Quinta-feira, 01.11.18

dia de fimados 2

ler aqui



publicado por porabrantes às 17:03 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.02.17

cdu cemitérios.png

transcrevemos o resto do texto da CDU: .... o título é  nosso

à semelhança do que é feito nos cemitérios municipais.

O que acontece actualmente é que têm que ser as freguesias a assumir os custos de tais investimentos ou então esperarem “a boa vontade da Câmara”, expressão usada pela Sr.ª Presidente do executivo abrantino.

A moção foi reprovada com os votos contras do PS e com a abstenção do PSD. Se já é estranho ver os presidentes de junta eleitos pelo PS a votarem contra uma moção que iria beneficiar as suas freguesias e as suas populações, pondo os interesses partidários à frente dos interesses de quem os elegeu, mais estranho é ver o Sr. Presidente da Bemposta a defender e justificar o voto contra do PS.

Tal sentido de voto não surpreende a CDU, pois há muito que assistimos ao abandono por parte do PS com a conivência do PSD das freguesias rurais. A intenção parece ser encerrar e acabar com tudo o que há nestas freguesias, desde escolas, centros de saúde, farmácias e agora até os cemitérios.

Por enquanto ainda as freguesias vão fazendo um esforço no sentido de manter os cemitérios com alguma dignidade mas quando os magros orçamentos das freguesias não forem suficientes e não for possível contar com as “esmolas” da edilidade a continuidade destes cemitérios estará em risco e não restará outra alternativa senão sepultar os abrantinos em “mega-agrupamentos” de cemitérios camarários.

MOÇÃO
Os cemitérios, como todos sabemos, destinam-se à inumação de cadáveres de indivíduos falecidos e são por isso locais considerados sagrados para as populações que têm ali sepultados os seus entes queridos.

Estes locais, devem estar arranjados de forma a dar dignidade ao espaço e a ter um ambiente capaz de atenuar a dor dos que ali se tem que deslocar para a acompanhar um funeral ou visitar a campa de algum familiar ou amigo.

Como é sabido, os cemitérios têm espaço devidamente limitado e por vezes é necessário proceder ao seu alargamento. Este procedimento tem por vezes custos consideráveis, com a aquisição do terreno, analise das terras e a sua eventual substituição, construção de muros e todas as infraestruturas necessárias.

Em Abrantes, existem quatro cemitérios denominados municipais, onde toda a manutenção e obras estão a cargo do município. Contudo há inúmeros cemitérios denominados paroquiais cuja gestão se encontra a cargo das juntas de freguesia, para as quais os custos de investimento são incomportáveis face aos seus magros orçamentos.

Temos consciência de que o município comparticipa com algumas verbas para fazer face a essas despesas, mas que nem sempre é o suficiente. Todos os munícipes pagam os seus impostos para poderem ter um cemitério digno e não é aceitável que haja uma discriminação dos munícipes consoante morem nesta ou naquela freguesia.

Assim, face ao exposto, a Assembleia Municipal de Abrantes, delibera que todos os cemitérios do concelho tenham um tratamento igual em termos de investimento, independentemente da sua gestão, ficando o mesmo a cargo da Câmara Municipal.

Abrantes, 24 de Fevereiro de 2017

La imagen puede contener: planta, árbol, flor, mesa y exterior


publicado por porabrantes às 20:14 | link do post | comentar

MOÇÃO DA CDU

 ''Os cemitérios, como todos sabemos, destinam-se à inumação de cadáveres de indivíduos falecidos e são por isso locais considerados sagrados para as populações que têm ali sepultados os seus entes queridos.

Estes locais, devem estar arranjados de forma a dar dignidade ao espaço e a ter um ambiente capaz de atenuar a dor dos que ali se tem que deslocar para a acompanhar um funeral ou visitar a campa de algum familiar ou amigo.

Como é sabido, os cemitérios têm espaço devidamente limitado e por vezes é necessário proceder ao seu alargamento. Este procedimento tem por vezes custos consideráveis, com a aquisição do terreno, analise das terras e a sua eventual substituição, construção de muros e todas as infra-estruturas necessárias.

Em Abrantes, existem quatro cemitérios denominados municipais, onde toda a manutenção e obras estão a cargo do município. Contudo há inúmeros cemitérios denominados paroquiais cuja gestão se encontra a cargo das juntas de freguesia, para as quais os custos de investimento são incomportáveis face aos seus magros orçamentos.

Temos consciência de que o município comparticipa com algumas verbas para fazer face a essas despesas, mas que nem sempre é o suficiente. Todos os munícipes pagam os seus impostos para poderem ter um cemitério digno e não é aceitável que haja uma discriminação dos munícipes consoante morem nesta ou naquela freguesia.

Assim, face ao exposto, a Assembleia Municipal de Abrantes, delibera que todos os cemitérios do concelho tenham um tratamento igual em termos de investimento, independentemente da sua gestão, ficando o mesmo a cargo da Câmara Municipal.''

 

Moção apresentada na última Assembleia Municipal de ABRANTES, que era justa e que foi rejeitada

 

A defesa da posição PS foi, entre outros, feita pelo P. da Bemposta, a quem o eng.Luís Lourenço reduziu ao ridículo ''“Espanta-me que seja um presidente de junta a dizer que não quer que a CM invista no seu cemitério”.

 

mn

 

PS-Voltaremos ao assunto. A actividade do cacique da Bemposta está aqui retratada pela Senhora D.Maria Fernandes



publicado por porabrantes às 10:39 | link do post | comentar

Segunda-feira, 24.11.14

Publica-se como prometido o grande artigo do Sr.Tenente-Coronel Pereira Silvestre sobre o tétrico caso do engarrafamento de mortos nos cemitérios da Cidade.

Apesar da coisa poder ser examinada a partir do mais tenebroso humor negro, aquilo que se está a passar é pura e simplesmente uma vergonha

cemitério 1.png

 cemitério.jpg

 

antes disso a parte mínima da lista duns mortozinhos que o Sr. Valamatos quer exumar, à margem do Regulamento Municipal em vigor

 a redacção

 



publicado por porabrantes às 18:37 | link do post | comentar

Segunda-feira, 10.03.14

Sucessivas juntas de freguesia abrantinas e das redondezas têm vindo com um ardor arboricida a pedir  massas à CMA para caparem os cemitérios cortando os ciprestes . Começou o movimento, ignaro e periférico, pelo Pego que já tinha arrasado os plátanos e proliferou até chegar a uma das únicas freguesias laranjas. 

 

A origem do costume de colocar ciprestes nos cemitérios está aqui explicada, neste excelente post do blogue Urban SKETCHERS PORTUGAL : ''

 

 

Cipreste

O cipreste marcava a entrada das villas romanas. Só mais tarde, quando os mortos saíram das igrejas, se tornou na árvore dos cemitérios. À porta, o aviso cuidado com o cão. Outro exemplo da apropriação da natureza pelo homem.


publicado por porabrantes às 10:11 | link do post | comentar

Quinta-feira, 22.09.11

Comentava outro dia o Mirante que no distrito havia falta de coveiros e que as autarquias pensavam privatizar o serviço. Em Abrantes não há falta de coveiros, como se prova pelo documento anexo, nem sequer de coveiras em sentido político porque a gestão da D.Céu, a mando da chefa não é mais que uma cavadela quotidiana para enterrar a nossa terra.

Conta ela no seu executivo com a ajuda prestimosa e super-competente da Tia Celeste Simão, porque 2 mulheres sozinhas não bastavam para abrir a cova onde nos querem enterrar.

Pelos vistos as 3 elegantes coveiras necessitavam de mais ajuda e abriram concurso para a admissão de mais pessoal do ramo.

Ganhou o almejado posto não o Sr.Nelson Carvalho com tanta experiência no ramo comercial de coveiro político do concelho, mas o Sr. Hugo Miguel Pacheco Rodrigues.

Devia ser que o concurso só admitia pessoas com grau de conhecimentos limitados nesta funérea área, em que o Sr.Marçal também é um grande especialista, pois foi o coveiro político do PSD de Abrantes, enterrando politicamente o Sr.Dr. Humberto Lopes, ao impedir a sua reeleição, com a atenta colaboração da carpideira da Amoreira, especialista em derramar lágrimas de crocodilo em eventos fúnebres como se viu outro dia no funeral do falecido cacique Botas de Santarém.

Com efeito, o  Sr.Nelson Carvalho tem tanta experiência nesta área que me espanta não o terem contratado, enquanto boy, para Director-Geral do Cemitério de Santa Catarina, cuja patente lhe pertence.

 

Espanta-me ainda, analisando o resultado do concurso, que a igualdade de género aqui não tenha funcionado e se tenha chumbado ilegalmente a Srª D. Maria Helena dos Santos Catita com base numa o), que tem de ser dada por inexistente porque no acto formal de publicação de resultados não se especifica em que consiste e devia ser especificada, porque qualquer acto administrativo tem de ser fundamentado e este não é, neste parte, sendo portanto anulável.  

 

Como as coisas nunca são o que parecem, mas aquilo que está por trás elas, por exemplo a Céu apesar de Presidenta não manda na Câmara  mas quem mais ordena é quem está por trás dela, ou seja a rústica chefa, verifica-se que o sábio que alcançou a estimável nota de 15, 96 valores em covais, campas, sepulturas, cinzas, jazigos, flores naturais, música fúnebre, ossos, cadáveres incorruptos e corruptos, talhões para antigos combatentes (como o Armando Fernandes),  talhões para pacifistas, múmias, caveiras, etc, o Sr. Hugo Miguel Pacheco Rodrigues o vencedor do concurso, já era assistente operacional na CMA em 2008 (não sei se já operando com caixões) e simultaneamente era também bombeiro na CMA.

 web bombeiros municipais

Irá acumular as 2 funções?

Imaginemos que dá o badagaio a um ancião de Lagarelhos, exilado em Abrantes, por excesso de colesterol, galeguice culinária (os galegos nunca usam azeite, temperam a comida com banha, daí serem candidatos ideais a morte precoce por over-dose de banha) e glutonaria ordinária, e o nosso Hugo está abrir a cova para enterrar o gajo, enquanto a viúva e o filho choram muito, nisto toca a sirene dos bombeiros e o Hugo, para cumprir o seu dever cívico, abandona o galego, o padre (os galegos exigem sempre padre no enterro que lhes deite água-benta na pança para se protegerem na outra vida das ‘’meigas’’, que são as bruxas lá das berças.....)

Faria o Hugo o seu dever, porque primeiro é preciso cuidar dos abrantinos vivos e depois enterrar os galegos.

 

Emigrante de Lagarelhos, morto no Brasil, por over-dose de produtos tóxicos não apropriados à sua avançada idade. Antes mudara de apelido para esconder o seu parentesco com um criminoso. Privara muito com o sr. Inspector Rosa Casaco durante a sua estadia em Terras de Vera Cruz por ambos terem familiares chegados em Abrantes. 

 

 

Desejamos ao Hugo as melhores felicidades no seu trabalho cemiterial de ajuda ‘’operacional’’ à política de enterrar Abrantes da chefa e remetemos o leitor para os avisos mais que eloquentes que o dr. Santana-Maia e o dr. Belém Coelho têm vindo a fazer sobre a forma atípica e ‘’peculiar’’ como se fazem concursos ‘’públicos’’ nesta terra.

Finalmente felicitamos a Chefa pelo Sr. Hyusmen Halil Halil ter sido liminarmente chumbado ao abrigo da estranha alínea a). É uma boa medida preventiva, com este nome de certeza não era pegacho e além disso podia enterrar os abrantinos virados para Meca.....

 

Miguel Abrantes com Edite Fernandes  (natural de Vinhais mas não da Póvoa dos Galegos) para o contacto com o Sr.Comandante dos Bombeiros que ao verificar que a Edite não tinha bigode, como a generalidade das mulheres de Vinhais, lhe prestou amavelmente os esclarecimentos pedidos.

 

Em Anexo

 

Aviso n.º 18709/2011

Procedimento concursal comum de recrutamento para o preenchimento de um posto de trabalho para a carreira e categoria de assistente operacional (funções de coveiro)

Em cumprimento do disposto no n.º 6 do Artigo 36.º da Portaria n.º 83-A/2009, de 22/01, torna-se pública a Lista Unitária de Ordenação Final do Procedimento acima referenciado, aberto por aviso publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 27, de 8 de Fevereiro de 2011, a qual foi homologada por meu despacho datado de 12/08/2011.

Lista Unitária de Ordenação Final

Candidatos aprovados

Hugo Miguel Pacheco Rodrigues - 15,96 valores

Candidatos excluídos

Álvaro Manuel Salgueiro Alves a)

Eduardo Paulo Lopes Aldeias b)

Fábio Mendes Lopes Dias b)

Henrique Gil Fortuna d)

Hyusmen Halil Halil a)

José Alberto Lopes da Silva d)

José Gabriel Serra Rosa b)

Maria dos Anjos de Matos Paiva c)

Maria Helena dos Santos Catita o)

Narcisa da Conceição Rosa Catita d)

Vítor Hugo das Neves Ferreira d)

Motivos de exclusão:

a) Por não apresentarem fotocópia legível do certificado de habilitações, ou documento idóneo, conforme indicado no ponto 7.4 do aviso publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 27, de 8 de Fevereiro de 2011;

b) Por não possuírem o nível habilitacional de grau de complexidade funcional 1, estipulado na Ref. 6, do n2 6.1 do aviso publicado no Diário da República, 2.ª série, n.º 27, de 8 de Fevereiro de 2011;

c) Por não terem comparecido a prova escrita de conhecimentos;

d) Por terem obtido classificação inferior a 9,5 valores na prova escrita de conhecimentos.

12/08/2011. - A Presidente da Câmara, Maria do Céu Albuquerque.

305095746

 

in Diário da República 




publicado por porabrantes às 13:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 01.06.11

         

 

 

 

Eu também.

 

Suzy de Noronha escreveu. O Adérito pôs! É o meu moço de fretes. O Carrilho da Graça tem um no Pinhal!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 20:48 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

O caciquismo e os nossos ...

Os mortos das freguesias ...

Cemitérios das freguesias...

O valente artigo do tenen...

Os capadores de ciprestes

O novo coveiro da Maria d...

Ò Diabo!!!!!

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds