Segunda-feira, 22.08.16

De vento em popa



publicado por porabrantes às 20:33 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.07.16

Ciganos montam nova cena de pancadaria em Tomar com militares. PSP tem de disparar para o ar. Dois feridos, um grave, transportados para o Hospital de Abrantes.

 

Donde vieram os ciganos que mal-vivem no Flecheiro? 

 

Em parte de Abrantes......(Sequeira, 2014)

 

Quanta pessoas desta etnia ocupam ilegalmente terrenos no Flecheiro? Os terrenos são da CMT e privados.

 

 flecheiro.png

 

(Sequeira,2014)

 Há uma Associação de Ciganos tomarenses que junta 30 pessoas, incluindo de outras localidades a ACMET, que já vai no 5º projecto de integração.(Sequeira,2014)

 

A autora deste estudo tentou reiteradas vezes falar com o Presidente para saber qual a situação e não foi recebida. O autarca nem sequer a remeteu para o responsável de urbanismo que  agora é o Serrano,de triste memória abrantina, onde permitiu o aumento das barracas ilegais.

Rui Serrano.jpg

As barracas que o Serrano e a Anabela deixam manter-se  são assim:

barraca serrano.png

 

 Foto tese citada/ ACMET, (Sequeira,2014)

 

Não há saneamento básico, nem água nas casas, segundo dizem os ciganos à Autora citada.

 

Os ciganos declaram à Autora que estão bem integrados em Tomar, mas os últimos incidentes a tiro desmontam estas opiniões.

Os ciganos acusam a autarquia de os tratar mal.

 

Os comerciantes de Tomar, segundo eles, colocam sapos à entrada das lojas para assustar os ciganos.(Sequeira,2014)

 

45% dos tomarenses não-ciganos, inquiridos pela investigadora, já teve conflitos de vizinhança com os ciganos.

 

Os não-ciganos não encontram quase nenhum aspecto positivo na cultura cigana

cultura cigana.png

 

imagens Sequeira, Mónica Boggio

 Exclusão sócio-espacial dos ciganos de Tomar, tese de Mestrado em População, Sociedade e Território disponível em http://hdl.handle.net/10451/23043

 

 

É lamentável a recusa da autarquia de Tomar em não querer abordar o assunto, como diz a Autora.

 

Nota: a autora  não especifica a taxa de população prisional existente entre ciganos provenientes do Flecheiro, nem  estatísticas sobre a criminalidade desta comunidade.

ma

 



publicado por porabrantes às 15:57 | link do post | comentar

Segunda-feira, 14.09.15

Diz a Hertz que foi adiado sine die o julgamento do Pascoal do Flecheiro.

Moral da História. isto não é justiça, isto é um caracol.

 

ma   



publicado por porabrantes às 21:31 | link do post | comentar

Domingo, 13.09.15

A notícia dada pelo Tomar na Rede acerca do julgamento do Pascoal, em Santarém,

pela morte de Cristiano Lopes e Carlos Andrade, suscitou vários comentários nesse

blogue, incluindo um de familares dum dos mortos. Transcrevem-se com a devida

vénia:

 

5 comentários:

  1. Que se apure toda a verdade e se faça justiça

    ResponderEliminar
     
     
  2. Que o cigano vá preso, merece.

    ResponderEliminar
     
     
  3. Que Justiça seja feita por a morte do meu primo Cristiano e seu amigo Carlos e por os ferimentos do João...Que esse Pascoal já não possa andar a passear por as ruas de Tomar e rir se na cara das nossas famílias....Senhores Juízes não sejam como muitos da Autoridade e não tenham medo dos Ciganos

    ResponderEliminar
     
     
  4. Que Justiça seja feita por a morte do meu primo Cristiano e seu amigo Carlos e por os ferimentos do João...Que esse Pascoal já não possa andar a passear por as ruas de Tomar e rir se na cara das nossas famílias....Senhores Juízes não sejam como muitos da Autoridade e não tenham medo dos Ciganos

    Responder

há mais que não transcrevo

 

Faça-se Justiça

 

mn

 



publicado por porabrantes às 19:43 | link do post | comentar

Sexta-feira, 11.09.15

'' Está marcado para dia 14 de setembro, segunda feira, no tribunal de Santarém o julgamento de André Pascoal, morador no Flecheiro acusado de ter responsabilidades na morte de dois jovens de Tomar num despiste há quatro anos em Valdonas.
Na madrugada de 4 de setembro de 2011 Cristiano Lopes de 20 anos e Carlos Andrade de 19, perderam a vida quando o carro em que seguiam embateu violentamente num muro. Os dois jovens vinham da festa da Serra e estavam a ser perseguidos por outra viatura conduzida pelo único arguido.'' (...)

 

No Tomar na Rede com a devida vénia

 

A Justiça está para fazer-se há  4 anos, e graças às reformas da Paulinha Teixeira da Cruz foi sendo adiado o julgamento.

templário.jpg

 O Templário

 

Nenhum dos partidos em liça foi visitar os sedentários.

 

Não sei se a Pastoral Cigana se vai constituir assistente, para defender o '' André Pascoal, morador no Flecheiro ''

 

mn



publicado por porabrantes às 14:44 | link do post | comentar

Sexta-feira, 13.03.15

 

 

Esclarecimento do Município de Tomar:

 

 

''Face a especulações vindas a público, relativas à atribuição de subsídios a duas Associações, tomadas na reunião de Câmara de Tomar em 11 de março, entende o Município prestar os seguintes esclarecimentos:

1 – O Município de Tomar é entidade detentora de um corpo de bombeiros misto, nos termos da lei;

2 – Os corpos de bombeiros mistos, são aqueles que são compostos por trabalhadores da entidade (neste caso o Município) e por voluntários;

3 – Atualmente são funcionários do Município 33 bombeiros (incluindo o comando) e mais 43 voluntários (sem qualquer relação de trabalho com o Município);

4 – Durante mais de uma década o Município manteve com uma entidade de direito privado associativo, a Associação de Bombeiros (ACDBBT), uma relação nos últimos anos protocolada, a qual garantia, entre outras matérias, a comparticipação do Município para o chamado "Fundo social do bombeiro", visando este a comparticipação de um conjunto de despesas sociais tidas com os seus associados – todos os bombeiros atuais e anteriores do corpo de bombeiros de Tomar;

5 – Tal protocolo foi terminado já este ano, de comum acordo entre as duas entidades, tendo sido deliberado na reunião de 18 de fevereiro a sua revogação;

6 – A Câmara Municipal, na sua reunião de 11 de março, deliberou atribuir subsídios, a exemplo do que já havia feito na reunião de 18 de fevereiro, a duas associações de cariz distinto: à Liga dos Amigos dos Bombeiros e ao Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Município (CCD);

7 - Com o CCD foi aprovado um protocolo de colaboração, na reunião de Câmara de 18 de fevereiro, revogando anterior deliberação de Câmara de 2009;

8 – Face às dúvidas dos vereadores sobre todas as questões de tramitação processual, orgânica e legal, que esta atribuição de subsídios suscitava, dúvidas que anteriormente não haviam sido levantadas, a senhora presidente entendeu dar as devidas explicações em reunião privada com os senhores vereadores, como é hábito fazer-se nestes casos, sem a presença de jornalistas, tendo ainda passado estes pontos para o final da reunião;

9 – Dadas em privado todas as explicações pretendidas pelos senhores vereadores, foi de novo retomada a reunião, na sala das sessões, tendo sido a atribuição dos subsídios aprovada por unanimidade, sem quaisquer declarações de voto;

 

Assim recorda-se que:

- A atribuição de subsídios ao Centro Cultural e Desportivo dos Trabalhadores do Município decorre ao abrigo do determinado na alínea p) do nº1 do artigo 33º do Regime Jurídico das Autarquias Locais, o qual estipula que é competência da Câmara Municipal "deliberar sobre a concessão de apoio financeiro ou de qualquer outra natureza a instituições legalmente constituídas ou participadas pelos trabalhadores do município, tendo por objeto o desenvolvimento de atividades culturais, recreativas e desportivas, ou a concessão de benefícios sociais aos mesmos e respetivos familiares";

- A atribuição de subsídios à Liga dos Amigos dos Bombeiros de Tomar, como anteriormente à ACDBBT, decorre ao abrigo do determinado na alínea u) do nº1 do artigo 33º do Regime Jurídico das Autarquias Locais, o qual estipula que é competência da Câmara Municipal "apoiar atividades de natureza social, cultural, educativa, desportiva, recreativa ou outra de interesse para o município(…)".

 

Neste contexto, mais se esclarece que:

- A presidente da câmara de Tomar não contorna a lei para pagar horas extraordinárias a trabalhadores do Município, uma vez que todos os meses, no decurso do trabalho operacional excecional, há lugar ao pagamento de trabalho extraordinário a todos os trabalhadores do Município, em serviço dos bombeiros;

- A presidente não escondeu qualquer assunto colocado na ordem do dia, do escrutínio público, nem nada foi deliberado em privado, nem há qualquer artimanha, repudiando o Município totalmente este tipo de expressões, uma vez que as deliberações foram tomadas no decurso da reunião, conforme já explicado;

- Não efetua o Município pagamento de trabalho de bombeiros voluntários, uma vez que existe apenas o reforço do apoio social, através nomeadamente do financiamento do "Fundo social do bombeiro", no cumprimento dos objetivos estatutários da Associação de Bombeiros (ACDBBT) e da Liga dos Amigos dos Bombeiros e que estas atribuem da forma que entendem como mais correta e adequada.

 

Face a tudo o exposto, o Município de Tomar reafirma a sua situação de total empenho na valorização das condições sociais de todos os seus trabalhadores, tendo por isso reforçado através de protocolo o apoio a estes através do CCD, na política global de valorização dos trabalhadores e das suas famílias que vem prosseguindo.

Reafirma ainda o Município que continuará a apoiar ou a Associação de Bombeiros (ACDBBT), através de novo protocolo que venha com esta a firmar e/ou a Liga dos Amigos dos Bombeiros de Tomar, uma vez que quer uma, quer outra instituição têm como fins estatutários desenvolver e apoiar socialmente os cidadãos bombeiros que, na sua vertente de voluntariado, colocam permanentemente a sua vida e o descanso das suas famílias em segundo plano, na execução de missões em prol de toda a comunidade.

Nem nunca a legalidade esteve em causa na atuação do Município, nem nunca nenhuma das associações citadas se furtou à entrega de quaisquer documentos de contas perante este ou, pelo que sabemos, se inibe a regulares auditorias, às quais estão sujeitas, a exemplo das autarquias e demais entidades públicas.''

 

 

na página da CMT

 

a) O Vereador Pedro Marques disse à Hertz que a P Judiciária andara pelos Bombeiros e que era melhor fazer uma auditoria

hertz.jpg

Hertz com a devida vénia

 b) As reuniões dos executivos são públicas e se a Anabelas Freitas queria dar esclarecimentos era mister dá-los em público.

c) O Rui Serrano como Vice-Presidente de Abrantes sustentou uma maioria acusada, pela Inspecção,. de pagamentos ilegais aos bombeiros

abrantes.JPG

 

d) Quem falou em artimanhas foi o Mirante. Estranha-se que a Presidente não seja capaz de confrontar o Mirante com a acusação.

e) O que se passa nas reuniões deve ser traduzido numa acta, estamos em meados de Março e só há uma acta on-line em Tomar, onde a Anabela se dedica a lançar infâmias sobre a Oposição acerca da atribuição de casas a ciganos. A propósito parece que há um grupo de ciganos abrantino, que graças a este boato, está a pensar ir acampar pró Flecheiro, em buscas de casas.

ciganos.png

acta nº 1 da CM Tomar 2015

f) Apoiamos a emigração cigana para Tomar, mesmo que queiram montar um Flecheiro 2 na Mata dos Setes Montes com vista pró Convento de Cristo e pró Serrano, apoiamos vivamente e inclusivamente apoiamos a cedência da mediadora cigana através de protocolo. Se cedemos o Serrano aos nabantinos, porque não havemos de ceder a mediadora?

g) Como se sabe em Tomar há escolas só para ciganos, o Jonh Vorster tinha aulas só para zulus

h)Entretanto a Tânia e o Prudêncio Canhoto vão perorar aqui. Espero que não ataquem a politica racista separar de criancinhas . O encontro é em Lisboa, porque será que o programa está em inglês e não em romani???

 

 

mn

o Serrano foi cedido aos tomarenses através de protocolo assinado entre o PS de Abrantes e o de Tomar

 

 

 


publicado por porabrantes às 17:33 | link do post | comentar

Segunda-feira, 14.04.14
a Hertz falou aqui do acontecimento http://radiohertz.pt/?pagina=noticias&id=15261
entretanto uma ''cidadã'' do Flecheiro (a ''reserva'' local) acaba de irromper nos Paços do Concelho e monta escândalo
''

A reunião da Câmara Municipal de Tomar foi interrompida, nesta segunda-feira, de forma abrupta, por uma cidadã, que ameaçou «fazer um escândalo» caso não ouvissem aquilo que tinha para dizer. E a verdade é que conseguiu mesmo os seus intentos uma vez que Anabela Freitas, presidente da autarquia, saiu da sala, acompanhada pelo vereador Hugo Cristóvão, e encaminharam a munícipe, residente no acampamento do Flecheiro, para outro espaço do edifício.

 

Apesar disso, ficou claro que se tratou de uma reclamação relativa às condições, ou falta delas, no referido aglomerado, sendo que a cidadã prometeu mesmo que iria regressar a uma futura reunião de Câmara para fazer ouvir a sua voz.''

 

Rádio Hertz

 

Os nossos comentários são óbvios:

 

a) Devem ser distribuídas armas de fogo  e dados cursos de defesa pessoal não só aos edis mas também ao Senhor Freitas

b) Deve ser requisitada à Polícia Municipal de Coimbra o seu comandante que tem longa experiência de apadrinhamento da integração cigana

c) Se a situação se agravar o Serrano vai pedir auxílio aos capacetes azuis, à Embaixada russa para que o Putin anexe o Flecheiro e em último caso requisita a D.Telma às autoridades abrantinas;

 

 

entretanto releiam um velho Mirante
foto
(...) '' Uma operação que se revelou um êxito total mas para a qual foram necessários cerca de 200 homens. Só assim. O comandante distrital da PSP afirmou que a “operação Condor” foi delineada para que quem mora no Flecheiro “saiba quem manda”. “Não podíamos admitir que a polícia não conseguisse já entrar no bairro”, disse, admitindo que “esticaram a corda ao máximo, mas sem a partir”.
As famílias do Flecheiro estão agora mais fragilizadas. Todo o poderio fornecido pelas armas foi por água abaixo. Mas, como afiançaram alguns moradores mais próximos do local, é tudo uma questão de tempo. “Isto só se faz uma vez ao ano, dando-lhes tempo para arranjarem novas armas e se reforçarem”.
O comandante da secção da PSP de Tomar, Lopes Martins, admite ser difícil gerir uma situação como a do Flecheiro, mas não há que ignorá-la. Afinal, quer se queira quer não, as famílias ciganas do Flecheiro fazem parte da comunidade de Tomar. 
O comissário, regressado à cidade há pouco mais de um mês, tenta conciliar os dois lados da barricada, arranjando interlocutores que sirvam para mediar os conflitos entre ciganos, comerciantes e autarquia. “Estamos a tratar desse assunto e parece-me que vamos consegui-lo” diz, sem querer levantar mais a ponta do véu.
Uma coisa o comissário garante – se continuar a haver “desvios comportamentais” na comunidade cigana de Tomar a polícia deixa de fazer um policiamento pró-activo para passar a fazê-lo de forma “reactiva”. Isto é, ou se começam a portar bem ou volta a carga policial ao Flecheiro.
O comandante distrital Levy Correia sabe que no Flecheiro vai haver sempre “uma luta permanente entre o bem e o mal” porque a polícia não tem capacidade para fazer cercos diários ao bairro – “aí estaríamos a dar-lhes mais importância em detrimento dos outros cidadãos que vivem na cidade”.
Nos próximos tempos, a comunidade de Tomar pode respirar de alívio. Depois volta tudo ao “normal” no Flecheiro, pelo menos até outra força de 200 polícias carregar sobre o local. Até quando vai durar esta pescadinha de rabo na boca? (...)

Margarida Cabeleira
http://semanal.omirante.pt/index_access.asp?idEdicao=70&id=3509&idSeccao=658&Action=noticia
Isto era em 2003 e 11 anos depois está tudo igual.....
Entretanto o PS de Tomar anda à procura dum socialista com tomates suficientes para dizer isto:
suzy


publicado por porabrantes às 17:31 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Centro de negócios do Fle...

Os ciganos do Serrano

Assim vai a justiça

O Pascoal do Flecheiro e ...

Pascoal do Flecheiro em j...

Ciganos de Abrantes talve...

Flecheiro, o São Macário ...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds