Sexta-feira, 13.04.18

''A  bastonária da Ordem dos Enfermeiros denunciou que num hospital, doentes ficaram à fome e sem tomarem a medicação durante dois dias. "Faltam enfermeiros e faltam recursos. Falta material, falta pessoas para darem de comer a estes doentes, e portanto chegam-nos relatos de doentes que estão a aguardar e que estão em observação e que não comem há dois dias ou há serviços que estão com uma afluência tão grande que não há ninguém para trazer os medicamentos. E isto é próprio de um país de terceiro mundo", criticou Ana Rita Cavaco.

 

Inquirida pelo Público, a bastonária explicou que já tinha pedido satisfações ao conselho de administração do hospital em causa, preferindo não o identificar.''

https://www.sabado.pt/ciencia---saude/detalhe/hospitais-doentes-ficaram-dois-dias-sem-comida-e-medicacao

 

na Sábado 


tags:

publicado por porabrantes às 11:38 | link do post | comentar

Quarta-feira, 15.06.16

elefante branco.png

aqui com a devida vénia

 

paquidermes.png

(outro excerto)

 

E nós temos de pagar com os nossos impostos os delírios da oligarquia. E a Câmara da Ponte de Sôr vai fazer outro irado comunicado contra o sr. Francisco Ferreira da Silva.

ma



publicado por porabrantes às 00:32 | link do post | comentar

Sábado, 23.04.16

Verdes apresentam proposta de reorganização hospitalar prá região

 

verdes 3.png

 

E em Tomar e Torres Novas volta-se a salientar que a maternidade estaria melhor num desses hospitais,porque mais modernos e por estarem no centro de regiões demograficamente mais fecundas.

 

No novo secretariado distrital do PS  os de Tomar parecem comungar nessa opinião.

 

ma

 



publicado por porabrantes às 09:41 | link do post | comentar

Sábado, 16.04.16

 

bloco hospitais.png

a moção vai datada de 15 de Abril e é uma crítica ao desempenho do CHMT e do Ministério da Saúde.

mn



publicado por porabrantes às 22:53 | link do post | comentar

Quinta-feira, 31.10.13

Aprovada por unanimidade na Câmara Municipal de ALCANENA

Moção de Censura

 

Considerando as recentes e graves atribulações a que foi sujeito um conterrâneo nosso, doente sinistrado, em estado grave e em coma, internado nos Hospitais da Universidade de Coimbra, que mesmo assim, em coma, foi transferido para o Hospital de Santarém após prévias conversações entre as duas Unidades Hospitalares, tendo ali sido recusado o seu internamento, alegadamente, porque tal Hospital não era o da sua área de residência.

 

Face àquela recusa do Hospital de Santarém, foi o doente encaminhado para o Hospital de Torres Novas que, apesar de ter muitas camas vagas, mas, porque não dispunha dos meios humanos técnicos indispensáveis ao tratamento do doente, foi também ali recusado o seu internamento e encaminhado para o Hospital de Abrantes.

 

Porque esta saga continuou, em Abrantes também foi recusado o internamento devido a falta de cama, tendo então o doente sido encaminhado para o Hospital de Tomar, onde terá ficado finalmente internado.

 

Sabe-se, segundo a comunicação social, que o doente, nestas quatro deslocações entre os cinco hospitais referidos, terá percorrido 262 quilómetros.

 

Desconhece-se quanto tempo foi perdido nesta inacreditável e irresponsável transferência hospitalar, mas acredita-se que foram muitas horas para ultrapassar tantos processos burocráticos.

 

Desconhece-se também se o estado clínico do doente foi agravado com todas estas entradas e saídas de hospitais, que nunca deveriam ter acontecido.

Face a toda esta falta de respeito pela integridade humana, agravada ainda pelo estado grave de saúde do nosso conterrâneo sinistrado, propõe-se a esta Câmara a aprovação desta Moção de Censura:

 

- Ao Ministério da Saúde, primeiro responsável pelo bom desempenho do Serviço Nacional de Saúde, garantido constitucionalmente, já que neste caso tal direito foi completamente escamoteado;

 

- Ao Hospital da Universidade de Coimbra, pela falta de cuidado na transferência do sinistrado, já que não foi obtida garantia de que a Unidade de destino – o Hospital de Santarém – era de facto a Unidade da sua área de residência;

 

- Ao Hospital de Santarém, pela falta de cuidado demonstrada nas conversações com os HUC, já que deveria ter sido esclarecida com exactidão se esse Hospital era ou não o Hospital da área de residência;

 

- Ao Centro Hospital do Médio Tejo que, por razões que a razão desconhece, obrigou ao transporte do doente, sublinhe-se novamente, em estado grave, do Hospital de Torres Novas para o de Abrantes e depois ainda para o de Tomar.

É certo que todos nós sabemos que o Serviço Nacional de Saúde, desde há tempos tem vindo a ser descaracterizado com o encerramento de Serviços, com a entrega de Unidades Hospitalares ao sector privado, como se está a programar para breve em relação a uma série de Hospitais.

 

É certo que na situação em que vivemos, os critérios economicistas ultrapassam todas as regras de bom senso. Mas neste caso concreto nem economia existiu, face a tantos quilómetros percorridos com um doente em estado grave e ainda pelas horas gastas por inúmeros técnicos de saúde nesta vastíssima operação de despachar o doente.

 

Casos como o que aconteceu a este nosso conterrâneo são mesmo inadmissíveis, inaceitáveis e reprováveis.

 

Por tudo o que se acabar de relatar, eis a razão desta Moção de Censura que, salvo outra opinião, deverá merecer a aprovação unânime desta Câmara, independentemente de outras diligências que o desenvolvimento da situação possa vir a aconselhar no futuro e a curto prazo, sempre na defesa dos direitos e dos interesses do nosso conterrâneo e simultaneamente do Serviço Nacional de Saúde, que foi uma grande, se não a maior, conquista do 25 de Abril.

 

Alcanena, 24 de Outubro de 2013

 

O Vereador Independente

____________________________________

(Artur Simões Rodrigues)

 

Nota: Merecendo aprovação desta Câmara, deverá esta moção ser enviada às entidades nela referidas, à Assembleia Municipal de Alcanena, e igualmente às restantes Câmaras e Assembleias Municipais do Médio Tejo e da região, assim como à própria Comunidade Intermunicipal, informando de imediato a comunicação social regional.



(reproduzido de http://usmt.blogs.sapo.pt/379185.html  com a devida vénia)



Face a este alucinante caso o mínimo era demitir os responsáveis pelos Hospitais de Coimbra, Torres Novas e Santarém e ainda apurar as responsabilidades cíveis e criminais.....


A redacção 

 



publicado por porabrantes às 08:36 | link do post | comentar

Terça-feira, 12.10.10

Jornadas parlamentares em Santarém

PCP diz que portagens na A23 são “inaceitáveis”

11.10.2010 - 21:49 Por Sofia Rodrigues

A reorganização dos serviços de saúde no distrito de Santarém, feita em função de uma auto-estrada gratuita, é um dos motivos que leva o PCP a contestar a introdução de portagens na A23 (Scut que liga Torres Novas à Guarda).

O líder parlamentar, Bernardino Soares, lembrou isso mesmo hoje numa sessão com a comissão de utentes da A23 em Constância, no âmbito das jornadas parlamentares, a decorrer em Santarém. 

“Os hospitais de Torres Novas, Abrantes e Tomar dividem entre si as especialidades. Os utentes passam a pagar os custos das deslocações e portagens assim como os bombeiros”, sublinhou Bernardino Soares, lembrando que é discutido na quinta-feira o projecto de lei do PCP para revogar a introdução de portagens nas Scut do Norte do país.

“É do ponto de vista social, económico e de coesão nacional inaceitável e vamos tentar travar”, disse o dirigente comunista depois de ouvir as consequências da futura introdução de portagens na A23. 

António Ferreira, membro da comissão de utentes daquela auto-estrada, lembrou que a via “é uma das principais vias de escoamento de produtos” e que a estrada alternativa (a Nacional 3) foi integrada na auto-estrada em alguns troços, deixando as populações sem alternativa. 

Bernardino Soares, acompanhado pelos deputados Rita Rato e Miguel Tiago, ouviram também as queixas da população sobre os transtornos causados pelo encerramento da Ponte de Constância, em Julho, que obriga a atravessar o rio Tejo num pequeno barco ou a fazer um desvio de 40 quilómetros por estrada. 


in Público

 

Desta vez o PCP tem toda a razão.  Tiramos-lhe o capéu mas....

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 13:00 | link do post | comentar

Segunda-feira, 26.07.10

Saúde: Hospitais do Médio Tejo não cumprem ordens da Tutela

Hospital compra carros topo de gama

Administração hospitalar manda reduzir uso de medicamentos e número de tratamentos

  • 24 Julho 2010

Por:Cristina Serra

O Centro Hospitalar do Médio Tejo – que integra os hospitais de Abrantes, Tomar e Torres Novas – adquiriu este mês dois automóveis topo de gama para dois dos seis administradores, numa despesa total de 60 mil euros. A aquisição vai contra as ordens da ministra da Saúde, Ana Jorge, que em Maio deu indicações para que os hospitais públicos reduzissem a despesa em 50 milhões de euros, até ao final do ano. Uma das despesas a cortar era precisamente a aquisição de carros para os administradores.

Esta aquisição de duas viaturas ignora totalmente o despacho dos ministérios das Finanças e da Saúde de 29 de Junho, que manda "reduzir a despesa total com a frota automóvel, designadamente com as viaturas de serviço afectas aos administradores, relativamente ao valor executado em 2009."

A aquisição de carros topo de gama está a provocar profundo mal-estar nos funcionários hospitalares. Segundo apurou o CM, questionam a legitimidade da aquisição quando o "conselho de administração impõe medidas de restrição no uso de medicamentos, redução de enfermeiros e suspensão de tratamentos, como a proibição de aplicação de cardioversores implantáveis no serviço de Cardiologia". Os dois automóveis foram adquiridos em regime de aluguer operacional e entregues aos gestores a 21 de Julho. São da marca
, com equipamento de luxo, incluindo estofos em pele, bancos aquecidos, GPS e faróis automáticos. Cada viatura custa cerca de 30 mil euros.

Os dois gestores passam assim a dispor de carros de luxo de serviço, tal como já acontece com os restantes quatro administradores. Os seis administradores terminam o mandato em Outubro.

O CM pediu um esclarecimento à administração do CHMT, que não respondeu. O Ministério da Saúde diz "desconhecer a situação", mas irá "apurar, no âmbito da monitorização dos planos de redução da despesa dos hospitais".

in Correio da Manhã de 24 de Julho de 2010


Apresentamos ao Sr.Gomes Mor e aos restantes austeros membros do Conselho de Administração os nossos parabéns pela compra das ''bombas''. O Sr.Gomes Mor quando  for visitar os pobrezinhos e idosos do Centro Social Pegacho já poderá ir devidamente motorizado. Um político deve seguir os conselhos sábios da Rainha Vitória. Esta quando ia visitar a escória social punha sempre as melhores jóias. Censurada por um Ministro, calou-o com esta resposta: É falta de educação apresentar-me aos pobres mal produzida. Eles pagam-me para me verem  em grande plano.

Acabamos de verificar que o licenciado Gomes Mor e o resto do C.Administração dos Hospitais do Médio Tejo aprenderam a lição vitoriana.

 

Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 09:02 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.06.10

Médicos do SNS com licença

sem vencimento detectados a

trabalhar em hospitais do Estado

Por José Bento Amaro

Neuropediatra recebeu 480 euros por uma só hora de trabalho, revela auditoria do Tribunal de Contas


  • O Tribunal de Contas (TC) detectou, numa auditoria aos resultados do Centro Hospitalar do Médio Tejo (CHMT) relativa ao ano de 2008, que este conjunto de três hospitais (Torres Novas, Abrantes e Tomar) tinha, à altura, cinco médicos com quem foram celebrados contratos individuais de trabalho mas que, ainda assim, mantinham vínculo à função pública, uma vez que lhes havia sido concedida licença sem vencimento. Na prática, estes médicos melhoraram as respectivas condições salariais e, contrariando o que está disposto na lei, continuaram a beneficiar das regalias dos funcionários do Estado.

    Dando um exemplo dos gastos que são considerados exagerados relativamente às horas extraordinárias, o relatório do TC aponta o caso da especialidade de neuropediatria, a quem o CHMT pagou por uma hora de serviço extraordinário a quantia de 480 euros.

    A mesma auditoria conclui que o CHMT gastou, em 2008, mais de 3,8 milhões de euros em horas extraordinárias, sendo que esse valor correspondeu a 7,1 por cento do total dos custos com pessoal. Do dinheiro pago em trabalho extraordinário, 93 por cento foi para médicos. Apesar de o TC fazer referência aos elevados montantes despendidos no pagamento de horas extra, o documento ressalva, contudo, que nos dois anos anteriores este tipo de despesa foi mais significativa, tendo atingido valores percentuais de 8,1 por cento em 2006 e 7,4 por cento no ano seguinte.

    O relatório do TC tece igualmente considerações em relação ao conselho de administração do CHMT, considerando que o mesmo "não se tem revelado homogéneo, nem coeso, e é constituído por um número elevado de vogais [cinco] não justificado pela dimensão e complexidade do centro hospitalar".

    Outro dos aspectos analisados foi o número de reclamações dos utentes. "O elevado número de reclamações relativas aos comportamentos e relações poderá evidenciar uma deficiente formação do pessoal em técnicas de atendimento e de relacionamento com o público", refere o relatório. 

    Em 2008 terão sido apresentadas 455 reclamações, sendo que a maior parte (317) visou o serviço de urgência. O pessoal médico foi, na totalidade das valências analisadas, alvo de 321 reclamações. "Verificou-se que grande parte das reclamações sobre pessoal médico analisadas incidia sobre profissionais que exercem a sua actividade em regime de prestação de serviços e que muitas resultam da existência natural de assimetrias de informação na relação médico/utente que deveriam, no entanto, ser minimizadas pelo profissional médico", refere ainda o documento.

    Por fim, numa análise financeira ao CHMT, é referido que entre o período de 2006 e 2008 os resultados líquidos negativos ultrapassaram os 43,3 milhões de euros. Quanto às dívidas a terceiros, atingiam, no final de 2008, 37,6 milhões de euros a pagar a curto prazo e 4,9 milhões a pagar a médio e longo prazo.


    Nota: Contiuaremos a falar do Sr. (Dr. senão ofende-se) Gomes Mor. Agora pedimos à Chefa que o meta na ordem que uma gestão destas não se faz.
    Pedimos ao Tribunal de Contas uma auditoria ao Lar do Pego para ver se ele é administrado da mesma forma peculiar que os Hospitais do Médio Tejo.
    Pedimos ao Senhor Mor que devolva a medalha da Cidade porque  a medalha é dada a cidadãos exemplares e o Sr. Mor não fez uma gestão exemplar.
    Agradecemos ao Dr. Oliveira Martins ter um organismo público a auditar as instituições com a honestidade que o faz o Venerando Tribunal de Contas.
    O relatório de auditoria está disponível no site do Tribunal.

    Miguel Abrantes



publicado por porabrantes às 11:05 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

A fome nos Hospitais

Os Paquidermes brancos de...

Verdes apresentam propost...

Bloco critica Governo Cos...

Tratam-nos da saúde (2)

A verdade a que temos dir...

As bombas de Gomes Mor & ...

Público arrasa gestão de ...

arquivos

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Maio 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9




31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds