Sexta-feira, 03.08.18

Sabemos muito pouco sobre a história da Oposição à ditadura em Abrantes. Boa parte do que se foi publicando, saiu neste blogue. Mesmo o que a Zahara publicou sobre o General Marques Godinho, foi em parte daqui retirado.

Aquilo que se publicou no blogue refere-se sobretudo à história da Oposição da campanha do General Delgado para cá (1958) e anda associado a nomes como o dr. Vergílio Godinho, dr.Orlando Pereira, dr.Correia Semedo, dr.José Vasco,

arq. Duarte Castel-Branco, drª Maria Fernanda Corte Real e Silva (que provavelmente teve mais importância entre 1960-1974 que muitos dos citados) e que com o marido passara já pelos cárceres da ditadura,  e que com Mário Soares e Salgado Zenha estivera na direcção nacional do MUD Juvenil.

Além disso fora clandestina nas redes do PCP.

Estas ligações propiciaram a que Salgado Zenha convidara o dr. Orlando Pereira para fundar o PS de Abrantes, em 1974, que ele recusou, por manter uma ligação ao PCP.

A história da Oposição nos anos 30 e 40 estava (e está por fazer) embora aqui se tenham evocado alguns nomes, como Fernando Farinha Pereira.

Saiu agora, da autoria da Drª Manuela Poitout, ''Raul Wheelhouse, médico, oposicionista e maçom - reviralho e maçonaria no Alto Ribatejo, ''publicado na revista Nova Augusta, nº29, que é um contributo muito importante para o estudo do ''reviralho'' na nossa zona e não só.

A autora, de créditos firmados na investigação regional, estuda o papel do prestigiado médico da Santa Casa sardoalense, na montagem (ou relançamento porque a informação que temos é que já havia outras redes maçónicas em Abrantes, a que esteve ligado por exemplo Diogo Oleiro) do Grande Oriente na região.

E o nome ao lado do médico que surge é o de Fernando Farinha Pereira

fernando farinha

A partir do triângulo 331 do Entroncamento, Farinha Pereira vai ficar responsável por montar a maçonaria em Abrantes.

No triângulo do Entroncamento vai filiar-se também o Alferes Lobato Falcão, já aqui referido.

As actividades maçónicas são em parte a cobertura para se montar uma rede conspirativa, dirigida  entre outros pelo dr.João Soares e por militares. Pretendia-se criar um levantamento militar nacional contra a Ditadura. 

Cria-se uma rede civil, particularmente activa no Rossio ao Sul do Tejo, inclusive com reuniões no Tramagal, em casa do médico da MDF, Correia da Fonseca, e ainda na do ex-deputado democrático dr. João Damas (Poitou,45)

Que no entanto na época estava já ligado ao grupo estado-novista do dr.Manuel Fernandes e em ampla discórdia com o cacique Henrique Augusto da Silva Martins.

Segundo a autora citada, o homem fundamental na conspiração na zona foi o guarda-livros da Casa Serrano, Manuel Jacinto, natural da Chamusca...., residente na Rua Avellar Machado, no Rossio....,

manuel jacinto

 que terminaria deportado para os Açores (como o médico) e e só foi libertado em 1939.

Sete anos de presídio em Angra do Heroísmo.

Na conspiração estava previsto que o major José Garcia Marques Godinho liderasse o golpe em Infantaria, aboletada em São Domingos. (Poitout,47)

Boa parte das actividades do Jacinto, passaram-se no Rossio . E aí é  ainda apontado o nome do dirigente comunista Manuel Alpedrinha, um dos poucos comunistas com filiação maçónica, na mesma loja lisboeta, a Rebeldia que Wheelhouse.

A autora refere ainda a posterior carreira do médico na tentativa de refundação do socialismo português.

Um dos primeiros autores a referenciá-lo foi o Doutor Jorge Santos Carvalho, in

''As Relações Jugoslavo-portuguesas (1941-1974)''. , Coimbra, 2012.

Só por curiosidade uma carta de António Sérgio em polémica com Wheelhouse

sérgio

sobre a refundação do socialismo democrático português (1)

 Portanto um estudo pioneiro e fundamental, o da drª Manuela Poitout para a História da Resistência ao fascismo na região.

A ler sem falta.

Aqui só se respigou o referente a Abrantes e muito resumidamente.

mn

(1) Arquivo António Sérgio

Foto do anti-fascista Manuel Jacinto, Torre do Tombo

 

 

 

         



publicado por porabrantes às 18:21 | link do post | comentar

Sexta-feira, 29.06.18

 O número de postos e estações passa de 27 em 1925 para 210 em 1929, isto é quási decuplica!!!
O número de subscritores apesar de, como o «Reviralho» diz, Salazar ter sugado o país, passa de 3:507, para 6:533 isto é quási duplica!!!
Mas os números que seguem é que demonstram bem a sede de progresso e civilização que a Ditadura veio fazer nascer em todo o país, como Portugal deixou de ser Lisboa e, portanto, deixou o país de ser … • a «Brasileira» do Rossio …
Vamos aos números que falam melhor que todos os berros à «Libardade» e à República
Constitucionalíssima.
Número de localidades servidas por telefones:

1924, 18
1925, 23
1926, 44
1927, 78
1928, 126
1929, 175

Isto é, octuplicou o número de povoações que por esse país fora pode utilizar esta coisa tão simples, que faz parte integrante do progresso, como o automóvel e o caminho-de-ferro.
Lembro-me bem quando ia passar as férias a Abrantes, de 1922 a 1925, o que se lutava para se ter telefone; era deputado por ali o zero João Damas, o médico que me custa a crer tivesse conseguido aprender a fazer contas com decimais ou a trabalhar com logaritmos — isto para falar só nas coisinhas mais simples das matemáticas elementaríssimas.
Pois o homem que era deputado por ali, desde 1911, não conseguia arranjar telefone, ou, o que é mais natural, não se importava com isso.....

 

Da Pulhice do "Homos Sapiens", de Humberto Delgado - 1933 - Capítulo XIX, pág. 214-218

Humberto%20Delgado

 já ouvimos a versão , na rádio, que é a do Jornal de Abrantes da época, de forma que convém ouvir um contemporâneo, o tenente Delgado, que apanhou uns dias de cadeia, pelos insultos que bolsou neste livro

 

devida vénia: http://oliveirasalazar.org/textos.asp?id=291 

 

foto http://atribulacoeslocais.blogspot.com/2006/05/gen-humberto-delgado-em-vendas-novas.html

 

onde está um interessante post sobre o golpe de Martins Júnior em Vendas Novas onde Delgado foi ferido



publicado por porabrantes às 15:53 | link do post | comentar

Quinta-feira, 28.06.18

A empresa JPserras Lda, com sede no Largo da Estação, publicou um comunicado no face, que se transcreve:

 

2457 reproducciones
 
JPserras Lda
Ayer a las 16:16

''Vista do estado degradado de uma das principais entradas da cidade de Abrantes.
Chamamos a V/ atenção para o estado degradado que se encontra o largo da estaçã...o de Abrantes. Como é do V/ conhecimento a Estação de Abrantes é uma das entradas principais da cidade. Um turista que queira visitar a cidade e que venha via comboio depara-se com esta imagem horrível. Será que os devidos serviços ainda não tiveram oportunidade para analisar esta situação ? Será por falta de tempo?Este canto que se vê florido embora a Junta de Freguesia Local pense que é nossa propriedade - Engana-se!! - Se tiverem curiosidade venham ter connosco que os esclarecemos. Mas podemos adiantar mais, segundo dizem os antigos, isto é parte de uma rua estreita que ia do Largo da Estação até à zona da empresa Victor Guedes, mas na altura como o Sr. Henrique Augusto '.....

 

henrique augosto blogue sao miguel

Blogue São Miguel do Rio Torto

 

 

que foi presidente desta Câmara e proprietário da Companhia de Moagem de Abrantes precisou de fazer uns armazéns para embarque de mercadorias junto à sua fábrica, então cortou a rua, e não há rua para ninguém e ficou aqui este canto. Será que os devidos serviços não tem acesso a estas informações. Como esta vista tem mau aspecto ervas com metros de altura vamos tomar a iniciativa de as cortar por nossa conta! Será que o podemos fazer?
Isto parece uma terra de ninguém...''

 

 

A coisa é magnífica e mete em cena caciques e um vídeo, de que se publicam algumas sequências....

 

estaçao 1

Piso do Largo da Estação, este cacique disse alegadamente em reunião da AF, inquirido pelo Bloco, que estavam a tratar do assunto com a REFER, sendo-lhe perguntado qual foi a data da última diligência, terá referido uma reunião há 2 anos

luis alves

Cidadão Abt
 
Teremos paciência para continuar?
 
Mais imagens do desleixo autárquico....

estaçao 2

estaçao 3

Dizem os caciques que vão multar quem usa mal os contentores, vejam como os tipos praticam agricultura biológica ao lado do lixo...
 
O vídeo está disponível no facebook
 
O Henrique Augusto que parece que se apropriou dum ''espaço sem dono'', acusou aleivosamente, quando era cacique, ou seja impune ( até que Salazar o puniu com a dissolução duma autarquia corrupta), o João Damas de se apropriar de terreno alheio...
 
E parece que andou por esse caminho e por outros mais sinistros, como se viu e verá...
 
Mas que o guarda-rios vá pedir satisfações a uma empresa actual pelas façanhas do Henrique Augusto em 1930, é do baril!!!!!
 
Ò homem corte as  ervas e vá à Conservatória e veja de quem é o terreno!!!
 
ma 
 
deixamos o S.Pedro...para o dia dele, amanhã é dia do pescador de homens...
 
   


publicado por porabrantes às 20:26 | link do post | comentar

Sexta-feira, 29.12.17

Estamos fartos de ver fotos de fraca qualidade do dr. João Damas, que foi um João Semana do Rocio de Abrantes e de S.Miguel, bombista no Porto ( desvarios da juventude) e deputado afonsista 1911-1926 e particular inimigo de Ramiro Guedes, seu colega de profissão e de fé republicana até 1913, depois o Damas foi democrático e Guedes passou a cultivar um soberano desprezo por Afonso Costa e chegou a idolatrar Sidónio, o Presidente-Rei.

Que saia uma foto decente do médico, que Henrique Augusto e o fascismo perseguiram.

joao damas

há muito no blogue sobre o dr.Damas e haverá mais

 

mas ver esta porcaria parida pelo fascista Henrique Augusto

 

mn



publicado por porabrantes às 20:10 | link do post | comentar

Sexta-feira, 16.06.17

O site Eu Gosto de Santarém publica uma conferência do dr. José Raimundo Noras, homem com provas dadas no estudo do republicanismo ribatejano, sobre os candidatos à Constituinte em 1911, na nossa região, particularmente sobre essas eleições no Mação. 

Diz Noras que não houve listas de Oposição. Ora, segundo o Eduardo Campos, houve uma dissidência republicana, apresentando-se vários candidatos contra a lista oficial como o multifacetado Martins Júnior que se candidatou e perdeu. E o capitão António Maria Baptista, que chegaria a Presidente do Conselho (morreu no cargo) também foi candidato e perdeu as eleições. O João Damas também se apresentou contra a lista oficial.....e foi eleito .... 

Além da informação disponibilizada pelo Sardoal com Memória, temos os resultados

constituintes 1911.jpg

 As eleições foram marcadas pela fraude eleitoral.

O Prof Adelino Maltez salienta que 91 deputados foram ''nomeados'', dado que não houve eleições nos círculos onde não se apresentou a Oposição. No círculo de Tomar, de que fazia parte Abrantes e o Mação, como se apresentaram os dissidentes contra a Lista Oficial, houve eleições. 

E curiosamente o dissidente eleito; João Damas bem como António Maria Baptista alinhariam com o afonsismo e o abrantino Ramiro Guedes, conotado com a ortodoxia, faria um longo percurso para a Direita, unionista primeiro, sidonista depois, etc.

ramiro guedes.jpg

 

Este apontamento é apenas um esboço para um assunto a estudar.    

mn

Eduardo Campos, Cronologia de Abrantes no século XX, para o documento reproduzido.



publicado por porabrantes às 16:44 | link do post | comentar

Quinta-feira, 15.06.17

É difícil um homem meter no seu CV político oficial que tinha sido  fabricante de bombas. Mas o dr. João Damas fez isso, no seu CV de deputado às Constituintes de 1911

bombas 1.png

bombas 2.png

in Deputados à Constituinte

 

Já agora, também convém anotar a ligação do dr.Damas à Carbonária, o braço-armado e secreto do PRP

 

 Este e os outros CVs do livro eram oficiais

 

Já agora, os delegados abrantinos camarários à Abertura da Constituinte foram:

A.J.Morgado e António José Marques

 

Do Sardoal não tiveram dinheiro para ir e mandaram um telegrama assinado pelo Vereador Tremela.

 

mn



publicado por porabrantes às 21:54 | link do post | comentar

Quarta-feira, 25.05.16

siflis.png

siflis 2.png

visconde.png

afilhado.png

intimos.png

amgos.png

amigos 2.png

contemporaneos.png

A tese do médico republicano abrantino João Damas na Universidade do Porto. Na dedicatória ao Pai, o Autor sublinha que já faleceu. Omitiu-se a dedicatória à Mãe e à Irmã e aos Mestres e Colegas de curso.

O Pai de João Damas era o feitor da Casa Abrançalha, e o grande relevo na dedicatória é para este homem, o patrão do Pai e líder regenerador na Câmara de Abrantes

Visconde de Abrançalha_DSC09352.JPG

 blogue Sr.Trigueiros

 

Há uma omissão deliberada nas dedicatórias, o dr. Ramiro Guedes

RamiroGuedes.jpg

Quando apresentou tese no Porto (1900) alegadamente João Damas já participara no levantamento republicano tripeiro de 1891

Agora podem metê-los juntos

trilogia.png

Mas o dr. Damas deixou claro que não dava demasiada confiança ao dr.Guedes e ao longo da vida isso confirmou-se

Em 1900 mostrava a sua distância com o adversário político do padrinho, o chefe republicano abrantino e em 1919,  quando Ramiro Guedes é a cabeça vísivel do sidonismo no Distrito, já as suas facções se combatiam a tiros.

mn

João Damas ficou democrático, partidário de Afonso Costa

Foi o sr. dr. Rui Lopes que deu notícia desta tese no facebook, o nosso obrigado

  



publicado por porabrantes às 23:59 | link do post | comentar

Sábado, 26.03.16

 

 

PRISÃO DE MANUEL DA COSTA ALMEIDA DE S. MIGUEL  RIO TORTO

 POR PROVOCAR DISTÚRBIOS NUMA  RÉCITA DA CASA DO POVO.

 

1935, a coisa chegou ao Gabinete do Ministro do Interior, naturalmente andava aqui Henrique Augusto da Silva Martins e a porca da política

 

Talvez o dr.Rui Lopes nos possa explicar quem era o Manuel da Costa Almeida

 

Mas o que estava à procura era de verificar se o estudante João Damas foi preso em 31 de Janeiro de 1891, por alegadamente estar envolvido no levantamento republicano do Porto.

 

Alguns dos presos foram

presos_civis_31_Janeiro.JPG

Homem Cristo; Aurélio Reis, Dr. Paes Pinto e João Chagas

 

imagem do Arquivo Republicano

 

a bíblia para saber isto é o livro do João Chagas, o Homem Cristo terminaria como grande divulgador do fascismo em Portugal e foi amigo de Mussolini

 

homem cristo mussolini.jpg

No nosso exemplar, há uma grande dedicatória do colega do João Damas ao líder integralista dr.Pequito Rebelo

 

Estava à espera que a edilidade do Gavião abrisse a biblioteca Pequito Rebelo ou Hipólito Raposo, mas parece que querem abrir  o Santuário da Sãozinha, para competir com o Crato onde está a Casa-Museu Padre Belo

 

mn



publicado por porabrantes às 15:28 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.01.16

damas.jpeg

a acusação é do ''Jornal de Abrantes'' de 4 de Junho de 1911

 

FRAUDES ELEITORAIS (1911)

Ainda nem um ano tinha passado sobre a implantação da República e, em Abrantes, começam a surgir notícias de fraudes eleitorais. O artigo que se transcreve a seguir mostra que, apesar do regime ter mudado, muitas práticas fraudulentas se mantiveram.

 

Com tristeza o dizemos: não foi de molde a prestigiar a republica a maneira como em Abrantes decorreu o acto eleitoral e mal suppunhamos nós que, em pleno regime democratico, havíamos de assistir ao desenrolar de todo esse vergonhoso scenario de fraudes e de violencias de que a monarchia se servia para arrancar o voto ao eleitor incanto e inconsciente.

Com tristeza o dizemos, na verdade. Com tristeza e com mal reprimida indignação, pois não é fácil occultar a nossa surpreza, a nossa profunda magua, ao ver-mos assim ultrajados os princípios democraticos e esquecidos os solemnes compromissos tomados na opposição.

Já no numero anterior do Jornal de Abrantes, havíamos justamente condemnado o procedimento do directorio do partido Republicano, que, depois de afirmar que só sanccionava as candidaturas de maioria, deixando ao arbitrio do eleitorado a livre escolha dos candidatos da minoria, se saiu a lembrar aos eleitores que seu dever era votar em determinado cidadão, por ser elle quem, depois dos escolhidos para disputarem as maiorias, obtivera maior numero de votos.

Isto, que a principio poderá afigurar-se razoavel democrática, não possa contudo de um grosseiro expediente, que mal tenta esconder o odio pessoal que determinado individuo, votou a um dos candidatos da minoria, o sr. Capitão Baptista, republicano de velha data, caracter da mais fina tempera, coração aberto a todas as ideias generosas e nobres.

A escolha da comissão municipal não devia merecer credito ao directório, vistoque ella procedeu illegalissimamente, não reunindo, como lhe cumpria, cululativamente com as comissões paroquiaes. Demos porem de barato que essa escolha fosse legal. O que deveria fazer o Directorio? Dar a sua sancção aos candidatos da maioria, mas só a esses, deixando os outros entregues apenas á simpatia do publico, ás suas faculdades de propagandistas, ao seu fervor partidário, ás suas forças eleitoraes e á sua probidade politica.

Tal não succedeu, e esse facto, de todo o ponto contrario á pureza das ideas democráticas, levou-nos a lavrar o nosso protesto no ultimo numero do Jornal de Abrantes.

Longe porem estávamos nós de suppor que por ahi ficariam as nossas razões de queixa, os justos motivos da nossa justíssima indignação. Foi-se mais longe, muito mais longe mesmo.

Á commissão municipal, ou, antes ao individuo que nella implantou o velho regime do quero, posso e mando, bastou para a satisfação do seu odio pessoal, a acquiescencia anti-democratica do Directorio aos seus manejos injustificaveis. Esse verdadeiro cacique, talvez  por  não sufficientemente seguro com o apoio ao Directorio, recorreu á fraude, á violencia, á extorsão, a todo esse longo rosario de espedientes eleitoraes que de usaram e abusaram os caciques da monarchia.

Dir-se-hia, ao vê-lo manobrar tão habilidosamente, que, emquanto o Partido Republicano procurava, no tempo da sua propaganda, demolir esses velhos e nogentos processos de fazer eleições, elle se entretivera a tirar-lhes os moldes e a aprender-lhe a applicação. E tão bem aproveitou o tempo, que hoje podia, com vantagem para o regime do caciquismo, dar lições aos mestres.

Pediu votos, solicitou influencias, viclentou consciências, ameaçou os tímidos, captou com promessas os cínicos e- oh! vergonha das vergonhas!- implorou a misericórdia de dois  dos mais importantes caciques da defunta monarchia.

E tudo isto se fez pelos velhos processos: mandaram-se listas dentro de subscritos, juntamente com cartões de visita pedindo votos; enviaram-se caceteiros de noite, na véspera da eleição, arrancar das mãos dos eleitores a lista inimiga; a outros trocavam-lh’es pela astucia e pela fraude; e por fim, para que nada faltasse a imprimir caracter a este nogento estendal, de expedientes eleitoraes, recorreu-se ao desdobramento, em favor do candidato protegido.

Profusamente triste! Repellentemente Porco!

 

Jornal de Abrantes, nº 576, 4 Junho de 1911

 

a transcrição é da Bárbara Martins Marques, sob coordenação do Martinho Gaspar, aqui

 

A Bárbara Marques era menor, a responsabilidade de chamar '' Repellentemente porco'' ao Damas é do ''Jornal de Abrantes'' e do Gaspar, que devia ter anotado o texto.

 

Não se chama a uma pessoa ''repellentemente porco'' , sem explicar que o homem às vezes tomava banho. Afinal era médico. Era boa pessoa, mas era um político e a imagem de porco, tem a ver com a sátira de Raphael Bordalo, a política é porca,

paródia.jpg

Houve fraude? É possível! Mas é óbvio que o texto pretendia explicar a derrota eleitoral do Baptista  e  garante que a marcial criatura tinha um cv impoluto.

É mentira,  tinha sido acusado de espancar soldados  e destruiu a Pharmacia Silva.

Era uma besta.

Agradecemos à Bárbara Marques este trabalho sobre história abrantina. Faz-se a natural e devida vénia.

 

mn

 



publicado por porabrantes às 16:13 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.01.16

1916-2.jpg

 

1916-4.png

 a primeira imagem é de um artigo sobre a elevação da Vila a Cidade, dá uma castanha ao João Damas pelo estado das Igrejas, propõe S.João para Museu (ideia de Diogo Oleiro) e recomenda para compra de souvenirs a ''Casa Abrantina''

 

Na página seguinte lá está a publicidade oficial

 

Isto foi em 1916

 

As mesmas práticas continuam hoje florescentes na Imprensa

ma



publicado por porabrantes às 16:59 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Um estudo fundamental sob...

A instalação do telefone ...

Empresa denuncia CMA e Ju...

O deputado do Rocio de Ab...

A Oposição abrantina nas ...

Deputados abrantinos: Joã...

João Damas, um afilhado g...

Prisões em 1935 e 1891

Repellentemente Porco! A...

Publicidade encapotada

arquivos

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Dezembro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
24
25
26
27
28

29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds