Sexta-feira, 20.09.19

O conceituado José Campas, estimável pintor e professor da EICA (fundador) foi suficientemente miserável para denunciar a Salazar o pintor moçambicano Malangatana.

Na cartinha de 1-1-1963, disse a Salazar, segundo a descrição da Torre do Tombo:

  '' Contém a carta do Prof. José Campas, residente em Lisboa, dirigida ao Dr. Salazar, a denunciar a publicação da obra artística pintada por Malangatana Valente, no jornal "Diário de Notícias". O quadro da "Adoração dos Mortos", é considerado ofensivo por José Campas. Refere, é "doloroso verificar a proteção que hoje se dá às manifestações da loucura entre nós e que a 'Censura' permita a publicação de aberrações desta natureza (...) num país civilizado como o nosso". Inclui o recorte do jornal com o artigo intitulado "Artistas de Moçambique (I) - Magalatana [erro gráfico do nome] Valente - o Pintor Negro dos Santos e da Magia", da autoria de Mário de Oliveira. O artigo aborda o intercâmbio artístico entre Portugal e Moçambique, e o incentivo à produção artística de pintores moçambicanos, sob o patrocínio da Fundação Gulbenkian. Encontra-se incluso, o quadro mencionado, e a foto do pintor “Malagatana” ao lado da sua mulher. Na entrevista feita ao mesmo artista, e ao ser questionado sobre a sua técnica, revela que "tem muito amor pelas mulheres grávidas, porque para mim representam a esperança, e por isso pinto mulheres grávidas, negras e brancas". As cores das suas telas têm a ver com o colorido da paisagem moçambicana, explica: cores das rochas, montes, árvores, águas dos rios, lagoas, entre outros. ''

malangatana-site

imagem site: malangatana-devida vénia

mn



publicado por porabrantes às 09:23 | link do post | comentar

Terça-feira, 19.12.17

zé campas.jpg

Foto da Ilustração Portuguesa, gamada ao Zé Luz, que no facebook vem divulgando a história da Vila de Constância.

O pintor José Campas foi professor fundador da EICA. Figura na toponímia de várias localidades.

Não era hora de o homenagear na toponímia abrantina?

mn



publicado por porabrantes às 10:03 | link do post | comentar

Sábado, 10.12.16

Em 1958, o pintor José Campas, professor na EICA, dirigia uma carta a Lucie, neé Peceto, por casamento de Souza Cardoso

lucie souza cardoso.jpg

 Madame Lucie de Souza Cardoso

a Carta saiu de Abrantes a 20 de Março.

 

Lucie era a viúva e a guardiã dos tesouros do maior pintor abstracto lusitano.

 

Um dia destes publicamos aqui a carta

 

campas_josé-vista_de_rua_em__soux_les_chartreux__

Campas é o mais caro dos pintores relacionado com esta terra, esta tela valeu 3.800 euros num leilão ou seja vale para aí 5 Lucílías Moitas

 

Deixo a carta do Campas à italiana

 

Contentemo-nos por agora com a participação de casamento do pintor de Constância

campas 5.jpg

Onde é que Campas conheceu a italiana, que casou com Amadeo?

 

Em Paris lá por 1918

 

Alguém deu uma medalha a Campas pelo seu trabalho nesta terra, como professor na EICA ou lhe tirou o barrete?

 

Vai uma sugestão ponham um Campas no sapatinho duma pessoa amiga ou na vossa parede.

mn

 

 



publicado por porabrantes às 15:17 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.10.16

Como consequência da implantação da República deixou de haver Rainhas  e passou a haver primeiras-damas......

agarra.png

manuela eanes.jpg

Esta é uma primeira-dama democrática, mas houve disto no fascismo, caso da Veneranda Senhora Dona Gertrudes Thomaz

d.gertrudes.jpg

também houve pessoas que ficaram chateadas com a bernarda, caso de Henrique Augusto da Silva Martins, que se tornou assinante do ''Thalassa'', onde se falava de Abrantes e do pintor de Constância, José Campas

campas alf.png

e onde Henrique Augusto, foi solidário com um preso político,

o talassa 2.png

com ele, outros abrantinos, era 1913

 mn

créditos: Augusto Cid, O Thalassa

 

 

 



publicado por porabrantes às 19:12 | link do post | comentar

Domingo, 15.05.16

campas 2.png

Neste recorte da revista humorística o Thalassa, de filiação monárquica, ironiza-se sobre o problema do casamento civil da professora primária de Cardigos que deu o nó sem passar pelo altar.

O padre lá da terra organizou uma greve às aulas e a ''registada'' ficou quase sem alunos.

O pintor Campas seria um grande professor de desenho na EICA e por isso também merece sair na notícia. Era 1914 e Cardigos fazia parte do distrito escolar de Abrantes

ma  



publicado por porabrantes às 17:47 | link do post | comentar

Segunda-feira, 19.08.13

Alegadamente o ex-presidente do IPT e político da extrema-direita José Bayolo Pacheco do Amorim ofereceu a sua biblioteca ao IPT diz o Templário '': (...)  Ofereceu todo o seu acervo bibliográfico e de seu pai à  biblioteca do IPT, havendo uma sala especial dedicada a esse espólio. Também o principal auditório do IPT tem o seu  nome. ''



Templário



Acontece que a 3 e 4 de Julho de 2013 parte da biblioteca do Amorim foi vendida em Lisboa em leilão pela Livraria Luís Burnay.


Acontece que alguma coisa dessa biblioteca  tinha interesse abrantino e tomarense e não se percebe como não está..... no IPT. 


Passo para o caso abrantino e já agora de Constância a transcrever 2 peças:



(...)22. ALORNA, Marquês de. - 1 Carta autógrafa (8p.; 22cm.)
Nesta extensa carta dirigida ao Intendente da Polícia Diogo Inácio de Pina Manique, o Marquês agradece ao Intendente e a Martinho de Mello a ajuda que lhe deram enviando durante algum tempo o especialista piemontês Mateus Biffignandi para tentar recuperar uma fabrica de seda que Alorna tinha provavelmente na sua Quinta de Vale de Nabais em Almeirim e que havia alugado a um Capitão Mor de Avis que descurou os cuidados a ter com o sirgo. “…
Fico também obrigadíssimo a V. Srª. E ao Sr. Martinho de Mello, pelo socorro que me derão para a restauração d’esta fabrica de seda, que se achava em grande decadência, pelo descuido e falta de exacção do Capitão Mor de Avis, que acaba de ser rendeiro d’esta fazenda. Este homem me deixou sem a semente dos bixos [ovos do bicho da seda] que lhe entreguei, e havendo negligencia em outra pessoa, que se encarregou de a mandar vir de Trás-os-Montes[quase de certeza da criação de José Maria Arnaud que viera com Biffignandi para Portugal por ordem de Pombal para desenvolver a fiação de sedas no país e que se instalara naquela região] já o anno passado não houve aqui essa criação. … A semente que trouxe Matheus Biffignandi, já vinha principiada a avivar: He de crer,que assim estivesse a d’Abrantes [onde houve também uma desenvovida sericicultura provavelmente ligada ao Marquês de Alorna] por ser  impossível o seu transporte e n’este termos, a porção que V. Exª me mandou junta com alguma mais que pude colher
por outras partes, apenas poderá servir, para chegarmos a ter na Primavera que vem seis atthe oito arráteis que é a quantidade necessaria correspondente ás nossas amoreiras.” Refere em seguida uma tentadora proposta de sociedade que o italiano lhe havia feito, e que Alorna sabiamente modificou: “…Elle me propôs tomar a si as amoreiras, e as mais coisas pertencentes á fabrica, com a condição de me dar duas terças partes dos lucros, entrando eu com elle de meias nas despezas: Não quis eu estar por este ajuste, por ser para nós demaziadamente vantajozo, e pareceu-me isso sinal certo de se poder desvanecer em poco tempo: Receei que o ditto Matheus não tirando deste contracto as conveniências que esperava, viesse eu e muitas outras pessoas d’este Reino, a perdermos o fructo, que poderíamos tirar das luzes d’este homem:”
Assinada e datada de 30 de Março de 1787.Trata-se do 2º Marquês ( D. João de Almeida Portugal), Oficial Mór da Casa Real, Embaixador em França e casado com D. Leonor de Távora. Por causa deste parentesco esteve preso 18 anos (na Torre de Belém e no Forte da Junqueira) ás ordens do Marquês de Pombal. Era pai da famosa Marquesa de
Alorna (Alcipe)


107. CAMPAS. José.- 2 Cartas autógrafas
Cartas dirigidas ao Dr. Jorge de Faria. Na primeira o pintor envia uma fotografia de um dos seus quadros: “… Juntamente com esta carta envio a V. Exª uma “ pochette” na qual remetto a “photo” do meu quadro:“Na Praia (Ericeira), que figura na Exposição da “ Sociedade N. de Belas-Artes”, cujo “ vernissage” está marcada ainda para esta semana.” Na segunda, depois de “abraçar” o Dr. Jorge de Faria por um banquete de omenagem que a este tinham feito, diz: “…Tenho aqui (n’esta sua casa) as brochuras sobre theatro que prometi oferecer a Vª Exª, e assim muito me
penhorará, marcando-me dia e hora( a que mais lhe convier) para receber a sua honrosa visita, e gostosamente mostrar-lhe algumas das minhas obras e modesta biblioteca.”
Assinadas e datadas de Lisboa 13. IV. 1936 e 10 . VII. 1939. Em papel timbrado do artista. Juntam-se os respectivos envelopes e um cartão de visita'

 

in catálogo livraria Luis Burnay

 

 

José Campas viveu em Constância e foi professor da EICA.

 

Também anoto que será muito difícil fazer o estudo da indústria da seda no século XVIII em Abrantes, depois deste espólio  ter sido disperso.

 

Enquanto investimos em cultura à razão de 2000 €/oliveira, vão-se vendendo nos alfarrabistas e noutros sítios os documentos e peças referentes à História da Cidade.

 

 

Proponho já nova medalha pró IPT e outra pró Pacheco (póstuma).


MN



publicado por porabrantes às 17:47 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

O Pintor da Eica denuncia...

O professor da EICA José...

Carta a Lucie

Consequências do novo reg...

A ''professora registada'...

Biblioteca de Pacheco do ...

arquivos

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carlos marques

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Fevereiro 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9

19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds