Quinta-feira, 04.01.18

Acabo de ler na gazeta gratuita um artigo da Teresa Aparício,sobre a história do Liceu de Abrantes. O artigo tem diversissimas omissões e bastantes incorrecções e transforma-se numa apologia do dirigente da política da Ditadura entre meados dos anos 40 e 50, Dr.Manuel Fernandes.

Este blogue já fez vários elogios à obra fontista do Dr.Fernandes, mas nunca deixou de fazer uma reflexão crítica sobre o papel do médico na política local e designadamente na sua participação nas eleições de 1958, quando roubaram a vitória ao General Delgado.

Manuel Fernandes não foi afastado da Santa Casa por razões profissionais (isso foi o pretexto), foi-o porque liderava um grupo que competia directamente pelo Poder com os fascistas integrais de Henrique Silva Martins.

Há mais omissões. Esquece-se o papel do dr. João Manuel  Esteves Pereira na defesa do projecto do Liceu abrantino.

A Capital 23 3 1973001

Diz-se que impulsionado pela CMA da altura, o Estado o comprou à sociedade, Estabelecimento de Ensino Colégio S.João Baptista de La Sale, SARL, o edifício.

Não foi exactamente assim. O edifício esteve emprestado durante vários anos ao Estado (e a empresa sem receber um tostão) até que sendo ministro o Sottomayor Cardia o Estado o adquiriu por uns 16.000 contos.  

Fala-se da criação do La Salle. E omite-se quem o fez e quem dirigiu a empresa Colégio La Salle.. Chamava-se José de Sousa Falcão.

josé falcão la salle.jpg

 

São omissões a mais.

E já agora o pérfido fascismo ia criar de raiz um edifício para o Liceu e urbanizar a Encosta Sul.

Parte dela continua por urbanizar (foram urbanizados outros terrenos e autarcas abrilistas fizeram uma aposta errada em termos de expansão urbana, aposta a que andaram ligados interesses imobiliários pouco claros).

 

 

 

ma 

 



publicado por porabrantes às 09:40 | link do post | comentar

Terça-feira, 11.04.17

Não sabemos quem está a escrever a história do Liceu de Abrantes, mas a revista ''Seara Nova'', conotada com o PCP, escrevia em 1975

 

liceu de abrantes.png

proletariado.png

É o nº 1551-1562 de 1975

 

A Seara achava que os movimentos estudantis que não eram controlados pela UEC eram reaccionários.

 

Haveria que ouvir a Zita Seabra, que controlava a UEC na época sobre isto.

 

Fica a dica para os interessados.

 

mn



publicado por porabrantes às 18:07 | link do post | comentar

Quarta-feira, 05.10.16

Sabem quem foi orador, no Convento de S.Domingos na sessão solene para festejar a abertura do Liceu, as Janelas Floridas e a Exposição Pecuária?

O ''insigne'' director do Diário da Manhã, o pasquim fascista, onde escrevia o Zé Manel Pintasilgo, o Senhor  Barradas de Oliveira

liceu 2.png

D. de Lisboa, 2 de Outubro de 1967

O Fernando Velez tinha especial admiração pelo Barradas de Oliveira, autor de grandes obras como ''Quando os cravos murcham'' e director do pasquim fascista ''Diário da Manhã'' que depois se fundiu com a folha clerical-miguelista ''A Voz'', dando origem à ''Época', que o Barradas também dirigiu.

A escolha deve ter sido dele, para meter o Barradas a perorar no Convento.

Em abono do Barradas teve dizer-se que foi companheiro de tertúlias do António Botto, do Pessoa e naturalmente do inventor da propaganda fascista lusa, o António Ferro.

ma 

 

  



publicado por porabrantes às 21:06 | link do post | comentar

gaspar liceu.png

 ma

  



publicado por porabrantes às 20:05 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.03.16

isabel cavalheiro pequito rui pereira.jpg

 Baile de Finalistas do Liceu (primeiros finalistas a fornada de

mário semedo.png

Mário Semedo)

 

A Drª Isabel  Cavalheiro dá um pé de dança com o Dr.Pequito, o Reitor do Liceu de Abrantes

foto publicada no facebook Liceu de Abrantes por Rui Pereira.

Santa Nostalgia.

mn 



publicado por porabrantes às 21:53 | link do post | comentar

Quinta-feira, 21.01.16

sampaio da névoa liceu.jpg

O Sampaio da Nóvoa é o coordenador deste livro, com Ana Teresa Santa Clara, que faz um retrato dos liceus de Portugal. É obra útil!

Mas o homem esqueceu-se que havia um Liceu em Abrantes, desde pelo menos quando o candidato tinha 15 anos.

O antigo aluno do Liceu de Abrantes, Jorge Lacão, que apela ao voto nele, não lhe explicou isso.

Veja o índice.

Esqueceu-se de nós e quer votos?

ma

 

devida vénia para o livro ao excelente Silêncios e Memórias



publicado por porabrantes às 23:19 | link do post | comentar

Sexta-feira, 20.03.15

 

A distinta Advogada Ana Paula Milho fez a sua estreia (achamos nós) nas petições on-line devido a um estranho caso de copofonia estudantil, reprimido com dureza e isenção pela PSP.

copos.png

O estranho caso (mas não menos estranho que daquela vez que uma militante e autarca socialista era Advogada do Município e Defensora dos Munícipes) foi resumido pelo Mirante nesta foto

copofonia.jpg

Mirante

 

Um menor, enquanto dirigente estudantil, promoveu uma farra épica, em instalações municipais, o Mercado dos Sabores, a que o povo já chama Mercado dos Licores, e a PSP, depois de queixa dos pais de outros menores envolvidos, actuou e apreendeu o ''trotil''.

 

É o caso de ''trotil'' abrantino mais divertido, desde que o ''Independente'' divulgou a lista dos médicos que recebiam presentes ''inapropriados'' dos Laboratórios e estava lá na listazinha o nome de um abrantino que recebera um garrafão de carrascão.

 

O Mirante diz que a PSP comunicou o nome ao MP do Presidente da associação copofónica ''por se tratar dum menor''.

 

A repressão ataca!

 

 

Nos tempos em que o Mário Semedo era o líder indiscutido da AVF-Associação Vínicola de Finalistas, com sede no Liceu de Abrantes e instalações cedidas pelo saudoso  Reitor Dr.Pequito, fundador do PS da Ponte do Sor, a PSP não se atrevia a perturbar libações estudantis.

 

   

 

 

pequito2.jpg

Mas o Mário Semedo e a Direcção da AVF proibiram a filiação na dita Associação Cultural a um tal Jorge Lacão por razões óbvias.

 

A história deu razão a Mário Semedo, nunca ninguém viu o dr. Lacão entrar na Prisão de Évora, levando uma garrafa de vinho abrantino, para oferecer ao 44.

 

Não estava o dito candidato em posse do mérito cultural para se agremiar com defensores das mais lídimas tradições vinícolas ribatejanas.

 

Nem então, nem agora.

 

Mas merecia o incidente uma petição com a distinta Advogada a protestar, contra um Chefe da Polícia que desmantelou uma rede mafiosa cigana de extorsão a comerciantes?

 

Eu acho que não.

 

Já agora, descobrimos o 3º contrato de avença da Ilustre Advogada com outra filial camarária, o Tagus Valley

 

04-06-2013
Tipo(s) de contrato Aquisição de serviços
Tipo de procedimento Ajuste directo
Descrição Processo n.º 1/TAGUSVALLEY/2013 - Contrato de Avença -Assessoria Jurídica
Fundamentação Artigo 20.º, n.º 1, alínea a) do Código dos Contratos Públicos
Fundamentação da necessidade de recurso ao ajuste direto (se aplicável) ausência de recursos próprios
Entidade adjudicante - Nome, NIF Tagusvalley - Associação para a Promoção e Desenvolvimento do Tecnopolo (506579344)
Entidade adjudicatária - Nome, NIF Ana Paula da Piedade Milho (168708060)
Objeto do Contrato Prestação de serviços de assessoria jurídica, apoio técnico, emissão de pareceres independentes e exercício de mandato forense, bem como, os demais atos próprios de advogados definidos na Lei à entidade Tagusvalley.
CPV 79000000-4, Serviços a empresas: direito, comercialização, consultoria, recrutamento, impressão e segurança
Data de celebração do contrato 09-04-2013
Preço contratual 8.280,00 €
Prazo de execução 1095 dias (3 anos)
Local de execução - País, Distrito, Concelho Portugal, Santarém, Abrantes

 

O Panorama geral é este, da actividade avençada da distinta jurista socialista,

 

ana paula.png

 Dizia Ortega y Gasset que '' cada homem e a sua circunstância'', tenho impressão que algum dos estudantes ébrios, quando acordar da ressaca, se for cursar Direito, quando acabar o curso, terá ''poucas circunstâncias'' para acumular tantas avenças do mesmo cliente como faz a Ilustre Mesária da Santa Casa e a partir de agora Ilustre Peticionária contra a PSP.

 

MA 

 



publicado por porabrantes às 13:34 | link do post | comentar

Terça-feira, 15.10.13

 

 

O estimulante romancista e ensaísta Miguel Real, assíduo colaborador do Jornal de Letras, recorda num blogue a sua primeira aula no ''nacionalizado  La Salle'':

 

 

''Recordo o primeiro dia de aulas no nacionalizado "Colégio Lassale"em Abrantes. Asminhas pernas tremiam, não controlava correctamente a língua, falava como se fosse gago, as palavras encavalitavam-se umas sobre as outras, esquecia-me dos nomes dos filósofos. A meio da aula, o discurso tornou-se fluente, entusiasmei-me e contei três ou quatro histórias engraçadas sobre a vida dos filósofos. Os alunos perceberam a minha inicial soberana aflição, eu tinha dito ser a minha primeira aula como professor e, no final, ao toque da campainha, desataram numa salva de palmas que nunca mais esqueci. Tinha acertado na profissão.''

 

 

No blogue do Fernando Alvim 

http://esperobemquenao.blogspot.com.es/2013/10/balanco-vital-no-jornal-metro.html

 

 

A consultar a entrevista no blogue citado.

 

 

Mas mais que isso, sobretudo ler a obra do Miguel Real, que além de ser um escritor que marca a actualidade e reflecte sobre as peripécias do devir da Cultura Portuguesa, é sobretudo um homem bom e de bem.

 

Já não vejo o Miguel há muito tempo, mas vou lendo alguns dos seus livros e aproveito para lhe mandar um abraço.

 

 

Trazem o ex-líder da CGTP às Conferências do Liceu. Aproveitem a dica, tragam o Miguel Real ao sítio onde começou a dar aulas e ele terá decerto mais que contar que o Carvalho da Silva, que está em campanha eleitoral para Belém, refazendo o caminho do seu ex-camarada Octávio Pato.

 

Bem a minha proverbial simpatia matinal, já está a descambar para a normal acidez. Isto promete.

 

MN

 

PS -O La Salle estava então emprestado para nele funcionar o Liceu de Abrantes. 



publicado por porabrantes às 09:03 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

Uma apologia do Dr.Manuel...

Movimentações reaccionári...

Fascista Barradas de Oliv...

Antigos alunos protestam ...

Um pé de dança

Sampaio da Nóvoa esqueceu...

As avenças e a peticionár...

Um filósofo no nacionaliz...

arquivos

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carlos marques

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

crime

diocese de portalegre

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário semedo

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Março 2020
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9



30
31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds