Quarta-feira, 11.04.12
Posted on November 24, 2011 by admin

Many trusters – little trust

Back in January, the concrete company Precore filed a claim in court in the amount of four million euros against RPP Solar’s property. This was followed in late April by insolvency proceedings against RPP Solar brought by the logistics firm TMS in the Abrantes civil court. The amount of the claim: 30,000 euros. There is also public knowledge of two drilling companies from the Leiria region that are demanding just under 15,000 euros from RPP Solar.

The Italian distributor Prime Solar is now also taking action through lengthy legal channels from Sicily to the Portuguese civil court. Chief Operating Officer Nadia Aristova finds the “business conduct of RPP Solar more than lacking in credibility.” In mid-October, the Palermo-based company placed an order for 150.19 kilowatt-peak in the “Lynx-6P230″ module range, with delivery scheduled for the end of November. Prime Solar paid “a 15-percent down-payment of around 36,500 euros to RPP Solar.” In mid-November, Aristova received notice that “RPP Solar would not be able to de-liver a single module.” “We were forced to replace the modules for our customers quickly, and at a high price,” she says.

RPP Solar did offer a replacement delivery of LG modules, but as Prime Solar had sold European modules with a ten years product warranty to their clients, Aristova opted for a refund. For months she was reassured that the money would ar-rive within a few weeks. “Finally, they just stopped returning our calls, so we decided to hand the matter over to a local attorney,” explains Aristova. She estimates the damage for Prime Solar at 65,165 euros, including interest and expenses.

Prime Solar is not the only solar company that has something to complain about when it comes to refunds yet to be received. According to information from the industry, RPP Solar has pocketed down-payments totaling over 700,000euros from customers in Belgium, Spain, and Italy. The unsettled claims against RPP Solar now add up to around 7.5 million euros. That’s a sum which managing partner Alexandre Alves doesn’t dispute, but one that he doesn’t see as a future problem. When asked, he asserts reassuringly: “I won’t remain indebted to anyone, not for a single cent.” What he doesn’t understand, he says, is why anyone is questioning RPP Solar’s solvency now. “The company has 107 mil-lion euros in assets, and 7.5 million euros in liabilities,” he stresses. “I don’t see what the cause of concern is.” Alves sees himself as “a victim of a malevolent media campaign staged by the daily newspaper Correio da Manha.” In mid-June he told Diario Econbmico that he was granted a200 million euro funding from foreign banks to finally start production.

More annoying than usefull Given the legal wrangling and disgruntled business partners, the future outlook for RPP Solar seems uncertain. The ambitious one-billion-euro project could end up being a “white elephant” for the entrepreneur, whose previous activity involved shopping center development projects undertaken with his Retail Parks de Portugal holding company. Recalling the Siamese kings’ tradition of bestowing ex-pensive, sacred, light gray elephants on rival princes in order to drive them to financial ruin, a gift that ultimately creates more annoyance than usefulness is known as a “white elephant.” The RPP Solar project, endowed with a generous58 million euros in financial aid and 70million euros in tax bonuses, does not currently have the necessary equity or financing to meet the high expectations.

It’s a bitter truth that has become increasingly apparent to Stephan Ostermann, Country Manager Germany, since RPP Solar’s latest start date fell through in October: “All of us, employees and customers alike, were seemingly blinded by a good final product,” he admits. Forhis project, Alves uses only high-quality components from leading European producers, such as Saint Gobain, Weidmiiller, Siemens, Centrotherm, and 3M.

And business with high-output modulesis going well. In September, on the occasion of a visit to the factory by officials, Alves proudly spoke of “orders worth 73million euros by year’s end.” Ostermann confirms this: “I alone had orders for 49MW, but in my case, there were no cash payments in advance for the German customers.”

Nevertheless, the collaboration with RPP Solar has also turned out to be a “white elephant” of dashed expectations for the sales team. What initially see meda good opportunity to be part of an innovative project turned out to be a potentially damaging endeavor for their professional careers. For several weeks now, their contact data has been missing from the RPP website. When his contract was over at the end of March, the 32-year-oldOstermann seamlessly transitioned to a new job with the Chinese manufacturer Jinko, as regional sales director for Europe. Yet he is not keeping silent: “We are not going to banish the RPP Solar chapter from our resumes,” Ostermann remarks on the conflict of interest in which he and his colleagues find themselves. “In a certain sense, we are blackmailing ourselves.

You don’t normally talk about your employer’s internal goings-on.” It’s a matter of mutual trust, he says, but to a certain extent, the company’s management has abused its employees’ trust. According to Ostermann, for the period from December to March, RPP Solar still owes “the five-member sales team at least 250,000euros for four months’ salary plus out-lays and bonuses.” Ostermann can not provide details on customers’ unsettled claims, however, “due to contractual obligations.” Like the customers left hanging, he says he also received emails week after week announcing that payment was forthcoming. “For me, RPP Solar is one of those projects in the photovoltaics sector in which someone tries to make money without putting their own capital on the table,” says Ostermann today.

Failed subsidies

Despite record subsidies of 128 million euros and the announcement by company head Alves that of the total investment sum of 1,052 million euros, he was “financing 210 million euros out of his own pocket,” the company with the head of a lynx on its company logo doesn’t seem to have the right key to open up the necessary credit lines with the country’s banks, which have been heavily under-financed since the debt crisis. Most recently, the investment agency AICEP declared in May that RPP Solar had not yet received any subsidy payments because the company “had not yet been able to fulfill the contractual eligibility conditions of a bank guarantee.” The audit standards of the national NSRF Structural Fund are strict. They stipulate that the subsidized project must be vested with at least 25 percent equity. In the case of RPP Solar, that means an equity share of at least 224 million euros for a subsidized investment totaling 897 million euros by 2013. But the amount shown in the commercial register records is no-where close. To date, the shareholder duo Alexandre Alves and Irene de Brito have only paid in just under 740,000 euros of the 1.5 million euros of share capital.

But even without the subsidy monies, Alves remains almost stoically optimistic, announcing: “My first and only concern right now is taking care of RPP Solar’s commitments, not a new start date for module production.” Only afterward does he intend – without committing to specific dates – to “reset the odometer at RPP Solar to zero.” In any case, the search for employees, customers, and suppliers will likely require starting from zero.

http://www.solarbtoc.com/blog/portugal-solar-fit-solar-incentives-and-subsidies-2.html

 

Nota: Boa parte das coisas que nos escondem  sobre a RPP estão aqui. Pedimos desculpa ao leitor por o texto estar na língua do Império. Se houver tempo talvez algum  colaborador nosso o traduza e ponha à disposição do público.

 

Esperamos divulgar mais coisas sobre isto.

 

Se Maria do Céu Albuquerque fosse responsável mandava traduzir isto e distribuir aos Vereadores e deputados municipais.

 

jornal da esta

 

mas o que prima é a lei da rolha

 

  educarwordpresse

 

 

perguntem ao dr. Belém Coelho.....

 

 

Agora também não percebo o comodismo dos jornalistas abrantinos que podem encontrar muita coisa on-line....

 

Bolas, são V.Exas profissionais.

 

Até há uma jornalista lusa no twiter que só se dedica (quase) à RPP.....

 

Quando a coisa rebentar o Armandinho emigra para Lagarelhos.....porque foi um dos que não fiscalizou o contrato com o Alves, entretanto o Barão que se ponha a pau mais as Senhoras Brito. Faltar à palavra das num negócio com um empresário de Palermo é faltar à honra......

 

 

Diz o palermitano: In mid-October, the Palermo-based company placed an order for 150.19 kilowatt-peak in the “Lynx-6P230″ module range, with delivery scheduled for the end of November. Prime Solar paid “a 15-percent down-payment of around 36,500 euros to RPP Solar.” In mid-November, Aristova received notice that “RPP Solar would not be able to de-liver a single module.” “We were forced to replace the modules for our customers quickly, and at a high price,” she says. 

 

 

E tenho uma certa admiração pela maneira pela maneira civilizada dos bons e civilizados sicilianos resolverem as coisas. Por exemplo assim.....

 

 

 turismo de palermo

 

 

Os sicilianos são muito religiosos, por isso quando há crise rezam aos santos mumificados

 

 

MA

 



publicado por porabrantes às 22:18 | link do post | comentar

Domingo, 08.01.12

nelson rpp.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

a senhora Dona Graça Machel actualmente Mrs. Mandela terá também insultado o Barão?

 

Propomos por isso que se faça uma postura proibindo que nesta cidade  se baptize um arruamento com o nome subversivo de

 

Nelson Mandela

o perigoso comuna com destacados combatentes boers pelos direitos humanos que nunca chamaram aldrabão ao senhor Barão. Os ''arianos'' boers cuja percentagem de sangue ''branco'' anda pelos 65% dado que uns 10% do ADN é Zulu, 5% bosquimane, 5% shossa ( do mesmo ADN tribal que o sr.Mandela), 2 % de escravos importados de Angola e Madagáscar, 2% de judeus sefarditas, 8% hotonte e 2% brâmane (na melhor das hipóteses...) eram todos ''maçons''

 

 

Miguel Abrantes, de etnia ribatejana e não de etnia alentejana como o Alves de Avis e o Carrilho da Graça de Portalegre 



publicado por porabrantes às 10:46 | link do post | comentar

Terça-feira, 03.01.12

Na nossa benemérita actividade de divulgar o novo caso FNAC, que em Moçambique se traduzia por

 

 

 

Fomos Novamente Aldrabados

 

pelos Colonialistas

 

e aqui,

 


Fomos Novamente Aldrabados

 

pelo C.....

 

divulgamos outro documento interno do caso RPP, o press-release da CMA a convocar a malta da imprensa para o feliz acontecimento

 

 Porra!!!!

 

  7 fábricas 7 !!!!!

 

o milagre era superior a um

 

cartel de touros

aí só costumam atacar 6 Miúras

 

 

 

 imagem camarária tratada pela Suzy

 

 

Marcello de Noronha, grande admirador dos ''butlers'' ou seja os lacaios da aristocracia 

 

 

 

butler de pequenos e grandes projectos

 



publicado por porabrantes às 12:51 | link do post | comentar

Quarta-feira, 21.09.11

  

 

 

 


Um documento essencial divulgado por nós em exclusivo e que vai colocar os responsáveis aos saltos, como já vai sendo costume ao lerem este blogue.


Um documento que ao sabemos ainda não está na posse do MP que investiga o assunto, e que é essencial para apurar responsabilidades.


Trata-se do Relatório de Avaliação do Casal Curtido, realizado por Ezequiel Fernando Ruivo Oliveira e João  António Fernandes Silva que só avaliou a propriedade em  663.mil €, enquanto a CMA a comprou por um milhão.


E que vendeu ao Alves  Cª por 103.598€ !!!!!

 

 

Negócio protagonizado por Nelson Carvalho, a seguir convidado pelo Barão para um .......

 

 

TACHO !!!!!!


Mesmo assim parece-nos exageradamente avaliada a dita quinta, porque :


a)      não se consideram na avaliação as menos-valias produzidas no imóvel pela servidão administrativa que o afecta.

b)      porque se considera que todos os  82, 75 ha do imóvel são ‘’aptos para construção’’ numa interpretação absurda do PDM e doutra legislação de ordenamento, quando manifestamente o terreno era rústico e devia ter sido avaliado na nossa opinião a preços para terrenos rústicos.

c)      Se esta interpretação for aplicada pela CMA para comprar ou expropriar qualquer terreno no concelho em espaço agro-florestal, com mais de 3 hectares,

terá de o pagar a preço de terrenos  '’aptos para construção’’, porque se têm mais de 3 hectares, qualquer pessoa lá poderia meter uma unidade industrial. E a lei é igual para todos.

d)      Quando tivermos tempo daremos uma vista de olhos aos preços pagos por terrenos expropriados nos últimos anos, no concelho, para ver se este raciocínio e se estes valores foram praticados com terceiros.

e)      Estranhamente a Comissão não considerou outros ónus que pendiam sobre a propriedade, designadamente a existência dum contrato de arrendamento de exploração florestal com uma empresa ligada à indústria de celulose, que diminuíam e diminuem o valor do imóvel. Porquê?

f)        Uma omissão deste tipo já causou prejuízos relevantes à autarquia (e portanto aos meus pobres bolsos que a sustentam com impostos) quando compraram ao Conde de Alferrarede terrenos para o Parque Industrial, sobre o qual pendia um contrato de arrendamento de exploração florestal com uma empresa ligada à indústria de celulose. Coisa que deu origem a um processo judicial, que a CMA resolveu desistindo do pedido e pagando uma soma astronómica aos senhores dos eucaliptos.

g)      Assim sendo será mister que o MP chame estes senhores a declarar para que o elucidem destes estranhos critérios.

h)      Regressando aos terrenos do Parque Industrial a decência mandava que o SR.Nelson Carvalho e os vereadores que praticaram uma asneira que custou largos milhares de contos à autarquia pagassem a diferença de preço em causa à custa do seu próprio património.

i)        Eu se tiver um azar e atropelar o cão do vizinho, sou obrigado a indemnizá-lo.

Porque não há-de Nelson Carvalho indemnizar-nos a todos, já que lhe pagamos uma

 

 

 

 

 

principesca reforma ?????

 


 

 

 

 

         

 

 

Marcello de Noronha, da Obra

 

documentos gentilmente cedidos à petição por um jornalista abrantino

 

 



publicado por porabrantes às 13:18 | link do post | comentar

Terça-feira, 20.09.11

No livro do Ministro do Ministro da Economia 

 

        

 

diz-se isto sobre as renováveis: 

 

''É verdade que as energias renováveis ainda são relativamente caras em relação a outras fontes de energia. Ainda assim, a aposta nelas deve continuar, desde que se satisfaçam duas condições. Primeiro, os subsídios e os apoios extraordinários que têm vindo a ser concedidos às eléctricas nacionais têm de ser gradualmente retirados. Segundo, a estratégia de incentivo às renováveis não pode inibir uma maior concorrência no sector.Se estas duas condições não estiverem presentes, não valerá a pena continuar a apoiar as renováveis, pois a factura do apoio será sempre demasiado cara. Por outro lado, se os subsídios e os apoios extraordinário forem retirados e se uma maior concorrência no sector da energia for garantido, penso que teremos toda a vantagem em continuar a investir nele.''

 

( retirado do ecotretas)

 

A crise global fez alterar completamente o cenário no negócio da energia ,  as leis do mercado, o raio da oferta e da procura ditam que apostas como a da RPP podem estar condenadas, tanto no fabrico para Portugal como para o exterior.

 

A RPP apontava para o mercado alemão. Leiam o que diz um jornal de referência europeu, o Le Monde, sobre a mudança do cenário

 

 

 

 

 

 

Portanto por muito que tenha a CMA confiança na garantia bancária do Alves, que nos desperta as maiores desconfianças (para que servirá a não ser para esgrimir aos olhos do povoléu ?), preparemo-nos para o anunciado flop.  

 

Será que os autarcas têm o costume de ler a imprensa estrangeira?

 

Ou alguma imprensa?

 

Eis um bom hábito a cultivar....

 

Marcello de Noronha 



publicado por porabrantes às 23:08 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16.09.11

 in amareloverdealgace.com

 

Diz-nos o nosso amigo Cidadão Abt:

sobre A canalha no seu melhor na Quinta-feira, 15 de Setembro de 2011 às 22:54:

 

     

Valha-nos a Virgem Santíssima!!!

Cobras, lagartos, lagartixas, demónios excomungados, sape gato lambareiro!!!

O léxico alentejano é bastante emotivo e vai daí, o blogue castelo-vidense incendiou-se de todo!

Gente ao corrente da situação e em cima dos acontecimentos!

Perante este grau participativo, os comentadores e restantes abrantinos não passam de uns jóias embalados no sistema institucionalizado das portas, passagens, açudes e imaginários cubos proto-históricos!

Live indignation!

 

 

Ò Cidadão,

 

Há um estudo que diz em que Castelo de Vide se pronuncia o ù à francesa, como na Bretanha micaelense e parece-me em boa parte dos Açores desde Ponta Delgada até ao Corvo.

 

A tese parece residir numa medida do Marquês de Pombal que queria melhorar os índices de produção dos  conterrâneos do Carrilho da Graça,

 

que já no no século XVIII s se dedicavam a dormir a sesta com uma militância tão insistente que deixavam abandonados os trabalhos rurais. Pombal resolveu melhorar a ''raça'' importando colonos de São Miguel para modificar a genética local e torná-los nuns gajos capazes de trabalhar de sol a sol sem dormirem a sesta cada cinco minutos.

 

 bolo de anos tipicamente alentejano (se fosse de Lagarelhos o indígena estava a cagar no bolo e o Armandinho Fernandes a dizer que assim ficava mais apetitoso)

 

in  Quinta da Sapinha 

 

A coisa deu para o torto, porque rápidamente os insulares perderam a compustura atlântica e se tornaram alentejanos para não destoarem da planície.

 

Não sei se o Carrilho tem sangue açoriano, mas sei que é um alentejano autêntico ou seja um papa-açorda da arquitectura.

alentejosolidario.blogspot.com

 

O cubo revela tal preguiça para pensar o local onde se vai situar que só demonstra que o licenciado estava com deficit agudo de sesta quando se meteu no estirador.

 

Descobrimos agora nós, caro  e ilustre Cidadão (parabéns pelo alentejano honorário Pico o ter citado, é uma honra assinalável), que há bloguers alentejanos que são mais estercorários que João Pico.

 

Isso só prova que foi do Souto que sairam os primeiros habitantes do Alentejo e que o primeiro gajo a estragar a planície com menires foi um trolha do Souto aí por 5.000 APP.

 

 

 

Que significa APP?

 

Antes de Pico & Pimenta......

 

Entretanto estamos receber uns comentários revolucionários alentejanos do melhor. 

Alentejano revolucionário on-line

 

Como nós em relação à linguagem somos uma malta civilizada não posso responder aos rapazes do Alentejo é Vermelho com ordinarices do tipo : o gajo da RPP Solar é de Avis, porra!!!!

 

Porque é que não lhe venderam uma UCP por 100€ e tinha de vir fazer negócios para cá com o Sr.Carvalho????

 

 

Bolas, não posso dizer mais mal dos alentejanos porque me lembrei que sou amigo do dr.Santana-Maia Leonardo que é um alentejano dos melhores!!!! 

 

Só posso se os gajos continuarem a insistir amandar-lhes com uma maquete do merdoso cubo na tola!!!!!

 

Adeus amigo Cidadão!

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 22:18 | link do post | comentar | ver comentários (3)

Quarta-feira, 14.09.11

   

 

posto e escrito por Miguel Abrantes

 

 



publicado por porabrantes às 13:08 | link do post | comentar

Sexta-feira, 26.08.11

Tenho de fazer um post para ganhar money para sair esta noite. O Miguel telefonou-me e estava lixado comigo porque eu não tinha publicado nenhum dos cartoons que é meu dever produzir para fazer a chefa ficar com dor de cabeça e usar o rolo da massa com entusiasmo e vivacidade.

 

Podia ter ido ao jornal do galego roubar isto 

 

e desatar-me a rir à gargalhada com a imagem, o néscio comunicado da CMA e a pinta dos texanos.
Porque é que só as senhoras levam um penico na cabeça?
Será mais sexy?
O Barão e o amigo por terem um chapéu à JR não corriam risco de levar com um tijolo na pinha?
O penico é melhor para conservar os penteados das damas e assim como estamos em contenção poupam no cabeleireiro????
Ou será que a as damas como são do PS estão disfarçadas de operárias para dar ideia que aquilo é um partido de esquerdas?
Tudo isso parece-me fácil demais para ganhar o money para ir celebrar a night  ....
Hoje resolvi que posso mostrar que sou tão boa blogguer como gaja boa ....
Que tal umas imagens do burgo para entusiasmar os senhores agentes ???
IMG_2182.jpg
entrada piscina municipal 
IMG_2174.jpg
aqui não foram pintados grafittis contra o museu, porque ninguém lá vai....
IMG_2172.jpg
mas fui eu.....
IMG_2178.jpg
piscina municipal por dentro
 IMG_2179.jpg
magnífico !!!!!
que tal um grande plano e já ganhei para a night!!!!????
moral da história: este abandalhamento é a marca da gestão de Maria do Céu Albuquerque.
não me venha o Miguel, com a teoria que a culpa é da Chefa
a culpa é dessa incompetente e presumida política de terceira
Suzy de Noronha, gaja boa de classe alta
fotos da petição

 



publicado por porabrantes às 18:47 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.08.11

 

suzy de noronha, gaja boa com horror a mulheres peludas.

Ò filhas,  depilem-se se faz favor

 

 



publicado por porabrantes às 23:05 | link do post | comentar

Quarta-feira, 03.08.11

 

texto de A.Abrantes

 

 

 



publicado por porabrantes às 19:08 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

RPP SOLAR sem legendas

Era um maputense.....

aqui está um carvalho par...

petição desvenda document...

terá nascido o sol para a...

Os bloguers de Abrantes (...

o barão responde

a culpa é da Maria do Céu...

Um subsídio para gilletes

O strip-tease Kultural

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds