Domingo, 15.07.12

Recebemos do   Senhor Professor Antonio Hespanha este comentário disse sobre as nossas notas: a propósito do reexistir... na Quinta-feira, 12 de Julho de 2012 às 19:13:

 

     

Caro quase vizinho.
Parabéns pelo seu bem organizado arquivo, com fotos e tudo. Quem haveria de dizer que até os meus pacatos ócios estivais eram objecto de tanta atenção ... Nem os sapatos escaparam. Quanto ao tal (bom, ainda hoje) livro, é de Alhusser e outros, não se chama (nem se podia chamar, em bom francês) "Comme lire le capital", mas apenas "Lire le capital". Obra fundamental de teoria das ciências, para quem não saiba. 
Se conhece um pouco os perfis de vida do meu sogro e do meu irmão, deve calcular que me orgulho muito deles, como pessoas exemplarmente direitas e dedicadas ao interesse público. Eu também tento ser assim, o que é muito mais importante do que ter tido ou não um papel inovador na história das instituições.
Porventura conhecemo-nos pessoalmente, embora não o consiga localizar, de memória. Quando passar pela Chamusca, bata à porta. Não leve o jornalista que cita, por favor ...

 

 

Caro Professor, 

É para nós uma honra o seu comentário, Sr. Professor António Hespanha. Junta-se a Irene Pimentel ou a Manuel Bairrão Oleiro, assinaláveis vultos da Cultura Portuguesa, que já aqui disseram da sua justiça.

Para um blogue provinciano, cujas únicas qualidades são a persistência e a defesa insubornável dos interesses de Abrantes,  e cujo mote é a defesa do Património da nossa Cidade, ameaçado pelo desvario municipal e municipalizado que quer arrasar São Domingos, o último Convento da nossa Cidade, agora Biblioteca Pública, para meter lá um aborto urbanístico é uma coroa de glória ter comentaristas destes.

António Hespanha com um irónico ‘’fair-play’’ responde aos meus remoques, alguns deles próprios dum licenciado, menos rápido que o prodigioso Relvas, que tem algumas pedras no sapato contra a História das Instituições e contra as próprias Instituições e contra Althusser.

 

 

É para mim impenetrável mas é muito melhor que o Manual de bolchevismo rupestre da Marta Harnecker que já não me lembro se a UEC ou o MRPP adoptaram como livro único na FDL em Lisboa em 1974-1975.

Foi a estudar essa coisa que formou o seu pensamento político a brilhante cabeça do meu conhecido e estimado Zé Manuel Barroso, quando ainda não ajuntara o Durão ao seu nome guerra político.

Um dia vi o Zé Manuel intervir numa aula em que explicou por a+b+c ao Prof. Braga de Macedo que aplicando o pensamento de Mao-Tsé-Tung os disciplinados camaradas chineses, usando só o trabalho manual, certamente ao som de alto-falantes que vibravam felizes as máximas idiotas do Grande Timoneiro, conseguiam produzir mais e mais rápido que as máquinas capitalistas.

O Braga de Macedo ficou banzado. Eu também.

 

 

Que gente inteligente como a Ana Gomes ou o Zé Luís Saldanha Sanches tenham acreditado piamente nestas coisas misteriosas, deve ser matéria de fé.

Isto levou-me a passar pouco pela Universidade, mas um dia entrei numa aula de História de Instituições dada por esse preclaro vulto da Advocacia Lusitana, o Romeu Francês, a quem o sr. dr. António Cluny, hoje ornamento da nossa Magistratura, chamava perspicazmente Romeu Chinês e que declarou ‘’Aqui faz-se uma História Popular, Democrática e de Massas’’ Depois enquanto o público aterrorizado esperava nova saída genial do Romeu, o suspense dissolveu-se e a criatura lançou esta pérola: ‘’ Eu não sei se o Nuno Álvares, quando se ajoelhou em Aljubarrota foi para cagar ou rezar’’.

Antes que o Romeu Chinês nos esclarecesse,  eu levantei-me e atirei com a porta.

Durante uns anos largos e felizes, fui fazer outras coisas. Assim poupei-me ao trabalho de ver o Santana Lopes seduzir politicamente o Barroso e outros espectáculos lamentáveis.

Alguns anos depois voltei, na qualidade de estudante absentista e encontrei o seu Manual e lembrei-me das suas leituras na Figueira da Foz, à sombra de um chapéu de sol às riscas e à ilharga do neto do velho Reitor Maximino Correia.

Confesso que ou a sua prosa era impenetrável, ou as minhas luzes escassas e na prova escrita apanhei um onze. Na oral meti os pés pelas mãos quando o Professor puxou o Locke à conversa e consegui desviar a coisa para o Montesquieu.

 

Convida-nos o Professor para lhe bater à porta na Chamusca, coisa que aproveitarei um dia destes. Mas antes disso contemple esta barbaridade que por ajuste directo, sem visto do Tribunal de Contas, (o Guilherme Oliveira Martins devia estar distraído e o Sr. Juiz ultrapassou o prazo, havendo  deferimento tácito), a Câmara de Abrantes encomendou ao génio do betão alentejano Carrilho da Graça para destruir um convento com 5 séculos, arruinar a paisagem da velha urbe, liquidar as finanças municipais, insultar a nossa cultura  e gastar 10 milhões de euros.

 

Simulação do impacto do projecto na cidade arq. beatriz noronha, atelier do Arq. Doutor António Castel-Branco 

 

Fizemos esta petição, onde assinaram gente de todas as cores políticas, abrantinos e não só, escritores como Luísa Costa Gomes, músicos como Rui Veloso, ex-Ministros como Ferreira do Amaral, e mais de 1000 cidadãos ....            

 
Pode ler a petição aqui   
Contar com o apoio de um vizinho tão ilustre da castiça Chamusca, seria para nós um incentivo excepcional na luta pela defesa do Património de Abrantes.
Os meus cumprimentos
Marcello de Noronha
PS-Quanto ao jornalista citado não se preocupe, também não é do meu agrado. Ainda me lembro dos editoriais dele em defesa do Henver Hodja.....


publicado por porabrantes às 18:37 | link do post | comentar

O nosso amigo e historador abrantino mas cada vez mais ''coimbrinha'' dr. Rui Lopes desanca o sr. Noronha e defende o papel inovador de António Hespanha na História das Instituições:

 

 



Rui Lopes  disse sobre Professor António Hespanha no Sábado, 14 de Julho de 2012 às 14:30:

 

     

"As Vésperas do Levianthan", leitura obrigatória no 3 º ano de História nas cadeiras de História Moderna e História Moderna de Portugal. A história das instituições que fizeram o Estado Moderno. Esse livro é uma "bíblia" para compreender a época moderna. 
O Prof. António Hespanha, é prof em Lisboa mas fez o curso de Direito em Coimbra e dedicou-se muito à História das Instituições, ainda hoje, um irmão dele é Prof. na Faculdade de Economia de Coimbra ...

 

 

Caro Rui,

Estamos para te nomear  correspondente oficial deste blogue na velha e castiça Coimbra. O Sr. Dr. Noronha tem alergia a Althousser

 

 

 

e a filósofos em geral.....

 

Great Philosophers Who Failed at Love by Andrew Shaffer, John Calvin

 

 

deve ser por isso que não gosta da profundidade teórica que se respira no livro que citas.

 

Isto é um blogue plural e portanto aqui fica a tua opinião. Logo à tarde publicamos o comentário do Professor Antóno Hespanha.

 

 

O Noronha deve estar na missa. Disse-me que queria escrever uma crónica sobre as novas mi$$as abrantinas.

 

 

Saudações anti-cubo

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 13:45 | link do post | comentar

Sábado, 14.07.12

Recebemos do Senhor Professor António Hespanha, académico cujas referências são por demais conhecidas, para ser necessário serem realçadas,

 

 

 

 

um amável comentário, recheado de ironia e de palavras simpáticas  e de alguma correcção ( tem razão o Professor, o livro do Althousser chama-se ''Lire le Capital''), na passada quinta-feira a que ainda não demos o devido destaque devido à paranóia relvística, à porca da política abrantina (somos um blogue local com muita honra), e à preguiça estival.

 

 

Vamos editá-lo com o devido destaque e responder-lhe, mas desde já apresentamos as nossas desculpas ao nosso  vizinho da Chamusca.

 

A nossa regra é que o direito de resposta é sagrado. O debate de ideias imprescindível. E que a polémica é saudável.

 

Não se trata no caso de entrar em polémica com António Hespanha mas de trocar ideias e se calhar de  lhe pedir que assine a petição.

 

 

Antes de respondermos ao Prof. Hespanha eis um bom aperitivo. Damos-lhe a palavra:

 

M.Noronha
PS- Se todos os professores universitários fossem como António Hespanha não haveria em Portugal licenciados de pacotilha como o Relvas...... 
 


publicado por porabrantes às 13:40 | link do post | comentar

Sábado, 30.06.12

''É certo que o prof. Hespanha se apresenta apenas como historiador, mas é estranho que, tendo passado o Prós e Contras a apelar a que se olhasse para a realidade, seja de uma total cegueira quanto a factos bem reais.''

 

 

citando José Manuel Fernandes no Público

 

O Prof. Hespanha é um académico e simpático. Conheci-o antes do 25 de Abril, debaixo dum chapéu de sol na praia da Figueira da Foz

 

 

 

Passou o mês de Agosto, sentado numa cadeira dessas, sem tirar os sapatos ou a roupa, lendo ''Comme lire le Capital'' do Althusser.   

 

 

às vezes para desanuviar levava a História da Literatura Portuguesa, umas 700 páginas do Óscar Lopes e do António Zé Saraiva, suponho a edição onde o bom do Professor Saraiva ainda não se deslumbrara com o Maio de 68 e não passara a desancar na sua própria interpretação jdanovista do teatro de Gil Vicente......

 

Com este perfil não me foi difícil adivinhar onde o Prof. Hespanha assentaria arraiais no PREC enquanto o sogro era designado pelo MDP Presidente da C.M. da Chamusca e o irmão Comissário do Povo para a Reforma Agrária....

 

 

Com os anos o Hespanha foi-se afastando do dogmatismo e do PCP onde a única filosofia que há agora é um obreirismo rupestre porque o Camarada Jerónimo não dá para mais...

 

Tenho impressão que para ele um soviete é uma espécie de junta de freguesia operária e camponesa....

 

O Prof. Hespanha herdou do Althousser a prosa historiográfica mais complicada de Portugal, dizem que revolucionou a História das Instituições mas não dei por  isso....

Fez um bom trabalho administrativo ao leme duma Comissão sobre assuntos históricos e a ele se deve a publicação duma imensidade de obras esquecidas ou inéditas neste ramo.

Naturalmente um tecnocrata que falava inglês à Gaspar,veio dar cabo deste trabalho insano e parte das edições e dos CDs terminaram vendidas a peso,pelo seu próprio Editor, o Estado....

 

 

Para o Prof. Hespanha

 

 

 faculdade de Direito UNL

 

saber o que é a realidade, devia haver outro 25 de Abril e ser nomeado pelo ''povo'' para o lugar que foi do sogro, o de Presidente da Chamusca...

 

 

Aí é que ia ver o é a realidade, administrar uma Câmara sem dinheiro, como o Sr.Carrinho e diga-se que faz o melhor possível, porque além de bom homem é um homem-bom. (1)

 

 

Resta dizer que o Sr. Prof. Doutor Hespanha é uma excelente pessoa, um grande académico e um homem muito simpático, mas... 

 

Marcello de Noronha

 

(1) No caso do nosso leitor anti-Carrinho nos escrever, desde já adiantamos que o Sr.Carrinho também fez muitos disparates. Por exemplo organizar leilões de velharias com o espólio camarário, nisto foi um profeta. Todo o Portugal está à venda ao primeiro que chegar com um livro de cheques na mão.....

 

 

 

 




publicado por porabrantes às 19:28 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Um Comentário do Professo...

Elogio do Professor Antón...

Professor António Hespanh...

as nossas notas: a prop...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds