Sábado, 09.06.18

 

 

ayala

 devida vénia Estado Ibérico

 

 

Em Junho de 1893, no Teatro Ayala,na cidade de Badajoz, reúnem-se iberistas de toda a Península para tratarem de relançar o velho ideal, que andava um bocado em desuso , desde que D.Luís e seu Pai, D.Fernando II tinham recusado a coroa de Espanha, que lhes oferecera o caudilho catalão Juan Prim.

A ideia do general Prim era recriar de novo a Monarquia Dual dos Habsburgos, agora sob a  égide liberal dos Braganças (D.Fernando era um importante dirigente maçon).

D.Luís substituiria a exilada Isabel II.  

Boa parte dos presentes são republicanos dos dois lados da raia. Do lado luso Feio Terenas,  Teixeira de Castro (deputados do PRP),  Magalhães Lima (director do Século) ,  Ramiro Guedes, etc

Do lado castelhano o mais importante era Nicólas Salmeron, que fora efémero Presidente da I República espanhola

salmeron-alonso-pq

Wiki

e que se demitira do cargo, por se recusar a assinar uma sentença de morte. Preferira manter a sua consciência de homem livre, que repudiava a pena capital, a ser Chefe de Estado com essa tétrica obrigação.

O PRP era então iberista e os republicanos do lado de lá, idem.

Só depois de 1890 o PRP se assume como um partido nacionalista e colonialista, explorando habilmente a questão do ultimato britânico.

ramiro guedes bi

 Arquivo Distrital de Santarém

 

mn

 

 

bibliografia: Magalhães Lima, La Federation Ibérique

  



publicado por porabrantes às 17:05 | link do post | comentar

Domingo, 21.08.16

Aqueles que quiseram transformar a excelentíssima milionária abrantina, D.Clemência Dupin de Seabra

clemência dupin c.corpoativa.jpeg

numa anarco-republicana, defensora da emancipação feminina vão ter mais uma sonora desilusão,  mas a verdade histórica é para ser respeitada.

Corria 1922 e o Exército de Espanha batia-se para impor a Civilização Ocidental no Rif, onde as tribos berberes e mouras  não aceitavam a tutela de Castela.

No ano anterior, o caudilho Abdel-el-Krim, que rejeitava em simultâneo a autoridade do Sultão e das potências protectoras, a França e a Espanha, esmagou perto de Melilla, o exército colonial, no ''desastre de El Annual''. Caíram vários milhares de soldados espanhóis e o comandante da força, General Silvestre.

Boa parte dos mortos foram capados e muitos prisioneiros foram torturados.

O Governo de Afonso XIII planeou uma operação de castigo, com a colaboração dos franceses, capitaneados por Petain e resolveram usar a aviação para gasear civilizadamente os revoltosos.

A boa sociedade espanhola e os lusos que tinham amizades, interesses ou negócios relacionados com Espanha  , caso da abrantina D.Clemência, com fortes investimentos em Badajoz, resolveram  financiar a vingança.

heraldo.png

O Heraldo dá notícia da contribuição dos sócios do aristocrático RACE-Real Automóvel Club de Espanha para financiar a vingança colonialista.

heraldo 2.png

Ao lado da fina-flor dos Grandes de Espanha, com o Duque de Alba, como primeiro doador, e de alguns portugueses, como o Duque de Palmela, encontramos a milionária abrantina dando 100 pesetas para meter os ''mouros'' na ordem colonial.

heraldo 3.png

Um pouco antes da D.Clemência, está outro doador luso, o Conde da Lousã, um Lencastre, compadre  do Marquês de Viana, um aristocrata cordobês, alto cargo palatino e companheiro de idas às meninas do Rei em Deauville e Biarritz.

A filha do Lousã, seria 3º Marquesa de Viana.

Dando-se com gente desta, querem fazer-nos acreditar que a milionária abrantina, com raízes francesas e tramagalenses era uma anarco-republicana?

Ainda espero encontrar uma foto dela ao lado de Afonso XIII, o homem que criminosamente mandou executar um anarquista chamado Ferrer.

Em 1925 o Marechal Petain e o General Primo de Rivera esmagaram a revolta berbere de  Abdel-el-Krim, num banho de sangue.

O caudilho do Rif morreu no Cairo, nos anos 60, sob protecção de Nasser

abdel el krim.jpg

 vai isto dedicado à Fátima Al-Glauí, sobrinha-neta do Paxá de Marraquexe e professora de Física Nuclear na Universidade de Rabat, distinta fundamentalista e minha amiga.

ma 

foto da D.Clemência na Càmara Corporativa, ANTT com a devida vénia

        



publicado por porabrantes às 13:40 | link do post | comentar

Domingo, 26.06.16

O miserável cubo, à Carrilho da Graça,

carrilho-da-graca-150x150.jpg

que prostituía a Alcáçova de Badajoz começou a ser demolido por ordem do Tribunal

 

badajoz.jpg

Foto e notícia Hoy com a devida vénia

 

badajoz 2.jpg

 O candidato laranja D.António Castel-Branco está a consultar o cunhado, Dr.Júdice, para saber se o licenciado violou os direitos de autor do Senhor Seu Pai

museu sem torre.jpg

 ma



publicado por porabrantes às 20:32 | link do post | comentar

Sábado, 07.05.16

diz o Garcia Salas, um político extremenho, para debater cidades inteligentes.

 

A Presidenta

 

cacique.jpg

explicará aos castelhanos, que a inteligência abrantina consiste em comprar oliveiras centenárias a 2.000 € para desonrar a memória de Lucília Moita, que nunca pintou oliveiras tão caras, porque era muito poupadinha.

moita 5.png

ma



publicado por porabrantes às 13:49 | link do post | comentar

Segunda-feira, 21.03.16

PCE.png

 Informa-nos o Partido de Santiago Carrillo que o proletariado de Badajoz desencadeou uma greve de lixo contra a concessionária, a FCC, a empresa dona da Abrantaqua, onde vegeta o ex-Vereador PS de Abrantes Júlio Bento

bento abrantaqua.jpg

A greve contra a empresa dominada pelo argentário mexicano Slim (que tem como impedido o camarada de Júlio Bento, Felipe Gonzalez Márquez ) reveste a dureza tradicional da luta de classes ibérica, sem trégua contra o capital e os parasitas de benta pança

215124_1.jpg

La Cronica

Diz La Cronica que a Comissão de Trabalhadores apresentou uma queixa-crime contra FCC por violar o direito laboral.

O PCE manifesta veemente o seu apoio aos trabalhadores e denuncia a exploração capitalista dos amigalhaços do Bento.

PCE 2.png

 

 Esperamos ver o dr.Avelino Manana fiel à solidariedade internacionalista, denunciando os amigalhaços da Abrantaqua

J.Yague (correspondente em Badajoz)

foto :Abrantaqua



publicado por porabrantes às 15:32 | link do post | comentar

Sexta-feira, 18.03.16

(...)

En esto del tren extremeño, la fuerza de las presiones y el caciquismo ha podido siempre a la lógica de los kilómetros. Los delegados de Torrejoncillo y Ceclavín tenían razón: el trayecto entre Madrid y Lisboa por Zarza la Mayor (600 kilómetros) es el más corto. ¿Pero qué podía hacer la lógica frente al poder de don Cipriano Segundo Montesino, Duque de la Victoria, ingeniero nacido en Valencia de Alcántara en 1817, diputado en Cortes, Director General de Obras Públicas y director de varias compañías de ferrocarriles?(....)

Ciprianosegundo.jpg

(...) Cipriano envió al ministro de Fomento en 1874 una carta de seis folios, incluyendo planos donde demostraba que el mejor trazado entre Palazuelo-Empalme (Malpartida de Plasencia) y Lisboa era a través de Valencia de Alcántara, Abrantes y Entroncamento. Tras enconadas polémicas en la prensa, ese fue el trazado aprobado. Don Cipriano manipulaba la realidad, sobre todo porque el trazado que él proponía era 83 kilómetros más largo y costoso pues debía cruzar el Alagón y el Tajo. Pero mandaba bastante más que cualquier alcalde de Torrejoncillo y por Valencia de Alcántara se fue el tren.(...)''

 

Leia o artigo de Don

O Cipriano decidiu a favor de Abrantes, graças a ele houve Linha do Leste!

 

ma

 

 



publicado por porabrantes às 15:55 | link do post | comentar

Terça-feira, 10.11.15

Em Badajoz uns arquitectos nabos e inconscientes do valor da Alcáçova da Cidade construíram um cubo merdoso dentro das muralhas mouriscas para fins universitários..

A associação de defesa do património pacense encetou uma longa luta popular e de massas contra o inqualificável cubo, construído pela reles cacicagem do PSOE e foi aos tribunais.

A sentença é determinante. O cubo vai abaixo. A velha Alcazaba será defendida contra gregos e troianos.

cubo de badajoz.jpg

Foto Hoy

Manuel Marquéz, Presidente da Associação dos Amigos de Badajoz, diz que a luta começou em 2000, mas que a vitória é da cultura e património.

cubo badajoz 2.jpg

Foto Hoy

 

Ler aqui

 

Márquez não comentou se ia pedir a prisão do Reitor da Universidade, do Arquitecto e dos caciques. É um moderado.

 

Entretanto a cacique abrantina esteve em Badajoz, certamente para ver como uma cidade civilizada preserva o património.

 

cubo 3.png

 Ignoramos se foi ao Corte Inglês

INAUGURACIONIXENCUENTROIBERICO.jpg

mas foi a esta actividade, onde parece que o Presidente Rafael Garesse permaneceu fiel ao apelo da siesta.

a redacção

 

créditos:APTE, Hoy



publicado por porabrantes às 09:24 | link do post | comentar

Sábado, 10.10.15

Clemência Dupin morreu em Abril de 1936, procuradora salazarista à C.Corporativa.

Os militares espanhóis revoltaram-se em 18 de Julho de 1936, comandados pelo General Sanjurjo, que estava exilado no Estoril e aí morreu num desastre de aviação, quando partia para comandar as tropas sublevadas.

Já tínhamos visto ser fuzilado em Valência por clerical o gerente da D.Clemência. Badajoz ficou em mãos republicanas, mas rapidamente a resistência foi jugulada pelo Coronel Yague, autor duma repressão implacável, denunciada em primeira mão pelo enviado do Diário de Lisboa, que foi Mário Neves (que seria o 1º Embaixador de Portugal na URSS).

Mas que sucedeu às afamadas indústrias Dupin?

Pelo anúncio de 1940, estavam a trabalhar ao serviço do exército de Francisco Franco

clemencia dupin badajoz 2.png

mn

A Companhia Internacional de Madeiras era outra empresa da família Dupin-Seabra



publicado por porabrantes às 22:35 | link do post | comentar

Sexta-feira, 09.10.15

Conheço um idiota em Abrantes, que acha que tem no cofre um Velázquez. Já houve uma abrantina, milionária, que comprou esta espécie de   Velázquez em Badajoz

 

velazquez dupin.png

velazquez dupin 2.png

Era um ''Velazquez'' ou seria um ''Murillo''?

Também podia ser.

 

Onde é que anda o quadro? Vi-o outro dia. A D.Clemência Dupin

clemência.png

mandou estudar a tela que comprara antes de mandar fazer qualquer Museu com uma torre de 40 metros de altura para meter a obra-prima.

Ao contrário do que fez Isilda Jana que subscreveu um texto na Zahara atribuível (diz ela, porque a Isilda só tem uma fotocópia não assinada) a um infeliz Baltazar, onde se diz que Dominique Dupin, o francês que se radicou em Abrantes e montou o grupo familiar, que D.Clemência aumentaria, era um ''alcóolico incorrigível'' (sic),

Voltarei ao assunto.

Podem ler aqui o artigo de um misterioso X, que relata a história atribulada do quadro espanhol da herdeira Dupin.

mn       

 

créditos: O Século/ANTT (extracto)

Centro de Estudios Extremeños (quadro)



publicado por porabrantes às 21:06 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.06.15

A Revista de Estudios Extremeños destacou há tempos (2012) uma importante inovação na técnica agrária da região de Badajoz. Num artigo de Juan José Viola Cardoso conta como praticamente até meados do século XIX se manteve inalterável na região raiana a forma de  arar os campos. Durante 2.500 anos quase não houve mudanças nas técnicas.

charruecos.png

 A introdução duma charrua moderna ou ''charrueco'' foi feita em grande parte a partir de ''importações'' de Portugal, realizadas através do contrabando e destacam-se as alfaias contrabandeadas a partir da Duarte Ferreira.

Essas charruas ou arados foram extremamente populares nos campos de Badajoz e foram responsáveis por uma mini- revolução agrícola na zona.

charrueco 2.png

Imagens do excelente artigo do investigador Juan José Viola que se recomenda ler.

 

mn

  



publicado por porabrantes às 08:40 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Ramiro Guedes defende a U...

D.Clemência Dupin de Seab...

Demolido o cubo ilegal de...

Caciquismo visita Badajoz...

Classe operária em greve ...

Cacique espanhol impõe Li...

A cacique em Badajoz, jus...

Empresa da republicana Du...

Clemência Dupin compra ''...

A MDF e o contrabando, ''...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds