Segunda-feira, 24.12.18

jp p

 

https://porabrantes.blogs.sapo.pt/rip-joao-pico-4119571

Nós é que agradecemos as amáveis palavras. Boas Festas

mn



publicado por porabrantes às 10:13 | link do post | comentar

Quarta-feira, 11.07.18

Neste post histórico, João Pico reflexiona sobre Zé da Cachoeira, conta a excursão dos neo-liberais a Estrasburgo, e diz que vai convidar Armando  Fernandes para assessorar a CMA em projetos culturais

armando fernandes

 

   '' Se eu ganhar a Câmara, o Dr. Armando Fernandes será convidado com toda a legitimidade e direito a participar e até a propor alguns projectos culturais para o concelho que o recolheu há muito. Concelho este, que ainda não teve a oportunidade de recolher benefícios da passagem de tão ilustre agente cultural por Abrantes. Aliás, sobre esse aspecto cultural reconheço-lhe mérito. Sobre ciência política e estratégia de oposição só tem ajudado a perpetuar este executivo PS e a inculcar no espírito de alguns eleitores, que este PS é o mal menor. O que não abona nada a seu favor.''

 

João Pico

 

mn



publicado por porabrantes às 13:02 | link do post | comentar

Terça-feira, 10.07.18

Pela sua página do face soubemos da morte do João Baptista Pico, cidadão interveniente e autor do colega Pico do Zêzere.

É uma morte precoce dum homem que assumiu, mal ou bem, o seu dever de intervir na pólis.

Natural do Souto, estava a cumprir o serviço militar em Santarém, quando Salgueiro Maia se levantou em armas contra a ditadura.

Fez parte da coluna que enterrou o fascismo.

Rapidamente se desiludiu com o PREC e passou à Direita, sendo um dos últimos ''históricos do CDS'' de Abrantes, que lhe deve uma homenagem.

Desempenhou cargos autárquicos na sua terra natal, onde foi Presidente da A.de Freguesia do Souto.

Depois duma histórica briga com António Castel-Branco no CDS, passou-se pró PSD e foi nº 3 da candidatura de Pedro Marques à autarquia.

Passou a ser Vereador intermitente, substituindo frequentemente  algum companheiro e caracterizou a sua intervenção por uma Oposição dura, que deixava o Júlio Bento e o Pina da Costa às aranhas.

As bases laranjas chegaram a ver nele uma alternativa ao armandismo, que dominava o PSD e foi candidato a Presidente da CPC numa eleição muito disputada. Entre os apoiantes estava o Anacleto.

Terminou expulso do PSD e regressou ao CDS, onde agitou as águas e alcançou uns 600 votos como candidato a Presidente.

jota pico cartaz

 

Terminou a sua intervenção cedendo o posto ao actual líder local, dr. Matafome.

Durante bastantes anos animou a imprensa local com colunas no Jornal de Abrantes, artigos na Nova Aliança e no Primeira Linha, que bastas vezes davam polémica.

Escreveu apontamentos interessantes sobre a história do Souto e nunca parou de  azucrinar o seu parente, Martinho Gaspar, que achava que não destacava o antepassado comum, Padre Batista, que o Pico tinha por herói na luta popular contra as invasões francesas.

Fundou um jornal local Correio Lisboa/Zêzere e além do blogue citado, foi muito activo na blogosfera.

Manteve este blogue duras polémicas com o João Pico, mas reconhece que se destacou como um homem interveniente no meio do implacável cinzentismo que domina esta terra.

No domínio profissional desempenhou actividades ligadas a negócios imobiliários.

Finalmente resta apresentar as condolências à sua família e  ao Zé Guilherme .

mn

 

 

    



publicado por porabrantes às 08:33 | link do post | comentar

Quarta-feira, 04.04.18

 

Quando João Pico era Vereador laranja havia Oposição de direita na CMA.

Agora não há.

Criticou-se muito aqui o Pico, mas há que reconhecer que fazia Oposição.

mn

 



publicado por porabrantes às 10:27 | link do post | comentar

Segunda-feira, 18.09.17

Diz-me um eleitor PS que não se escreve ''assersativo'' mas   ''assertivo''.  Isso escrevem as pessoas, mas como resolvemos escrever como um Vereador....para os edis perceberem escrevemos ''assersativos''.

Está tudo explicado neste post, onde se explica como

ocidadaoabtlampadajanial

o mais inteligente Vereador pós-Abril adoptou ''assersativo'' nas actas.

Resolvemos escrever como os vereadores...

Entretanto, Aladino  explica como uma designer  arranjou emprego.....

Também divulgamos um texto sobre a falta de pão no Souto . :

mn:

‎''Joao Pico‎ en Aldeia Do Mato Souto
· 10 horas ·
 

AMIGOS do SOUTO ou "Amigos de Peniche" ?

SERÁ QUE PERDER O PADEIRO DE VILA de REI É MAIS GRAVE do que TER ARDIDO TANTOS TERRENOS...?!

Não sei que moda é esta, de virem a esta página denegrirem a imagem do Souto, - focando-se neste slogan enganoso de que NO SOUTO NÃO HÁ NADA e TUDO ACABA - só porque o padeiro de Vila de Rei vai deixar de ir vender pão ao Souto.

Perante estas carpideiras, a triste resposta da rainha Maria Antonieta em vésperas da Revolução Francesa e com o povo a gritar ,agarrados aos portões de Versalhes, de que queriam pão até merecia ser repetida: " Não têm pão, comam brioches" !

Em que mundo é que esta gente vive? Por acaso, já fizeram contas ao custo do gasóleo de um carro, que tenha que ir e vir de Vila de Rei ao Souto, para vender uns papos secos e umas broas de milho?

É que depois vêm os outros "amigos" de Peniche e do "link " fácil do malfadado "gosto", que logo acrescentam: " É isso, no Souto tudo acaba, ninguém faz nada.".
E já é uma sorte, se de entre esses comentadores, não surgem logo uns tantos a acrescentar essa capciosa resposta, - " no Souto nunca se fez nada, aliás não há lá nada feito" - à espera de mais uns "amigos de Peniche" e desses "links" do malfadado "Gosto".

Há dias, o João Baptista, -( o outro da Milheirice, que não eu) divulgava um feito desconhecido, sobre a origem da Sociedade Recreativa do Souto. E eu que dei duas dezenas de anos em mandatos, fora os quatro anos de festeiro que permitiram os fundos para a compra do terreno e o arranque da construção da sede, confesso que também não sabia ou não dei conta desse acto fundacional ocorrido na taberna ( e barbearia) do João André, nos idos de 1960, oito ou nove anos antes da escritura de fundação no 8º Cartório Notarial de Lisboa, ali na Rua da Horta Seca, ao Chiado.

Em 1960 tínhamos um padeiro no Souto, o Ti Luís Latoeiro que nem sempre tinha o dinheiro suficiente para comprar a farinha de véspera. E tínhamos o padeiro da Carreira de Mato, com uns canastros e verga branca forrada a pano branco, assentes na parte traseira da moto.
Depois veio o padeiro de Carvalhal e o padeiro das Fontes, que acabou por se fixar no Carvalhal. E deixámos de ter o padeiro da Carreira do Mato, ficando o Ti Luís Latoeiro e o Ti Aniceto Passarinho a trabalhar na padaria da "União" no Carvalhal.

Em 1960 os jovens deixaram de ter o salão da Casa do Povp, porque parte da direcção e o pároco da altura, não apreciavam os bailaricos, com os rapazes agarrados às moças.
E o puritanismo do regime político vigente, também ajudava a essa interdição.

Porém, cinco jovens soutenses à volta do balcão e de uma mesa na taberna do João André pensaram em mudar esses estado de coisas, desenhando ali mesmo o estatuto da colectividade, o emblema do clube e o firme propósito de dotar o Souto de uma colectividade de cultura e recreio, se bem que o desígnio principal fosse os bailes e as cachopas.

Não correram a Abrantes para pedir um subsídio, agarrados a um caderno de reivindicações das inúmeras carências da terra. Se o tivessem feito, até podiam ser presos e já não regressarem ao Souto.

Não foram presos, mas acabaram apanhados pelas condicionantes da vida dos jovens daquela época, acabando mobilizados para o Ultramar. E lá beberam o último copo, servido pelo Ti João Rambóia, até regressarem sãos e salvos, à terra, daí a uns anos. Felizmente, que todos regressaram.

Hoje, o Ti Rambóia já partiu e a taberna já não voltou a abrir. E desses cinco jovens, o "mentor" Manuel Amaro também já partiu desta vida terrena.
As outras tabernas, uma a uma, foram fechando. E aqueles soutenses que eram capaz de combinar , entre duas rodadas de copos de cruzado, a ida à ladeira da fonte limpar a nascente, reabrir a levada para os tanques, fazer crescer uma parede ao pé do aqueduto e carregar o andor numa procissão, apesar de trabalharem de sol a sol, também já nos deixaram.

Quem por cá ficou, nem deu conta que foi por terem surgido uns tantos beneméritos, capazes de promoverem almoços de trabalho e de marcar reuniões a meio da semana, na Amadora ou em Lisboa, que foram aparecendo obras feitas. E vai de lançar umas rifas para os fornecedores com quem tarbalhavam e assim angariar mais uns fundos.

A sede da SRS, as obras do J. Pimenta, a Telescola, as obras da Casa Paroquial e da Igreja Matriz, a Liga dos Amigos e Benfeitores da Freguesia do Souto, pese a "morte anunciada", a que esteve condenada, não por terem dado duas bofetadas ao insolente motorista do presidente da câmara da altura, mas por quererem resolver o desaguisado das festas em nome de Nª Srª do Tôjo.
E aí , o bairrismo exarcebado das partes em contenda deitou tudo a perder.

Enquanto tudo isso ia decorrendo, soutenses houve que por despeito ou comodismo foram baixando os braços, apelidando os seus conterrâneos que por Lisboa iam fazendo pela vida, - pelas benfeitorias na terra - desses " gajos de Lisboa" .
Esses "gajos de Lisboa" deixaram obra feita. Outros soutenses que sempre fugiram aos encartes, já não podem dizer o mesmo.

Entretanto, o poder municipal instalado em Abrantes fazia acreditar a muitos ingénuos, que a salvação da freguesia passava pela Barão da Batalha. De Abrantes, é como de Espanha: " nem bom vento nem bom casamento"...

Fingindo dar força aos bairrismos locais, depressa constituíram a "liquidação sumária " da nossa terra, acantonada em três becos sem saída airosa possível :
-Fontes, Carvalhal e Souto, até trazerem para este último canto, a Aldeia de Mato.
Temos pena. Eu da minha parte, sempre poderei dizer: fui o único soutense na Assembleia, a votar contra, no Dia de Finados de 1983.''

 

devida vénia ao dr.João Pico   e ao Cidadão Abt



publicado por porabrantes às 18:34 | link do post | comentar

Terça-feira, 12.07.16

 

 

photo.jpg

 

Era 28 de Janeiro de 2005 e o dr. Pedro Marques, ao tempo dirigente laranja abrantino, escrevia assim:

populista.png

Ficamos a saber que Armando Fernandes era um grande mestre (aposto que D.António Castel Branco anda pelas esquinas a repetir isto em ucraniano, ou num português repleto de ''slang'' gringo.)

 

E fico a saber que o Barroso tinha problemas dialécticos-éticos com o populismo.

E também sérios problemas éticos com os conflitos de interesse, acrescento eu.

liberation.png

O Liberation, o jornal que foi de Sartre, e é hoje dum Rothschild arruma o Barroso como um homem ''sem fé, nem lei''.  

O Senhor Dr. Pedro Marques, mais D.António Castel-Branco, trouxeran para a política abrantina tipos da craveira do Senhor Dr.João Pico, pouco populistas...

populismo 2.png

Escrevia o que foi Vereador laranja pela mão do Marques e do Fernandes e que quase chegou a nº 2 do CDS pela nobre mão de D.António Abrançalha.

Pico acrescenta que a decoração do Hotel Equador foi feita pela Senhora sua esposa....

populismo 3.png

Depois dum post arrasador destes, 500 contos a mais ou a menos, podem fazer-se odes ao populismo.

Vi o Barroso fazer muitas odes, todas a canalhadas várias.

Estou como o Liberation; era um tipo sem fé, nem lei.

Quanto a quem foi ao Hotel Equador, é digno de andar aos abraços (como andou) a João Pico.

ma

já agora foi a esposa do dr.Marques, ao jantar dos trolhas no Hotel Equador? Fico a aguardar os comentários da arquitecta Sara Morgado   

     



publicado por porabrantes às 11:59 | link do post | comentar

Quinta-feira, 09.06.16

Um dos maiores intelectuais abrantinos vivos, o ex-Vereador laranja Dr.João Pico, ex-colega do Dr.Armando Fernandes e do Pedro Marques na direcção política da Direita neo-liberal e do Dom António Castel-Branco no CDS/PP, opina sobre a especulação imobiliária no caso das piscinas velhas.

Esperamos agora que no seu blogue opinem o neto do construtor civil João Pimenta, o Rev.Padre Batista e outros vultos da sociedade soutense.

O Dr.João Pico ainda é primo do Martinho Gaspar e faz um rasgado elogio a Maria do Céu.

Propomos que a centésima-primeira medalha de lata lhe seja atribuída.

É digno dela. Entretanto um amigo do dr.Pico, vai dedicar-se ao pato-bravismo

trolha.jpg

Antes foi teórico marxista

portas-jsd-socialismo.jpg

Este país dá para muito

mn



publicado por porabrantes às 08:53 | link do post | comentar

Sexta-feira, 22.01.16

ap pancada.png

 Um dos mais graves crimes do centenário abrantino deu-se no início dos anos 70, quando o jovem e`prometedor bairrista João Pico foi barbaramente insultado e ameaçado por três perigosos fascistas membros da Comissão de Festas da Ribeira da Brunheta (Souto).

Estranhamos muito que o Martinho Gaspar não tenha recolhido esta efeméride na sua monografia. Também não a vimos mencionada na apreciada obra sobre o Souto do Sr.Traquina.

Aqui ficam os dados, descritos pela pena ilustre do Sr.Pico.

Recordamos que João Pico foi  Vereador laranja com Pedro Marques, candidato à liderança do PSD contra Armando Fernandes, apoiado por metade da classe social laranja, líder do CDS-PP e é um grande blogguer. 

Jornal ''O Correio de Abrantes'' (visado pela Comissão de Censura, acontece que o censor era um major que aderiu ao 25 de Abril).

Finalmente direi que o João Pico se bateu contra  o gonçalvismo, enquanto outros estavam debaixo da cama. Bateu-se no CDS quando o Freitas do Amaral ainda era um homem às Direitas..

mn



publicado por porabrantes às 23:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 19.08.15

O intelectual João Pico, ex-colega do político e gerente comercial Armando Fernandes, faz um post de genealogia onde critica o historiador Traquina.

As nossas fontes garantem que o próximo alvo será outro primo dele, Martinho Gaspar

gaspar.png

A questão em causa é a luta anti-clerical no Souto:

'' Assinale-se a omissão de um "episódio " bastante divertido praticado pelo Martinho Galérias à saída da missa, cuja Igreja, como bom militante maçónico queria ver "destruída" e despojada dos apetrechos religiosos, incitando a populaça a entrar e destruir tudo.  Este gesto era feito levando as suas três filhas bem seguras pelas mãos, ao que a  cada sinal de avanço do pai incitando a populaça a avançar, imediatamente se seguia a repreensão deste às filhas, para que elas ficassem quietas e se chegassem para trás. E lá voltava ele a incitar a populaça, amos, vamos avancem e novamente puxava as três filhas entusiasmadas e delirantes para que ficassem quietas.'' (J.Pico)

 

E ainda a história genealógica do histórico Padre Baptista, caudilho da resistência do Pinhal à invasão francesa.

 

Agora dedicado à história, esperamos novas interpretações do Mestre e um convite da CMA para que integre a Comissão do Centenário da Cidade. 

 

mn

 


publicado por porabrantes às 11:02 | link do post | comentar

Quarta-feira, 08.04.15

 

sagrado.png

acta de 2012

 

excerto

 

Pela acta ficamos a saber que o registo de propriedade do jipe sagrado

carro céu pico.jpg

era da Senhora Doutora Maria do Céu e não do Sr.Dr.Albuquerque e assim sendo nos termos da Lei devia constar em 2012 da declaração de bens da política,  quando cessou o mandato.

E quando o recomeçou, a declaração de bens devia estar on-line para consulta pública, no portal autárquico, não o manda a Lei, mas manda-o a ética. E a Assembleia Municipal devia decidir (como o fazem outras Assembleias Municipais)  que o Presidente e os da mesa tivessem de entregar declarações de bens.

Vai o dr. Santana-Maia editar um livro e espero que esteja lá o grande poema:

 

 

(...)Em Vale das Rãs,pelo menos já aprenderam a lição:

Meu filho, presta atenção

P'ra não ires p'rá a prisão

Podes roubar toda a gente

Excepto a Senhora Presidente  (...)

 

A senhora Presidente dizia que o assunto é sério e por isso abstinha-se da crítica literária. Ora a crítica literária é uma actividade séria, própria de grandes humanistas, como Eduardo Prado Coelho, Jorge de Sena, João Gaspar Simões (o melhor) ou George Stneiner e dizer numa acta que a  actividade profissional destes grandes escritores não é séria, é ofensivo e próprio de quem detesta a Literatura, a mais nobre arte da Lusitânia.

 

E depois de dizer isso, atroz calamidade, começa-se a insultar a qualidade poética do grande poeta satírico que é Santana-Maia e chega-se à insensatez de confundir poesia lírica com sátira poética.

 

Finalmente diz-se, que dizer que o pobre rapaz era de Vale de Rãs, coio de marginais, é segregador ......num orgasmo de correcção política.

 

Diz Luíz Vaz:

 

Vós, poderoso Rei, cujo alto Império
O Sol, logo em nascendo, vê primeiro;
Vê-o também no meio do Hemisfério,
E quando desce o deixa derradeiro;
Vós, que esperamos jugo e vitupério
Do torpe Ismaelita cavaleiro,
Do Turco oriental, e do Gentio,
Que inda bebe o licor do santo rio;

 

E chama torpe ao ismaelita, ou seja ao muçulmano inculto e bárbaro, e pergunto eu, verei numa acta chamar ''segregador'' a Camões?

MA

foto do jipe sagrado: João Pico, bairrista do Souto, ex-confidente dum galego e do marido de Sara Morgado, ao tempo colega da Senhora de Albuquerque no Conselho de Segurança   



publicado por porabrantes às 20:17 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

João Pico

Para a história dos laran...

RIP João Pico

O Vereador laranja João P...

Assersativamente ou em h...

Sem fé, nem Lei

A opinião do popular João...

O CENTENÁRIO DA CIDADE EM...

Pico fuzila historiador T...

O livro de Santana-Maia

arquivos

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carlos marques

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
11
12

13

21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds