Terça-feira, 26.05.15

Em 15-10-1957 o  António Maria Paulouro, vice-presidente da CM do Fundão, informava a PIDE que D.Fernando de Almeida ''

paulouro.png

Quem o diz é Joaquim Candeias Silva, que para variar faz a apologia dos Almeidas neste artigo, e de D.Francisco (apologia merecida), mas que se recusa a fazer a necessária condenação moral e cívica dum colaborador da temível polícia política nazi-fascista.

Estranhou-se depois o Candeias que o Jornal do Fundão não dê informações sobre as suas actividades no âmbito do Museu do Fundão.

Ora não sabe o Candeias que o Paulouro foi depois Director do Jornal do Fundão e se distanciou um bocadinho do regime?

Mas dar, seja em que circunstâncias for, informações à canalha do Barbieri é repugnante e para mim o Paulouro está definido.

Certamente que Delgado e Henrique Galvão fizeram o mesmo, mas redimiram-se de armas na mão, como cabe a heróis da lusitana gesta.

D.Fernando de Almeida foi o homem que primeiro se mexeu para salvar São Domingos de ser profanado por um barracão, o Palácio da Justiça. E para isso convenceu Antunes Varela, catedrático de Coimbra e Ministro da Justiça a salvar S.Domingos a meias com Duarte Castel-Branco e outros.

Por isso cabe aqui esta menção.

Mas a verdade deve ser dita toda, e não a meias, e o Candeias cita como bibliografia neste trabalho, este livro ou opúsculo:

farinha dos santos.png

Como se sabe o Candeias é Académico de História, e o Farinha dos Santos também o foi ou é.

Para começar a citação bibliográfica é incorrecta, porque a correcta é esta:

farinha dos santos 2.png

O Farinha dos Santos que em 1985 (!) elogia D.Fernando de Almeida e que escreveu algum manual de Arqueologia, foi de profissão subinspector da PIDE-DGS,

pide.gif

Desenho de Dias Coelho, amigo e colega de Duarte Castel-Branco, assassinado pela PIDE

 

e confirmou o uso da tortura sobre os presos políticos ( entre os quais esteve Duarte Castel-Branco).

 

Passo a citar Irene Flunser Pereira: '' o ex-sub-inspector Farinha dos Santos confirmou terem sido «usados interrogatórios prolongados para obrigar os detidos a confessar as suas actividades», «segundo questionários elaborados» por diversos investigadores, entre os quais Rosa Casaco.''

farinha dos santos.jpg

Foto retirada de Estudos Arqueológicos de Oeiras, artigo de João Cardoso, sobre o pide-arqueólogo.

Há mais para contar sobre o competente pide-arqueólogo?

''Referindo-se em Um Político Assume-se (Círculo de Leitores/Temas e Debates, 2011) a um período de prisão sofrido em 1949, Mário Soares

marocas 2014.jpg

http://pt.electionsmeter.com/sondagens/mario-soares

escreve: “Numa fria madrugada fui interrogado na sede da PIDE por um tal Farinha Santos, meu antigo colega na Faculdade de Letras, que era então agente qualificado da polícia política. Brincando com uma pistola enquanto me interrogava, disse-me: “Se disparar e o matar, nada me acontecerá. Todos dirão que disparei em legítima defesa.” (…)” (p. 54). O “pide” a que Soares se refere era Manuel Luís de Macedo Farinha dos Santos (1923-2001), inscrito em 1942 na licenciatura de Ciências Histórico-Filosóficas da FLUL, que deixaria incompleta para só a terminar em 1958. A carreira de Farinha dos Santos na PIDE, onde atingiu a categoria de subinspector, terá terminado por volta de 1954, quando partiu para a Ásia ao serviço do Ministério do Ultramar. Depois de voltar à vida académica, dedicou-se à arqueologia e iniciou um percurso que o tornou um dos principais nomes da Pré-História portuguesa. Este artigo de João Luís Cardoso em O Arqueólogo Português resume a vida de Farinha dos Santos, professor, autor de Pré-História de Portugal (Verbo, 1972) e responsável pela descoberta e estudo da arte paleolítica da gruta do Escoural. ''

 

Escreveu Pedro Serra no blogue Tralha Útil

 

 

Resta acrescentar quem o convidou para reger as cadeiras de História na Universidade Livre, foi o Prof. Veríssimo Serrão, tinha de ser.

 

MA

agradecimentos a um ex-funcionário das Finanças de Alter do Chão, que depois (por mérito próprio) chegou a meritíssimo Juiz de Direito, o Dr. Abrantes que me esclareceu sobre o Farinha dos Santos e ainda a um prestigiado octogenário abrantino, muito elogiado por Jorge Sampaio  nas suas memórias 



publicado por porabrantes às 15:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 13.11.14

 

candeias carnaval.jpg

Neste número, o último do Jornal de Alferrarede, que faz trinta anos e que por isso se felicita , há dois grandes artigos, um do Advogado Dr.António Velez sobre a celerada reforma judicial, a que tiramos o chapéu e outro do Sr.Tenente-Coronel Pereira Santos sobre a abominável cremação forçada de mais de uma centena de abrantinos, enterrados em Santa Catarina, assunto já aqui abordado.

Pela sua importância, o artigo será aqui reproduzido e desde já se aplaude o seu conteúdo.

O artigo do Doutor Candeias refere um abatimento de muralhas do castelo e o achamento de grandes vestígios arqueológicos, que teriam ficado à guarda    dum destacamento de soldadesca a mando do tenente Prior e ainda doutro oficial, Augusto Ruivo da Silva, tio da menina Pintasilgo, que ficou a servir de ''cicerone'' às visitas às ''maravilhas'' encontradas.

 

Também refere que todos os intervenientes na notícia eram pessoas sérias, coisa que se admite, mas também se admite que podiam ser uns ''gozões''.

O Doutor Candeias ainda admitiu que o artigo fosse uma partida de 1º de Abril, mas acha que Fevereiro  está muito longe de Abril.

Assim não sendo, o esforçado Candeias estudou as cronologias (a única que há, é  do Eduardo Campos), as actas da câmara! , a correspondência do Museu D.Lopo e mais alfarrábios e não achou nada.

Tanto labor, para a dúvida persistir....

E avisa os investigadores:

carnaval.jpg

Esqueceu-se o Doutor Candeias do essencial, consultar um calendário perpétuo, porque a notícia foi publicada a 14 de Fevereiro de 1926 e Fevereiro costuma ser mês de Carnaval.

Fui consultar 

 

 

carnaval 1926.png

 14 de Fevereiro de 1926 era exactamente o Domingo-Gordo de Carnaval e tudo indica que o Senhor Adelino Lemos (certamente a meias com o tenente Prior e o tenente Ruivo da Silva) quiseram pregar uma monumental partida de carnaval aos abrantinos e aos historiadores do futuro.

Da mesma forma, a notícia, publicada no mesmo número, que o Candeias refere, e onde se conta  que os mourões foram arrancados pelas cheias e levados até aos pilares da ponte é claramente outra partida de Carnaval.

Decididamente o Adelino Lemos era um grande folião de Carnaval, apesar de ser uma pessoa séria, certamente. E um adepto do Humorismo histórico.

sn

 



publicado por porabrantes às 20:18 | link do post | comentar

Quarta-feira, 30.04.14

 

 

 

 

 

 

A CMA apresentou nova publicação, para festejar a Abrilada (há outra, que é o Passos do Concelho coordenada pelo historiador municipalizado e conhecido ficcionista Gaspar onde há disparates notórios, omissões aparentemente deliberadas, entrevistas porreiras etc, a que se houver tempo farei alguma alusão) da responsabilidade da drª Teresa Aparício.

 

 

 

Apresentou a publicação o conhecido colaborador do Jornal de Alferrarede Candeias Silva. Nada a obstar à prioridade municipal no campo editorial, se não estivesse pendente a obrigação moral da CMA de editar a obra “Genealogia das Famílias de São Miguel de Rio Torto e Tramagal”,do dr. António Graça Pereira que ganhou o prémio Eduardo Campos contra a vontade do Candeias que só lhe queria dar uma menção honrosa. O dr. Luís Amaral, mais importante genealogista luso arrasou a decisão do júri, deixando-os de rastos. 

 

O dr.Graça Pereira reclamou da decisão e foi convocada nova reunião  do júri onde o Candeias não meteu os pés.

 

Face a isto o Executivo Municipal corrigiu um júri, de que fazia parte o Candeias, com esta decisão:

 

 

 

N° 26 - Proposta de Deliberação da Presidente da Câmara, respeitante a uma informação do Diretor do Departamento de Intervenção Social, datada de 13 de marco de  2012, na sequência de uma reclamação apresentada por António da Graça Pereira, relativa a

2ª edicão do Premio de Investigacao Historica Eduardo Campos. Refere que, face ao parecer dos serviços jurídicos e na impossibilidade de agendamento de reunião do júri a breve prazo, devido a ausência de alguns elementos da área de residência até data incerta, sugere:

1- Que em edições futuras do prémio deve haver uma revisão das normas, no sentido de os critérios de avaliação dos trabalhos estarem pre-definidos;

2- Que a norma que prevê a impossibilidade de recurso das decisões do júri deve ser revogada, por poder contrariar um direito fundamental em relação a qualquer ato da administração;

3- Que no que se refere a situação pendente se decida a favor da atribuição do premio ao reclamante, ''pois apesar de o júri ter fundamentado a sua decisão em critérios de exigência expressos em ata, aceitáveis a luz da interpretação da

expressão qualidade mínima explicada em 1, trata-se de uma expressão subjectiva que permite também a interpretação contrária' '.(...)a qual à luz das normas e da interpretação dos nossos juristas por similitude com o CCP  parece ser a mais consentânea com as razões do reclamante. - 61182  

 

 

Leiam com atenção, diz a deliberação, o Candeias participou numa deliberação onde o regulamento tinha uma norma que podia ''contrariar um direito fundamental em relação a qualquer ato da administração''

 

E ainda o júri decidiu escrevendo um português tão claro que permitia   '' também a interpretação contrária'. É o que se chama clareza.

 

E a deliberação desse júri foi revogada!!!!

 

Mas a CMA, no seu apego histórico à verdade faltou à dita, nos Passos do Concelho publicando isto, que é falso,

 

 

Finalmente, como já se disse, era escusado e ofensivo associar o nome honrado de Eduardo Campos a isto.

 

Quanto à qualidade da obra da Teresa Aparício por bondade omito qualquer adjectivo.

 

Quanto à obrigação moral da CMA de editar a obra do Dr. Graça Preira é para qualquer pessoa de boa-fé evidente.

 

MA 

 

 



publicado por porabrantes às 11:08 | link do post | comentar

Domingo, 03.11.13

 

 

 

A Escola D.Miguel de Almeida conseguiu ser uma das piores Escolas do Distrito.

 

No ranking do ''Expresso'' é a penúltima classificada nos exames do sexto ano. (35ª em 36)

 

A Dr.Manuel Fernandes está lá para o meio da tabela (16ª em 36)

 

A melhor escola é particular e confessional, o Colégio Diocesano Andrade Corvo em Torres Novas.

 

As três melhores posições são ocupadas por Colégios particulares.

 

 

Nos exames do 9º ano a  Dr.Manuel Fernandes ocupa um agradável e honroso 9º lugar (parabéns).

 

 

A Escola D.Miguel de Almeida volta a obter resultados desastrosos (25ª num universo de 36).

 

A Escola Luís de Camões  (Punhete) insulta a cultura enciclopédica do seu patrono (como já o tinha feito no caso dos exames do 6ª ano) e obtém uma péssima 32ª posição (em 36).

 

Um Colégio privado volta a obter os melhores resultados. 

 

Nos exames do 11º ano a  Dr.Manuel Fernandes volta a conseguir uma  posição mediana (11ª  em 27).

 

A abrantina Solano de Abreu obtém piores resultados (19ª em 27) 

 

A Escola do Tramagal insulta também o nome do seu patrono o Eng.Octávio Duarte Ferreira (25ª em 27)

 

A pior Escola do Distrito é do Mação.

 

Terão ensino rupestre?

 

Para variar é um Colégio Privado que obtém melhor classificação.

 

 

Como solucionar os resultados, abaixo do tolerável ,das escolas abrantinas (a Suzy não deixou meter abaixo de cão, porque diz que o lulu dela, que se chama Cristiano Bobi,  teve muito bons resultados escolares na Escola Canina) em especial da D.Miguel de Almeida?

 

 

Segundo parece há 2 estratégias:  a da Céu e do PS e a nossa.

 

A da Céu é comprar ao Catarino centenas de oliveiras centenárias e plantá-las à volta da D.Miguel de Almeida. Os miúdos ao verem as oliveiras podres de velhas,  à volta da pior Escola do Concelho, entrariam numa boa ......e os resultados melhorariam exponencialmente.

 

Adicionalmente proibia-se a venda do ''Expresso'' cá na terra  para ninguém saber de nada.

 

Também se fechava o Colégio de Fátima (excepto a mercearia de pílulas em segunda mão do benfeitor Graça) para que as Doroteias não entrem de novo no mercado lectivo e obtenham infalivelmente melhores resultados que  as medíocres escolas cá da terra.

 

O especialista em Educação do PS disse-me que as Escolas Privadas criam desigualdade social e isso é muito mau.

 

A nossa estratégia é simples. Muda-se o nome da D.Miguel de Almeida. Aquilo baptiza-se como Escola Maria do Céu Oliveira Antunes Albuquerque e os péssimos resultados obtidos ficam a condizer com os resultados da gestão autárquica.

 

Banner

 

 gamado à  Escola Maria do Céu Albuquerque

 

 

Estamos certos que o Sr. Doutor Candeias da Silva aplaude a nossa escolha.

 

 

Trata-se de salvar a honra heráldica e o bom  nome dos Almeidas que fizeram o Império das Índias. Como se sabe, quem lixou o Império das Índias foi o Afonso de Albuquerque.....

 

MA.



publicado por porabrantes às 13:01 | link do post | comentar

Sábado, 28.04.12

Há muitos anos foi fundada em Abrantes uma Associação de Defesa do Património. Era a Adepra. Outro dia falarei com mais pormenor nessa associação que faleceu por uma birra estúpida entre dois membros da direcção.

 

A estupidez foi proveniente do desejo de protagonismo dum conhecido vulto da '' história à abrantina'' e não do  Eduardo Campos.

 

 

ânimo

 

Mas não é disso que vou tratar hoje.

 

Descobri que um dos elementos da direcção da Adepra o doutor Candeias Silva foi um precursor do anti-carrilhismo primário.

 

 gazeta do Sr.Martinho

 

 

Vejam este texto que o  académico publicou no boletim nº 7 da ADEPRA, nele se estabelecem as bases teóricas do que devia ser a ossatura ideológica dum anti-carrilhismo primário, não o nosso, o da petição, que como todos  sabem é um anti-carrilhismo superior, devido à nossa postura cívica e cultural

 

 hpqscan0004.jpg

 

 

 era um artigo longo e profundo e...... por isso publica-se a sua  2ª parte

 

 hpqscan0001.jpg

 

 

Verdadeiramente forte! Verdadeiramente anti-carrilhista!!!!!

 

 

 

Só que passaram os anos, o texto é de 1987, e os tipos da picareta que estão na margem esquerda da 2ª página aproximaram-se de São Domingos com a direcção técnica da esposa do colega do Candeias na direcção da ADEPRA (a pobre Isilda) e a direcção política desta senhora gentil pela qual a alma do Candeias se partiu..... 

 

 cma

(politicamente, tá claro) e o doutor Candeias ficou calado, sendo por isso conivente pelo silêncio cúmplice contra a barbaridade saloia e pimba que a Maria do Céu, o Kapital, o PS de Abrantes, o mau gosto, a Direita dos interesses, a tropa dos ajustes directos e o rancho folclórico dos avençados municipais mais o sinistro Cónego das heranças e das sovas em São Facundo

 

queriam fazer contra São Domingos......

 

 

 

enquanto outros membros dos corpos sociais da Adepra à época tomavam a nobre postura de aderirem à petição, como é o caso da Dr. Isabel Cavalheiro e do dr. Mário Pissarra

 

 

 ânimo

 

 

De forma que terei de concluir que o Doutor Candeias de precursor do anti-carrilhismo primário se tornou pelo silêncio um

 

 

CARRILHISTA PRIMÁRIO !!!!!

 

com tudo o que isso implica de mau gosto ou como diria o divino Salvador Dali: ''o mau gosto é criativo. É o domínio da biologia sobre a inteligência''

Marcello de Noronha

 

(que prometeu ao Presidente da Tubucci não falar no prémio Campos durante 24 horas, pelo menos) 

 



publicado por porabrantes às 16:24 | link do post | comentar

Domingo, 27.11.11

A minha querida Ametista tem um blogue porreiro, e fez um post interessante sobre a exposição corticeira na António Botto, mas o post precisa de alguma contenção.

 

Vou fazer, aqui e agora, uma nota, deixando espaço ao Sr.Dr. Rui Lopes, nacional-bairrista de São Miguel do Rio Torto para explicar à Ametista quais são as fronteiras exactas das freguesias do Rossio e de São Miguel.

 

Não deixo espaço para o Sr.Américo Amorim, que as gazetas dizem ser o mais rico de Portugal, explicar à Ametista qual foi a evolução da história da dita Corticeira no concelho de Abrantes, porque o Sr.Américo trabalha mesmo ao domingo e neste momento está ocupado a impedir que a filha do ditador angolano mande na GALP.

 

O sr.Américo 

 

 

faz mais por Portugal ao impedir a capitalista africana de controlar um activo-chave na economia portuguesa, que toda a cambada de políticos que arruinou e arruina o nosso país....,

 

 

 

 

consentir que esta senhora mande em Portugal é um acto quase de traição à pátria....

 

Diz cheia de entusiasmo a Ametista.....

 

''O porto de Abrantes, na opinião de historiadores importantes e de geógrafos como Jorge Gaspar, foi o mais importante porto fluvial do interior do país da Idade Média ao séc: XX''

 

ora Jorge Gaspar não diz isto no importantíssimo estudo que publicou este geográfo ( o mais importante da história da geografia lusa, no século XX, depois de Orlando Ribeiro)....

 

Em ''Os Portos Fluviais do Tejo'' publicado na Finisterra, volume V, nº 10, 1970,  sustenta que era Santarém o porto fluvial mais importante dos portos do Médio Tejo, na Idade Média, vindo Abrantes e Punhete depois.

 

E sublinho, Gaspar fala do Médio Tejo e não do resto dos rios do país. Ou seja  não analisa o importantíssimo tráfico fluvial no Douro, entre a Régua e Vila Nova de Gaia, que se tornou particularmente activo depois de Pombal ter demarcado a Região produtora de Vinho do Porto....

 

A afirmação é completamente lógica, não só porque está baseada em dados histórico-estatísticos, (''Caderno das Mercadorias Importadas e Exportadas do Concelho  de Lisboa,   com os respectivos direitos e municipais e as suas respectivas isenções, 1401-1450), e porque, todos o sabemos,  Santarém quando é tomada por Afonso Henriques mantinha relações comerciais  marítimas com além- mar (a  Berberia) e outros mercados

 

Gaspar diz inclusive (citando Orlando Ribeiro) que Afonso Henriques recorre a uma armada de cruzados para defender Santarém da invasão almoáda....

 

E recorda que a cidade mantinha ainda no século XIV relações comerciais directas (isto é através de barcos) com a Flandres.

 

Depois, Gaspar assinala que o desenvolvimento do porto de Abrantes é do século XVI isto é quando termina a Idade Média....

 

Não se pode falar de Abrantes no início da Idade Média, porque  quase não temos elementos (o primeiro documento que a menciona é a doação de D.Afonso Henriques à Ordem de Santiago em .... 1159) e para Santarém, tomada em 1147, esses elementos são copiosos, incluindo crónicas árabes.

 

Portanto, os abrantinos devem moderar a mania de que somos os maiores. Ou que fomos. Já nos basta terem-nos tentado transformar na capital do baseball, dos Almeidas ou da energia.

 

Gloriosa banhada à barão,

em que nos meteu o Carvalho!!!

 

Há que ser moderados, senão faz-se a figura do Pico e Candeias!!!!!

 

Mas, não vou deixar os de Santarém a rirem-se. Acharão eles que eram os maiores nos inícios da Idade Média?????

 

E aqui saco um Prémio Pessoa, bem atribuído.

''foto surripiada na net'' (sic)  in http://aqueduto-livre.blogspot.com

 

 

 

Neste livro, um prodígio de humildade (1), erudição, sabedoria e discreto fascínio pelo Fundador, José Mattoso explica que.....

 

Coimbra era, com 23 hectares de área edificada dentro de muralhas, o maior burgo do Ocidente peninsular enquanto Lisboa andava pelos 16 hectares e o Porto pelos....4 hectares.......

 

Santarém era importante, provávelmente a 2ª cidade do Ocidente Peninsular, segundo as fontes árabes, mas estava muito longe de Coimbra, que Afonso Henriques escolheu como sede do seu reino....

 

 

Portanto, cara Ametista, sejamos modestos.....

 

Marcello de Noronha,

 

Quando tiver tempo ainda farei uma observação às bocas atribuídas ao geográfo Jorge Gaspar, sobre a ''vitória'' do tráfico fluvial abrantino sobre o caminho de ferro, que é uma evidente distorção do que afirma no seu estudo

 

   Universidade de Lisboa

Jorge Gaspar, um dos grandes Mestres da Geografia e da Cultura Portuguesa, não merece que lhe façam dizer o que não disse.....

 

(1) Aconselho a todos o livro do professor Mattoso. E lembro que ele na introdução diz que foi uma segunda escolha dos organizadores desta colecção de biografias dos nossos Reis para escrever sobre D.Afonso Henriques. O escolhido fora Luís Krus, como o especialista da temática afonsina para biografar D.Afonso. Uma morte precoce e impiedosa impediu Krus de escrever o livro. Mattoso dedica-lhe este. Isto é a prova como um português eminente, talvez um dos mais decisivos historiadores portugueses vivos, é capaz de ser modesto.

 

 

É uma indirecta?  Não, é uma directa ao licenciado alentejano Carrilho da Graça....   



publicado por porabrantes às 14:49 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.08.11

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 O Pai dos Povos foi também Mestre de Historiadores e o seu magistério continua actual em Abrantes!

 

 e em Baleizão..... 

 

 

 

 

 

texto de suzy de noronha

posto pelo adérito abrantes



publicado por porabrantes às 07:58 | link do post | comentar

Sábado, 23.04.11

Efígie da República vai tentar

engravidar do senhor do FMI

para que os juros do empréstimo

sejam abatidos com a

pensão de alimentos

Por João Henrique

O busto da República, mulher discreta que representa o regime há mais de um século, vai usar todos os seus encantos femininos para seduzir o senhor Poul Thomsem, de forma a reduzir os encargos financeiros de Portugal com o empréstimo do FMI.

A efígie, que está a ser aconselhada por Luciana Gimenez, reputada especialista em golpes do baú (teve um filho do vocalista Mick Jagger), vai aproveitar uma visitinha do senhor dinamarquês a um órgão de soberania para mostrar o seu decote voluptuoso com recurso a um soutien push-up, vai meter conversa, fazer charme e convidá-lo para sair. A República irá escolher o seu período mais fértil para encaminhar o senhor do FMI para uma noitada de sexo escaldante e desprotegido. Após Poul Thomsem reconhecer a paternidade através de exame de ADN, o busto da República pondera caçar o sémen do senhor Jürgen Kröger da Comissão Europeia e do senhor Rasmus Rüffer do BCE, de forma a melhorar ainda mais as condições financeiras do resgate. JH

 

in Público

 

O Jornal de referência, com maior venda nos Supermercados Sonae, insultou os republicanos abrantinos Sns. Ramiro Guedes, Justo Rosa da Paixão e outros que figuram na multidão maçónica, republica, laica e de esquerdas que escolta a esbelta figura em top-less da menina República nesta gravura histórica, da autoria de Roque Gameiro (da família do Roque Gameiro que fez a estátua aos mortos da Grande Guerra em frente de São Domingos) ao propor que a virginal menina fornique com um marginal Paul Thomsem para solucionar o deficit.

foto Jornal de Alferrarede

Tal acto previsto e punível pelo Código Penal em vigor e ainda pelo Código Civil exige uma resposta da Câmara de Abrantes e do dr.Candeias, o maior historiador local da República ( não contando para o compûto os historiadores expatriados em sítios remotos, como a Universidade de Coimbra, onde ensina o Prof.Fernando Catroga), aconselhando nós desde já

 

a) apresentação de queixa-crime contra o autor da peça e o seu patrão e provável instigador eng. Belmiro de Azevedo por difamação da República.

b) acção cível pedindo uma indemnização de 5.000.000 de euros por ter sido manchado o bom nome autárquico de Abrantes dado que o Sr.Justo da Paixão foi Presidente da CMA ao longo de muitos anos.

 

c) retirada pela CMA da licença de utilização de qualquer super-mercado da Sonae existente no Concelho de Abrantes. 

 

 

testemunha de acusação: qualquer descendente do Buiça que esteja à mão.

 

corpo do delito : texto publicado no Público e esta gravura, que o ilustrava, onde figura o sr. Justo e o dr.Guedes

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A redacção

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 17:43 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A PIDE e a arqueologia

Adelino Lemos e o jornali...

CMA ainda não publicou ob...

Salvar a honra dos Almeid...

Candeias Silva foi o prec...

O Professor Gaspar e a co...

O magistério histórico do...

Público insulta Republica...

arquivos

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Agosto 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10


22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds