Quinta-feira, 11.08.11

        

 

Sempre atenta aos novos talentos literários a aristocrata e advogada Ana Soares Mendes, directora do Observatore Romano abrantino não resistiu a inserir na notícia dos 45 anos de Missa Nova do Rev.Graça, Conselheiro das Finanças da nossa Diocese (porque terá sido afastado o Cónego Lúcio, porquê????) a deslumbrante notícia da descoberta duma nova fabricante de rimas sacras, a ''poetisa'' Maria da Piedade.

 

 

Rev.Cónego Lúcio Alves Nunes

 

 

Não compreendemos a prudência da drº Ana em chamar poetisa entre ''aspas'' à talentosa Piedade.

 

A senhora é uma nova versão feminina de Monsenhor Moreira das Neves consagrado autor do best-seller apostólico e lusitano (porque em Roma ninguém o teria publicado, os itálicos não compreendem a poesia, não podendo portanto ser romano )''A hóstia florida''.

         

 

É tal o talento, o romantismo clerical, a riqueza léxica, a elevação litúrgica, o pathos pastoral que não compreendo a reticência que as aspas significam e só posso compreender a rendição incondicional à música seráfica, à epopeia canónica desta poesia cuja qualidade me recorda a prosa da esposa do Armando Fernandes na revista Zahara!!!!

 

A leitura desta elegia ao Graça onde se diz que as ovelhas têm alma, e que o Graças as salvou, reminiscência pagã de sabor rústico, que a Chefa incluiria de bom grado numa antologia da poesia pegacha mais genuína, despertou-me tal devoção que não encontro palavras para a exprimir e transmito-a através da pena de António Lobo Antunes: 

 

''Quando eu era pequeno deram-me um livro de poemas, com o título de Hóstia Florida, escrito por um cónego sensível, chamado Monsenhor Moreira das Neves, que me lembro de ver em casa de uma tia-avó minha, bebendo chás virtuosos, gordo, cheio de opiniões e bondade, muito dado às torradas. Foi a minha primeira grande influência literária e, na minha opinião, o título Hóstia Florida era um achado de génio. Lembro-me do Monsenhor Moreira das Neves declarar, enquanto a minha tia-avó me mostrava a obra com respeito



- Vende-se como pão



e de me surpreender a imagem, vinda de um espírito tão delicado e fino, a apanhar as migalhas da batina com o indicador molhado em cuspo, sob a fotografia emoldurada do doutor Salazar a apertar a mão ao senhor Cardeal Patriarca, unidos num sorriso afectuoso e digno porque se vivia numa época de respeito, avessa ao casamento civil e ao comunismo ateu, duas expressões que não percebia o que significavam mas que, a calcular pela opinião das pessoas responsáveis, eram coisas perigosas e desumanas, que podiam ser evitadas pela leitura da Vida Exemplar De São Luís Gonzaga, acompanhada da história de um outro menino francês que ofereceu a existência em troca da conversão do padrinho, o qual se persignou, ajoelhado, diante da urna e, a partir desse momento, se tornou exemplar e esmoler, outra expressão difícil, dedicado aos leprosos que no princípio do século, ou seja mil e novecentos, mil novecentos e tal, enxameavam Paris, vivendo nas grutas que rodeiam a torre Eiffel e descendo os Campos Elísios de gatas e aos guinchos, cobertos de percevejos e trapos. Ao perguntar ao Monsenhor Moreira das Neves acerca das grutas que envolvem a torre respondeu, sempre a catar migalhas



- De certeza que há mas talvez não sejam assim tantas, para aí umas trinta



e aí temos o motivo de eu não gostar de Paris: imagine-se um leproso atrás de nós a pedir esmola, incapaz de apanhar migalhas porque não tem dedos e refugiando-se depois nas savanas dos Campos Elísios, onde o padrinho exemplar e esmoler lhe oferecia bavaroises e canards à l'orange, que são o equivalente de pão da véspera para nós, a fim de o aliviar das torturas da fome, acrescentado do folheto Preparação Para a Primeira Comunhão, destinado ao ensinamento salutar das almas transviadas. O folheto Preparação Para a Primeira Comunhão ofereceu-mo o senhor Cónego, repleto de ordens úteis: não comer nem beber depois da meia noite para não misturar Jesus com o rosbife, vestir a melhor roupa mas com mangas compridas dado que Deus odeia a carne ao léu, receber a hóstia sem lhe tocar com os dentes



(muita atenção a este ponto)



não a descolar do céu da boca com o mindinho, consentindo apenas que a saliva



(o termo cuspo não é da estima divina)



ajude Jesus a deslizar sem riscos até um estômago devidamente limpo



(estou a citar)



templo interior adequado à recepção da Graça. Para onde é que a Graça ia depois a Preparação não falava, mas presumia-se que não se puxava o autoclismo, no dia seguinte, enviando-a para o Tejo através dos esgotos da Cruz Quebrada: Jesus não era pessoa para trambulhar com o lixo e decerto que se elevava do estômago até à alma através de misteriosos tubos que possuímos cá dentro, destinados ao trajecto barriga-céu sem paragens intermediárias. À questão



- Onde é que eu tenho a alma?



o senhor Cónego elucidava-me designando o tecto com o queixo, para além do tecto o vizinho de cima que batia na mulher, estremecendo o lustre e, para além do vizinho de cima, que trabalhava de contrabandista, ajudando as hóstias a ultrapassarem a fronteira do telhado, a alma à espera de Jesus numa impaciência gulosa, unindo-se num abraço casto



(Não penses em porcarias, miúdo eu que não pensava em porcarias, me maravilhava só)



que nos colocava mais perto de uma eternidade de bem-aventuranças



(O que são bem-aventuranças? Tanta pergunta cansa-me)



cujo significado eu descobriria mais tarde



(Hás-de descobrir isso mais tarde)



quando a experiência da vida me ensinasse



(A experiência da vida há-de ensinar-te, garoto)



a distinguir subtilezas que a minha pouca idade me impedia de visionar



(Visionar quer dizer ver, pateta)



com a clareza que o Espírito Santo não deixa de conferir às pessoas honestas, característica que a avaliar pela generosidade das torradas da minha tia-avó e do seu espírito naturalmente bondoso



(naturalmente bondoso julgo que relacionado com a qualidade do chá Este chá é um primor, minha senhora)



eu herdaria certamente. É possível que tenha herdado o espírito naturalmente bondoso



(item número dezanove do seu testamento: ao meu sobrinho-neto lego o meu espírito naturalmente bondoso)



dado que nem um tostão abichei com a sua morte. Os outros apropincuaram-se com o dinheiro e os tarecos, mas o espírito bondoso já cá canta, só que até hoje não me rendeu fosse o que fosse, a não ser chamares-me



-Parvo



a cada passo e eu, humilde, a escutar-te, pensando se soubesse dizer-te o que sinto, se pudesse abrir o peito para tu veres lá dentro, e os postais ilustrados, os pombinhos, os bambis, os naperons, as rolas, a tralha toda com que te afoguei ao princípio da crónica, tu, aproveitando uma pausa, a comunicares-me



-Não esperes por mim para jantar



pondo, à pressa, mais perfume, visto que a buzina de um automóvel te chama da rua, e o Jorge é suficientemente impulsivo para nos entrar casa dentro.''



(publicado na Visão)

 

Depois desta prosa, certamente inferior à do Rev.Graça, só me resta dizer:
 

 

o Sr.Bispo devia propor a Maria da Piedade para poetisa oficial da Diocese 

 

 

Miguel Abrantes, ex-católico, actualmente templário e rosa-cruz, além de Comendador do 33º Grau da Venerável Loja Raul Rego do antigo rito escocês 



publicado por porabrantes às 19:40 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

a nova candidata a estrel...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds