Quarta-feira, 20.11.19

escola de aspirantes 1949

Segundo o vendedor a foto é abrantina.

mn



publicado por porabrantes às 11:10 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.06.15

 

 

bombeiral.png

Esta questão levanta o seguinte e singelo problema: a CMA não tem documentos que comprovem que o sr.Abel Silva Pinto seja Bombeiro desde 1976....

No entanto o COM diz que o requerente não fez algum exame em data não averiguada...

Em que se baseia o COM?

O quadro de honra é aparentemente este:

quadro de honra.png

Fonte: página oficial dos extintos Bombeiros Municipais de Abrantes

Mas está desactualizado porque ainda figura o Álvaro Serrano, já falecido, como subchefe......

e eram bombeiros de 3ª classe

3 classe.png

Diz ainda, com falaciosa argumentação, a maioria, que seria competência do Comando dos Bombeiros sugerir à Liga dos Bombeiros a atribuição de medalhas.

Ora isso é impossível actualmente, dado que foi extinta a Corporação Municipal e passado o estaminé à privada!!!!!

Protestam contra a privatização da TAP e privatizaram os bombeiros  !!!!

 

Tá tudo marado!!!

 

Acontece ainda que a CMA diz que não tem documentos e que talvez o sr. Abel os possa trazer de casa.

 

Fui ver aos vastos arquivos que temos e não encontrámos vestígios do Sr.Abel, assim não podemos ajudar.

espiga.png

 

 

Mas encontrei vestígios das razões de demissão do sr. Espiga, antes do 25 de Abril. Querem que eu conte como foi?

 

Requeremos ao Arquivo Eduardo Campos cópia do processo?

 

Ou os papéis também desapareceram?

 

O Sr. Espiga era um excelente rapaz. Ainda me lembro duma almoçarada no Convento de S.Domingos, em que o Zé Bioucas meteu os bombeiros a servir e dos copos que eu e o Mário Semedo bebemos com o Espiga, debaixo das arcadas do claustro.

 

Finalmente chamo a atenção para a política de eliminação de papéis velhos no Arquivo. Eliminam tanto, que depois há coisas destas.....

 

MA   

 

brinde:

SECÇÃO: Sociedade

Bombeiros de Abrantes têm novo comandante e a polémica acalmou  Fogo cruzado  O comandante dos Bombeiros Municipais de Abrantes foi afastado pelo presidente da câmara, na sequência da insatisfação manifestada pela maioria dos bombeiros. Mesmo assim, a medida não agradou a todos. Os bombeiros municipais de Abrantes esclareceram, sexta-feira à noite, a sua posição sobre a recente nomeação de Luís Pombo como comandante interino da corporação, apoiando a decisão tomada quarta-feira pelo presidente da câmara, que destituiu o anterior comandante entretanto nomeado coordenador da protecção civil municipal. Na sequência da contestação ao desempenho do comando dos Bombeiros Municipais de Abrantes (BMA), o presidente da câmara, Nelson Carvalho, afastou o comandante João Pombo e substituiu-o interinamente pelo segundo comandante, Luís Pombo. Uma decisão que suscitou o desagrado público de alguns elementos. Na mesma altura, afectou Francisco José Chambel Valério, outro elemento do comando, ao serviço do Centro Municipal de Operações de Emergência de Protecção Civil. Contudo, a maioria dos elementos da corporação não se reviram nessa posição e sexta-feira divulgaram um comunicado no qual afirmavam a sua concordância com a decisão do presidente da autarquia, Nelson Carvalho, a qual foi reforçada numa reunião que tiveram com o autarca nesse mesmo dia.  Os bombeiros decidiram dar um “voto de confiança” e uma “oportunidade” ao comandante agora nomeado interinamente, esperando que o seu desempenho venha a permitir a sua nomeação definitiva passada a época de fogos.  Num memorando entregue no início do mês ao presidente da câmara, a grande maioria dos 80 membros da corporação exigiu a demissão do comando, apontando uma série de situações que estavam a gerar insatisfação e descontentamento crescente. No final de Maio, 43 elementos da corporação exigiram a demissão de João Pombo, por alegada incapacidade de satisfazer as expectativas dos homens que chefiava, descontentamento que expressaram depois em reunião com o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, que ficou de analisar a situação. A insatisfação dos bombeiros abrantinos prendia-se também com o facto de tardar a prometida reclassificação profissional de sete dos seus elementos, situação que o presidente da autarquia lhes assegurou estar resolvida para breve, uma vez que foi finalmente emitido um parecer que havia sido pedido à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região de Lisboa e Vale do Tejo. Logo no início da contestação, Nelson Carvalho disse a O MIRANTE (edição de 3 de Junho) que muitas das culpas que eram assacadas ao comandante deviam ser dirigidas a ele próprio, dado que os Bombeiros de Abrantes são municipais. “Penso que há uma grande falta de informação, poderá ser culpa minha também, mas os bombeiros encetaram todo este processo sem me perguntarem o que quer que seja”, diz o autarca. Adiantou ainda que já tinham sido seleccionados, através de concurso, 9 elementos para os bombeiros, e outros 9 estão aguardar o parecer da Comissão Coordenadora de Desenvolvimento Regional para serem reclassificados. Um atraso cuja responsabilidade é alheia à autarquia. “Fiz o despacho logo no início do ano, mas havia um vazio na lei que teve de ser ultrapassado por um parecer da CCDR”, afirmou.

 

O mirante 17-06-2004

 



publicado por porabrantes às 21:41 | link do post | comentar

Segunda-feira, 28.04.14

SECÇÃO: Sociedade

Bombeiros de Abrantes   têm novo comandante e a polémica acalmou 
                                                                           Fogo cruzado 
 
  O comandante dos Bombeiros   Municipais de Abrantes foi afastado pelo presidente da câmara, na sequência   da insatisfação manifestada pela maioria dos bombeiros. Mesmo assim, a medida   não agradou a todos.
  Os bombeiros municipais de Abrantes esclareceram,   sexta-feira à noite, a sua posição sobre a recente nomeação de Luís Pombo   como comandante interino da corporação, apoiando a decisão tomada   quarta-feira pelo presidente da câmara, que destituiu o anterior comandante   entretanto nomeado coordenador da protecção civil municipal.
  Na sequência da contestação ao desempenho do comando dos   Bombeiros Municipais de Abrantes (BMA), o presidente da câmara, Nelson   Carvalho, afastou o comandante João Pombo e substituiu-o interinamente pelo   segundo comandante, Luís Pombo. Uma decisão que suscitou o desagrado público   de alguns elementos. Na mesma altura, afectou Francisco José Chambel Valério,   outro elemento do comando, ao serviço do Centro Municipal de Operações de   Emergência de Protecção Civil.
  Contudo, a maioria dos elementos da corporação não se   reviram nessa posição e sexta-feira divulgaram um comunicado no qual afirmavam   a sua concordância com a decisão do presidente da autarquia, Nelson Carvalho,   a qual foi reforçada numa reunião que tiveram com o autarca nesse mesmo dia. 
  Os bombeiros decidiram dar um “voto de confiança” e uma   “oportunidade” ao comandante agora nomeado interinamente, esperando que o seu   desempenho venha a permitir a sua nomeação definitiva passada a época de   fogos. 
  Num memorando entregue no início do mês ao presidente da   câmara, a grande maioria dos 80 membros da corporação exigiu a demissão do   comando, apontando uma série de situações que estavam a gerar insatisfação e   descontentamento crescente.
  No final de Maio, 43 elementos da corporação exigiram a   demissão de João Pombo, por alegada incapacidade de satisfazer as   expectativas dos homens que chefiava, descontentamento que expressaram depois   em reunião com o presidente da Câmara Municipal de Abrantes, que ficou de   analisar a situação.
  A insatisfação dos bombeiros abrantinos prendia-se também   com o facto de tardar a prometida reclassificação profissional de sete dos   seus elementos, situação que o presidente da autarquia lhes assegurou estar   resolvida para breve, uma vez que foi finalmente emitido um parecer que havia   sido pedido à Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região de Lisboa e   Vale do Tejo.
  Logo no início da contestação, Nelson Carvalho disse a O   MIRANTE (edição de 3 de Junho) que muitas das culpas que eram assacadas ao   comandante deviam ser dirigidas a ele próprio, dado que os Bombeiros de   Abrantes são municipais.
  “Penso que há uma grande falta de informação, poderá ser   culpa minha também, mas os bombeiros encetaram todo este processo sem me   perguntarem o que quer que seja”, diz o autarca.
  Adiantou ainda que já tinham sido seleccionados, através de   concurso, 9 elementos para os bombeiros, e outros 9 estão aguardar o parecer   da Comissão Coordenadora de Desenvolvimento Regional para serem   reclassificados. Um atraso cuja responsabilidade é alheia à autarquia. “Fiz o   despacho logo no início do ano, mas havia um vazio na lei que teve de ser   ultrapassado por um parecer da CCDR”, afirmou.

 

O mirante 17-06-2004

 

com a devida vénia

 



publicado por porabrantes às 12:44 | link do post | comentar

segunda-feira, 25 de Janeiro de 2010

Abrantes Continua a Navegar em Aguas Agitadas

 

Tenho estado muito atento ao que se vai dizendo por aqui (acerca dos municipais de Abrantes) e acho que é meu dever colocar mais algumas verdades daquela instituição, que eu tanto respeito como se fosse a minha casa, vamos então voltar a trás no tempo:
1º- Para quem faz ou fez parte do CB de Abrantes deve se lembrar da briga que foi em determinada altura em que o João Pombo era comandante, o André actual adjunto de comando, ligava para os jornais para as TV´s a contar situações que se passavam dentro do CB, ate que houve uma reunião com Sr. Presidente da Câmara de Abrantes e todos os bombeiros onde desta reunião surge a demissão do João Pombo e do seu adjunto.
O Sr. Presidente pede ao Luís Pombo que assumisse interinamente o comando do CB, de imediato o actual adjunto para não perder tempo começa logo a promover um jantar de apoio ao Luís Pombo e um abaixo assinado onde se queria que o Luís ficasse não como interino mas que sim assumisse o comando, ate aqui tudo bem para todos e para o Luís, não fosse o mesmo ter escolhido os seus adjunto de comando, sim a partir dai começa o problema do Luís, e porque não escolheu o André pois a partir desse momento já o Luís deixou de ser bom, de ser operacional, e o caso vai se desenrolando e mais uma vez os meios de comunicação social começam a receber telefonemas com situações internas.
O que será que mudou para agora o André já não querer o Luís? Estranho não é, pois eu explico é que como o Luís não escolheu o André para adjunto ora já não presta, isto só prova que o André só queria a todo o custo subir.
2º- Aparece este comandante para vir comandar um CB municipal onde se tem a media de um acidente diário, ora escolhe o André para adjunto, este adjunto que era a favor da operacionalidade, da acção, era contra os transportes de doentes, contra as injustiças... passa a compactuar com tudo isso...
O que esta a fazer um homem destes (Comandante) que nem tão pouco é de Abrantes, que só esta onde esta porque foi genro do presidente da vila dele?
Sr. comandante eu sou do tempo em que se chegava a um incêndio e ouvia-se "já cá esta Abrantes", a um acidente e ouvia se "Abrantes podem-se tomar conta de tudo", chegava-mos ao hospital e fazíamos uma passagem da vitima ao enfermeiro, e tínhamos credibilidade perante eles, éramos respeitados e operacionais, mal pagos, mas muito operacionais.
E esse adjunto tenha vergonha e que se demita pois deve de se ter esquecido que era sempre a favor da formação e que todas as pessoas soubessem das formações e que não se fizesse segredo do que havia de novo, era esse adjunto que na altura do João Pombo dizia que era "mais importante uma vida que um pinheiro" e não é isso que se tem vindo a verificar, era esse adjunto que chegava todos os dias atrasado de manha e as vezes só aparecia depois de almoço e nunca se viram estas faltas no mapa de faltas mensal, era esse adjunto que estava a noite de INEM e de manha ficava na cama ate as horas que queria mesmo que não tivesse serviço, era esse adjunto que ia para o Sardoal dizer mal dos comandantes, era esse adjunto que ia para o café junto "abranclinica" beber cerveja para que não o vissem a beber no CB, era esse adjunto que dizia que alguns dos bombeiros não tinham capacidade para sair num carro de fogo e agora tem uma que faz chefe de serviço que nem a peça facial tem coragem de colocar na boca...
3º Como pode ser isso feito de debitarem horas a mais se já foram castigados disciplinarmente elementos com situações idênticas?
4º Realmente é uma vergonha que se tenham deixado sair elementos bastante validos dessa casa em vez de se ouvir e tentar resolver as coisas em conjunto e dói-me muito ver como era Abrantes e como está, nunca se esqueçam que já ouve tempos em que o fogo tinha respeito por nós e éramos voluntários a 1.65€, mas éramos muito unidos e profissionais e desde que essa equipa esta aqui é como podem ver, até o Sardoal, Constância, Mação estão melhores que Abrantes.
Amigos camaradas não se esqueçam que sem nós eles não são nada, e que essa casa é nossa e não desses "gajos" que não tem o mínimo de escrúpulos para estar á frente desse CB.
Por agora chega, mas amanha vamos ter mais, pois a partir de agora, jornais, TV´s e câmara vai ficar a saber do que se passa cá dentro. "Amor com amor se paga" e geralmente diz se em bom português o "que se faz paga-se me dobro".
Um forte abraço para todos

 

 

Fonte in: blog BOMBEIROSPARASEMPRE

 

 

 

 

 

 

 

 

com a devida vénia



publicado por porabrantes às 12:16 | link do post | comentar

Segunda-feira, 31.03.14

Esta notícia e a foto seguinte são um puro retrato da hipocrisia reinante nas relações patronais entre a CMA e os trabalhadores a seu soldo, digo a seu soldo, porque lhes paga.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

thumbnail_3rika

 

foto do link citado

 

Diz o texto: '' O referido acordo foi assinado com a FESAP (Federação Sindical da Administração Pública e de Entidades com Fins Públicos), o STE (Sindicato dos Quadros Técnicos do Estado e Entidades com Fins Públicos), o STAL (Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Administração Local) e o SNBP (Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais).''

 

Querem fazer-me acreditar que a CMA assinou um CCT ou coisa que o valha com o SNBP (Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais)????

 

Prometeu a cacique processar criminalmente o SNBP, há uma queixa-crime contra o jornal dos Bombeiros metida no MP e houve bombeiros promovidos a coveiros, com a tácita conveniência de um tal Lopes, expoente da sociedade civil no que ela tem de pior.

 

E quer a notícia convencer-me que o SNBP assinou um qualquer contrato com a CMA?

 

Porque não fazem uma notícia sustentando que a CMA vai entregar a gestão dos cemitérios ao SNBP ou ao subsidiado Lopes?

 

Estariam mais próximo da realidade...

 

MA

 

 

  

 



publicado por porabrantes às 12:11 | link do post | comentar

Domingo, 16.06.13

Arquivo

Sociedade

Alberto Serralha diz que não foi feito tudo para salvar o seu sócio Ilídio Francisco 
Sobrevivente de acidente num poço da quinta do Pouchão em Alferrarede conta pormenores da tragédia 

foto

Duas semanas depois Alberto Serralha não se aproxima do poço onde morreu o seu sócio e onde ele, um amigo e um trabalhador iam ficando também.

 

 

 

Edição de 2009-08-06
  Imprimir ArtigoComentar ArtigoEnviar para um amigoAdicionar aos favoritos

Alberto Serralha desceu ao fundo do poço, na Quinta do Pouchão, preso por uma corda e mergulhou várias vezes na água até encontrar o amigo Victor Gonçalves, que ali tinha caído quando tentava ajudar um funcionário da quinta que se tinha sentido mal durante a reparação de uma conduta. Conta que o agarrou por um braço e o puxou para a superfície. “Ao fim de algum tempo a fazer-lhe respiração boca-a-boca ele recuperou os sentidos e conseguiu que subisse dois degraus da escada. Nessa altura olhei para cima e vi que mais ou menos a meio estava o nosso funcionário, desmaiado mas a respirar”, conta.

A tragédia aconteceu a 18 de Julho na quinta da Sociedade Agrícola Ouro Vegetal, em Alferrarede, Abrantes, onde Alberto Serralha e um sócio se dedicavam à produção de azeite e vinho. Relembrar o que se passou é demasiado doloroso. O sócio, Ilídio Francisco, acabaria por morrer ao tentar ajudar os bombeiros a salvar o funcionário. Alberto Serralha pede desculpa e recusa ir ao local onde tudo aconteceu. Já passaram duas semanas mas ainda não está preparado.

“Quando os bombeiros chegaram comecei a perder as forças e foi nessa altura que o meu amigo Victor voltou a cair à água. Agarrei-o e comecei a gritar para se despacharem senão morríamos os três. A última coisa de que me lembro é de ver um bombeiro perto de nós e aí pensei que estávamos safos. Depois desmaiei”. O que aconteceu ao sócio Ilídio Francisco só o soube quando já estava a ser assistido no hospital.

Visivelmente abalado, recorda que na tarde desse sábado um funcionário estrangeiro de nome Petro estava a desapertar o tubo por onde retiravam a água do poço, para o substituir. “Por falta de oxigénio ou devido a gases acumulados” desmaiou mas como estava preso por uma corda ficou suspenso sobre a água”.

Foi o amigo Victor Gonçalves, que tinha emprestado um guincho para puxar o tubo e que estava no local, que ligou para o telemóvel de Alberto Serralha a dar conta da situação. “Depois de pedir socorro através do 112 fui ao local e o meu amigo já estava a descer por uma escada com a intenção de prender o trabalhador ao cabo do guincho para o içar. Mas quando chegou a meio do poço, que tem uns 20 metros, sentiu-se mal e caiu à água que não tinha mais que 2,5 metros de profundidade”, Conta. Como os bombeiros ainda não tinham chegado, amarrou-se a uma corda e desceu para evitar que o amigo morresse afogado. Conseguiu e já não assistiu ao que se passou a seguir.

Pelo que lhe contaram, Ilídio Francisco desceu ao poço para ajudar os bombeiros no decurso das operações de salvamento dos três homens e acabou por também cair à água. “Esteve meia hora a pedir socorro. Ainda mandaram um cinto para o puxar, mas o equipamento caiu no fundo do poço. Depois chamaram os mergulhadores. Ninguém desceu enquanto eles não chegaram. Foi demasiado tempo. Não se admite que tivessem salvo três pessoas numa hora e depois, em meia hora, não conseguissem tirar o meu sócio”, diz revoltado.

Os bombeiros retiraram o trabalhador, Victor Gonçalves e Alberto Serralha, mas acabaram por não conseguir salvar Ilídio Francisco. “Enquanto estive dentro do poço nunca entrei em pânico e só pensava em salvar o meu amigo. Mas se tivesse ficado sozinho como o Ilídio não sei como reagia. Ele gritava por ajuda e vários bombeiros iam apelando para que mantivesse as forças. Quando desceram para o salvar era tarde demais”.

Apesar de terem sido deslocados para o local 36 bombeiros, Alberto Serralha considera que não foi feito tudo o que poderia ser feito. “Se tivessem atirado uma corda com um laço pelo menos podiam ter mantido o Ilídio suspenso e não se afogava”, desabafa. “Sinto-me grato pela actuação dos primeiros bombeiros que chegaram ao local e conseguiram salvar-nos. Mas estou revoltado por sentir que não foi feito tudo o que era possível pelo meu sócio”.

Alberto Serralha diz que tem sido difícil lidar com a situação. Desde o acidente nunca mais se aproximou do poço. “Agora nem consigo meter-me dentro de uma piscina. Quando cheguei a casa depois de assistido no hospital fui tomar banho e a água a cair no corpo fazia-me impressão”, desabafa.



http://semanal.omirante.pt/noticia.asp?idEdicao=403&id=56303&idSeccao=6120&Action=noticia



posto por Suzy



publicado por porabrantes às 13:53 | link do post | comentar

Quarta-feira, 12.06.13

São raras as manifs na Raimundo Soares?

 

São, excepto as de Jericos.

 

 

Mas de manifs  com pessoas lembro-me do 1 º de Maio de 1974, quando um membro da sociedade civil começou a chorar na varanda da CMA dizendo que era o dia mais feliz da sua vida e que era democrata desde pequenino.

 

Não tenho (por enquanto) essa foto.

 

 

Mas tenho esta duma manif de trabalhadores da MDF e de como o Presidente da CMA eng. Bioucas e o chefe da Oposição eng. Herlânder Leitão (do PSD e das Mouriscas mas não da sociedade civil) foram dialogar com os manifestantes.

 

 

a esconder a cabeça está um pegacho da sociedade civil que logo que saiu da câmara arranjou um tacho como consultor camarário

 

lamentavelmente não tem a cabeça metida num tacho

 

a foto acho que foi publicada no grupo tramagal pelo Sr.Dr.Octávio Oliveira

 

 

há quem gostasse que as manifs fossem paradas militares, criaturas com vocação de sargentas 

 

 

 

 

infelizmente não conseguiu disciplinar durante a recruta nem Belém Coelho nem Santana Maia que indisciplinadamente  pediram em sessão camarária os papéis sobre a morte duma grande abrantina

 

 

coisa que também pediu o sindicato que se vai manifestar agora

 

mas parece que esses papéis são como a minuta da RPP Solar misteriosos e secretos......

 

 

não é amigos?????

 

Tá na hora de desligar o portátil e mandar a sociedade civil prás Mouriscas, todos a  vergar a mola para reconstruirem uma escola abandonada!

 

Até logo

 

Suzy 



publicado por porabrantes às 14:40 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.06.13
05.06.2013

COMUNICADO

CÂMARA DE ABRANTES COLOCA BOMBEIROS MUNICIPAIS COMO COVEIROS

A Associação Nacional dos Bombeiros Profissionais e o Sindicato Nacional dos Bombeiros Profissionais consideram inaceitável que a presidente da Câmara Municipal de Abrantes, obrigue os bombeiros municipais a desempenharem trabalho de coveiros e nos serviços de limpeza da autarquia.
Esta é a concretização de uma ameaça da presidente da Câmara Municipal que pôs um ultimato aos bombeiros municipais: ou aceitavam passar para a nova Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários ou entrariam na mobilidade especial em qualquer outro serviço do município e perdem o estatuto de funcionários públicos. 
A presidente da autarquia, eleita pelo Partido Socialista, aposta numa política de destruição dos serviços públicos e, neste caso, essencial à segurança da população de Abrantes. E vai mesmo contra a posição oficial do secretário-geral do PS, um forte defensor do serviço público.
Por esta razão a ANBP/SNBP vai pedir uma reunião com carácter de urgência ao secretário-geral do Partido Socialista, António José Seguro, para denunciar este ataque à dignidade dos bombeiros municipais. 
Contra esta política de terra queimada da presidente da autarquia, a ANBP/SNBP vai organizar uma manifestação nacional em Abrantes, dia 12 de Junho, com bombeiros de todo o país. 
Perante esta situação será que saiu o Euromilhões à autarca? Vai terminar com um corpo de bombeiros profissionais, que custa 284 mil euros por ano, e cria uma Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes, para onde vai transferir 616 mil euros por ano e mais 84.000 euros do protocolo dos Bombeiros Voluntários de Constância?
Revela ainda o pouco respeito que a presidente da autarquia tem pelos contribuintes, numa situação económica grave para o país, vai aumentar para o dobro os custos com a Associação Humanitária (ou seja passa de 284.000 passa para 616.000 euros); desperdiça os bombeiros municipais em serviços para os quais não foram treinados e têm uma formação específica que custou muitos milhares de euros à autarquia, agora deitados à rua, e temos Bombeiros Profissionais com 20 e 30 anos de serviço, sendo alguns formadores da Escola Nacional de Bombeiros.
A mesma presidente de câmara que atribui aos bombeiros municipais a medalha de honra da cidade Grau Prata, quer agora extingui-los.

A Direção da ANBP/SNBP

PS- Já houve outra transição de Vereador PS a novo-rico. Benta transição!!!!

aa


publicado por porabrantes às 15:59 | link do post | comentar

Quinta-feira, 23.05.13

Continua o combate nos Bombeiros pelo Serviço Público e pelos Direitos dos Trabalhadores.

 

 

Continua a cacique a faltar à verdade, como fez hoje pela rádio dos subsídios, onde perora ética a Hália valhascando.

 

 

Hoje o Sindicato dos Bombeiros pediu para haver un plenário

 

 

 

(com a nossa vénia ao Pato)

 

 

Podem seguir o combate no Pato, que é o bom, porque é pela Justiça e pela Decência!

 

 

Podia ser mais duro com as autoridades, que não tâm autoridade nenhuma porque são amigos do Bento da nova-fortuna,

 

mas já agora leiam os resultados da Inspecção do IGAL

 

Quer a cacique calar a Liberdade????

 

Minha senhora, é demasiado tarde para isso.

 

 

 M.Noronha

 

 

e já me esquecia onde está o relatório da morte de Paulina Pereira?????

 

 

 

Porque morreu????

 



publicado por porabrantes às 18:19 | link do post | comentar

Segunda-feira, 13.05.13

Com a devida vénia ao Amar-Abrantes transcrevemos a posição dos Vereadores do PSD sobre o escandaloso caso dos bombeiros:

 

 

PAGAMENTO AOS BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS

Pedido de esclarecimento dos vereadores eleitos pelo PSD

. 

Alguns bombeiros voluntários vieram falar com os vereadores eleitos pelo PSD dando-lhes conta que estão, desde o passado mês de Fevereiro, sem receber a compensação acordada com a Câmara Municipal, pelas horas efectuadas ao serviço dos Bombeiros de Abrantes.

.

Trata-se de quantias significativas, sobretudo para quem é mal remunerado e vive em período de grande crise económica.

.

Todos sabemos que este pagamento aos bombeiros voluntários foi considerado ilegal pela Inspecção Geral Administração Local.

.

Acontece que, pelos vistos, apesar da consciência da ilegalidade, a Câmara não só continuou a efectuar o pagamento até ao passado mês de Fevereiro como não informou os bombeiros voluntários de que iria deixar de pagar o seu trabalho a partir dessa data, tanto assim que os bombeiros voluntários consideram-se credores dessas quantias.

.

Ora, a ilegalidade do contrato não justifica que a entidade patronal se exima ao pagamento da quantia acordada com o trabalhador pelo trabalho prestado.

.

Ou seja, se a Câmara acordou com os bombeiros pagar-lhes aquelas quantias a troco do seu trabalho e se estes efectuaram o trabalho acordado, a Câmara não pode deixar de efectuar o pagamento.

.

Agora o que a Câmara não pode fazer, como é óbvio, é efectuar o pagamento dos meses de Fevereiro, Março e Abril de 2013, em que os bombeiros prestaram os seus serviços ao município, através da recém-formada Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Abrantes que serviria, assim, de plataforma para camuflar um pagamento ilegal da Câmara de Abrantes.

.

Porque, se for esse o caso, tal significa que a nova Associação está ferida de morte na sua honorabilidade, uma vez que uma associação que se presta a isto transforma-se inevitavelmente num saco azul da Câmara Municipal.

.

Pelo exposto, os vereadores eleitos pelo PSD gostariam de saber quando e como pensa a senhora presidente pagar aos bombeiros voluntários as compensações devidas pelo seu trabalho realizado nos meses de Fevereiro, Março e Abril de 2013.

.

a redacção


publicado por porabrantes às 23:02 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Escola de Bombeiros 1949

Os papéis desaparecidos d...

Terá o fogo começado ante...

Quando é que começou o in...

Da hipocrisia

Os Bombeiros no Mirante

Manifestações

De bombeiro a coveiro

Plenário nos Bombeiros

Os bombeiros no centro do...

arquivos

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds