Quarta-feira, 25.04.18

franco Xarais.jpg

Nestas memórias o tenente-general Franco Xarais traça o seu percurso do PREC, onde como homem dos ''Nove'' foi decisivo.....

Há referências abrantinas, designadamente a deportação de soldados e oficiais milicianos para o RI2 por conotados com o golpismo otelista.

Entre eles um certo Ferro Rodrigues

xarais 2.png

 Há  ainda outras referências abrantinas designadamente a um ''golpe dos coronéis'' que a esquerda otelista atribuía aos oficiais dos ''Nove''.

Finalmente Xarais foi Comandante da Região Militar em que se integrava o RI2 e Santa Margarida.

mn 



publicado por porabrantes às 13:07 | link do post | comentar

Quarta-feira, 26.10.16

O Féfé deu uma entrevista ao Expresso, a armar em estadista, repescamos do nosso arquivo umas coisas que o Presidente da Assembleia da República não esclareceu:

 

''Curriculum de Ferro analisado à lupa

Contemporâneo de faculdade contesta menções, datas e omissões

7 de Fevereiro de 2008 às 15:45 Judite França

0

O curriculum de Ferro Rodrigues esteve esta quinta-feira a ser examinado à lupa, no processo de difamação interposto pelo ex-ministro contra Ferreira de Sousa, no âmbito da Casa Pia. Nesta segunda sessão de julgamento foram ouvidos Joaquim Aguiar e Ramos Silva, colegas de faculdade dos tempos de juventude de Ferro e Ferreira de Sousa, agora presidente do Centro Interdisciplinar Estudos Económicos. Ferro recusa ter exercido «pressões» O processo remonta a 2004, quando Ferreira de Sousa disse, ao Correio da Manhã, que o então ex-ministro do Trabalho sabia dos abusos praticados na Casa Pia, e acusou-o de ser «um grande mentiroso», «inapto para qualquer cargo público». O economista garante que em 1994 contou a Ferro, Paulo Pedroso e Vieira da Silva, que Osvaldo Moleirinho, antigo funcionário do CIDEC, tinha-lhe contado ter sido abusado sexualmente na instituição, enquanto foi lá aluno. Segundo Ferreira de Sousa, Ferro Rodrigues mente, quando alegou desconhecer o que se passava na Casa Pia, e mente ainda «no seu passado e no seu curriculum». A sessão desta quinta-feira decorreu com a audição de testemunhas arroladas pela defesa na tentativa de provar que o ex-ministro do Trabalho não foi presidente da Associação de Estudantes do ISEG, no ano lectivo de 1969/1970, facto mencionado numa biografia publicada no site do PS e num artigo do Público. Joaquim Aguiar, assessor político de Ramalho Eanes e Mário Soares em Belém, foi contemporâneo do arguido e de Ferro Rodrigues, no ISEG, e garantiu ao tribunal que o ex-líder do PS não ocupou a presidência da associação de estudantes nesse ano «marcante» para o movimento estudantil. «Foi Ferreira de Sousa quem liderou a associação». Para Aguiar, esta diferença no curriculum é tão grave quanto a ausência de menção ao 25 de Novembro de 1975. «Foi difícil ganhar o 25 de Novembro. E houve quem ganhasse e quem perdesse», disse, referindo-se a Ferro Rodrigues que, segundo Aguiar, a prestar serviço militar no quartel de Abrantes, optou pelo «Documento COPCON», que defendia o poder popular. Ferro Rodrigues foi de facto líder dos estudantes, mas só no ano de 1971/72, quando o primeiro embate dos estudantes contra a forma como as aulas eram leccionadas tinha sido já alterada. Questionado sobre se a biografia poderia ter sido alterada propositadamente, fazendo «aproveitamento político» desta referência, Joaquim Aguiar diz não ter conhecimentos sobre a questão, mas garante que «as operações de cosmética são normalmente feitas ao espelho» - e que a «maquilhagem», usada no curriculum para «recriar o ambiente da época», é «sempre vista pelo próprio». Porque para Joaquim Aguiar «não é indiferente ser presidente entre 1969 e 1970 ou 71/72. Para interpretar estes 30 anos será fundamental» saber quem esteve na linha da frente nesse ano de 69. Questionado sobre se pode ter havido um engano nesta referência no curriculum, Aguiar afirmou que «a questão de 69 estava a ser escamoteada, como foi também a posição de Ferro Rodrigues no 25 de Novembro de 1975» ou mesmo a sua importância na criação da UGT. A defesa arrolou ainda outro colega dos tempos de faculdade, que fez parte da direcção da associação de estudantes com Ferreira de Sousa, garantindo que nessa época Ferro Rodrigues não estava à frente da associação. Joaquim Ramos Silva, professor universitário, admitiu também que «do ponto de vista histórico» estar na associação em 1969 é mais importante do que na década de 70. Nesta segunda sessão do julgamento, a defesa tinha arroladas como testemunhas, Saldanha Sanches e Maria José Morgado, mas os dois não foram notificados pelo 6.º Juízo Criminal de Lisboa por alteração de morada.''

 

devida vénia à TVI

 

mn

 



publicado por porabrantes às 22:19 | link do post | comentar

Terça-feira, 08.12.15

''Na noite de 24 de Novembro de 1975, enquanto os militantes do Partido Comunista, do Couço a Grândola enchiam as cartucheiras e aqueciam os motores das camionetas para vir participar na revolução, em Lisboa, juntamente com o Ralis, Copcon e os paraquedistas chefiados por sargentos, além dos civis a quem tinham sido previamente distribuídas armas, Eduardo Ferro Rodrigues, radical do MES, organizava os SUV (Soldados Unidos Vencerão) do Regimento de Infantaria n.º 2, de Abrantes, para rodar sobre a capital. Antes da meia-noite, e apesar da relação de forças favorável à instauração de uma ditadura do proletariado, o Politburo soviético ordena a Cunhal que pare e este, como sempre, obededece, com a garantia de Melo Antunes, do Grupo dos Nove, num encontro em casa de Nuno Brederode Santos (da fação moderada do MES), de que o PC não seria ilegalizado. Os russos já estavam satisfeitos com a independência de Angola, proclamada pelo MPLA em 11 de novembro de 1975, e não queriam abrir mais uma guerra civil, de resultado provavelmente funesto. A aventura de criar um reduto comunista na ponta da Europa ocidental havia terminado. A embaixada soviética em Lisboa evacuou cerca de uma centena de conselheiros deinteligência e militares e Cunhal recebeu, como prémio de obediência, aOrdem de Lenine. Ferro Rodrigues, Vieira da Silva e o seu grupo, continuaram no MES, cada vez mais radicalizado, apesar de progressivamente esvaziado por consecutivas dissidências  (...)''

 

Leia que é interessante

 

António Balbino Carreira no Portugal Profundo com a devida vénia

 

a redacção



publicado por porabrantes às 23:44 | link do post | comentar

Quarta-feira, 25.11.15

Tinha prometido publicar aqui a versão do dr.Ferro Rodrigues, na ''Sábado'', sobre o que se passou em Abrantes, durante as suas aventuras no PREC.

 

ferro rodrigues 25-n 19-25 novembro 2015.jpg

 

ferro rodrigues 2 25-n 19-25 novembro 2015.jpg

Já está publicada

 

Comentários:

Durante anos o dr. Ferro Rodrigues omitiu aparentemente esta passagem pelo extinto Regimento de Infantaria de Abrantes. O assunto foi abordado no Relatório do 25 de Novembro e em algum artigo disperso pela Imprensa Regional. Falta-me publicar um recorte que evoca essa presença, saído no ''Ribatejo''.

A coisa chegou a tanto que a jornalista Judite França, da TVI, 

judite frança.png

descreveu assim o testemunho de Joaquim Aguiar, prestigiado politicólogo e académico, ex-assessor de Eanes, enquanto Presidente, num julgamento :

judite frança aguiar.png

Por acaso o julgamento era daquela miserável história da Casa Pia em 2008.

Diz o dr.Ferro Rodrigues que o relatório do 25-N

ferro recorte.png

era muito mau......e que não tinha ponta por onde se lhe pegasse....

Ora não é isso que dizem as actas do Conselho da Revolução, onde inclusivamente Eanes tentou que o documento fosse publicado sem nomes, para não penalizar ninguém. A posição de Eanes (que já tinha visto o nome do cunhado, Neto Portugal ser penalizado no relatório do 11 de Março, ao lado de alguns abrantinos) não venceu no CR como as actas o demonstram. 

Ora que diga o Ferro Rodrigues que o relatório é mau, é contrariado pela Acta do Conselho da Revolução, onde fala o General Costa Gomes (então PR) e o General Eanes (então CEMFA)

acta do cr  2.png

O dr. Ferro Rodrigues argumenta que não sabe quem foi o responsável pelo Relatório do 25 de Novembro.

O homem anda desmemoriado.

O relatório foi da responsabilidade de Marques Júnior, militar de Abril, depois deputado do PRD e do .......PS!!!!!

marques júnior joao henriques.jpg

foto João Henriques/Público

 

Pode haver lapsos no relatório, mas Ramalho Eanes e Costa Gomes não mandavam prender Otelo, com base nele, se o relatório não fosse sério.

Sobre o tenente-coronel Pulguinhas, volto a dizer que o homem parece que assinou o documento dos Nove.

Escrever a história ao contrário é impossível, foi o que explicou Vasco Lourenço ao Tomé, nesta edição da Sábado.

Falta-me contar a intervenção do Zé Bioucas no desarmamento dos golpistas cá no concelho, mas fica para depois. Também tenho amigos à espera no Tonho Paulos.

Porra, e agora que arranjei as Actas do Conselho da Revolução tenho leitura para meses.

 

ma

Acta do Conselho da Revolução de 19 de Janeiro de 1976   

  

 



publicado por porabrantes às 17:24 | link do post | comentar

Segunda-feira, 23.11.15

 

Na última Sábado o célebre Féfé , mais o tenente-coronel Casaca Pulguinhas, prodigalizam-se em explicações atabalhoadas sobre a sua participação no 25 de Novembro de 1975, nesta cidade.

Vou publicar aqui o recorte.

Mas antes disso, recordar o artigo do jornal Página Um, onde escrevia Mário Semedo, que noticia o envio de vários oficiais ao CSD

 

 

 

 

 

pulguinhas 3.png

31 de Março de 1977

 

O Página Um encontrava-se ligado ao PRP-BR

 

O envio dos ditos oficiais ao Conselho Superior de Disciplina foi feito na sequência da derrota da esquerda militar no 25 de Novembro, às mãos de Eanes, Vasco Lourenço (Governador Militar de Lisboa) e da santa aliança PS/Grupo dos Nove

 

Pelas declarações do Senhor Tenente Coronel Pulguinhas à Sábado parece que figura entre os vencedores ao contrário do que diz o Relatório do 25 de Novembro, acontecimento que agora nos querem impingir que não existiu.

 

mn

 

era director do Jornal o caríssimo dr. Jorge Fagundes

  



publicado por porabrantes às 11:54 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26.10.15

relatório 25 de Novembro 2.jpg

 

alcobia.png

alcobia 5.png

Enquanto isso

 

chão.png

 Como consta nos jornais da época foi detido o Vereador do PCP Afonso Campante

 

Como consta no relatório do 25 de Novembro de 1975, aqui publicado,

 

 

sobre o assunto: http://porabrantes.blogs.sapo.pt/o-final-do-prec-1977691

 

e mais coisas dispersas pelo blogue

 

http://porabrantes.blogs.sapo.pt/capitao-ferrao-presente-2044090

 

http://porabrantes.blogs.sapo.pt/1427655.html

 

créditos a

relatório 25 de Novembro 2.jpg

II Volume, Ed. Abril, Coimbra 1976 

 



publicado por porabrantes às 18:33 | link do post | comentar

Sexta-feira, 23.10.15

 

 

A escolha do P. da Assembleia, nº 2 da hierarquia do Estado, faz-nos recordar um velho vídeo. Vejam-no. Tirem conclusoes e verão onde chegámos

 

 

mn

 

 

 

 

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 18:46 | link do post | comentar

Sábado, 04.04.15

Luis Bairrão enquanto dirigente da CAP, (ao lado do Casqueiro,) combateu isto

 

alvega 5.png

 a tentativa de usar a palavra  Reforma Agrária para montar uma insurreição comunista ou esquerdista que transformaria Portugal na ''Albânia da Europa'' como diria Mário Soares.

Ou numa Bulgária, como disse Jaime Gama.

E certamente aplaudiu a contra-reforma agrária de António Barreto e do CDS, que num dizer dum dirigente do CDS no Parlamento era ''devolver a terra a quem a tinha'' ou seja combater o latrocínio.

Transformar Luís Bairrão num menino de coro da ''sociedade civil'' é próprio dos construtores(as) de hagiografias.

Foi Luís Bairrão fiel aos seus interesses de classe?

Foi.

Por isso lhe tiramos o chapéu.

E também foi fiel aos interesses de Portugal, ajudar a liquidar a escória gonçalvista, entre a qual se encontrava alojado no Quartel de Abrantes, Ferro Rodrigues, que queria albanizar Portugal.

Se a Hália e a Céu não perceberam isto, não perceberam nada.

Se  a Hália e a Céu querem esconder isto, para ''melhorar a realidade'', era melhor terem contratado o historiador Gaspar.....

gaspar baloes.png

mn



publicado por porabrantes às 16:36 | link do post | comentar

Segunda-feira, 09.03.15

e visa António Costa. AG era um dos seguristas mais importantes

 

galam.png

quem são os deputados com avenças????

algum dia damos uma dica

ma

 



publicado por porabrantes às 22:16 | link do post | comentar

Terça-feira, 23.09.14

Hoje ao ver a cara do golpista comunista no RI 2, Ferro Rodrigues com Maria do Céu Albuquerque, lembrei-me como terminou o último processo político-militar que teve a ver com Abrantes.

 

 

TEXTO :

Despacho conjunto n.º 409/2003. - Nos termos do disposto na Lei n.º 43/99, de 11 de Junho, regulamentada pelo Decreto-Lei n.º 197/2000, de 24 de Agosto, com as alterações introduzidas pela Lei n.º 29/2000, de 29 de Novembro, precedendo reconhecimento, pela competente comissão de apreciação, do direito à reconstituição da carreira, é promovido ao posto de tenente-coronel o major INF, na situação de reforma, 50134911, António Casaca Pulguinhas. Com a aplicação dos citados diplomas compete-lhe a seguinte antiguidade: Tenente-coronel, com a antiguidade de 13 de Abril de 1989. Fica posicionado na escala de antiguidade da sua arma à direita do tenente-coronel de infantaria NIM 03543664, Horácio da Silva Ferreira. Considerando a antiguidade no posto de tenente-coronel, 13 de Abril de 1989, e a data desde quando foi desligado da efectividade do serviço pela passagem à situação de reserva por limite de idade, 9 de Janeiro de 1993, tem direito à remuneração pelo posto de tenente-coronel no 2.º escalão, índice 385, nos termos do n.º 2 do artigo 15.º do Decreto-Lei n.º 57/90, de 14 de Fevereiro. Os efeitos financeiros da presente correcção produzem-se em conformidade com o estabelecido no artigo 4.º do Decreto-Lei n.º 197/2000, de 24 de Agosto. 16 de Abril de 2003. - A Ministra de Estado e das Finanças, Maria Manuela Dias Ferreira Leite. - O Ministro de Estado e da Defesa Nacional, Paulo Sacadura Cabral Portas.

 

O Senhor Tenente Coronel foi um bravo defensor da civilização ocidental e cristã em Angola, nos Comandos, unidade entre cujos homens carismáticos estava Gilberto Santos e Castro. Quanto ao resto fica para outro dia

 

Aqui fica se alguém quiser fazer a história disto

 

ma



publicado por porabrantes às 19:36 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Bibliografia Abrantina : ...

Féfé no Prec

Na noite de 24 de Novembr...

Ferro Rodrigues e o 25 de...

Casaca Pulguinhas no 25 d...

A visita de Ferro Rodrigu...

A dignidade do Estado

Luis Bairrão

António Galamba ataca Fer...

O final do PREC

arquivos

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Novembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds