Sexta-feira, 26.05.17

A tomarense Fernanda Leitão foi uma furibunda anti-gonçalvista no ano 1975, mas em 1974 dedicou-se a investigar o que era LUAR.

Escreveu um livro a meias com Carlos Pina ''O que é a LUAR? (também escreveu outro a meias com o mesmo autor ''O que é o MRPP?''.

Havendo falta de militantes da LUAR e estando esta dividida entre a orientação democrática e pró soarista do Hermínio Palma Inácio e a golpista do Camilo Mortágua, a coisa era difícil.

De forma que a Fernanda veio a Abrantes perguntar e não conseguiu saber, mas conseguiu que os da LUAR abrantina (tudo malta fixe, daqui a bocado vou ao Tonho Paulos tomar umas minis com uns deles ) lhe dissessem o que era o PPD de Abrantes:

ppd luar.png

assembleia-de-abrantes-2-1.jpg

De maneira que segundo a teoria revolucionária: ''o PPD era composto por sócios da Assembleia, ''parasitários'' (que não trabalhavam), que se davam com ''fascistas'', e paleio semelhante.''

Acontece que consultados os ficheiros o único sócio da Assembleia que alaranjou foi o saudoso Dr.Simas.

Era também sócio o dr.Correia Semedo, Presidente da Câmara que bebia uns drinks com o chefe da ANP, grande amigo dele, o dr.Chambel....

Dizem que foi depois de ler este livro que o beatíssimo Barata Gil se radicalizou e foi com uns camaradas ocupar a Assembleia.

carlos-barata-gil.jpg

 

ocupaçao assembleia.jpg

 

  mn

 

 



publicado por porabrantes às 16:48 | link do post | comentar

Domingo, 16.10.16

1928.png

A Voga dá conta em 7-1-1928 da inauguraçãò  da Assembleia de Abrantes

 

assembleia anos 20.jpg

 

.

oligarquia 1.png

oligarquia 2.png

céu.png

padilha.png

clemência dupin c.corpoativa.jpeg

Como podem ver estava no baile a D.Clemência Dupin de Seabra e todos os presentes comungavam pelo menos numa coisa, estavam zangados com

henrique augusto.png

 o cacique integralista.

 

Os apoiantes do caciquismo reuniam-se no Club Abrantino que era onde está agora o Patronato Santa Isabel...

 

Seria giro publicar as fotos doutras presentes, vamos pensar nisso

 

 

mn

 

 



publicado por porabrantes às 21:18 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.10.14

cardoso assembleia.png

 Página 65 do livro da ''insigne mestra'' Drª Ana Paredes Cardoso,livro '' património edificado Centro Histórico de Abrantes'', onde o brilhantismo e a inovação voltam ao ataque.  

 

Diz a Autora, a quem digo ''chapeau'', que a Assembleia de Abrantes era o mais importante espaço ''cultural'' da época.

 

Como é que a menina sabe?

Vivia na época?

Ou falou com alguém que viveu nessa época?

Ainda há felizmente testemunhas vivas, com uma memória menos desgraçada que o Manuel Dias.

Leu nalgum livro ou jornal?

Qual?

Porque não cita nenhum.

Na época estava aberto o Teatro Taborda, no Convento da Esperança, e aí fazia-se mais cultura que na Assembleia, onde se praticavam bailes e jogatana, além de se conspirar para combater  o poder.

Estou a imaginar Manuel Fernandes jogando ao bridge com o Major Marques Godinho e a dizer-lhe : que vamos fazer para lixar o teu colega do Castelo?

O Rosado?

Pois.

Deixo a conversa imaginária entre os dois, porque há um amigo meu que tem o processo de expulsão do Rosado da Assembleia e o quer publicar.

Se eu me dediquei ao ''imaginário'' por momentos, a Drª Paredes Cardoso afirma peremptória : ''A Assembleia Municipal foi pensada em função da sua função topográfica''.

ò minha Senhora, as Assembleias Municipais só foram criadas pela legislação autárquica posterior ao 25 de Abril!!!!!

Em 1927, não existiam Assembleias Municipais.

Portanto Raul Lino não pensou fazer nenhuma Assembleia Municipal.

Diz ainda a ''insigne Mestra'' que as casas do Raul Lino no centro histórico se encontram devidamente referenciadas.

As quais?

Porque uma das mais importantes, a Casa do Dr.Apolinário Oleiro, na Rua de São Pedro, hoje residência do grande abrantino Manuel Bougard e da minha querida Elisa, não tem lá placa nenhuma.

E como essa, outras. 

O que tem um é um silhar de azulejos que o Dr.Apolinário Oleiro lá pôs, assinalando que nesse local foi a Igreja de São Pedro.

Não sei se o folhetim é para continuar, depende da nossa pachorra para ler o livro e da disposição dos editores e da ''insigne'' Mestra de apresentarem desculpas públicas, por exemplo no boletim Passos do Concelho, na primeira página, ao Prof.Duarte Castel-Branco.

ma

duarte siza.jpg

 Foto Arq. Doutor António Castel-Branco.

  



publicado por porabrantes às 10:51 | link do post | comentar

Terça-feira, 22.01.13
Diz-nos o nosso amigo Sr. Artur Lalanda  disse sobre E os juros? na Terça-feira, 22 de Janeiro de 2013 às 16:26:

     

Fui os SMA para agradecer ao Sr.Doutor Pina da Costa o facto de já ser de borla a mudança de titularidade nos contratos para fornecimento de água e... já não trabalha lá.
Mas que azar o meu ! Recebeu e foi-se...

 

 

 

Caro Sr.Lalanda,

 

Pensava eu que este era um blogue bem informado. Acabei por outra via (ligada ao blogue) de esclarecer um leitor se o eng.Ramiro Guedes de Campos, Príncipe dos Poetas Portugueses e portanto também dos abrantinos, era neto ou filho dum republicano-velho (e depois sidonista-novo e apoiante de Manuel Fernandes no combate comum nesta terra contra Henrique Augusto). Acho que disse que era neto, mas apelo aqui ao bisneto, o sr. dr. Paulo Guedes   de Campos, ex-deputado do PRD que me confirme o grau de parentesco, e já agora que nos mande uns posts sobre o ex-MES, ex-PRD, cavaquista e ex-relvista  que a malta sabe. Afinal andamos menos bem informados.

 

Aproveito para felicitar o Paulo pelo trabalho que teve em conseguir que se abra o processo de classificação da Assembleia de Abrantes, edifício de Raul Lino, como imóvel de interesse concelhio , que se virá juntar ao Paço Ataíde

 

 

 

 

imóvel já classificado, por decisão camarária, com os consequentes benefícios na isenção de IMI e preservação da traça arquitectónica.

Dizem-me que para celebrar a possível classificação da Assembleia de Abrantes será oferecido mais um imóvel ao Cónego José da Graça, sito na R.da Barca aumentando-se assim o parque imobiliário divino na cidade.

 

Depois da morte do Rev.Padre Narciso o concelho de Abrantes arrisca-se a ser um dos concelhos com menos padres por Km2, mas em compensação terá o centro histórico onde a Igreja terá mais imóveis depois de Roma e de Fátima, obviamente.

 

Regresso à notícia do Sr. Lalanda sobre o abandono do Sr. Dr.Pina da Costa das suas funções, alegadamente depois de ter sido ''reintegrado''.

 

A confirmar-se esta nova, o Dr. Pina, agora recheado de experiência de gestão empresarial, poderia dar uma ajuda ao  sr. Cónego  como  gestor do parque imobiliário paroquial, porque enfim houve umas chatices no tribunal com certo solicitador, e poderá ajudar a dar uma organização profissional ao empreendimento divino.

 

 

Estive a pensar em logotipos para a nova Imobiliária Paroquial 

 

           

Aqui ficam alguns cheios de espírito cristão ....

 Miguel Abrantes                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                 



publicado por porabrantes às 18:30 | link do post | comentar | ver comentários (1)

Quinta-feira, 03.01.13

Com a devida vénia transcrevemos do site Vidas Lusófonas:

 

 

 

JOSÉ FERRAZ DIOGO


Nasce em Coimbra em 1936. Licenciado em Letras, foi, ao longo de 36 anos, professor de Português e de Francês nos Ensinos Técnico, Secundário e Preparatório do Ensino Público. É diplomado em Ciências Pedagógicas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Em Julho e Agosto de 1974 frequenta, na Universidade de Nice, um curso para professores de Francês – utilização de audio-visuais. Depois do 25 de Abril, foi membro de Conselhos Directivos em Coimbra e Anadia e delegado de Português e de Francês à Profissionalização em Exercício entre 1981 e 1986. Funda e dirige jornais em quatro das seis escolas onde lecciona, escreve e encena peças de teatro, nomeadamente para fantoches, traduz do francês livros para a juventude (Almedina), organiza exposições sobre diversos escritores – Camilo, Cesário, Pessoa, Torga, etc. – promove colecções de pequenos livros escritos pelos alunos, organiza bibliotecas para os professores, realiza sessões de cinema na escola, etc.

Em 1968 funda e dirige o Cineclube de Abrantes, tendo posteriormente pertencido à direcção do Clube de Cinema de Santarém e do Círculo Cultural Scalabitano. Episodicamente, faz também parte da direcção do Clube de Cinema de Coimbra. Publica diversos textos sobre cinema em revistas da especialidade, nomeadamente na extinta Plateia. Redige textos para os desdobráveis que acompanham as sessões cineclubistas.

Em 1965 publica o livro de poesia A Palavra; em 1974 a Almedina publica três livros seus de teatro infantil; em 1993 organiza e prefacia a 6ª edição de Versos dum Cavador, do poeta popular Manuel Alves no 150º aniversário do seu nascimento (em 2001 foi responsável pela 7ª edição, com nova ordenação das poesias, coma incorporação do livro Criptinas e um novo texto introdutório).Em 1996, colabora com um poema na antologia Cântico em Honra de Miguel Torga. Em 1997, organiza Manuel Rodrigues Lapa – Fotobiografia, no âmbito das comemorações do centenário do seu nascimento...

Tem colaboração dispersa por numerosos jornais e revistas portugueses e estrangeiros – poemas, contos, artigos de opinião. Durante cinco anos foi director de um jornal de Anadia. Tem redigido textos para catálogos par diversas exposições de artes plásticas – sobretudo na área da escultura, da pintura e da medalhística.

Neste site colabora com as seguintes biografias:

Manuel Rodrigues Lapa

 

 

Na Net encontrámos referências ao provecto Manuel Dias como um dos fundadores do CineClube. Também há uma referência numa página municipal ao Doutor Estêvão de Moura, ex-Presidente da Imprensa Nacional, como um dos fundadores. Acontece que o Doutor Estêvão era um adolescente em finais da década de 60 e terá ajudado a fundar o Cineclube mas não foi uma das personagens determinantes, devido à sua idade na época. 

O verdadeiro fundador do Cineclube e seu principal animador foi o dr. José Ferraz Diogo como ele próprio afirma. A primeira fita projectada foi a 17 de Novembro de 1969. (1)  

O arquivo do Cineclube ou parte dele apareceu abandonado no edifício da Assembleia de Abrantes quando o imóvel foi devolvido aos seus proprietários. Quem se teria lá esquecido dele?

O referido arquivo foi entregue pelo nosso amigo eng. José Albuquerque Carreiras (primeiro signatário da petição) ao Arquivo Histórico de Abrantes para a sua conservação e estudo, num gesto de exemplar civismo.

Quando da entrega verificou-se a existência no AHA de um fundo com o título Assembleia de Abrantes, com documentos referentes a esta empresa (Assembleia de Abrantes, Lda) que nunca ninguém conseguiu explicar como lá foram parar.

Teria sido levados da Assembleia de Abrantes quando o edifício foi ocupado?

Resta referir que na fundação do Espalhafitas tiveram um papel determinante o eng.Albuquerque Carreiras e o Doutor Jorge Pessoa Santos Carvalho (4º signatário da petição), conhecido Historiador.

Ambas abandonaram aquele novo Cineclube, depois duma discussão sobre uma velha dama, a Liberdade que é incompatível com a censura.

Hoje o Espalhafitas é mero apêndice da Palha do Jana.....

 

(1) Enviar a data de fundação para a da formalidade burocrática de aprovação dos Estatutos em 1970 é um notório disparate ou uma opinião humorística digna de certa revista do ramo.



publicado por porabrantes às 23:23 | link do post | comentar

Domingo, 19.02.12

  

 

O nosso amigo Dr.Paulo Falcão Tavares entrevista o prestigiado Arquitecto abrantino, Professor Duarte de Ataíde Castel-Branco, catedrático jubilado de Arquitectura de Lisboa, autor de algumas das mais marcantes obras de Abrantes moderna, como a Biblioteca António Botto. O dr. Paulo é Presidente da recentemente criada Tubucci-Associação de Defesa do Património da Região de Abrantes, que quer assumir-se como a instituição de referência na defesa do Património abrantino, a ponta de lança da contestação popular ao projecto de Carrilho da Graça para o MIAA e da qual Duarte Castel-Branco foi eleito por aclamação Presidente honorário.

 

   cma

 

Caro Professor que pensa do uso da Assembleia de Abrantes, de que é Presidente da Assembleia Geral, pela Maria do Céu Albuquerque, para propagandear o cubo do Carrilho em nome da dita regeneração urbana?

 

 

 

Trata-se dum uso ilegítimo dum edifício particular, monumento arquitectónico, que não devia servir para insultar a arquitectura fazendo a apologia dum crime urbanístico, que é o que constitui a destruição do centro de Abrantes e do convento de São Domingos, edifício classificado, pela arrogância e a falta de senso de Carrilho da Graça.

Trata-se duma falta de educação monumental de quem autorizou a cedência do edifício, coisa que penso apurar, porque entre os sócios da Assembleia está o valoroso jornalista Mário Semedo, miseravelmente processado por exprimir o seu amor a Abrantes, por parte do licenciado Carrilho da Graça. Trata-se duma ofensa pessoal a mim próprio e à maior parte dos sócios da Assembleia que não queriam a presença dessa apologista do mau gosto arquitectónico, Maria do Céu Albuquerque, numa Casa que teve sempre por timbre a defesa dos interesses de Abrantes.

      o jornalista Mário Semedo

 

 

Sabemos que Carrilho de Graça violou os seus direitos de autor enquanto arquitecto da Biblioteca António Botto e autor do projecto do Centro Cultural de São Domingos....

Carrilho da Graça violou duma forma flagrante o Código de Deontologia da Ordem dos Arquitectos, profissão honrada, uma coisa inconcebível, que contada ao meu amigo Siza Vieira faria com que ficasse com os cabelos em pé!!!!

O meu assunto pessoal está sub júdice no Conselho de Disciplina da Ordem, mas aí está também a minha queixa enquanto cidadão e abrantino pela violação da Lei que  constitui a concessão ao alentejano por ajuste directo duma obra que ultrapassa o valor permitido pela legislação em vigor e sobretudo a violação das disposições imperativas de defesa do Património e de ordenamento urbanístico que um Arquitecto deve ter por norma ética e cultural seguir.

 

 

 

Na sua qualidade de Presidente Honorário da Tubucci-Associação de Defesa do Património da Região de Abrantes  que recomenda fazer a esta associação?


A Tubucci deve ser uma referência na defesa do Património Abrantino. Deve seguir o exemplo dos vultos que nesta Cidade compreenderam a importância do Património e a necessidade de o defender. Cito pessoas como Diogo Oleiro ou Eduardo Campos, o P. Luís Ribeiro Catarino, Presidentes como Agostinho Baptista, Humberto Lopes ou João Manuel Esteves Pereira. O património de Abrantes e a nossa paisagem já por demais foram destruídas, para consentirmos que isso continue a acontecer....

Portanto se não houver sensatez por parte das Autoridades para corrigir este lamentável acto de vandalismo contra a Cidade, o meu conselho é o seguinte:

Recorrer aos tribunais e punir os responsáveis deste crime e urbanístico, sejam eles quem forem, políticos ou arquitectos. Recorrer aos tribunais e impedir de qualquer forma este crime contra Abrantes. Recomendo à Tubucci a apresentação de queixas ao Conselho de Disciplina contra todos os Arquitectos envolvidos neste crime cultural e urbanístico!!!!!

 

  igogo

Publicado por Miguel Abrantes. Edição de Marcello de Noronha

 

a redacção do blogue agradece à Tubucci e ao Dr.Paulo Falcão Tavares, bem como ao Professor Arq.Duarte Castel-Branco a amável colaboração prestada.   


post publicado em 7-7-2011


publicado por porabrantes às 01:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 10.02.12

Pede-me um leitor que me entregou uma pilha de documentos sobre a Assembleia de Abrantes

 

que dê publicidade ao documento que segue e a outros anexos, faça os comentários que ache pertinentes,

 

coisa que resolvi estender ao resto da redacção e aos leitores que queiram colaborar e que faremos ao longo dos próximos dias 

 

tendo em conta que a Assembleia de Abrantes é um valor cultural e do nosso património e que a a Assembleia Geral prevista para o dia

 

25 pode ser crucial para o futuro desta Casa da Cultura abrantina.

 

 

 

 

 

    

 

 

A convocatória é assinada pelo Presidente da Assembleia Geral, Sr. Dr. D.José Mesquitella e por uma gerente a Sr D.Isabel Godinho Alberty.

 

 

Desde já 2  ou 3 notas:

 

Não consigo perceber como é que sócios que vivem em Abrantes não receberam a convocatória.

Nao consigo perceber porque é que não se mandam as contas para casa de cada sócio.

Não consigo perceber o ponto 4º da Ordem de Trabalhos: as Assembleias são para discutir e aprovar ou rejeitar propostas e não são para reflectir.

 

Se a Gerência tem propostas a apresentar que o faça por escrito, enviando-as com a antecedência necessária aos sócios.

 

Não consegui perceber como é que foi apresentado na Assembleia o Programa de Regeneração da CMA da autoria de Carrilho da Graça, criatura que apresentou uma queixa-crime absurda contra o Sr.Mário Semedo, sócio da Assembleia.

 

Não consigo perceber como é que o dito Carrilho da Graça que violou descaradamente o direitos de autor do Prof.Arquitecto Duarte Castel-Branco, um dos sócios da Assembleia de Abrantes com uma participação mais significativa no seu capital e com maior prestígio, foi acarinhado com tanto desvelo pela Gerência .

 

Não consigo perceber algumas das limitações absurdas que querem colocar à entrada de sócios na Assembleia Geral, que são a meu ver ilegais,

e a maneira como abrem a porta a Maria do Céu Albuquerque.

 

Já não há porteiro na Assembleia para fazer selecção nas entradas?

 

Marcello de Noronha, da Assembleia de Abrantes 

 

 



publicado por porabrantes às 20:27 | link do post | comentar

Quarta-feira, 06.07.11

        

 

O interessante cronista João Acerta o Passo ( que não é a Edite porque não escreve em galego, que não é nenhum construtor civil falido porque sabe escrever, que não se se chama Ataíde, nem Castel-Branco, nem frequenta a Rua de São Pedro) escreveu isto na Barca.

Para o sr. Pico diz-se que o João apesar se chamar João, não pica, dado que convive melhor com o português que com as ''maisons''.

Façamos o resumo da coisa:

 

Em primeiro lugar Manuela Ruivo entrou num edifício de propriedade particular, onde a entrada está restrita aos sócios ou seja aos membros da elite abrantina, da qual não fazem parte as famílias Ruivo da Silva, Ruivo ''tout court'' ,famílias daquele gajo que era Presidente do Benfica e que uma vez atascou a entrada na barra de São Martinho do Porto com o iate, onde estava hasteada a bandeira do

 

a família Salvador-Buiça-Fernandes, a família Morgado-Marques, a família Marçal, a família Santana-Maia (esta  por respeitáveis razões históricas porque era da facção do Sr.Henrique Augusto da Silva Martins e estes tinham um clube só para eles, que funcionava onde está hoje o Patronato Santa Isabel), a família materna, paterna e do pau-mandado da chefa, o subsidiado-mór do Concelho, a família Pico, a família do cónego e colaterais....  

 

e sentou-se numa cadeira que não era dela.....

 

que falta de respeito!!!!!

 

Mais falta de respeito teve sobretudo a Presidente, a partir de hoje baptizada por deliberação do comité de redacção como a Presidenta, que usou e abusou da Assembleia, de que também não é sócia e de que se a quiserem fazer sócia, eu, Marcello de Noronha e o Arq. Professor Duarte de Ataíde Castel-Branco e o Mário Semedo juramos votar contra, para manter a Assembleia de Abrantes, limpa de inimigos desta Cidade!!!!  

 

 

Parece que entrou lá também o Lacão e por entrar numa casa frequentada por Manuel Fernandes, ficou logo com azia, e vá de emborcar comprimidos!!!!

 

Estava a equipa de propaganda municipalizada e subsidiada a filmar os disparates da Presidenta, que eram a tradução em calão suburbano do palavreado, que o Carrilho da Graça pariu para regenerar  o centro pago a preço de ouro..... 

 

 

 

 

A regeneração carrilhista do centro da cidade não será como em Campo Maior, presidida pela estátua do Comendador Nabeiro,  

 

 

 

 

 

será pior, segundo a Presidenta, serviçal autarca dos despautérios do licenciado alentejano, será comandada pelo super-cubo revestido a plástico que ilustramos com esta fotomontagem publicada pelo Sr.Arq. António Castel-Branco (obrigado, António!!!! és um gajo porreiro!!!!) 

 

  publicada pelo sr. Doutor Arq. António Castel-Branco no amar-abrantes

 

 

 

 

 

 O glorioso cubo regenerador carrilhista e plastificado será um monumental coice 

 

 

  obrigado dr. Pacheco Pereira!!!!

 

na malha urbana setecentista da cidade de Abrantes!!!!

 

 

Os responsáveis pelo coice têm nome, e não se chamam Jerico, burro simpático e civilizado muito do gosto do Sr.Nelson Carvalho.

 

Marcello de Noronha

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 19:33 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A radicalização do Barata...

Inauguração da Assembleia...

Drª Ana Paredes Cardoso d...

Pina da Costa abandona SM...

O fundador do Cineclube d...

ENTREVISTA COM DUARTE CAS...

A Assembleia de Abrantes

O coice

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12

18
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds