Domingo, 11.12.16

cónego coça a cabeça.jpg

O homem vai continuar a coçar os escassos cabelos, depois de descobrir que o Governo da Frente Popular ''só'' deu 149.441,09 € em isenções fiscais ao Centro Interparoquial e Social de Abrantes!

 

Comunistas!!!!!!

 

Enquanto isso o Centro do Rossio só apanhou 14.000 €......

O do Souto 1.132€

O CRIA nada !

A Santa Casa nada !

A Casa do Povo de S.Miguel nada!

 

 

abrantes inter.png

ma



publicado por porabrantes às 13:25 | link do post | comentar

sanches alves.jpg

A Fundação Clementina de Campos, que administra parte da herança Marques Ratão nas Galveias e que é presidida pelo Sanches Alves, de triste memória como Administrador Apostólico desta diocese, também apanha um generoso incentivo da Dona Geringonça

clementina.png

O Arcebispo Sanches deve estar na maior.

 

É uma pena não se ter candidato a Presidente da Junta das Galveias para administrar o resto da herança.

ma  



publicado por porabrantes às 12:43 | link do post | comentar

Celbi.png

 

É o bodo aos ricos e aos eucalipteiros

 

ma

 



publicado por porabrantes às 12:26 | link do post | comentar

carpego.png

No Observador

 

A multinacional com estes benefícios fiscais bem pode dedicar-se à caridadezinha natalícia. E continuar a pagar almoçaradas aos turistas térmicos

almoçaradas.png

 in site da poluidora

 

ma



publicado por porabrantes às 12:07 | link do post | comentar

Quinta-feira, 20.10.16

impostos.png

O país estava indignado contra um saque fiscal como agora, porque as geringonças não são coisas novas. Abrantes aderiu ao movimento, com António Farinha Pereira à cabeça....

Era 24 de Fevereiro de 1904

impostos 2.png

impostos 3.png

Os amigos políticos do maior armazenista de azeites da Ferraria esfregavam as mãos

impostos 4.png

impostos 5.png

Porque é que as obras de divulgação histórica sobre o movimento republicano abrantino não falam no descontentamento dos comerciantes locais com o ''saque fiscal'' e da forma como isso foi aproveitado pelo PRP.?

 

Certamente porque os autores não são marxistas, mas seminaristas. Qualquer pessoa sabe, mesmo sem ler o alemão, que a economia está na base dos movimentos de descontentamento social. 

 

Outra coisa, quais as casas comerciais de 1904 que continuam em actividade?

 

Aparentemente só a Ourivesaria Lemos, do Rómulo.

 

Mas não teve direito a medalha centenária. Esta terra não tem memória.

ma   

fonte. D.Ilustrado, jornal franquista



publicado por porabrantes às 09:10 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.06.15

 

 

'' f)- A MMP requereu ao abrigo do n.°. 26°. do (..), a isenção do pagamento do Imposto Municipal de Sisa que fosse devido pela aquisição de um prédio urbano, sito na freguesia do Tramagal, concelho de Abrantes; g)- O Ministério da Indústria e Energia informou que a actividade industrial em causa é de superior interesse económico e social;''  (..)

 

)- O concelho de Abrantes, a que pertence a freguesia do Tramagal, onde se encontra localizado o prédio em causa, constitui uma região economicamente das mais desfavorecidas;(..)

 

(..)q) Ao indeferir a isenção quando se encontravam reunidos os pressupostos legais, o acto do Ministro das Finanças ficou ferido de insanável ilegalidade;(...)

 

 

(..)

Por escritura outorgada em 31.3.1993, a Ite, por intermédio dos seus legais representantes, declarou adquirir, à Metanova - Comércio e Gestão de Imóveis, S.A., pelo preço de 400.000.000$00, um prédio urbano, situado em Coelheira, freguesia do Tramagal, concelho de Abrantes, descrito na Conservatória do Registo Predial de Abrantes sob o n.° 42.409, do livro B -107 e inscrito na matriz predial respectiva, sob o art. 1.489, com o valor patrimonial de 229.500.000$00. 2.- Em 27.1.1993, com relação à transmissão identificada em l., a Ite apresentou na RF de Abrantes/2'1 pedido de concessão do benefício de isenção do pagamento de sisa, por entender reunidos os requisitos impostos pelo n.° 26 do art. 11° do CIMSISSD.(--)

 

A decisão referida em 6. apoiou-se no entendimento de que o art. 11° n.° 26 do CIMSISSD pressupunha que a sociedade adquirente destinasse o imóvel ao exercício da sua actividade industrial, o que, na situação da Ite, não sucedia, porquanto a actividade seria exercida por outra empresa, a Tramagauto - Montagem e Fabricação de Automóveis, Lda. 8.- No dia 31.3.1993, por referência à aquisição identificada em l., foi efectuada a liquidação de sisa, na importância total de 40.000.000$00, que foi paga, pela Ite, na Tesouraria da FP de Abrantes, através do conhecimento n.° 81/920, da mesma data. 9.- Por documento escrito e datado de 1.4.1991, a Ite e a Tramagauto -Montagem e Fabricação de Automóveis, Lda., celebraram um contrato que intitularam de "Contrato de Montagem de Viaturas Automóveis", que se encontra junto a fls. 68/74 e que aqui se tem por na integra reproduzido. 10. Este documento, bem como cópia do pacto social da "Tramagauto", figuraram entre a documentação instrutória aludida em 4. 11.- Com data de 1.2.1991, por escrito, foi firmado o "contrato" junto a fls. 93 a 106, que aqui se dá por integralmente reproduzido, registando-se a presença entre os outorgantes da Ite (quarta) e da identificada "Tramagauto" (quinta). 12.- No contrato aponta-se que a Ite pretendia aumentar a capacidade de produção de veículos que comercializava, tendo para o efeito constituído a Tramagauto, sociedade que tinha como objecto a fabricação e montagem de veículos automóveis e acessórios e que era do interesse dos demais outorgantes associarem-se àquelas duas. 13.- Em 25.3.1991, foi outorgada a escritura de "cessão de posição contratual e alteração parcial do contrato de arrendamento", fotocopiada a fls. 107 a 111 e que se tem por totalmente reproduzida, de que resulta a decisão de cedência à "Tramagauto" da posição contratual de arrendamento do prédio urbano, composto pôr edifício fabril, situado no lugar e freguesia de Tramagal e inscrito na respectiva matriz predial urbana sob o art. l .489. 14.- A constituição da sociedade Tramagauto - Montagem e Fabricação de Automóveis, Lda., mostra-se registada pela Ap. 19/900717, com um capital de 500.000$00, detendo a aqui Ite uma quota no valor de 450.000$00 e sendo outra, de 50.000$00, da titularidade de um sócio (pessoa) individual. 15.- A gerência seria assegurada pôr entre um a sete gerentes, sendo a maioria obrigatoriamente designada pela sócia Mitsubishi Motors de Portugal, S.A. 16.- Pela Ap. 01/910422, entre o mais, foi registado o aumento do capital social da "Tramagauto" para 500.000.000$00, cifrando-se a quota (unificada) detida pela ora Ite em 375.000.000$00. 17.- Pelas Ap. 13/ 930707 e 14/ 930707 foram registadas a favor da Mitsubishi Motors de Portugal, S.A. cessões de duas quotas, na "Tramagauto", nos valores de 90.000.000$00 e 17.500.000$00.(..)

 

Todavia, tal unidade industrial viria a ser montada e explorada não pela impugnante mas por outra empresa cujo capital era propriedade da Mitsubishi em 75%. Impõe-se-nos, por isso, concluir pela falta de identidade de pessoas entre a impugnante e a entidade que iria montar a indústria pretendida, e, não obstante o capital desta pertença na sua totalidade àquela, não se nos oferece qualquer dúvida de que a personalidade jurídica de ambas as empresas é totalmente distinta.(...)

jap.jpg

'' Secretary of State of Entrepeneurship, Innovation and Competitiveness Carlos N. Oliveira (2nd from right), Takao Suzuki, Chairman of Mitsubishi Fuso Truck and Bus Corporation (2nd from left) and Jorge Rosa, President and CEO of Mitsubishi Fuso Truck Europe (right) and Alexander Müller, head of Sales & Marketing Mitsubishi Fuso Europe, with new Fuso Canter in Tramagal plant (Portugal)''

 

devida vénia a Daimler Media

 

entre aspas: acordão do TCA Sul de 17-6-2003, extractos seleccionados por nós, uma sentença impecável do ponto de vista jurídico....

 

os 40 mil contos da sisa foram receita municipal e ainda bem que não terminaram nos bolsos nipónicos, mas sim nos nossos!!!!

 

 

porque é que as multinacionais não gostam de impostos???

lembrem-se do caso da sisa da central do Pego......

 

é fácil  fazer caridadezinha ....e brincar à sociedade civil quando nos isentam de impostos

a redacção

 

 



publicado por porabrantes às 17:27 | link do post | comentar

Terça-feira, 28.04.15

1931 semana do mutualismo representaçao da ass.co

Representação da Associação Comercial de Abrantes na Semana do Mutualismo 1931. Foto o Século.

 

A extinção da ACA em 1931 foi em grande parte devida aos protestos desta contra uma subida de impostos desencadeada pelo governo da altura.

associaçao comercial de abrantes 1930.jpg

 Visita da ACA, em Fevereiro de 1930, ao Ministro das Finanças para protestar contra os impostos.Só reconheço o 3º à esquerda na primeira fila, é o político e comerciante  Manuel Lopes Valente Júnior

 

E também à política que se sentiu muito a nível local (devido aos esforços dos caciques da época) de liquidar todas as associações independentes.

 

Será um estudo a fazer noutro momento.  

 

Agradece-se a quem reconhecer os comerciantes não identificados, que dê uma ajuda

 

mn

fotos do jornal O Século, ANTT 



publicado por porabrantes às 13:53 | link do post | comentar

Sábado, 04.04.15

solano de abreu.jpg

 

distúrbios.png

Era Presidente do Sindicato Agrícola o latifundiário e escritor Francisco Eduardo Solano de Abreu.

Conta-o Nuno Madureira, A Economia dos Interesses, 2002

 

Aprendeu o governo da Formiga Branca que não podia aumentar as contribuições sem que o dr. Solano de Abreu montasse distúrbios que se estenderam a todo o país.

Nas biografias do Solano faltava isto, o retrato do agrário acossando um governo de palermas que roubava os portugueses.

Que mil Solanos floresçam ! é o nosso desejo pascal.

a redacção

devida vénia a Mao Tsé Tung  



publicado por porabrantes às 23:18 | link do post | comentar

Quarta-feira, 17.09.14

 

 

Entrevista à Administradora das Águas de Santarém

 

O Município diz a propósito das opções fiscais para 2015 que não tem margem para baixar impostos e taxas

 

No entanto faz-nos pagar dos preços mais caros da água do distrito e cobra taxas de esgoto a uma parte da população que não tem saneamento básico

 

Esta última cobrança é ilegal

 

Portanto ao menos arranje margem para deixar de cobrar taxas ilegais caso destas e das cobradas pelas fotocópias

 

Portanto ao menos dê exemplo de poupança, poupando nas viagens desnecessárias dos membros do Executivo, especialmente a Presidente

 

O PSD votou bem contra a manutenção da mesma política fiscal

 

A CDU votou mal....

 

Para que serve manter a actual margem de impostos, se parte desse dinheiro é desperdiçado em eventos que a CDU critica como o Creative Camp?

 

 

Ou a fazer obras, como novas escolas quando as do Centro da Cidade, serviam perfeitamente?

a redacção 

 

 

PS -Quem fica rica à custa dos nossos impostos é a Província das Doroteias

 

   

 

foto desviada ao Cidadão Abt (só agora é que nos lembrámos da origem) 

 

 

 

artista do Creative Camp retrato enriquecimento das Doroteias, é uma Doroteia anónima, não é a Madre Superiora disse-me uma antiga aluna



publicado por porabrantes às 17:51 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19.12.12

Está a ser amplamente distribuído nas redes sociais este documento, cujas conclusões fazemos nossas e anotamos:

 

 

IMPOSTO MUNICIPAL SOBRE IMÓVEIS A PAGAR EM 2013 EM ABRANTES
Para enquadrar, a lei determina que a taxa IMI a pagar pode variar de 0,3% a 0,5%, ficando ao critério de cada município o valor a fixar dentro deste intervalo. 
O concelho de Abrantes está rodeado por 8 outros concelhos e todos eles fixaram taxas de IMI inferiores, conforme a seguir se indicam.
Gostaria de saber qual o critério da assembleia municipal de Abrantes (entidade responsável para decidir a taxa de IMI a cobrar em cada ano), para que considere que os seus munícipes podem ser mais espoliados que todos os outros que nos circundam.
Perante a actual conjuntura de enormes dificuldades para a generalidade dos portugueses, qual o motivo que leva o município de Abrantes a não ter em linha de conta esse facto, mantendo a mesma taxa que no anterior, divergindo a sua decisão de todos os outros municípios vizinhos que resolveram baixá-la.
Alguns, talvez, o tenham feito pelas eleições autárquicas que terão lugar em 2013, outros por respeito pelos munícipes, em relação Abrantes terá sido desrespeito ou distracção, não se lembrando que há eleições em 2013. Quer tenha sido por um ou outro dos motivos elencados, pretende-se apenas informar o maior número de munícipes sobre esta situação, para quem tenha oportunidade confronte os autarcas. 
Em termos práticos, um contribuinte que seja proprietário de imóveis no concelho de Abrantes, irá pagar até 33,3% mais IMI que os habitantes dos concelhos vizinhos com taxa de 0,3% (5 concelhos), mais 14,28% que os habitantes dos concelhos vizinhos com taxa de 0,35% (2 concelhos) e mais 6,66% que os habitantes do concelho com taxa de 0,375%.
Taxas de IMI para 2013 (a incidir sobre o valor patrimonial dos imóveis)
Abrantes – 0,4%
Ponte de Sor – 0,3%
Gavião – 0,3%
Mação – 0,3%
Sardoal – 0,375%
Tomar – 0,35%
V. N. Barquinha – 0,35%
Constância – 0,3%
Chamusca – 0,3%
Um munícipe atento

 

 

A nota é : graças a estes impostos confiscatórios a CMA tem folga financeira para ''reintegrar'' estas criaturas

 

 

 

 

a redacção



publicado por porabrantes às 09:55 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Dia do Senhor: O Milagre ...

Dia do Senhor: Geringonça...

Geringonça dá 700.000 € d...

Benefícios fiscais à pega...

António Farinha Pereira c...

a Mitsubischi não é a mes...

Associação Comercial de A...

Solano de Abreu promove d...

Impostos a mais

Uma carga fiscal expoliat...

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10

21
22

23
24
25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds