Quinta-feira, 20.09.18
''Municípios rejeitam transferência de competências em 2019

PODER LOCAL Um pouco por todo o País, são cada vez mais os municípios que contestam e recusam a transferência de competências para as autarquias e entidades intermunicipais. ''

No Avante
 
e tem toda a razão

 

E continua o jornal

 

 

(...) Alcácer do Sal, Alpiarça, Alvito, Arraiolos, Avis, Benavente, Cuba, Évora, Grândola, Montemor-o-Novo, Monforte, Mora, Moita, Palmela, Seixal, Sesimbra, Serpa, Setúbal, Silves, Sobral de Monte Agraço e Vila Viçosa, também recusaram a descentralização de competências no próximo ano. Às autarquias CDU juntaram-se Espinho, Maia, Porto, Santa Maria da Feira e Vila do Conde.(....)

 

 

mn

 

 

 



publicado por porabrantes às 22:09 | link do post | comentar

Sexta-feira, 06.11.15

Fomos ver quem é o distinto júri que dá prémios às autarquias ''familiarmente responsáveis''

 

apostei que havia lá gente do OPUS!!!

São actualmente membros do Observatório:

Prof. Doutor André Azevedo Alves

Dr. Carlos Seixas da Fonseca

Dra. Fátima Carioca

Dra. Isabel Paula Santos

Dra. Margarida Neto

Prof. Doutora Mª José Lucena e Vale

Prof. Doutora Maria Teresa Ribeiro

Prof. Doutora Marta Gonçalves

Dra. Rosário Carneiro

 

Encontrei a Srª Drª Fátima Carioca numa actividade da Confraria:'' quinquagésimo aniversário da prestigiada Associação de Cultura e Recreio Novo Horizonte culminou no sábado, dia 1, preenchido com um aliciante programa que constou de: Missa às 12h00, no Oratório de S. Josemaria, pelas almas dos associados falecidos; depois no Colégio Planalto, em Telheiras, com recepção aos convidados, às 15h30 ; às 16h00, as boas-vindas e uma síntese da actividade desenvolvida, pelo Presidente da Direcção; às 16h15, colóquio sobre " Ambiente familiar: autoridade e obediência", orientado pelos engºs. António e Maria de Fátima Carioca, do Cenofa; às 17h15, momento de música clássica, interpretada por um quarteto de cantares e orgão; às 17h45 distribuição dos prémios do "rally-paper" e às 18h00 encerramento com um Porto de honra. ''

 

Haverá mais?

 

'' A associação (Opus Dei) da Dra. Rosário Carneiro tem colégios do Fomento para o Pedro e emprego para os respectivos pais… Digam-me lá se isto não é muito melhor que “uma comenda ou outra medalhita qualquer”…''

 

A Drª Rosário tem 9 filhos

 

Parei a busca.

 

Já sei que há lá  católicos e que há lá gente do OPUS.

 

bcp.png

São apoiados pelo BCP que teve um homem do Opus, o Jardim Gonçalves, ao leme

 

Em 27-3-2015 a drª Rita Correia tomou posse da Presidência da Associação, a propaganda salienta que está grávida do quinto filho e é advogada

familia numerosa.jpg

APFN

 

 Os estatutos dizem isto:

''Um - A associação, sem fins lucrativos, prosseguirá as seguintes finalidades:
a) Defender os legítimos interesses das famílias numerosas, constituídas a partir de uma base eminentemente afectiva e contratual, celebrada entre pessoas de sexo diferente, que de uma forma estável, duradoura e de acordo com os princípios do direito natural prossigam uma comunhão plena de vida.
b) Contribuir para criar um ambiente propício ao desenvolvimento físico e intelectual, moral, espiritual e social da família e de cada um dos seus membros, no respeito pela dignidade da pessoa humana;
c) Defender a liberdade fundamental dos pais à educação dos seus filhos e destes escolherem, livremente, para eles, o modelo de ensino que pretendam, no respeito pelos valores essenciais da pessoa humana;
d) Revitalizar, de uma forma concreta e activa, os laços de solidariedade e interdependência entre os vários membros e gerações que compõem o agregado familiar;
e) Fomentar acções que visem propiciar às famílias as condições de acesso aos bens materiais, morais e culturais indispensáveis a um desenvolvimento equilibrado da família;
f) Desenvolver as acções que visem criar uma verdadeira cultura da família, como elemento fundamental na estruturação e desenvolvimento da sociedade humana, despertando-a para os seus direitos e deveres na participação cívica;
g) Contribuir para a criação ou criar directamente apoios materiais que possam solidariamente concorrer para a resolução ou minimização de situações concretas e urgentes de famílias numerosas;
Dois - A associação é independente do Estado e dos partidos políticos e agrupará pessoas de várias concepções filosóficas que não estejam em oposição com os princípios acima definidos.''

 

Isto é a associação proíbe a entrada a gays (quando estejam casados), num país onde o casamento homossexual é legal.

 

 

 

Mas a associação não proíbe a entrada a polígamos, Sua Majestade o Rei da Arábia Saudita e as suas quatro mulheres e os 20 filhos podem ser sócios

 

As 18 concubinas não devem poder entrar, a Associação não deve permitir bandalheiras

 

Vamos criar uma sede abrantina e a nobre fidalga fica já presidente!

 

 

APF.png

 

Já me esquecia: são contra o aborto: ''A vida humana deve ser respeitada, reconhecida e protegida desde o momento da concepção até à morte natural; ''

 

E naturalmente contra a eutanásia

 

Desculpem meus amigos, mas eu acho quem é contra o aborto, contra a eutanásia e contra o casamento gay, nestes termos, é fundamentalista.

 

E uma autarquia que aceita prémios deles, é de Direita!

 

As coisas claras

 

ma 

 erros ortográficos ''familiarmente responsáveis'' corrigidos pelo nosso revisor

 



publicado por porabrantes às 09:55 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12.08.15

 

 

Assunto: Uso de Glifosato

A 3 de Junho, o Bloco de Esquerda de Abrantes enviou o documento via mail, que abaixo se reproduz, ao executivo Municipal e a todas as Juntas de Freguesia do Concelho de Abrantes, excepto a da União de Freguesias de Abrantes e Alferrarede onde o eleito do Bloco fez uma intervenção sobre o assunto. A única Junta de Freguesia que respondeu, ao foi a da União de Freguesias de S. Miguel do Rio Torto e Rossio ao Sul do Tejo. Esperamos pelas outras...

(...)
Exmo. Sr. Presidente da Junta de Freguesia

N/Ref. beabrantes/03-06-2015-Uso de Glifosato

Assunto: Uso de Glifosato

Requerimento

Exmo. Senhor Presidente do Executivo da Junta de Freguesia

No exercício do mandato que lhe foi conferido democraticamente o Grupo Parlamentar do Bloco Esquerda de Abrantes na Assembleia Municipal de Abrantes, apresenta ao Sr/a Presidente do Executivo da Junta de Freguesia o seguinte requerimento:

A Agência Internacional para a Investigação sobre o Cancro (AIIC) da Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o glifosato como carcinogéneo provável para o ser humano. O glifosato é o herbicida mais utilizado no país e também no planeta. A investigação da AIIC identificou a relação entre a exposição ao herbicida e o Linfoma não-Hodgkin. Este tipo de cancro de sangue é dos cancros que mais se regista em Portugal, com cerca de 1.700 novos casos por ano.

O glifosato, enquanto herbicida, tem uma utilização sistémica não selectiva, é de venda livre e fácil acesso. Em Portugal, em 2012 foram aplicadas 1.400 toneladas deste tipo de pesticida. A sua utilização é ao nível do solo para limpar os campos antes das sementes, mas também na água como desinfectante. No país, o seu uso é generalizado na agricultura e também nos serviços de autarquias. Este composto tem sido ligado a vários problemas ambientais e de saúde pública por diversos estudos científicos.

A nível internacional é especialmente usado em agricultura com organismos geneticamente modificados, dado que muitas das variedades OGMs da Monsanto são especificamente resistentes e imunes a este químico. O glifosato é, aliás, o composto principal do Roundup, pesticida produzido pela Monsanto.

Já em Março de 2014, a Quercus e a Plataforma Transgénicos Fora lançaram um apelo público para que as autarquias portuguesas deixem de usar glifosato nos espaços urbanos, alertando para o risco ambiental e para a saúde pública desta prática generalizada no país. Para os espaços urbanos usa-se o herbicida de nome comercial SPASOR, da Monsanto, cujo composto principal é o glifosato.

Com a decisão da OMS, a Plataforma Transgénicos Fora adiantou que essa classificação significa que existem evidências suficientes de que o glifosato causa cancro em animais de laboratório e que existem também provas directas para o mesmo efeito em seres humanos, embora mais limitadas.

Tendo estas informações e princípios em consideração, um conjunto municípios e freguesias do nosso país já aderiu ao manifesto Autarquia sem Glifosato, nomeadamente: os municípios de Braga, Castelo de Paiva, S. Vicente, Vila Real e as freguesias de Carvalheira (Terras de Bouro), Cinfães (Cinfães), Estrela (Lisboa), Matriz (Ribeira Grande, São Miguel, Açores), Oliveira do Douro (Cinfães), Praia do Norte (Faial, Açores), São Cristóvão de Nogueira (Cinfães), Tarouquela (Cinfães), União de Freguesias de Tavira.

Considerando os presentes factos, enquanto eleito do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Abrantes, solicito a V.Exa as seguintes informações:

1. Que medidas o Executivo da Junta de Freguesia tomou até ao momento para suprimir o uso do glifosato dos procedimentos de rotina de controlo de infestantes na área da freguesia?

2. A Junta de Freguesia já organizou acções ou colaborou na realização de acções formação e de divulgação que contribuam para a adaptação da agricultura para regimes sem glifosato e para regimes de protecção integrada?

3. Pondera a Junta de Freguesia assumir um compromisso com esta abordagem amiga do Ambiente e da saúde dos seus fregueses, aderindo ao movimento Autarquias Sem Glifosato promovido pela Quercus?

(...)

Abrantes, 3 de Junho de 2015 O Membro na Assembleia Municipal
Armindo Silveira

 

Comentário: dá a Lei 10 simples dias às autarquias referidas para responder e não o fizeram, além dalgumas delas usarem alarvemente o Glifosato, todas as autarquias referidas,excepto RST/S.Miguel incumpriram a Lei e desprezaram o requerimento dum eleito do povo.

Que para começar o Armindo recorra à Comissão de Acesso aos Documentos Administrativos e participe a quem de direito.

Agradecemos ao Armindo Silveira o trabalho danado por defender o Ambiente e todos nós.

 

a redacção  



publicado por porabrantes às 16:19 | link do post | comentar

Quinta-feira, 02.04.15

 

miranda.png

 Jorge Miranda, um dos pais da Constituição, fuzila autarcas e autarquias, chamando-lhes pior que caciques......

 

a redacção

 

nota: capa do Jornal de Negócios



publicado por porabrantes às 09:13 | link do post | comentar

Quinta-feira, 19.02.15

A União de Freguesias de Sao Miguel e Rossio usa este produto tóxico prá monda química:

 

monda.jpg

 Avisa a Junta que o produto é inócuo, mas diz o Vendedor

 

sapec.png

 

e acrescenta:

glifosato.png

 

 

A Quercus com este cartaz profético critica violentamente estas práticas que estão generalizadas em muitas autarquias:

herbicida.png

Além do mais o uso de herbicidas está severamente condicionado em zonas urbanas, diz a Quercus

quercus.png

E as autarquias, como esta junta, usam-no largamente em zonas urbanas  

 

Além dos danos ambientais à biodiversidade, há estudos que apontam para danos perigosíssimos para a saúde humana:

quercus 2.png

A conclusão é óbvia, diz a Quercus:

quercus 3.png

Leia aqui o estudo da Quercus

 

mn



publicado por porabrantes às 14:06 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.11.14

Pode um autarca da Oposição entrar numa obra municipal, verificar o que se está a fazer e perguntar coisas aos empregados da Câmara?

Pode um autarca da Oposição ir perguntar aos bombeiros municipais informações ou recebê-los sem licença de um abstracto cacique?

 

É óbvio que pode.

Ou para deixar de ser ''abstracto'', num caso abrantino, podia a deputada municipal eng.ª Manuela Ruivo receber os bombeiro municipais (quando os havia), sem licença da cacique ou do chefe da corporação, e inteirar-se dos seus problemas, como o fez, recebendo, por isso, censuras vãs e néscias que constam das actas municipais?

É óbvio que podia..

Mas se for preciso sustentar isso juridicamente, anexa-se parecer jurídico nesse sentido:

    

''MANUEL MARQUES prova que pode circular livremente pelas instalações camarárias, desde que no "exercício das suas funções"

 

  MANUEL MARQUES, vereador do CDS/PP, fez chegar à nossa redação um parecer da CCDRC que dá conta que os "eleitos locais em qualquer regime de funções", designadamente em regime de "não permanência", têm direito à “livre circulação em lugares públicos de acesso condicionado, quando em exercício das respectivas funções” e ao “cartão especial de identificação”. 

     O vereador fez chegar ao presidente da Câmara, o referido parecer.

 

 

 

''Manuel da Conceição Marques, vereador do CDS/PP, vem nessa qualidade expor o seguinte:

Sei que V.Exa. tirou o seu curso de Direito na Universidade de Coimbra, o que lhe ministrou altos conhecimento de Direito.Sem querer por em causa a sua interpretação das normas jurídicas em vigor do Ordenamento Jurídico Português, tomei a ousadia de lhe enviar um parecer jurídico da CCDRC, no qual se aduz a permissibilidade da entrada de um vereador nos lugares públicos, propriedade do Município.Sem querer beliscar as suas doutas interpretações jurídicas, certamente, se V.Exa. tivesse conhecimento deste parecer, não tentaria expulsar-me dos estaleiros municipais, no passado dia 07 de novembro de 2014, sexta-feira. Vila Ruiva, 11 de novembro de 2014O Vereador do CDS/PP 

Eleitos Locais, Direitos e Deveres.

Data:  2010 / 05 / 27

Número: DSAJAL 91/10

Responsáveis:  Elisabete Maria Viegas Frutuoso

Através do ofício nº ..., de ..., da Câmara Municipal de..., foi solicitado a esta CCDR um parecer jurídico sobre a questão de saber se os eleitos locais, ao abrigo da “Livre circulação em lugares públicos de acesso condicionado, quando em exercício das respectivas funções” e do “cartão especial de identificação”, nos termos previstos das als. g) e i) do nº 1 do art. 5º do Estatuto dos Eleitos Locais, têm direito a “visitar as obras em curso, podendo livremente pedir explicações/informações aos responsáveis e demais trabalhadores, como entrar nos vários serviços municipais, sem qualquer pedido ao executivo, solicitando elementos ou informações aos trabalhadores”.

Cumpre informar:

Nos termos das als. g) e i) do nº 1 do art. 5º do Estatuto dos Eleitos Locais, os eleitos locais em qualquer regime de funções, designadamente em regime de não permanência, têm direito à  “Livre circulação em lugares públicos de acesso condicionado, quando em exercício das respectivas funções” e ao “cartão especial de identificação”.

Contudo, o exercício destes direitos deverá ser enquadrado no âmbito das respectivas funções autárquicas.

Desta forma, importa, desde logo, referir que a fiscalização de obras particulares, que é a competência que nos parece estar aqui em causa, não é, independentemente do regime de funções, uma competência dos vereadores.

Com efeito, nos termos do nº 1 do art. 94º do Decreto-Lei nº 555/99, de 16 de Dezembro, alterado e republicado pelo Decreto-Lei nº 26/2010, de 30 de Março, a fiscalização administrativa, que se destina a assegurar a conformidade das operações urbanísticas com as disposições legais e regulamentares aplicáveis e a prevenir os perigos que da sua realização possam resultar para a saúde e segurança das pessoas, compete ao presidente da câmara municipal, com a faculdade de delegação em qualquer dos vereadores.

Ora, no pressuposto que a referida delegação de competências não ocorreu, só é dado concluir que os referidos vereadores não poderão, invocando o direito de livre circulação em lugares públicos de acesso condicionado, proceder à fiscalização de obras.

Igual conclusão se poderá tirar relativamente a empreitadas de obras públicas, cuja fiscalização é da competência do dono da obra, representado pelo director de fiscalização.

Repare-se que é o próprio direito que faz depender a livre circulação em lugares públicos dos eleitos locais do exercício das respectivas funções, restringindo-a, no caso, ao exercício das funções autárquicas dos referidos vereadores.

Temos para nós, assim, que os direitos invocados apenas se referem à entrada em lugares públicos de acesso condicionado e quando, nesse âmbito,  a intervenção dos eleitos locais esteja directamente relacionada com o exercício das suas funções.

Neste sentido refere a doutrina1 que “Os eleitos locais têm direito a livre circulação em lugares públicos de acesso condicionado na área da autarquia, quando necessária ao efectivo exercício das respectivas funções autárquicas ou por causa delas, mediante a apresentação do cartão de identificação” e que “O exercício deste direito restringe-se, como é óbvio, à área da respectiva autarquia, ou seja, ao eleito da freguesia à área da freguesia e ao eleito municipal à área do município, e tem que estar conexionado com o exercício das funções autárquicas”.

Quanto à pretensão de entrar em serviços municipais, a questão analisada nem sequer se coloca, porquanto nestes locais a entrada não é condicionada aos autarcas.

Pelo exposto, concluímos que os direitos invocados de livre trânsito e de cartão especial de identificação não fundamentam, tendo em conta as respectivas funções autárquicas, a pretensão manifestada pelos vereadores de visitar obras e livremente pedir explicações e informações aos seus responsáveis.

  1. Maria José L. Castanheira Neves, Governo e Administração Local, Coimbra Editora, pág. 190

 

A Divisão de Apoio Jurídico

(Elisabete Maria Viegas Frutuoso)

Publicado 2 days ago por CENTRO NOTICIAS''

 

Ou seja a drª Elza Vitório ou o dr. Avelino Manana (e qualquer deputado municipal)  podem, segundo a tutela, entrar directamente no gabinete do  notário municipal e perguntar-lhe: quem foi o autor da minuta do Casal Curtido e consultar os documentos pretendidos....

É o que diz o parecer jurídico da tutela.

E eu acrescento qualquer cidadão o pode fazer...

E não há nenhuma lei que vede a entrada  dum cidadão num cartório notarial e a consulta do seu arquivo, que é público.

Excepto talvez em Lisboa no futuro, onde talvez o António Costa meta uma portagem à entrada dos notários. 

 

MN

 

devida vénia ao Centro Notícias

 



publicado por porabrantes às 18:13 | link do post | comentar

Sábado, 25.10.14

 

 

(...) ''Três municípios e seis freguesias aderiram à campanha lançada em Março pela associação ambientalista Quercus e pela PTF – Plataforma Transgénicos Fora, comprometendo-se a deixar de usar pesticidas para controlo de ervas daninhas nos espaços públicos.

Aderiram à campanha "Autarquia sem Glifosato" os municípios de Castelo de Paiva, S. Vicente e Vila Real de Trás-os-Montes (...)

 

Optaram pela monda manual (à mão e enxada) e mecânica (motorroçadora e destroçador) das ervas daninhas em detrimento dos herbicidas à base de glifosato.   

As restantes 3082 freguesias e 305 câmaras municipais “são agora chamadas a explicar porque é que só alguns portugueses, é que têm direito a um ambiente mais limpo”, critica a Quercus, enumerando as consequências nefastas resultantes do uso de químicos tóxicos: “malformações congénitas e cranianas, efeitos tóxicos em vários tipos de células humanas, como do cordão umbilical, (...)

A Quercus classifica de “calamitosa” a realidade que encontrou em vários órgãos de poder local, onde se generalizou o emprego de herbicidas à base de glifosato, o herbicida mais usado em Portugal.

 

texto de Carlos Dias no Público. leia-o aqui

um artigo e um aviso importante. Salutar a iniciativa da Quercus.

sn



publicado por porabrantes às 17:31 | link do post | comentar

Sexta-feira, 26.09.14

A Ministra das Finanças, o homem forte do governo, depois do Passos ter hoje passado a ser ''o homem doente do governo'' certamente por não estar em forma, deu um murro na mesa à Tatcher, e diz que as 35 horas nas autarquias voltam à estaca zero

 

 

  

 

 

 

pode ler tudo aqui

 

mas o efeito prático é este:

 

''Até que terminem as negociações, mantém-se nas câmaras, apesar dos acordos celebrados, as 40 horas semanais.''

 

Saudamos os senhores funcionários/as (deve-se usar linguagem não sexista diz a outra) por poderem continuar a trabalhar para o futuro do país 40 horas.

 

Bem, Mrs Tatcher é uma humanista, não proibiu sair a meio do trabalho para tomar a bica.

 

É uma Tatcher lusitana com a doce brandura dos nossos costumes.

 

suzy



publicado por porabrantes às 17:17 | link do post | comentar

Terça-feira, 25.02.14

Mas o município é o de Vila Nova de Poiares e a empresa é de Constância, quem nos haveria de contar que as autarquias animariam os tribunais graças ao calote autárquico?

 

 

 

 

Vedap - Espaços Verdes, Silvicultura e Vedações, S.A. 

 

 

Injunção Para Distribuição958993Entrada: 
25-02-2014
Distribuição: 
25-02-2014Autor: Vedap - Espaços Verdes, Silvicultura e Vedações, S.A. 
Réu: Município de Vila Nova de Poiares
2º Juízo173325/13.7YIPRT

Valor:
571.223,21 
Ação de Processo Comum
transferência Electrónica de Injunção Para Distribuição

 

mn



publicado por porabrantes às 19:15 | link do post | comentar

Terça-feira, 16.04.13

Tem a senhora Céu uma peculiar noção sobre a Liberdade de Imprensa.

 

Transcrevo das actas municipais:

 

''Ainda a propósito deste assunto, a Presidente da Câmara deu conhecimento de uma notícia que foi publicada no jornal “O mirante”, na edição de 31 de maio de 2012, com o título “Câmara de Abrantes promete pagar dívidas para evitar penhora” e lamenta que acomunicação emita notícias como esta, onde mais uma vez, os municípios são achincalhados de incumpridores e maus gestores, quando isso não é verdade''.




Ora a notícia era verdadeira....


A Câmara fora penhorada.


Dar uma notícia não é ''achincalhar'' ninguém  é relatar factos, objectivos e verificados.


Quem diz que dar uma notícia é ''achincalhar'' tem da liberdade de imprensa a mesma noção fascista, autoritária e provinciana do seminarista Oliveira Salazar e do seminarista Staline.


Diz depois a cacique que os municípios são cumpridores e bons gestores, o que é falso.


A maioria das edilidades está falida. Tecnicamente, falida exactamente por ser incumpridora e má gestora.

E  ainda mais grave, às vezes por violar a Lei para favorecer os amigos.


Por isso se julga hoje na Sertã a cacique Barata.


 

 Autarca de Vila de Rei diz que alegados benefícios foram apoios sociais Jornal de Notícias



Regresso à acta:

 

O vereador Santana-Maia Leonardo disse que no blog “Cidadãos por Abrantes”, foi colocado um post no dia 15 de maio de 2012, que dizia o seguinte, “Executaram hoje a CâmaraMunicipal de Abrantes, em 264.873,93€” e a seguir transcrevem precisamente, a entrada daação, a distribuição, o executante, o executado e os dados do processo.Por isso, a partir do dia 15 de maio, qualquer cidadão que tivesse conhecimento desse post,ficaria na posse da informação e foi isso precisamente que aconteceu relativamente aos vereadores do PSD e motivou a sua intervenção.A Presidente da Câmara lamenta que a fonte de informação dos senhores vereadores do PSD seja um blog e que esclarecida a questão, não tenha sido exercido o seu dever de honrar a sua responsabilidade de denunciar uma situação.

 

A notícia era nossa e foi por nós dada.

 

A notícia era exacta

 

A dívida era real e a penhora dera entrada nos Tribunais.

 

A Presidenta disse nova alarvidade e considera que um blogue não pode ser fonte de informação, certamente porque para ela ''informação'' é a forma inculta, manipuladora e censória como manipula o Boletim Municipal.

 

Como o irmão da Pintasilgo, o fascista José Manuel Pintasilgo, manipulava a Época ao serviço da Ditadura do Prof.Caetano que era certamente mais culto que a cacique.

 

 

Portanto somos o único blogue com direito a figurar nas actas.

 

Por direito próprio.

 

E a edil Albuquerque..... a chefe duma Câmara penhorada por gerir mal e não ter gente capaz de prever o resultado das cláusulas dum contrato.

 

As coisas são assim......claras...

 

a redacção 

 

o acordês das actas é mantido ipsis verba

 

 

 



publicado por porabrantes às 14:20 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Autarquias contra transfe...

Fundamentalistas são fam...

Juntas unidas espalham he...

Jorge Miranda: Corrupçãoz...

Dos perigos da monda quím...

Livre circulação de autar...

Apenas nove autarquias pr...

Albuquerque trama 35 hora...

Empresa de Constância pro...

o único blogue com direit...

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds