Terça-feira, 16.02.16

claras 61 joao paulo matos.jpg

1961 é a data da foto. Os Claras eram um exemplo de arquitectura moderna. Funcional e com uma utilidade social evidente.

 

bunker inauguração.jpg

Inauguração do bunker na mesma rua no século XXI. Um capricho aberrante que viola o estabelecido na Carta de Veneza para a preservação dos centros históricos e  não tem utilidade social. Como dizia Nuno Teotónio Pereira, que esta gentinha não leu, hoje constroem-se edifícios sem conteúdo social só para papalvo ver.

O Nuno não disse papalvo, disse outra coisa.

Um conjunto de fans (escolhidos dentro da sociedade civil) do despesismo provinciano concentra-se para aplaudir o monstrengo.

Como isto não é um blogue de modas e bordados, aquela revista intelectual para sopeiras que dirigia uma prima da pintora Anastácio Moita, não se dá relevo a que alguma gaja presente repita um vestido pimba.

A gaja estava muito deprimida, confiou a uma poetisa centenária, ò filha hoje não inauguro vestido.

Melhor, só quando a Vera Lagoa escreveu : 'o meninas, quando tenho enxaquecas, vou ao cabeleireiro.

mn    



publicado por porabrantes às 09:21 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.08.15

 

Já se sabe o nome da subempreiteira, a que pertenciam os trabalhadores mortos na USF de Abrantes

 

(....)

 

Os dois homens trabalhavam para uma empresa com sede em Arrifana, a Montest do grupo Tagar, uma empresa especializada na montagem de estruturas pré-fabricadas do concelho de Santa Maria da Feira.

(...)

 

O João Andrade e o Eduardo Duarte eram, segundo Nuno Duarte da Blasting News de Aveiro, funcionários da empresa citada.

 

Agora sugerimos aos edis da Oposição que se dediquem as ler as actas e que verifiquem se as as exigências legais estabelecidas no artigo 385° do CCP (Código dos Contratos Públicos),  e ainda no Decreto-Lei n° 273/2003, de 29 de Outubro, foram cumpridas.

 

É o que pedimos (e pede a decência) à drª Elza Vitório e ao dr. Manana ou a quem os substitua.

 

a redacção

 

 



publicado por porabrantes às 12:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 18.08.15

portugal press.png

 O Portugal Resident é um jornal para estrangeiros que residem, visitam ou mantêm negócios com Portugal, e viu assim a tragédia dos Claras.

Curiosamente também se pode ver na foto como a muralha do Convento de São Domingos, que foi construída no século XVII quando Abrantes era importante praça-forte nas Guerras da Restauração, foi demolida pela empreiteira para fazer as obras.

A muralha fazia parte dum conjunto classificado como IIP-Imóvel de Interesse Público e só podia ser demolida com autorização da tutela.

Houve essa autorização???

Gostaríamos que os senhores vereadores da Oposição o perguntassem.

mn



publicado por porabrantes às 18:58 | link do post | comentar

Domingo, 07.12.14

(fotografia de 1958- gamada ao facebook do António José Carvalho)

rua nossa senhora conceição antónio carvalho.jp

 

É a Rua de Nossa Senhora  da Conceição, que ligava a Barão da Batalha, onde ainda havia a Casa do Capitão Mor, ao Largo da Feira e ao Cemitério do Cabacinho.

Largo Gene Av Macahado 1.jpg

 

(imagem gamada ao Blogue Coisas de Abrantes, do sr. Oliveira Viana) 

 

Era uma rua pacata, decente e comercial, animada pelas chegadas e saídas das camionetas das carreiras dos ''Claras''. Hoje é uma nódoa.

 

Resolveram demolir a garagem dos Claras e só demoliram metade, deixando sobreviver o café onde o Mário Semedo ingeria um bagacinho, enquanto escrevinhava uma crónica prá aqui ou um artigo prá Barca descobrindo a careca ao Carrilho da Graça.

 

Diz-me um popular que não demoliram essa parte, porque não conseguiram despejar do primeiro andar uma senhora idosa que vive lá.

Ora bolas, se era para demolir, que o camartelo demolisse tudo, embora não devesse ter havido nenhuma demolição, porque a obra era da competência do Ministério da Saúde e não municipal.

 

Entusiasmados com o camartelo, arrasaram mais uma parte do baluarte que defendia São Domingos. Tinham licença da tutela para isso?

 

Quer alguém tratar do assunto? Ou vai uma cacique pedir-nos para estarmos quietos? 

 

Em frente dos Claras assassinaram a oficina das ''carreiras'' para construir a passo de caracol, com falência pelo meio, um mercado desnecessário, quanto mais abaixo o velho só precisava duma lavagem de cara.

Estou-me a alongar demasiado, tudo isto vã prosa, só serve para mostrar outra foto de 1958

cemitério tó zé carvalho.jpg

 

 (fotografia de 1958- gamada ao facebook do António José Carvalho)

 

Nesse local então era possível enterrar católicos, ateus e protestantes. Agora não.

Em compensação agora só é possível exportar mortos no centro agonizante de Abrantes.

Agradeço ao Tó Zé Carvalho e ao Sr.Oliveira Viana a disponibilização destas fotos históricas à comunidade. Se algum poeta amordaçado e uma arquitecta burocrática quiserem reproduzir as fotos, num site da treta, fazem favor, e o mesmo digo ao Gaspar da ''Zahara'' e a um ''sócio'', a quem reservo uma dose de sarcasmo quando me der na real gana.

 

Mas façam o que devem, citem a fonte.

Porra, como se chamava o cabeleireiro  do Entroncamento, sobre quem o Mário Semedo deixou crónica inédita com título assaz curioso? Saberá a arquitecta?

 

MA

foi depositado no blogue conjunto de documentos e alguma prosa pelo Mário, antes de falecer.....

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 13:14 | link do post | comentar

Terça-feira, 05.11.13

 utc.blogs

 

 

Em 23-7-1950 noticiava o Jornal de Abrantes

 

 

 

 

 

Parte da memórias dos Claras já foi demolida, como foi demolida a muralha do Largo da Feira,  sobre isso não nos vamos repetir.

 

 

 

 

Mas recordarei que no Largo da Feira está o Bunker da Céu e no Alto de Santo António a Pensão Maria do Céu com vista para umas piscinas arruinadas pela incúria municipal.

 

Também houve de novo nos velhos Claras doçes com amianto.

 

 

Só quero fazer uma reflexão sobre o limpo procedimento da empresa Claras para escolher o  seu empreiteiro: concurso entre 7  concorrentes e escolher aquele que dava melhores condições e garantias.

 

Ganhou a Construtora Abrantina, comprada há tempos por outra  que arrasta para a desgraça aquela que foi uma grande marca abrantina.

 

Comparem o procedimento da empresa Claras com o da edilidade no caso do Bunker da Céu. Ajuste directo a uma empresa que foi à vida.

 

Daria isso para fazer o moral da história: mas o leitor é suficientemente inteligente para me poupar a mais comentários.

 

 

Portanto senhores edis aprendam com o exemplo do concurso aberto em 1950 pelos Claras para construir as suas garagens abrantinas e deixem-nos de flagelar e arruinar com ajustes directos.

 

Está a coisa dita directamente.

 

Boas Noites e passem bem

 

MN 

 

como reparam há uma gralha no título da notícia do JA. Acontecia aos melhores, até ao Sr.Diogo Oleiro....



publicado por porabrantes às 22:07 | link do post | comentar

Sexta-feira, 15.03.13

Com a devida vénia da página da Tubucci

 

 

A nossa amiga Rosário Madrinha manda-nos esta foto. E mais um testemunho da demolição da nossa memória. A própria Câmara reconhecia o valor nos seus documentos internos deste edifício.Reparem no friso com a sigla e o emblema dos Claras, a grande rodoviária de Torres Novas que foi o laço de união entre os povoados do Ribatejo. Pois bem foi essa gente que contratou uma empresa falida para fazer um bunker e demolir a nossa memória. Respeito por quem destrói Abrantes? A ignorância atrevida não merece respeito!

 

 

 

 

 

 

 

 

Posto por Edite Salvador Fernandes, regressada de missão antropológica à Galiza


tags: ,

publicado por porabrantes às 17:34 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A função social da arquit...

O nome da subempreiteira

Imprensa retrata tragédi...

A rua da desolação

Um claro concurso

A demolição da nossa memó...

arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Setembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9

19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds