Terça-feira, 28.11.17

Pedro Manuel Monteiro, especialista em veículos militares lusos e autor de ''Military Vehicles of the Portuguese Army'', prepara-se para lançar em Abril, um livro com o título: ''“Berliet, Chaimite e UMM – Os Grandes Veículos Militares Nacionais'', que será editado pela ''Contra a Corrente''.

O livro, financiado pelo sistema Crowdfunding, será certamente muito interessante para a história militar e colonial, bem como para a da indústria automóvel lusa.

Mais informação aqui

mn



publicado por porabrantes às 09:54 | link do post | comentar

Terça-feira, 08.12.15

fundação berliet 3.png

Pièces de machines agricoles, usine de Tramagal -Portugal-, cliché Jacques Thévoz, 1965
Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon (1965)

 

fundação berliet.png 2.jpg

 Ouvrier, usine de Tramagal -Portugal-, cliché Jacques Thévoz, 1965

fundação berliet 3.jpg

 

Nouvelle facade de la société MDF à Tramagal -Portugal-, cliché Jacques Thévoz, 1965

 

devida vénia à  Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon (1965),  para as fotos e as legendas das fotos

 

imprescindível local para os interessados na História do automóvel que também é a nossa.

 

Monsieur Jacques Thévoz era um grande fotógrafo, por isso não está na Galeria Quartel

 

E a do Tramagal

 

mn

quanto a exposições municipais é melhor ir a Lyon, há voos charters baratos

 

 



publicado por porabrantes às 22:07 | link do post | comentar

fundação berliet 3.png

Pièces de machines agricoles, usine de Tramagal -Portugal-, cliché Jacques Thévoz, 1965
Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon (1965)

 

fundação berliet.png 2.jpg

 Ouvrier, usine de Tramagal -Portugal-, cliché Jacques Thévoz, 1965
 Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon (1965)

 

fundação berliet 3.jpg

Nouvelle facade de la société MDF à Tramagal -Portugal-, cliché  1965
Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon (1965)

 

devida vénia à  Fondation de l’automobile Marius Berliet - Lyon

imprescindível local para os interessados na História do automóvel, que também é a nossa.

 

Monsieur Jacques Thévoz era um grande fotógrafo 

 

E a do Tramagal

 

mn

quanto a exposições municipais é melhor ir a Lyon, há voos charters baratos

 

 



publicado por porabrantes às 21:00 | link do post | comentar

Domingo, 21.06.15

 

8 Fotografias antigas Fábrica Fundição do Tramagal

€ 9,00

 
Colecções - Antiguidades
Vende-se

 

tramagal 9 euros.png

tramagal 9 euros 2.jpg

Vende-se em Alcanena
 
Deixa-se o aviso para a esforçada rapaziada que está (há 30 anos!) a tentar montar um Museu na Vila ( o primeiro projecto já estava pronto em 1977 e orçamentado em 12.500 contos!)
Tudo isto devido à acção do Prof.Mário Silva que queria construir um Museu Nacional da Ciência e da Técnica, que lhe tinha sido encomendado pelo ministro fascista Veiga Simão. O Museu teria vários pólos, um deles o da MDF. 
O Mário Silva, académico prestigiadíssimo, tinha sido perseguido pela Ditadura e o físico nuclear Veiga Simão, que se distinguira pelo abandono da Academia para passar à política, repescara-o. A sua demissão da função pública, em 1947, juntamente com a do General Marques Godinho, do abrantino Lopes Raimundo (cuja genealogia e obra foi tratada, no Jornal de Alferrarede, pelo dr. António Graça Pereira)  e outros anti-fascistas já aqui foi abordada.

tramagal revista passos concelho.JPG

 

A Tubucci oportunamente publicou esta imagem. Resta dizer, que o que se publica abaixo, acerca do Museu, são extractos, do importante livro (1) de Adelaide Costa Duarte, sobre o falhado Museu da Ciência e da Técnica que Veiga Simão queria edificar. A Lígia Marques conseguiu escrever um artigo sobre os esforços da CMA/ Junta de Freguesia para fazer um Museu no Tramagal, sem descobrir que o projecto já datava pelo menos de 1976 e que até tinha orçamento. É obra!!!! . Não sei como há pachorra para ler coisas de quem não  cita a bibliografia mais elementar, mas havia que recordar Mário Silva, como o sanearam, ao mesmo tempo que o General Godinho, como sobreviveu transformado em vendedor de espumantes,  enquanto, patriótico, o Rui Duarte Ferreira (o que vendeu a Coelheira,  quando andava pró escasso de money)  escoltava Américo Tomás. E calo-me, para não dizer o que fazia o Mário Bastos!!!!
Ele e o bravo Rui, estão na última foto, que, como a anterior ,é retirada da revista de propaganda ''Passos'', onde o Martinho Gaspar traçou, eufórico, a saga das Berliets, que transportaram tropas em missão de soberania.
 
As Berliets também serviram para transportar uma tropa humilhada e vencida, depois da Abrilada, na saga mais vergonhosa para as Forças Armadas de Portugal desde Alcácer-Quibir. Como escreveu Mestre António José Saraiva: '' Para começar, escreveu-se na nossa História uma página ignominiosa de cobardia e irresponsabilidade, página que, se não for resgatada, anula, por si só todo o heroísmo e altura moral que possa ter havido noutros momentos da nossa História e que nos classifica como um bando de rufias indignos do nome de Nação.'' Enquanto isso, Luís Cabral fuzilava os bravos Fulas  que se tinham batido por Portugal e o Sr.Almirante Almeida d'Eça (hoje com 97 anos, diz o Expresso) fazia o impossível por conseguir libertar os patriotas cabo-verdianos que o PAIGC metera no Tarrafal, pelo simples facto de não quererem viver num regime despótico. Vil miséria.
ma
(1) Edição da Universidade de Coimbra
PS-A Lígia Marques fez esta esta tese de mestrado no IPT sobre a musealização da MDF, com patrocínio municipal, orientação do Doutor Luís Mota Figueira, com 273 páginas,e não conseguiu descobrir o projecto Veiga Simão/Mário Silva.
Mas naturalmente a Lígia Vanessa conseguiu ser candidata à Assembleia de Freguesia do Tramagal com o PS.... 
Ò Ligia, o Veiga Simão era seu falecido camarada, depois de ser fascista, foi Ministro da Defesa socialista, com Guterres....      
 
 
 
 
dr. mário silva.jpg

  

museu tramagal.png

 

museu tramagal.png 2.png

 

museu tramagal 4.png

 

museu tramagal 2.png

 

 

tomás.png

 

 

bastos tramagal.png

 



publicado por porabrantes às 12:17 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Quarta-feira, 07.05.14

Passa-me pelas mãos parte dum arquivo militar que era secreto, até há pouco, que há sobre a região?

 

 

Muito....

 

 

Só a título elucidativo:

 

 

35 – "Material" (contém notas sobre bombas napalm, informação sobre utilização do napalm e outras armas incendiárias, alterações por parte do governo espanhol em relação ao fornecimento e trânsito de material de guerra com destino a Moçambique e Angola, renovação da frota e recrutamento de pilotos, situação das tropas pára-quedistas, necessidade de helicópteros e aquisição de sobressalentes para viaturas Berliet-Tramagal), 1972 – 1974

 

 

MA

 



publicado por porabrantes às 10:43 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19.02.14

A Senhora Albuquerque e a corte que a rodeiam têm feito sucessivas viagens ao Japão para alegadamente visitarem a ''casa-mãe'' duma fábrica ''japonesa'' de veículos pesados instalada no Tramagal, que agora com grande pompa e circunstância se reclamou herdeira das velhas Berliets.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se a sede da Mitsubishi significasse alguma coisa em matéria de poder de decisão sobre a continuidade da fábrica no Tramagal talvez essas viagens fossem razoáveis. Acontece que a marca japonesa está controlada em cerca de 90% pela empresa alemã Daimler e onde se  tomam as decisões é na RFA.

 

 

Portanto a haver viagens para ''dialogar'' ou ''influenciar'' quem tem capacidade de decidir na indústria automóvel tramagalense o destino lógico teria de ser a pátria de Frau Merkel e não o exótico Mikado.

 

De forma que se roga que arranjem outra desculpa para justificar viagens transântlanticas que esta:  ''Aproveitando a presença no Japão, Maria do Céu Albuquerque visitou a casa mãe da fábrica da Mitsubishi Fuso, em Kawasaki, procurando fortalecer as relações com esta empresa, cuja fábrica no Tramagal constitui um factor estruturante do desenvolvimento económico do concelho.''      

 

 

Como diz a Daimler, arrogante e imperialmente germânica'' The Mitsubishi Fuso Truck and Bus Corporation (MFTBC) is an integral part of Daimler Trucks. As one of the leading manufacturers of commercial vehicles in Asia, MFTBC produces light-, medium- and heavy-duty trucks for the most diverse operating conditions.''

 

Portanto em vez de peregrinar a Kavasaki, convém ir prestar vassalagem à

 

 

 

Tudo isto é tão simples que não merecia sequer uma nota. Mas como acham que temos de tomar gato kamikaze por lebre teutónica, deixa-se a nota.

 

 

 

mn



publicado por porabrantes às 11:56 | link do post | comentar | ver comentários (2)

Segunda-feira, 17.02.14

Uma Berliet da tropa lusitana na Guerra de 14-18, antes de haver Berliets do Tramagal 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Imagen

 

 

 

 

MN

 



publicado por porabrantes às 22:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.02.14

 

O Senhor Tenente-general Victor Manuel Mota de Mesquita (  Ex-Director do Departamento de Finanças do Exército).explica-nos aqui, na Revista Militar

 

 

''( ...)

 

 

 

A Comissão que funcionou no então Serviço de Administração e Finanças da Defesa Nacional era constituída por um Presidente, nomeado pelo Ministro da Defesa Nacional, um representante do Exército, um representante da Força Aérea e dois representantes das Finanças, sendo um auditor jurídico, e outro, representante do Ministro.

 

 

 

Durante o período que decorreu entre 1968 e 1974 as aquisições de material para reequipamento do Exército e da Força Aérea, atingiram o montante de 9 milhões e 800 mil contos (9.800.000.000 $), cabendo o grosso das despesas ao Exército.

 

 

 

Houve, evidentemente, ou passou a haver, um maior rigor na realização das despesas, obedecendo às regras da contabilidade pública, apesar de que nem sempre tenha sido compreendido e com o argumento da urgência se tenha procurado aligeirar as aquisições.

 

 

 

Foi evidente a intervenção das Finanças na nova metodologia de aquisições que, teve ainda a possibilidade de agregar àquela Comissão, dois técnicos, um em economia e outro em problemas ultramarinos.

 

 

 

Assim se consumou o cerco à administração das Forças Armadas, já que na referida Comissão passaram a estar três militares e quatro civis.

 

 

 

Nas aquisições de menor importância deixava-se o Presidente da Comissão decidir, mas nas que envolviam centenas de milhares de contos, tais como as respeitantes a viaturas, apareciam sintonizados os quatro civis, votando em maioria.

 

 

 

Cabe aqui referir que, durante a guerra, com as viaturas militares se gastaram cerca de 6 milhões de contos (6.000.000.000 $) e que os custos aumentaram de adjudicação para adjudicação, sabendo-se de antemão, que a mesma viatura (Unimog ) era constantemente alterada.

 

 

 

Novo exclusivo foi dado a uma nova viatura que apareceu (Berliet), tendo-se chegado ao ponto das viaturas começarem a ser montadas antes da realização dos concursos públicos. Tal era a certeza de que a adjudicação ia ser essa.

 

A explicação era a de que se tratava de ajudar a empresa do Tramagal em que o Estado tinha investido e um novo titular da pasta da Defesa acabou por dar a exclusividade de fornecimento às duas viaturas. (...).
(...)
extracto de os ''Encargos na Guerra do Ultramar'' pelo autor citado, na Revista Militar,  com a devida vénia
Há outra explicação a África do Sul já montava Berliets sob licença francesa e compadecida com a falta de  meios do Exército Colonial no Sul de Angola, fornecera algumas que tinham dado boas provas no terreno.
E ainda  face a um progressivo bloqueio ocidental a Portugal no que toca a fornecimentos militares, só a França gaullista parecia ter alguma compreensão pela situação portuguesa, sendo evidente a colaboração dos serviços secretos franceses com a PIDE, o apoio luso e francês à tentativa secessionista do Biafra, e a aliança tácita entre os dois países (veja-se a correspondência publicada entre Salazar e Marcello Mathias, então Embaixador português em Paris....)
Moral da história; a MDF deixara-se anquilosar e só produzia nesta época material agrícola antiquado incapaz de competir com o estrangeiro e darem-lhe as Berliets para montar, era atirarem-lhe uma bóia de salvação.
MN 

 

 

 



publicado por porabrantes às 14:19 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

''Berliet, Chaimite e UMM...

A Fundação Marius Berliet...

A Fundação Marius Berliet...

Veiga Simão & Mário Silva...

Berliet & Napalm

a fábrica alemã do Tramag...

A Berliet de 1917

Porque montou a MDF as Be...

arquivos

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds