Segunda-feira, 03.09.18

Ardeu hoje a memória do Brasil. A consternação lusitana é geral, mas como dizem os brasucas, quartel-general em Abrantes, tudo como dantes.

Ainda não apareceu o Ministro da Cultura a anunciar mais dinheiro, que é urgente para o Museu de Arte Antiga, que vive em condições precárias.

O mesmo Ministro reconduziu a Conservadora do Convento de Cristo, cujas façanhas pirotécnicas e não só são conhecidas e produziram indignação geral.

 E por cá, quantos extintores em São Vicente ou S.João, há?

A memória do concelho está aqui, no Arquivo Eduardo Campos

.

O raio do portão do Arquivo Histórico está avariado desde 2014, diz-me um investigador e os bombeiros em caso de fogo não poderiam entrar, porque teriam de o empurrar à mão e pesa como mil diabos.

Dizem-me ainda que a colecção encadernada do Diário de Governo foi eliminada como outras peças que têm a ver com as obras feitas na cidade.

Portanto pede-se a quem de direito, que ponho cobro a isto,porque a memória histórica da Cidade, o Arquivo da Santa Casa, o de muitas instituições que fizeram parte da nossa vida colectiva lá repousam.

A foto é de Agosto de 2018. Já agora, podiam meter umas árvores que dessem sombra.

ma  



publicado por porabrantes às 21:51 | link do post | comentar

Quinta-feira, 08.03.18

A Srº D.Teresa Aparício publicou na última edição do Jornal da Lena um artigo interessante sobre o Arquivo Eduardo Campos, de que se publica um extracto.

teresa aparício.png

Tem toda a razão no que diz, excepto numa coisa. Não se pode transformar o Carvalho no bombo da festa, porque ele não é o único responsável de mandar o Arquivo prá sucata.

Houve uma mulherzinha com responsabilidades políticas cruciais nessa decisão. Era Vereadora da Cultura, a Dona Isilda Gomes Alves Jana.

Portanto, sendo Dia da Mulher que a Isilda assuma as suas responsabilidades numa decisão atentatória da Cultura abrantina.

isilda.jpg

Os homens não podem ser os responsáveis de tudo....

ma   



publicado por porabrantes às 22:43 | link do post | comentar

Domingo, 14.01.18

O Arquivo Eduardo Campos devia ser uma peça fundamental da nossa memória e para tal tinha de ser dirigido por um profissional, escolhido em concurso público, que orientasse a sua actividade com critérios científicos.

Infelizmente só o foi por reduzido tempo e estamos para saber a razão do afastamento do Dr.Camelo Morgado.

Como pode funcionar um Arquivo Histórico sem ser dirigido por um Historiador?

Será que a Torre do Tombo deveria ser dirigida por um contínuo?

Organiza o AH Eduardo Campos uma mostra sobre a mais antiga Igreja de Abrantes (S.João) e repetem a asneira que ao longo de séculos corre pela tradição e pela bibliografia, a fundação por Isabel de Aragão, a mulher do Lavrador.

Eduardo Campos, seguindo Pinho Leal, mostrou que já em 1176 uma Dona Queixoperra

12998471_1270719996290647_8695610126699493970_n.pn

doara bens na paróquia de S.João (que documentalmente é a mais antiga da terra).

O melhor apontamento sobre o assunto está numa nota deste autor, a páginas 59 da monografia abrantina do capitão Mourato.

Já agora e a talhe de foice saiu o nº 8 da 2ª série dos Cadernos do Arquivo Municipal de Lisboa, onde há 2 artigos com referências abrantinas,

Um arquivo tem de ter publicações destas. E no caso de Abrantes ao menos deviam ver o que publicou o patrono do dito ou andou o Eduardo a escrever para o boneco?

Roga-se ao Vereador Armindo Silveira, que representa o povo junto da partidocracia oligárquica que sublinhe a necessidade do Arquivo ter uma direcção profissional, ou seja que seja aberto concurso para um novo Director do mesmo. 

ma

     

 



publicado por porabrantes às 12:51 | link do post | comentar

Quarta-feira, 29.03.17

Foi privatizada a Galeria Municipal a favor duma empresa privada, para meter a colecção Figueiredo dos Santos. A ''privatização'' foi contestada pela CDU e por nós.

figueiredo.png

Quanto custa o ''negócio''?

Já começamos a saber.

21.527,17 € só para 2 exposições

col ribeiro.png

Curadoria: significará que o curador recebeu quase 2.000 só para organizar uma exposição?

 

Multipliquem estas despesas pelo tempo longo que durará o contrato....

 

Finalmente o Arquivo Eduardo Campos, situado ao lado da sucata municipal, devia servir para arquivo da memória da cidade e centro de investigação, é transformado também em armazém de ''obras de arte''.

 

Desde quando é que a Torre do Tombo foi alguma vez transformada em armazém dum Museu?

 

Mais, um edifício ao lado dum depósito de sucata é sítio para guardar quadros???

 

ma  



publicado por porabrantes às 11:36 | link do post | comentar

Sábado, 19.03.16

perguntas.png

Rádio Oficiosa

 

Pode o dr.Alves Jana explicar porque é que o Arquivo Eduardo Campos está desde 2011 sem um técnico superior de arquivo na sua direcção?

Os Arquivos são para serem dirigidos por técnicos superiores, com formação académica especializada.

Em 2011 o Sr. Dr.António Camelo Morgado foi corrido do Arquivo

 

 camelo morgado.png

 Porquê?

Mas o mais grave, o sr. dr. Rui Duarte, da C.M. de Constância, é um técnico superior de arquivo e dirige bem o Arquivo de Constância. Vê-se a obra dum homem competente.

Em Abrantes há 5 anos que não há técnico superior a mandar no Arquivo.

Porquê?

Estão a guardar o lugarzinho para alguém?

Quais as razões do afastamento do Sr.Dr.António Camelo Morgado, que era um técnico competente e tinha sido escolhido por concurso público?

ma    

    



publicado por porabrantes às 19:23 | link do post | comentar

Sábado, 12.12.15

''15 - ALORNA, Marquês de. - 1 Carta autógrafa (8p.; 22cm.) Nesta extensa carta dirigida ao Intendente da Polícia Diogo Inácio de Pina Manique, o Marquês agradece ao Intendente e a Martinho de Mello a ajuda que lhe deram enviando durante algum tempo o especialista piemontês Mateus Biffignandi para tentar recuperar uma fabrica de seda que Alorna tinha provavelmente na sua Quinta de Vale de Nabais em Almeirim e que havia alugado a um Capitão Mor de Avis que descurou os cuidados a ter com o sirgo. “… Fico também obrigadíssimo a V. Srª. E ao Sr. Martinho de Mello, pelo socorro que me derão para a restauração d’esta fabrica de seda, que se achava em grande decadência, pelo descuido e falta 7 de exacção do Capitão Mor de Avis, que acaba de ser rendeiro d’esta fazenda. Este homem me deixou sem a semente dos bixos [ovos do bicho da seda] que lhe entreguei, e havendo negligencia em outra pessoa, que se encarregou de a mandar vir de Trás-os-Montes[quase de certeza da criação de José Maria Arnaud que viera com Biffignandi para Portugal por ordem de Pombal para desenvolver a fiação de sedas no país e que se instalara naquela região] já o anno passado não houve aqui essa criação. … A semente que trouxe Matheus Biffignandi, já vinha principiada a avivar: He de crer, que assim estivesse a d’Abrantes [onde houve também uma desenvovida sericicultura provavelmente ligada ao Marquês de Alorna] por ser impossível o seu transporte e n’este termos, a porção que V. Exª me mandou junta com alguma mais que pude colher por outras partes, apenas poderá servir, para chegarmos a ter na Primavera que vem seis atthe oito arráteis que é a quantidade necessaria correspondente ás nossas amoreiras.” Refere em seguida uma tentadora proposta de sociedade que o italiano lhe havia feito, e que Alorna sabiamente modificou: “…Elle me propôs tomar a si as amoreiras, e as mais coisas pertencentes á fabrica, com a condição de me dar duas terças partes dos lucros, entrando eu com elle de meias nas despezas: Não quis eu estar por este ajuste, por ser para nós demaziadamente vantajozo, e pareceu-me isso sinal certo de se poder desvanecer em poco tempo: Receei que o ditto Matheus não tirando deste contracto as conveniências que esperava, viesse eu e muitas outras pessoas d’este Reino, a perdermos o fructo, que poderíamos tirar das luzes d’este homem:” Assinada e datada de 30 de Março de 1787.Trata-se do 2º Marquês ( D. João de Almeida Portugal), Oficial Mór da Casa Real, Embaixador em França e casado com D. Leonor de Távora. Por causa deste parentesco esteve preso 18 anos (na Torre de Belém e no Forte da Junqueira) ás ordens do Marquês de Pombal. Era pai da famosa Marquesa de Alorna (Alcipe).''

 

 

A expo estava muito fraquinha. Faltavam lá naturalmente peças como esta

alorna.png

Carta que esteve à venda na Livraria Luís Burnay e que devia ter sido adquirida pelo Arquivo.

Trascrição e imagem daquela casa, uma das melhores livarias  alfarrabistas do país.

mn 



publicado por porabrantes às 00:06 | link do post | comentar

Segunda-feira, 18.11.13

Porque é que o Arquivo Eduardo Campos não tem director?????

 

 

Porque é que o anterior Director, escolhido por concurso público, durou pouco tempo????

 

 

Pode funcionar um Arquivo Público sem director?

 

 

Se pode funcionar em auto-gestão, uma Câmara também pode!

 

 

Explicam-nos o que se passa no raio do arquivo??????

 

 

Ou vão continuar a ocultar a situação como ocultaram o tipo que fez a minuta da RPP Solar???????

 

 

MA

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 21:15 | link do post | comentar

Sábado, 26.05.12
TUBUCCI assoc.defesa património região ABRANTES ha compartido la foto de Salvem da demolição o Real Convento S. Domingos de Abrantes.
Outro dia a Rosário Silvares Madrinha comentou : "Agora que falam de Eduardo Campos, aproveito para perguntar, porque razão é a rua do Arquivo Eduardo Campos,é a única que não está alcatroada na zona Industrial de Alferrarede? Acabou-se o alcatrão para aqueles 20metros, ou é outro motivo transcendente? Há tantos anos que o arquivo já está pronto e a rua uma miséria. Se por aí houver alguém elucidado..."
Juntamos uma foto. Em frente dum edifício nobre um depósito de sucata. É o símbolo da política cultural desta gente. Também os incomoda que o Arquivo se chame Eduardo Campos. Talvez gostassem de o baptizar Nelson Carvalho...
 


publicado por porabrantes às 19:04 | link do post | comentar

Quinta-feira, 18.08.11
Arquivo Historico de Abrantes:para este deserto a Câmara recrutou o Director Dr. Camelo, para dirigir este deserto sem uma sombra ou arvore e com um caminho de terra com as bocas de esgoto saidas...é uma tristeza absoluta como colocaram a memória da cidade a quilómetros dela!!! O Arquivo tem bom acervo e simpaticos funcionários. Este desterro imperdoavel deve-se ao Nelson e à incompetente Isilda Jana.
posto por Adérito Abrantes


publicado por porabrantes às 22:47 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

E se há fogo no Arquivo H...

O homem não deve ser só o...

O Arquivo Eduardo Campos ...

Os custos da Galeria do M...

Porque afastaram o dr. Ca...

Exposição da Indústria da...

A pergunta

O depósito da sucata

O Arquivo Eduardo Campos ...

arquivos

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds