Sexta-feira, 19.09.14

 

 

O caso de Tomar é tema de manchete no ''I''. As palavras da menina cigana são de fazer partir o coração. A paisagem do bairro cigano é uma chaga na face de uma cidade que é património da Humanidade. O que é o responsável do Urbanismo local tem a dizer a isto?

 

 

Cidadão Abt

 

O homem, o costista arq. Rui Serrano, talvez proponha fazer um ajuste directo de 900.000 € ao Carrilho da Graça para criar o primeiro bairro cigano cubista e sustentável do mundo. Ou vá pedir conselho ao António Costa.

Mas nada de útil fará, porque sendo responsável pelo urbanismo em Abrantes nada fez para resolver a situação dos bairros ciganos. A não ser verificar a inoperância da fiscalização (dizem-me que por razões políticas) face a novas construções ilegais.

A não ser estar calado perante o clima de insegurança cá na terra  em parte motivada por marginais dessa etnia

portuga-coruche

 

Regresso ao artigo do I. Do ponto de vista pedagógico é uma erro técnico misturar alunos de 9 anos com outros de 14 na mesma turma. É condená-los ao insucesso escolar. Falando bem e depressa o desgraçado do professor que tiver de dar aulas a essa turma está lixado.

Mas aquilo que se está a montar nesta escola tomarense é puro apartheid, vão contratar '' auxiliares de educação ciganos'' e a escola já está dividida, como no Alabama do Governador Wallace, em duas, uma para ''senhores'', outra para ciganos. Chegarão a isto?

    

 

O segregacionismo, a manutenção de ghettos, a política da avestruz só leva ao desastre  

 

MA



publicado por porabrantes às 09:34 | link do post | comentar

Quinta-feira, 06.03.14

 

 

 

O Serrano e a família Freitas têm animado em Tomar, em cómico ardor, uma guerra beata e absurda  com tais repercussões que só merece um poema heróico-cómico do género do Hissope de António da Cruz e Silva:

 

 

Eu canto o BISPO, e a espantosa guerra,

Que o HYSSOPE excitou na Igreja d’Elvas.

Musa, Tu, que nas margens aprazíveis,

Que o Sena borda de árvores viçosas,

Do famoso Boileau a fértil mente

Inflamaste benigna, Tu me inflama;

Tu me lembra o motivo; Tu, as causas,

Por que a tanto furor, a tanta raiva

Chegaram o Prelado, e o seu Cabido.

 

(...)

 

a coisa devia ser mudada

 

Eu canto o Padre Mário e a espantosa guerra

Que o cadeira do Reverendo  excitou na Igreja de Tomar

 Musa, Tu, que nas margens aprazíveis,

Que o Nabão borda de árvores viçosas,

Do famoso Boileau a fértil mente

Inflamaste benigna, Tu me inflama;

Tu me lembra o motivo; Tu, as causas,

Por que a tanto furor, a tanta raiva

Chegaram a Família Freitas e o Serrano

Hertz

para com pompa e circunstância

o dia da Cidade celebrar

 Tomar na Rede

Hertz

 

 

 e o eclesial lugar do sacerdote piedoso

 reverendo e sacerdotal a paroquiar 

foi por um okupa ateu e merdoso

roubado num atrevimento espantoso    

dizem que o  Serrano não foi à missa

mas é falso o boato e aleivoso

o Serrano foi à missazinha

e a câmara respeitosa convidou o Borga

Cidade de Tomar

não para  na cadeira honrosa se sentar 

porque  a Igreja Romana havia que honrar

mas para as viaturas bombeirais benzer

porque diz o Serrano assisado

que se os carros da corporação fossem ateus

alguma bombeira podia falecer........

vejam lá ò leitores meus..... 

 

transcreve-se de seguida o espantoso e pio comunicado da edilidade nabantina

 

 

com a devida vénia à Hertz, 

 

 

''Está em causa o alegado desrespeito institucional pela Igreja Católica nas cerimónias, um cenário que a autarquia cataloga como «totalmente falso». E esta posição é justificada pelo facto de José Pereira, presidente da Assembleia Municipal de Tomar, no início da cerimónia, ter agradecido «a presença das entidades religiosas (ao momento ainda não presentes), como nas gravações pode ser comprovado». Durante a sessão, o Padre Mário Duarte, pároco de Tomar, ficou em pé, no meio do público, o que chamou a atenção dos presentes. O texto dá a sua versão sobre o que aconteceu: «O Sr. Padre, e como manda o protocolo, foi convidado para as cerimónias. Segundo algumas informações vindas a público, o Sr. Pároco de Tomar ficou em pé nas cerimónias, por não ter lugar. A informação é errada. O início das cerimónias foi às 8h30 e o Sr. Pároco chegou bem depois das 9 horas. O protocolo do Município tinha um lugar reservado para ele, mas que foi indevidamente ocupado, devido ao atraso. A situação foi prontamente explicada e apresentada uma solução por duas pessoas do Município, o que foi recusado pelo Sr. Padre, alegando motivos de agenda», adianta esta missiva, que desmente, também, quando se diz que as cerimónias religiosas não contavam do programa do Dia da Cidade, assegurando que «na celebração religiosa, por manifesta indisponibilidade da Sra. Presidente, estiveram presentes o Sr. Vice-Presidente da Câmara e o Sr. Presidente da Assembleia Municipal, em representação do Município. O respeito do Município pela instituição católica poderá ser visto no facto de, na cerimónia do aniversário dos bombeiros, ter sido convidado o capelão dos Bombeiros Municipais de Tomar, o Sr. Padre Borga, a fazer a bênção dos novos carros. Ao Município de Tomar interessa manter as melhores relações com todas as instituições, considerando ainda que a Igreja Católica é um parceiro central do desenvolvimento do concelho na situação social actual», garantiu, neste texto, a Câmara Municipal de Tomar.

 

Daqui se retira:

 

O José Pereira, Presidente da A.Municipal agradeceu a presença de entidades ausentes da cerimónia!!!

 

O P.Mário chegou atrasado, mostrando que a pontualidade não é uma virtude católica, porque inglesa e os ingleses são protestantes!!!!

A chefa do Serrano mandou-o à missa e o homem lá foi ....para que não marcassem falta à edilidade de Tomar...e pra obedecer, que obedecer faz crescer....

 

 

O Tomar na Rede diz que isto é informação útil para o Serrano e para os católicos

 

Em Tomar o catolicismo já deu de tudo

 

 

Mas não se pode interpretar a guerra desencadeada pela Família Freitas e pelo Serrano contra o pobre Padre Mário Duarte sem ler estas declarações frontais que o pároco dedicou numa missa aos políticos de Tomar, estando presentes as autoridades locais:

 

escrito pelo sr. Rebelo no Tomar a Dianteira, que infelizmente está sem actividade
a redacção
a segunda poesia não é de nenhuma poetisa centenária colaboradora da Nova Aliança, mas podia ser...  


publicado por porabrantes às 12:32 | link do post | comentar

Quarta-feira, 16.03.11

 

Apresentamos, como prometemos, mais documentos internos do MIAA. O primeiro leva a assinatura de Sara Morgado, arquitecta, Chefe de Divisão  e vai endereçada ao arq. Serrano, Vice-P. da CMA.

 

Situemos as personagens, Sara Morgado é esposa do ex-Vereador laranja Pedro Marques, agora de novo regressado à política na direcção laranja local.

 

Sobre ele diremos coisas em breve.  

 

 

O arq.  Serrano participou num concurso de ideias, promovido pela CMA, para São Domingos cujas soluções foram vetadas pelo IPPAR.  

 

No documento que apresentamos que é a parte inicial da documentação referente ao processo de aprovação do nefando projecto de Carrilho da Graça e pelo qual a digna arquitecta tem naturalmente responsabilidades de variado teor, que lhe poderão ser exigidas no local adequado, Sara Morgado tece considerações que estão fora da sua alçada e outras que devido à escassez dos seus conhecimentos em áreas académicas como a arqueologia e a museologia são infundadas.

Quem é Sara Morgado para dizer que o MIAA é o projecto-âncora (ou um deles) da CMA quando não está mandatada pelo voto popular para definir qual é a política camarária? A arquitecta excede aqui as suas competências.

Diz a Arq que a ''representatividade e  a qualidade das colecções a exibir encontra-se, agora, amplamente sustentada''.

 

Pergunto eu, antes não estavam?

 

Porquê só agora?

 

E encontram-se sustentadas onde,

quando e por quem?

 

A arquitecta não consegue articular um nome credível (ou mesmo qualquer outro) que ateste a qualidade das colecções.

 

Se pegar numa história da arte em Portugal no século XX o que é que se diz lá da pobre pintura de Lucília Moita????

 

Que opina o maior crítico português, José Augusto França?

 

Passemos às colecções arqueológicas. Que  disse nas jornadas internacionais um perito sobre a colecção ''egipcía''???

 

Porque não o reproduz a arquitecta?

Portanto a introdução vale = zero, porque a opinião da Senhora Marques é de um valor nulo em museologia e arqueologia.

Depois a nossa querida  Arq.Morgado diz que foi baseado nessa premissa que se atribuiu ao atelier Graça a responsabilidade pela execução do projecto.

 

Mas não diz nada sobre a lei que regula o ajuste directo e a forma pouco habilidosa, já aqui desmontada, como a CMA, com o voto do seu esposo, aprovou tal ajuste directo.

 

A seguir faz o rol dos pareceres pedidos a várias entidades e faz-nos descobrir que o  IGESPAR  e o Ministério da Cultura  emitiram um parecer (ou pareceres) favorável ''condicionado''.   ( documentos que publicaremos)

Pela documentação que temos em nossa posse as condições impostas pelo IGESPAR não foram cumpridas e mesmo assim a arq. Morgado tem a ousadia ( o mundo é dos audazes) de  propor a aprovação do projecto!!!!!

 

E pergunta-se quantas linhas dedica a Srª Morgado à compatibilidade do projecto com o PUA-Plano de Urbanização de Abrantes?

 

Nenhuma!!!!!

 

Há silêncios que são reveladores ....... 

 

 Miguel Abrantes

 PS-Se o Dr.Pedro Marques votou em Dezembro de 2007 a favor da adjudicação do contrato do MIAA ao atelier de Carrilho da Graça era porque tinha interesse (político)  na aprovação dessa deliberação. Nos termos do art 44, n1 alínea b) do CPA-Código Procedimento Administrativo no caso da arquitecta Sara Morgado ser esposa do então Vereador, é nossa opinião que se devia ter inibido neste processo. A opinião jurídica é naturalmente subjectiva como o provam o facto de reputadíssimos jurisconsultos emitirem pareceres que são contrários entre si sobre o mesmo caso.   

Artigo 44.º
Casos de impedimento
1 - Nenhum titular de órgão ou agente da Administração Pública pode intervir em procedimento administrativo ou em acto ou contrato de direito público ou privado da Administração Pública nos seguintes casos: 
a) Quando nele tenha interesse, por si, como representante ou como gestor de negócios de outra pessoa; 
b) Quando, por si ou como representante de outra pessoa, nele tenha interesse o seu cônjuge, algum parente ou afim em linha recta ou até ao 2.º grau da linha colateral, bem como qualquer pessoa com quem viva em economia comum; 
c) Quando, por si ou como representante de outra pessoa, tenha interesse em questão semelhante à que deva ser decidida, ou quando tal situação se verifique em relação a pessoa abrangida pela alínea anterior; 
d) Quando tenha intervindo no procedimento como perito ou mandatário ou haja dado parecer sobre questão a resolver; 
e) Quando tenha intervindo no procedimento como perito ou mandatário o seu cônjuge, parente ou afim em linha recta ou até ao 2.º grau da linha colateral, bem como qualquer pessoa como quem viva em economia comum; 
f) Quando contra ele, seu cônjuge ou parente em linha recta esteja intentada acção judicial proposta por interessado ou pelo respectivo cônjuge; 
g) Quando se trate de recurso de decisão proferida por si, ou com a sua intervenção, ou proferida por qualquer das pessoas referidas na alínea b) ou com intervenção destas. 
2 - Excluem-se do disposto no número anterior as intervenções que se traduzam em actos de mero expediente, designadamente actos certificativo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 18:52 | link do post | comentar

Quinta-feira, 29.04.10

Como já noticiáramos aqui a D.Maria do Céu anulara o ajuste directo a Carrilho da Graça para os novos Paços do Concelho. Houve vários motivos para isso incluindo a posição do Dr.Guilherme Oliveira Martins que ainda nem sequer deu o seu aval ao MIIA.

 

O Arq. Serrano, ex-Presidente do Núcleo Abrantino da Ordem, onde dirigiu uma homenagem a Duarte Castel-Branco, mas também foi favorecido pela atribuição à secção abrantina da Ordem que é muito pobrezinha, de instalações municipais à borla, apertado pelos colegas teve alguma influência nesta decisão.

 

Houve quem chegasse a sugerir uma sindicância para saber se em Abrantes também ou houve assinaturas de favor como na Guarda.

 

Não haverá na CMA algum projecto assinado pelo Sócrates?

 

Ou situações similares? dizia-nos um conhecido profissional com um sorriso sarcástico.

 

Esta posição enxofrou Nelson de Carvalho que  mais a brigada do reumático que  exigiram a imediata contatação de Isilda Jana como Comissária Política do PS local para vigiar a nova Vereação.

 

Depois para calar os arquitectos negociaram um protocolo com a Ordem e agora chegou o resultado.

 

Este:

 

''Concurso para elaboração dos Paços do Concelho de Abrantes em preparação

Encontra-se em preparação pelos serviços de concursos da OASRS, que lhe irão prestar assessoria, o Concurso Público de Concepção para Elaboração do Projecto dos Paços do Concelho de Abrantes.

O município de Abrantes deliberou proceder ao agrupamento dos seus serviços considerando que a dispersão que actualmente se verifica, por diversos locais da cidade, prejudica seriamente a desejável operacionalidade dos mesmos.

Nesta perspectiva irá remodelar o edificício da Escola Superior de Tecnologia de Abrantes, bem como o antigo Edifício da Rodoviária do Tejo que se encontram localizados na zona central da cidade, articulando-os por forma a que, da sinergia resultante, posam beneficiar os futuros Paços do Concelho e, consequentemente, os munícipes.''

 

in boletm da Secção Sul da OARS

 

As gralhas são deles  os comentários aleivosos são nossos:

 

a) Quem não tem dinheiro para um Mercado Novo ou mesmo para um Mercado Velho higiénico tem dinheiro para construir uns novos Paços do Concelho?

 

b) São os senhores técnicos do Urbanismo da CMA incapazes de organizar um concurso público? Para que serve o eng Ezequiel? O jurista José Pedro ou a avençada Milho?

 

c) Obviamente que são capazes, a única coisa que há é uma benesse feita à Ordem dos Arquitectos para tentar impedir que algum associado impugne num Tribunal Administativo o ajuste directo ao licenciado Carrilho da Graça.

 

 

 

d) que não está pelos cabelos porque é careca e foi aconselhado a estar calado não vá o do MIIA por água abaixo.

 

 

Homenagem a Duarte  Castel-Branco, anti-fascista e o melhor arquitecto de Abrantes

 

O que estará o VPC a fazer lá sentado?

 

Percebe tanto de arquitectura como de política ou de direito.....

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 18:17 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Porque não me põem numa t...

A Guerra de Tomar contra...

Wiki à abrantina : os doc...

Concurso público privatiz...

arquivos

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds