do reino, mandou degolar pelo menos dois traidores transmontanos, o Marquês de Vila Real e o Duque de Caminha, pai e filho e meteu  numa húmida masmorra, o Arcebispo-Primaz por conspirar com Espanha.

 

 

Marcou Vila Real como terra de traidores e disse que o seu brasão devia levar a espada invertida (em vez de alçada) por ser feudo de homens que violaram as decisões soberanas das Cortes de Lisboa. 

800px-FonteNova_VilaReal_brasao.jpg

Chamava-lhes invertidos (aos traidores...)

 

Enquanto isso dava a Abrantes o título de ''Notável Vila'' por ser das primeiras a alçar o pendão dos Braganças, que era a bandeira da Liberdade.

 

Não se fiou D.João só da Virgem, também correu.

 

Se nos formos fiar só na Virgem para alcançarmos os documentos que precisamos, estamos tramados.

 

Em 1941, o dr. Salazar mandou que a espada infamante fosse corrigida no brasão da capital do Alto Douro. Voltou a ter a espada alçada. Tinham passado 300 anos com atestado público de traidores. Não é pouco.

 

130px-Vila_Real_brasão.gif

Agradecemos às autoridades que divulguem o relatório da ACT e se for caso disso que se constituam assistentes no processo. É o mínimo.

ma  

 

azulejos: blogue risco contínuo

brasão da terra dos traidores:wikipedia

 



publicado por porabrantes às 12:26 | link do post | comentar

Terça-feira, 29.09.15

usf.jpg

 Foto CMA

 

 

A ACT tem dúvidas sobre a placa que matou 2 operários e mandou-lhe fazer uma peritagem..

 

Quem o noticia é o Mirante:

'' Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) pediu uma peritagem à placa pré-fabricada que caiu durante a construção da Unidade de Saúde Familiar de Abrantes, matando dois operários.

 

Esta peritagem técnica tem por objectivo apurar se a placa de betão, com cerca de duas toneladas, tinha algum defeito de fabrico. Estas conclusões são fundamentais não só para o processo judicial como para as companhias de seguros envolvidas no caso.

 

Recorde-se que o acidente ocorreu no dia 17 de Agosto vitimando os operários Eduardo, 49 anos, de Braga, e João, 35 anos, de Aveiro.

 

O empreiteiro responsável pela obra, Nuno Teixeira, garantiu na altura que estavam a ser cumpridas todas as normas de segurança. (...)''

 

Leia aqui a notícia

 

A CMA que se propunha ontem vender quase à borla um valioso lote de terreno, para uma desnecessária Igreja,na Encosta da Barata, que quem sabe um dia será baptizada como Encosta das Seringas, por algum presbítero seringueiro de velhas beatas e outros incautos, à Fábrica de Igreja de S.Vicente,  podia solicitar ao Reverendo que  dissesse, em troca do desconto no terreno, 1000 missas por alma dos falecidos.

 

Aguardamos a resposta camarária a esta proposta pia,embora fosse mais lógico atribuir já bolsas de estudo aos filhos de  ''Eduardo, 49 anos, de Braga, e João, 35 anos, de Aveiro''.

E se oposição propusesse esta medida elementar????

ma    



publicado por porabrantes às 12:23 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.08.15

Abrantes, Santarém, 20 ago (Lusa) - A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) disse hoje que os trabalhos de construção do novo centro de saúde de Abrantes, durante os quais morreram dois trabalhadores na segunda-feira, estão suspensos por tempo indeterminado no local do acidente.

Contactada pela Lusa, fonte do organismo explicou que os trabalhos nesta zona "vão continuar suspensos até a empresa cumprir com um conjunto de medidas determinadas pela ACT" (embora a construção se mantenha noutras partes da obra) e acrescentou que "o inquérito está a decorrer em segredo de justiça".

Ao final da tarde de segunda-feira, a queda de uma placa de betão de revestimento da fachada do edifício do novo centro de saúde de Abrantes, com um peso de cerca de duas toneladas, provocou a morte por esmagamento a dois trabalhadores, de 35 e 49 anos.''



Ler mais: http://visao.sapo.pt/obras-do-centro-de-saude-de-abrantes-parcialmente-suspensas-apos-acidente=f828458#ixzz3jMtHAbRe

 

Ou seja traduzindo:

a ACT descobre que a empresa não estava a cumprir as as medidas de segurança necessárias, porque manda implementar outras medidas e pára a obra até que a empresa as cumpra

a ACT já deve ter desencadeado um processo-crime (processo de inquérito) porque fala em segredo de justiça, que só se justifica em caso de processo-crime

 

usf 2.jpg

o comunicado da CMA que falava em cumprimento total das medidas de segurança, parece ser assim desmentido pela ACT

 

 

 

mn 



publicado por porabrantes às 16:08 | link do post | comentar

 

Já se sabe o nome da subempreiteira, a que pertenciam os trabalhadores mortos na USF de Abrantes

 

(....)

 

Os dois homens trabalhavam para uma empresa com sede em Arrifana, a Montest do grupo Tagar, uma empresa especializada na montagem de estruturas pré-fabricadas do concelho de Santa Maria da Feira.

(...)

 

O João Andrade e o Eduardo Duarte eram, segundo Nuno Duarte da Blasting News de Aveiro, funcionários da empresa citada.

 

Agora sugerimos aos edis da Oposição que se dediquem as ler as actas e que verifiquem se as as exigências legais estabelecidas no artigo 385° do CCP (Código dos Contratos Públicos),  e ainda no Decreto-Lei n° 273/2003, de 29 de Outubro, foram cumpridas.

 

É o que pedimos (e pede a decência) à drª Elza Vitório e ao dr. Manana ou a quem os substitua.

 

a redacção

 

 



publicado por porabrantes às 12:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.08.15

olhão livre.png

 boa pergunta

 

ma



publicado por porabrantes às 19:13 | link do post | comentar

A Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) não descarta que do inquérito que vai abrir ao acidente nos Claras, em Abrantes, resulte a necessidade de abertura dum processo-crime. Em declarações anónimas à Lusa (é surpreendente que uma autoridade faça declarações anónimas !!!!!) a ACT sublinhou ''Se houver responsabilidades criminais, pode haver coimas ou inquérito judicial, mas é tudo ainda muito prematuro e vai demorar tempo até que sejam apuradas as causas deste acidente''.

É óbvio que se houver responsabilidades criminais a dilucidar, terá de haver processo-crime.

 

Quanto às coimas que a ACT pode aplicar, são sanções administrativas.

 Segundo a ACT :  Acidente de trabalho mortal

''Constitui um objectivo da ACT a realização de inquéritos a todos os acidentes de trabalho mortais que lhe tenham sido comunicados ou dos quais tenha conhecimento por qualquer forma.'' página da ACT''

A fonte da ACT também diz que o inquérito pode demorar. No entanto a morte dum trabalhador dos SMAS foi em 17 de Março e ainda não foi divulgado o resultado do inquérito. Porquê?

O silêncio só se pode compreender se esse acidente está sujeito a inquérito judicial. Se não está, a transparência aconselhava a publicação desse inquérito e a sua publicação on-line.    

act.png

 Comunicado da ACT

Entretanto segundo os números disponíveis da ACT, a 5 de Agosto, os acidentes mortais tinham sido estes, a que há que juntar os 2 mortos na USF

acidente mortal.png

Ou seja no Distrito morreram pelo menos 9 trabalhadores e cerca de 30% dessa mortalidade foi em obras da autarquia.

SM

fonte: Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT) 
.

 



publicado por porabrantes às 18:37 | link do post | comentar | ver comentários (2)

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Fiar-se na Imaculada

Estava marada a placa da ...

Deus não dorme: ACT susp...

O nome da subempreiteira

A culpa vai morrer soltei...

Inquérito-crime nas morte...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds