Sábado, 04.05.19

seis d

Sob o título dos ''120 (?) o académico Joaquim Candeias Silva, expoente da célebre escola do CEHLA, faz um resumo da História do Jornal de Abrantes.

Uma parte muito interessante, é o rol dos directores e a explicação do seu parentesco.

Mas engana-se ........

Diz que houve cinco directores para o período anterior à venda do Jornal por 1 euro ao Grupo Lena.

Houve seis,  esta é a verdade histórica.

Esqueceu-se do Anacleto Batista .

ana barca

Que foi director a seguir ao 25 de Abril e até mudou o cabeçalho do jornal.

Outro dia contaremos as circunstâncias da saída do Anacleto e do regresso do Dr.Jorge Moura Neves Fernandes.

Há esquecimentos imperdoáveis.

Já agora uma menção para o Alfredo  Holtreman, que foi quem fundou a folha e depois foi Visconde de Alvalade.

220px-ViscondedeAlvalade

mn

para a História da Imprensa Abrantina.... continua a ser indispensável o livrinho do Eduardo Campos

foto gamada: à Senhora D.Margarida Trincão, da Barca....e à wiki

 

     



publicado por porabrantes às 16:32 | link do post | comentar

Quarta-feira, 17.04.19

LuísFThomaz.jpg

O Senhor Prof. Doutor Luís Filipe Thomaz tem neste texto

O «TESTAMENTO POLÍTICO»

DE DIOGO PEREIRA, O MALABAR,

E O PROJECTO ORIENTAL DOS GAMAS

 

uma análise fundamental do papel dos Almeidas na oposição à candidatura de Dom Manuel, Duque de Beja ao trono após a morte de D.João II. Os Almeidas conspiravam para elevar ao trono D.Jorge, o bastardo do monarca falecido, aliás natural de Abrantes e criado pelo clã Almeida, por indicação do seu Pai.

A designação de D.Manuel significou o começo do fim dos Almeidas.

E deixa uma nota crítica ao  livro de Candeias Silva sobre D.Francisco de Almeida:

 

Thomaz.png

Luis Fílipe Thomaz pela vastidão dos seus conhecimentos e pela sua obra, é hoje o maior especialista luso na Expansão no Oriente.

Aconselhamos vivamente ler o texto citado, para saberem quem eram os Almeidas e o que realmente fez D.Francisco.

O estudo foi publicado na revista Anais de História de Além-Mar, Volume V , 2004 e está disponível on-line.

 

mn

a foto do Professor Thomaz é da Faculdade de Teologia e publica-se com a devida vénia 

 

  

 



publicado por porabrantes às 08:03 | link do post | comentar

Segunda-feira, 25.03.19

candeias silva

O doutor Candeias Silva produziu um texto interessante sobre a Abrantes Medieval, na História  Breve de Abrantes (2016).

Mas deve-o ter escrito à pressa, sem ir verificar as fontes

d.pedro I candeias

Diz Candeias  que '' Conta um cronista que numa ocasião o rei Justiceiro mandou degolar  aqui um conselheiro seu (alcaide de Lisboa), por ter agredido um porteiro'' (.pag 57)

Deve ser um lapso.

Diz Fernão Lopes que mandou degolar o sobrinho do alcaide,.

D.Pedro I por muito justiceiro que fosse tinha algum cuidado em andar a decepar homens poderosos.

Segue o texto do grande cronista:

 

''Não fique por dizer de um bom escudeiro, sobrinho de João Lourenco Bubal, privado d'el-rei e do seu conselho, alcaide mór de Lisboa, o qual escudeiro vivia em Aviz, honradamente e bem acompanhado. E foi a sua casa, por mandado do juiz, um porteiro, para o penhorar, e elle, por cumprir vontade, depenou-lhe a barba e deu-lhe uma punhada.

O porteiro veiu-se a Abrantes, onde el-rei estava, e contou-lhe tudo como lhe adviera. El-rei, que o áparte ouvia, como acabou de falar, começou de dizer contra o corregedor que ahi estava:

– Accorrei-me aqui, Lourenço Gonçalves, cá um homem me deu uma punhada no rosto, e me depennou a barba! O corregedor, e os que o ouviram, ficaram espantados por que o dizia. E mandou á pressa que lh'o trouxessem preso, e não lhe valesse nenhuma egreja. E foi assim feito, e trouxeram-lh'o a Abrantes, e alli o mandou degolar, e disse: – Dês que me este homem deu uma punhada e me depennou a barba, sempre me temi d'elle que me désse uma cutelada, mas já agora sou seguro que nunca m'a dará!''

 

Fernão Lopes na Crónica de El-Rei Dom Pedro.

 

Moral da história: Convém quando se faz história confirmar as fontes, porque a memória atraiçoa.

mn 



publicado por porabrantes às 09:31 | link do post | comentar

Sábado, 02.03.19

Nas Actas do MIAA foi publicado este artigo

del plg

Está aqui posto on-line

 

Entre outras coisas diz-se

delfino pl

O texto está sem aspas...

 

Em 1986, o  dr. Álvaro Batista e o dr. Candeias Silva escreveram isto:

batista inventário 2

Em 1996, na Carta Arqueológica, Álvaro Batista e Candeias Silva assinam a introdução e são os principais autores. Também aparece a Filomena Gaspar (agora zangada com o dr. Batista) como autora.

Lá está publicado isto

carta arq

ver aqui

 

Está claro onde o Delfino e o Gustavo Portocarrero  e a Filomena Gaspar foram buscar as expressões como '' continua não ser fácil estabelecer uma  síntese credível''  

 

Foram buscar ao trabalho de 1986 do Candeias Silva e do Álvaro e à Carta Arqueológica de 1996.....    

 

Isto tem um nome e começa por p.....

 

Segue a capa do trabalho de 1986 dos Drs Candeias e Batista (que na época ainda não se licenciara...)

batista inventário

mn

finalmente teremos pachora para desmontar alguns dos erros factuais que  dão no artigo???? 

    

 

 

 



publicado por porabrantes às 00:12 | link do post | comentar

Domingo, 30.12.18

páreo

Este livro foi editado pela CMA por esforço de Eduardo Campos, que pediu ajuda ao saudoso Dr.José Vasco.

páreo luso

Neste estudo sobre Manuel Constâncio, Candeias Silva mete o livro na bibliografia e reproduz a capa, sem citar nem José Vasco, nem Eduardo Campos.

Não é novidade, é evolução na continuidade.

mn

imagem da Livraria Suméria, um bom alfarrabista

 

 

 



publicado por porabrantes às 16:25 | link do post | comentar

Sábado, 04.08.18

Na última Zahara, o Candeias Silva lança mais umas achegas para a canonização do Marquês de Abrantes, D.Rodrigo de Sá e Meneses, seu confrade na Academia Portuguesa de História, que o nobre fundou.

silva d.rodrigo

 

Já se teceram aqui loas ao magnífico Marquês que conduziu as esplendorosas Embaixadas do Rei Magnânimo.

Mas foram dirigidas ao político e de algum forma ao mecenas e não ao académico, que pelos vistos deixava bastante a desejar.

Num estudo relativamente recente (2004) , Alicia M. Canto coloca em causa a sabedoria arqueológica do aristocrata, enterrado em Santa Maria do Castelo.

Em ''Los viajes del caballero inglés John Breval a España y Portugal: novedades arqueológicas y epigráficas de 1726'', estuda-se a visita a Portugal do autor britânico Breval,   que arrasou o Marquês e as suas veleidades arqueológicas e académicas.

Alicia M.Canto defende as opiniões de Breval contra a sabedoria arqueológica do Sá e Meneses e diz:

breval 4

(p. 339)

 

Achamos que o Candeias devia ter lido Charles-Frédéric de Merveilleux, Breval e a autora citada, para mitigar os seus meritórios desejos de incensar o fundador da Academia.

 

 

 

mn    

 ps-

como se sabe há um novo ornamento na Academia, Santana Lopes



publicado por porabrantes às 10:26 | link do post | comentar

Terça-feira, 14.11.17

Não é a falta de assunto que tem feito este blogue viver dos rendimentos (ou seja de posts passados), graças à fidelidade dos leitores. É a falta de paciência. Mas vá lá vamos dar um bitaite.

 

Em 2005 a CMA editou este livro sobre orientação do Candeias Silva.

 

O livro tem a colaboração de vários autores, uns especialistas e outros '''curiosos''.

 

A obra colectiva tem uma introdução  do Presidente da Câmara, que era o Nelson Carvalho.

 

Na página 8, Jaccques Theodor diz assim

theodor

e depois continua a dissertar sobre as façanhas do Almeida.....

 

Na página 7 vem um texto atribuído ao cacique Carvalho (a introdução)

carvalhoalmeida.png

que continua

carvalhoalmeida 2.png

 Os textos são iguais, alguém copiou alguém.

 

Há um ano ou dois a CMA editou uma obra em que uma tipa se apropriou duma obra de Eduardo Campos.

 

A honestidade intelectual é um valor em desuso nesta terra.

 

Passem bem.

 

ma 

 

 



publicado por porabrantes às 12:56 | link do post | comentar

Quinta-feira, 24.08.17

titulo.png

O título académico de Professor universitário implica provas públicas numa Universidade para o ganhar, como as que fez Marcelo Rebelo de Sousa.

Onde é que fez provas públicas para ganhar esse título Candeias  Silva?

 

mn

 



publicado por porabrantes às 10:11 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19.06.17

ec candeias silva.png

Eis o Doutor Candeias Silva, garboso, segurando a obra . ''Foral concedido a Abrantes por D.Manuel I em 10 de Abril de 1518, edição diplomática de Eduardo Manuel Tavares Campos,''

eduardo campos 2.jpg

Tendo em conta que passou muito tempo a ocultar a obra do Eduardo....

cs campos.jpg

nome que não podia figurar por exemplo nesta bibliografia inserida no opúsculo ''Abrantes na Expansão Ultramarina'' .........teremos de comentar que segurar a obra do Eduardo será para ele um pesado fardo....

 

ma



publicado por porabrantes às 10:45 | link do post | comentar

Quarta-feira, 08.02.17

Um leitor pergunta-nos se a crítica (certeira) do Professor Luís Filipe Thomaz à obra de Joaquim Candeias Silva sobre D.Francisco de Almeida, não é excessiva.

Remetemos o leitor para outra crítica, esta da grande investigadora , Doutora Ângela Barreto Xavier, do ICS, que ao traçar as tendências da historiografia da expansão, na revista Pénelope (2000), neste artigo  

tendências.png

diz o seguinte:

folego.png

Nas biografias há que ter um certo distanciamento e não apaixonar-se pelo ''herói''

d.francisco jornadas.jpg

mn

o texto da Autora está disponível na net     



publicado por porabrantes às 13:01 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Repondo a verdade históri...

Abrantes é melhor que Alh...

O sobrinho do alcaide

À Moda do MIAA: Usando o ...

Evolução na continuidade:...

A outra cara do fundador ...

Quem plagiou quem?

Um país de professores do...

Um pesado fardo

O distanciamento

arquivos

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

baptista pereira

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Maio 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9


23
24
25

26
27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds