Sexta-feira, 03.08.18

É um dos maiores crimes urbanísticos cometidos contra o núcleo urbano da velha Abrantes. Ao lado dos velhos Paços do Concelho joaninos. Ao lado da fiscalização camarária, que se cobriu de ridículo nesta história (temos os documentos).

r.d.miguel almeida

Uma das mais típicas ruas de Abrantes, ficou assim

r. miguel de almeida 2

Já se falou nisso,

ver https://porabrantes.blogs.sapo.pt/1632149.html

 

e ainda https://porabrantes.blogs.sapo.pt/1537479.html

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/1537479.html

 

Haverá mais e há umas fotos oportunamente divulgadas pelo Armindo Silveira

 

Isto é o resultado da gestão da cacique, do Serrano e do Caseiro Gomes e da inércia da sociedade civil

 

É ainda o paradigma da destruição do centro histórico, a favor de interesses privados, que agora continua em Santo Amaro.

 

A foto antiga foi publicada originalmente no nosso colega Coisas de Abrantes, a recente foi divulgada em 2017, pelo sr. Vicente Lourenço, que no face produziu um trabalho exemplar sobre  Abrantes Antiga versus Actual.

 

mn 

 



publicado por porabrantes às 10:44 | link do post | comentar

Quarta-feira, 07.02.18
Publicaciones
 
 
 
 
TUBUCCI assoc.defesa património região ABRANTES
· 5 horas ·

Fortaleza de Abrantes e o centro dito histórico...2018

La imagen puede contener: cielo y exterior
 
Me gusta
ComentarCompartir


publicado por porabrantes às 17:33 | link do post | comentar

Quarta-feira, 01.11.17
Como se aproxima o dia de Finados....republica-se este post
 
 

 

 

Em 2008 a CCDRLVT,  com massa europeia do FEDER, fez este estudo

 

 

decadência 4.png

Nele evidenciava-se já a decadência do centro urbano de Abrantes e dizia-se que já vinha de 2001.....

decadência.png

 

decadência 2.png

Ou seja, o nosso centro histórico e o parque urbano já estava  a desertificar-se e a esvaziar-se e ainda os imóveis estavam degradados desde 2001

 

Hoje está muito mais vazio e muito mais degradado...

 

As receitas dadas no estudo são medíocres e algumas conclusões soam àquilo que os políticos bradavam nos seus discursos de auto-elogio....

 

Mas os factos são factos, o centro histórico estava a morrer e agora quase  já faleceu...

 

No entanto em que apostaram em 2008?

 

Revitalizar o centro? Fazer voltar as pessoas?

 

Não, apostaram por meter uma torre no Convento, fazer o MIAA e meter ma$$as na RPP....

arquivo.jpg

Ou meter equipamentos centrais na periferia

 

O resultado está à vista, o centro morto.

 

E será muito difícil ressuscitá-lo.

 

Terão ao menos lido o estudo? E já agora o estudo de viabilidade do MIAA, que tenho aqui à mão, algures depaixo de uma papelada farta?

 

MN 



publicado por porabrantes às 11:08 | link do post | comentar

Sexta-feira, 26.05.17
Terça-feira, 26 de Maio de 2015

 

 

 

 

 

bunker novo.jpg

 

 

 

 

 

por Paulo Falcão Tavares, Presidente da Tubucci-Associação de Defesa do Património da Região de Abrantes *

 

 

 

Enquanto Portugal inteiro (e todo o mundo civilizado) recuperam, estudam e classificam as muralhas das cidades históricas, Abrantes destrói parte das suas muralhas, de vila e cidade militar fortificada.

Para que serve afinal a classificação das cidades, monumentos e sítios, com seu vasto conjunto de leis protecionistas? Para nada!

Abrantes poderia apostar no turismo militar, cultural ou religioso, no centro histórico, mas destruindo-o lentamente, afasta e condena toda uma cidade e sua população à miséria.

Referimo-nos, neste caso em particular, ao que o povo designa por “bunker da céu” ou aos caixotes que a câmara municipal construiu em frente ao Tribunal, para servir um qualquer serviço público. Para construir estes caixotes, sem nenhum mérito artístico ou arquitectónico, a própria edilidade mandou destruir parte das muralhas históricas da cidade, numa atitude sem precedentes na história da notável vila ribatejana.

O feio e o distorcido (de grande parte da arte moderna e contemporânea) passaram a ter classificação de bonito e belo. Claro que fazem parte, este tipo de caixotes que destruíram a harmonia estética da muralha histórica de Sua Majestade o Rei D. Pedro.

O povo abrantino e os turistas acham aberrante e insultuoso esse desenho de arquitectos ávidos de protagonismo cultural. Hoje parece que a obra mais chocante vence. Parte desta ideia é ensinada nas universidades de arquitectura, infelizmente, senão vejamos o caso de Carrilho da Graça e a sua torre cega, que destruía um convento quinhentista…

O padrão estético que durante séculos foi criado por verdadeiros artistas, está hoje a ser deturpado e abandonado.

Recentemente, o artista e brilhante ilustrador Robert Florczak, explica no youtube, (https://youtu.be/0KHmIfl8Inw) porque a arte moderna é tão ruim. Procure e veja a vergonha desta teia de vigaristas da cultura. Temos de ter espírito crítico.

Abrantes e o seu centro histórico foi palco destes fulanos, por diversas vezes, com borrões, pseudo-esculturas e tanto mais de difícil descrição. Nem vou mencionar nomes para não lhes dar publicidade.

Para quem conhece Óbidos, bastará para dar um exemplo, de como gerações de conservacionistas e amantes da sua terra, projectaram a vila a um potencial turístico único em Portugal, justamente porque não destruíram o seu valioso património histórico. Hoje Óbidos e toda uma vasta zona vivem daquele tesouro vivo, que são as suas muralhas e a sua vila devidamente respeitada.

Os caixotes sem valor artístico, podem ter lugar fora dos centros históricos, nunca dentro deles, para isso temos os contentores de obras, que se removem quando queremos, nunca obras em betão de carácter definitivo que pervertem todo o sentido estético e cultural.

Se Abrantes, no período liberal e até republicano destruiu parte das suas portas da vila, foi por puro desconhecimento e ignorância. Não se justifica que em pleno século XXI, uma câmara municipal com técnicos tão bons, destrua uma cidade e seu centro histórico. Não tem legitimidade para tal, nem os políticos, sejam de que partidos forem. Nós não queremos nem precisamos de políticos, temos necessidade de gente que compreenda o passado, para assegurar o futuro das populações. Com gestos imaturos e irreflectidos desta natureza, vamos partindo a galinha dos ovos de ouro. Os recursos abrantinos são muito escassos.

A actual presidente da câmara municipal, Maria do Céu Antunes é a principal responsável por estes actos criminosos que merecerem atenta reflexão desta alpinista partidária, porque um político consciente não comete selvajaria desta monta. A cidade e os cidadãos merecem respeito e consideração. A cidade é da população, não dos políticos. Temos de protestar.

Penso que o futuro deste edifício, que servirá para o mercado municipal, deveria ser a sua demolição completa e posterior reposição do pano de muralha original, que tanto caracteriza a nossa querida cidade fortificada e sobretudo histórica. Não se percebe porque o antigo mercado municipal, feito no Estado-novo não é reparado para estas mesmas funções?

 

* Delegado em Portugal das Reais Ordens da Augusta Casa de Sabóia; autor de entre outras obras de

 

real.jpg

créditos: Artur Falcão:

 

foto da escada para assaltar idosas a par do bunker, a escada também é muito útil para o chuto (nota da redacção) 



publicado por porabrantes às 15:39 | link do post | comentar

Segunda-feira, 06.02.17

araucária zitas.png

 pormenor foto Loty



publicado por porabrantes às 10:41 | link do post | comentar

Sexta-feira, 14.10.16

isabel colaço.png

um post da D.Isabel Colaço, alma do Jornal de Abrantes, antes do Alves Jana, ao serviço da Lena, ter transformado aquilo no que é....

 

Obrigado D.Isabel por nos mostrar o que é viver no centro histórico.

 

ma



publicado por porabrantes às 15:45 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.02.16

lalanda ruinas.jpg

ruinas lalanda 4.jpg

 Centro Histórico desta cidade. Face à passividade da autarquia e aos passeios da cacique, o centro histórico cai, aos bocados.

Quanto à técnica de destruir tecido urbano, esta maioria é melhor que Carrilho da Graça

lançamento miaa 3.png

ma

foto de vídeo da rádio Hertz



publicado por porabrantes às 19:21 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.08.15

acácias.png

Há muito tempo que a Srª D.Luísa Lisboa tinha comunicado à CMA que o jardim da sua casa, perto do Castelo, estava a ser infestado por acácias, espécie invasora, provenientes de terrenos da CMA.

Pois bem teve de ir à sessão para que lhe prometessem que ''desta vez'' iam actuar.

Mas como?

Com produtos químicos que são altamente tóxicos, perto do centro histórico da cidade.

Todos os especialistas  têm vindo a criticar e a avisar contra o uso destes produtos porque têm pesadas consequências secundárias.

No entanto a maior parte das autarquias continua a usar estes venenos por inconsciência e forretice.

trangénicos.png

Quais as consequências do uso de herbicidas?

''  
Ao nível de problemas na saúde humana relembramos as malformações congénitas, tais como: microcefalia, anencefalia (ausência de cérebro) e malformações cranianas, efeitos tóxicos em vários tipos de células humanas, como do cordão umbilical, embrionárias e da placenta, incluindo morte celular, efeito desregulador hormonal e cancerígeno, destacando um estudo recente que estabelece o desenvolvimento de linfoma não Hodgkin perante a exposição ao glifosato (Schinasi, et al, 20141), e um outro também recente que identifica, em ratos de laboratório, a formação de tumores e de lesões graves em diversos órgãos (Séralini, et al, 20142). Estes efeitos podem revelar-se mesmo em doses muito baixas, 500 a 4000 vezes mais baixas que as recomendadas para uso pelo fabricante. No caso do estudo da equipa de Gilles-Eric Séralini, o glifosato foi dado na água aos animais na concentração de 1ppb (uma parte por bilião, ou 1µg/litro), que é a dose legal tolerada e oficialmente segura!''

 

devida vénia à Quercus 

A CMA fez uma sessão, organizada pela associação ambientalista, para explicar às ciganas o que era a água, está na hora de fazer outra para explicar aos autarcas o perigo dos herbicidas.

 

ma 



publicado por porabrantes às 10:23 | link do post | comentar

Sábado, 25.07.15

loja 1.jpg

Loja à venda no centro de Abrantes por 6.000 contos

 

Teoricamente uma pechincha

 

Na prática a prova que os imóveis comerciais valem cada vez menos no Centro de Abrantes, um centro abandonado e às moscas, por muito Creativ Camp que montem para animar o deserto

 

loja 2.jpg

Ao lado o Centro Comercial Chafariz também está, segundo declarações dum ''deputado'' municipal do PS, praticamente vazio.

 

Por muito programa de animação ou ''mais rua'' ninguém entra nas lojas

 

O imóvel é colocado à venda pelo Banco Popular

 

ma



publicado por porabrantes às 13:08 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.06.15

 

 

Em 2008 a CCDRLVT,  com massa europeia do FEDER, fez este estudo

 

 

decadência 4.png

Nele evidenciava-se já a decadência do centro urbano de Abrantes e dizia-se que já vinha de 2001.....

decadência.png

 

decadência 2.png

Ou seja, o nosso centro histórico e o parque urbano já estava  a desertificar-se e a esvaziar-se e ainda os imóveis estavam degradados desde 2001

 

Hoje está muito mais vazio e muito mais degradado...

 

As receitas dadas no estudo são medíocres e algumas conclusões soam àquilo que os políticos bradavam nos seus discursos de auto-elogio....

 

Mas os factos são factos, o centro histórico estava a morrer e agora quase  já faleceu...

 

No entanto em que apostaram em 2008?

 

Revitalizar o centro? Fazer voltar as pessoas?

 

Não, apostaram por meter uma torre no Convento, fazer o MIAA e meter ma$$as na RPP....

arquivo.jpg

Ou meter equipamentos centrais na periferia

 

O resultado está à vista, o centro morto.

 

E será muito difícil ressuscitá-lo.

 

Terão ao menos lido o estudo? E já agora o estudo de viabilidade do MIAA, que tenho aqui à mão, algures depaixo de uma papelada farta?

 

MN 

 



publicado por porabrantes às 23:37 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Um dos piores crimes urba...

Abrantes, vista do alto d...

Abrantes a morrer desde 2...

Os nossos arquivos : Há u...

Uma árvore

Casas bonitas

O Centenário em ruínas (2...

Espalhar herbicidas no ce...

Imóvel comercial barato n...

Abrantes a morrer desde 2...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds