Sexta-feira, 08.03.19

A hagiografia  local sustenta que a abrantina e milionária D.Clemência Dupin (pelo 2º casamento ''de Seabra'') foi muito progressista por ter sido uma das primeiras mulheres a divorciar-se ao abrigo da legislação criada por Afonso Costa.

Faltava dizer alguma coisa?

Não porque já tinha sido dita.....

verdade%20sôbre%20afonso%20OUT

Edição do autor. Lisboa. 1935

clemência

clemência 4

cunha-e-costa

O Advogado da D.Clemência, que do afonsismo evoluiu, até chegar à extrema-direita sidonista

O livro do Alberto Guimarães é uma resposta à obra de A.Costa, ''A verdade sobre Salazar'', tratando-se pois de obra polémica a denegrir o caudilho republicano, tendo de ser lida nesse contexto.

ma

imagem de Cunha e Costa: Centenário da República

 

ver ainda : A D.Clemência e o Tio Abel das Vacas

 

 



publicado por porabrantes às 17:18 | link do post | comentar

Domingo, 15.07.18

abrantes saúda afonso costa

A Capital, diário republicano, 4 de Dezembro de 1910

 

loyoala santa bárbara ant pádua luz

 (gamado ao Zé Luz que no face faz um notabilíssimo trabalho de preservaçao da memória de Constância)  

 

 

Inácio de Loyola, na Quinta de Santa Bárbara, antiga propriedade da Companhia, o medalhão escapou à sanha republicana porque a Quinta era em 1910, propriedade do deputado e médico abrantino Zeferino Falcão

 

 

 

Há uma gralha, o Jornal chama a Martins Júnior....José, chamava-se João

 

excursão mj

martins júnior 1910

Martins Júnior diz ''Afonso Costa é o Marquês de Pombal do século XX''

 

'' O mais lídimo representante da raça latina''

 

A ''excursão'' do Martins Júnior parece ter sido feita um pouco à revelia da estrutura local e distrital do PRP

 

a excursão oficial do Ramiro Guedes fora a 6-11-1910

exc ramiro guedes 1

exc ramiro guedes 2

exc ramiro guedes 3 cap 6-11-10

 havia uma evidente rivalidade política, que se iria acentuar com os anos e que terminaria com Martins Júnior comandando golpistas armados contra a República....

 

mn

 



publicado por porabrantes às 22:26 | link do post | comentar

Domingo, 12.06.16

alfredo da silva.png

Alfredo da Silva em carta a Paes Borges, Madrid, 2 de Maio de 1926

alfredo da silva e salazar 2.png

al salazar.png

 Muito bom o livro, o excerto transcrito está neste livro,

 

falta o soba

afonso costa.jpg

Alfredo da Silva exilado em Madrid, desce frequentemente a Abrantes, onde pernoita em Alferrarede, dirige o amplo negócio da CUF, dá instruções, tem esperanças na questão dos Tabacos e espera o resultado dum golpe. O 28 de Maio.

ma

 



publicado por porabrantes às 23:16 | link do post | comentar

Sábado, 02.01.16

SilviaFerreira.png

O historiador Rui Lopes, nosso atento leitor, desvenda-nos a intelectual coimbrã que, sem pejo denunciou as políticas neo-liberais de privatização do serviço público de que o CRIA, presidido pelo Carvalho, é parceiro.

 

o Público: Professora de Coimbra critica CRIA

Aqui têm a Doutora Sílvia Ferreira que eu não conheço pessoalmente no site da Fac. de Economia da UC (área de Sociologia): http://www.uc.pt/feuc/pessoas/docentes/silvia_ferreiraé também investigadora do Centro de Estudos Sociais da UC: http://www.ces.uc.pt/investigadores/cv/silvia_ferreira.phpNota: digo Doutora porque é somente Doutorada e Profª Auxiliar da FEUC. Para se ser Professor Doutor é preciso ser Catedrático ou, no mínimo, Professor Associado com Agregação (uma espécie de "lista de espera" até haver lugar para Catedrático) não é como alguns que mal se Doutoram já se intitulam de Professor Doutor quando são somente Doutores ...

Rui Lopes

 

Não resistimos de recomendar aos neo-liberais (como o Carvalho) a leitura de parte da obra da Doutora Sílvia Ferreira

 

erreira, Sílvia; Serapioni, Mauro; Maneca, Teresa. 2013. Voluntariado em Portugal. Contextos, atores e práticas. ed. 1. Évora: Fundação Eugénio de Almeida.
     

 

Capítulos de livros publicados
Published book chapters
1. Ferreira, Sílvia. 2013. Terceiro Sector e Estado-Providência em Portugal.  In Os Portugueses e o Estado-Providência, ed. Filipe Carreira da Silva, 161 - 196. . Lisboa: Imprensa de Ciências Sociais.
     
2. Ferreira, Sílvia. 2011. Governance and failure in local strategic multi-sectoral partnerships: the cases of LSP (England) and Rede Social (Portugal).  In Governing Ambiguities: New Forms of Governance and Civil Society, ed. Enjolras, B. and Bozzini, E., 39 - 56. . Baden Baden: Nomos.
     
3. Ferreira, Sílvia. 2010. Researching civicness contexts and conditions: the case of the Portuguese welfare mix in social services.  In Civicness in the governance and provision of social services, ed. Adalbert Evers, Taco Brandsen e Paul Dekker, 227 - 248. . Baden Baden: Nomos.
     
4. Ferreira, Sílvia. 2008. The South European and the Nordic welfare and third sector regimes – how far were we from each other?.  In Nordic civic society organisations and the future of welfare services. A model for Europe?, ed. Aila-Leena Matthies, 301 - 326. . Copenhagen: Nordic Council of Ministers.
     
5. Ferreira, Sílvia; Santos, Boaventura S. 2002. A reforma do Estado-Providência entre globalizações conflituantes.  In Risco social e incerteza: pode o Estado social recuar mais?, ed. Pedro Hespanha e Graça Carapinheiro, 177 - 225. . Porto: Afrontamento.
     

 

Artigos em revistas com arbitragem científica
Papers in periodics with scientific refereeing
1. Ferreira, Sílvia. 2012. "Observando a indecidibilidade da participação do terceiro setor na governação em rede", Revista Crítica de Ciências Sociais, 97: 107 - 132.
doi: 10.4000/rccs.4955
     
2. Ferreira, Sílvia. 2010. "A invenção estratégica do terceiro sector como estrutura de observação mútua: Uma abordagem histórico-conceptual", Revista Crítica de Ciências Sociais, 84: 169 - 192.
     
3. Ferreira, Sílvia. 2005. "The Past in the Present: Portuguese Social Security Reform", Social Policy and Society, 4: 331 - 338.
     

 

Artigos em revistas sem arbitragem científica
Papers in periodics without scientific refereeing
1. Ferreira, Sílvia. 2008. "A questão social e as alternativas da sociedade civil no contexto das novas formas de governação", Ciências Sociais Unisinos 44, 1: 28 - 38.
     

 

Trabalhos completos/resumidos em eventos sem arbitragem científica
Papers in conference proceedings without scientific refereeing
1. Ferreira, Sílvia. 2011. " Scaling social impact under different modes of welfare governance: an analytical proposal", Trabalho apresentado em 3rd EMES International Research Conference on Social Enterprise: Social Innovation through Social Entrepreneurship in Civil Society, In EMES Conferences Selected Papers (ECSP-R11-21), Roskilde.
     


as suas críticas no Público ao RLIS são estas

 

Rlis.png

Público

 

Aparece na notícia a defender o RLIS o padre Lino Maia, boss da CAP das IPPS, as suas opiniões apenas pretendem defender o lobby da indústria católica dos pobrezinhos.

Deviam explicar ao Padre Maia quem foi Pombal e Afonso Costa.

ma



publicado por porabrantes às 23:45 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.12.15

1010093_10207218282228648_2087308547008553979_n (1

a Virgem era o ex-ministro regenerador Bernardino Machado que fez a Vila de Abrantes passar a ser Cidade.

Bonito Serviço este milagre da Virgem!

ma



publicado por porabrantes às 11:45 | link do post | comentar

Sexta-feira, 21.03.14

 

Baltazar de Almeida Teixeira, último deputado da Constituinte  de 1911 a falecer, foi um colaborador frequente do Jornal de Abrantes durante a 1 ª República.

 

Maçon e pilar do GOL -Grande Oriente Lusitano, militante do PRP, deputado e Advogado, acérrimo partidário de Afonso Costa, teve pelo salazarismo um aristocrático desprezo, embora na família não faltassem talassas e salazaristas.....

 

 

 

 

''O Sr. Cunha Leal (PPD):- Sr. Presidente, Srs. Deputados: Com curto intervalo de tempo, faleceram, há dias, os Drs  Baltasar  de Almeida Teixeira e Nuno Simões. Não é fácil, não é mesmo nada fácil, com os ritos da retórica habitual, exprimir o que vai dentro de mim. É que tanto Almeida Teixeira como Nuno Simões foram pessoas que pertenceram àquela plêiade de homens denodados que, de coração limpo e alma lavada, se entregaram, numa dádiva total, aos ideais da República e da democracia, quase desde o alvorecer das suas próprias consciências.
Por eles se bateram sem desfalecimentos, com inteira dedicação, com uma perseverança, com uma intrepidez e uma inteligência que, só por si, bastaram para os impor, já que nunca consentiram em ser impostos à consideração geral por via disso, se tendo alcandorado a lugares públicos cimeiros, alcançados por puro direito de conquista, que nunca por uma promoção negociada ou de mero favor. E quando a ditadura fascista, inexorável, tombou sobre Portugal, nem por isso eles, que mais não fosse por uma comodidade a que renunciaram, se quiseram remeter àquele remanso dos batalhadores cansados, aliás para eles quase plenamente justificável. Nada disso! Vencidos mas não convencidos, derrotados mas nunca humilhados, eles continuaram a ser sempre o que sempre foram: cavaleiros dos ideais que, até ao último alento, sempre os inspiraram. Daí que me permita apontá-los a todos nós como exemplos a seguir. Exemplos de dignidade, de perseverança e de inabalável fé nos destinos da República, da Democracia e da própria Pátria. Quem foram estes homens? De Baltasar de Almeida Teixeira, direi que foi um pedagogo notável, um advogado e um jornalista notável, também. Interveio, nele tomando parte activa, no período da propaganda da República, onde teve intervenções de alto brilho. Ascendeu, por ter sido eleito deputado à Constituinte de 1911, tendo sido designado pelos seus pares para secretariar essa Assembleia. E, com tal decoro se houve que, desde então até ao 28 de Maio, nas legislaturas que se vieram, umas após outras, a suceder, sempre nelas ele veio a desempenhar essas mesmíssimas funções de secretário. Cego há muitos anos, jamais consentiu que essa desgraça lhe quebrantasse o ânimo e, sempre fiel a si próprio, veio a morrer, já com 104 anos de idade, a todos legando o exemplo de uma vida exemplar. Nuno Simões foi igualmente um homem de leis e um homem de letras notável, e foi, outros sim, um economista distintíssimo. Deputado durante várias legislaturas, ascendeu, por mais de uma vez, às cadeiras ministeriais, indo com ele a enterrar o último dos ministros, ainda, até então, existentes da 1.ª República. Estes, os homens cuja memória pretendia evocar, o que faço com tanto mais, com tanto maior pertinência, quanto é certo terem eles, dentro desta Casa, que sempre souberam honrar, desempenhado um papel de particular importância. Tiveram ambos a suprema glória, que a tantos outros democratas foi negada, de assistir à derrocada da ditadura fascista, que detestavam. Teriam eles podido ficar agradados com a República que depois do 25 de Abril se veio a instaurar? Tenho as minhas sérias dúvidas. Do que não tenho, porém, dúvida alguma é que tanto um como outro, mesmo que tal tivesse acontecido, jamais teriam consentido que nas suas almas pudesse penetrar o escalracho aniquilante do desânimo. Isso nunca eles consentiriam e tanto bastava, que mais não fosse, para que eu aqui lhes tributasse o público testemunho de um respeito que nunca poderá ser cancelado. Sr. Presidente e Srs. Deputados, honra à memória de Baltasar de Almeida Teixeira e de Nuno Simões.

 

O Sr. Kalidás Barreto (PS): - Paz à sua alma!''

 

in Diário da Assembleia Constituinte

 

O Kalidás era de Castanheira de Pera, dirigente do Sindicato dos Lanifícios (autor duma monografia interessante sobre a Vila) e da escola da JOC e do sindicalismo católico e por isso lhe saiu a beatice de falar da ''alma'' do Dr.Teixeira.

 

Um republicano responderia: Saúde e Fraternidade! Baltazar Teixeira partiu para o Oriente Eterno!

 

 

MA

não arranjei foto do Dr.Teixeira ainda, há uma no livro sobre os Constituintes de 1911 que tenho de comprar, lá estão os abrantinos drs. João Damas e Ramiro Guedes também. Mas a vida é um caixa de surpresas, arranjei uma foto do irmão dele, o Coronel Almeida Teixeira na cadeia

  

 

Tinha-se levantado em armas contra a República, em 1919, em Monsanto e está numa confortável cadeia militar . Foto divulgada no facebook pelo grupo de amigos de Paiva Couceiro, caudilho monárquico que o nosso Coronel seguiu na revolta realista de 1919, que daria origem à Monarquia do Norte



publicado por porabrantes às 21:04 | link do post | comentar

Segunda-feira, 16.01.12

 

 

António Lino Neto, do Mação, foi o líder da resistência católica à selvagem política de Afonso Costa e das lojas ''democráticas'' de aniquilar a liberdade religiosa em Portugal.

Como explicou Fernando Catroga em obras luminosas aquilo que queriam A.Costa e as lojas ''democráticas'' era substituir o catolicismo, alma de Portugal, por uma nova religião e para isso conspurcar a democracia, esmagando a liberdade.

Há sempre quem resista, disse Zeca Afonso.

Lino Neto foi o líder da luta pela Liberdade e o paladino da Resistência.

Uma resistência democrática, uma luta de morte pela defesa dum Portugal civilizado.

Quem honra Afonso Costa odeia a Liberdade, como quem honra Salazar.

É o caso do dr.Lacão e do doutor Candeias.

Quem honra como nós Lino Neto, reivindica a luta pela Liberdade.

É preciso separar as àguas entre democratas e totalitários.

Como em 1975, quem estava com Mário Soares defendia a Liberdade, quem estava com o gonçalvismo queria impor as grilhetas da opressão ao nosso povo.

Onde estava Lacão em 1975?

M.Noronha 



publicado por porabrantes às 09:13 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Dia da Mulher: Afonso Cos...

Dia do Senhor: Abrantes a...

Os lacaios do soba Afonso...

A socióloga que criticou ...

A Virgem do Presépio tinh...

Assembleia Constituinte h...

O resistente- espaço da t...

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12

18
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds