Quinta-feira, 22.02.18

alteração projecto

Uma vez a CMA fez um regulamento declarando que era dona do S.Pedro, a coisa saiu em Diário da República e só por protestos deste blogue e de um cidadão foram obrigados a corrigir a infâmia.

CMA arroga-se propriedade do Teatro São Pedro

 

No documento supra a dona Céu dá o seu acordo, a um documento onde se dizem falsidades.

 

Diz-se que a Colecção Estrada e Colecção Moita tinham sido ''doadas'' ao Município e era falso.

Ou a mulher não lê o que assina ou havia outras intenções.

De qualquer forma deviam preocupar-se em não dizer-se proprietários de coisas que não são suas.

mn 



publicado por porabrantes às 19:57 | link do post | comentar

Sexta-feira, 27.05.16

 

fernando figueiredo ribeiro.png

Foto Correio da Manhã

 

Fernando Figueiredo dos Santos trabalhava na Jerónimo dos Santos e era para ser o boss do grupo.Mas por razões aqui explicadas não foi . E a liderança depois passou a Alexandre Soares dos Santos

alexandre_soares_santos_pag.jpg

 Em 2014 era 8º homem mais rico de Portugal. Ou seja um partido de esquerdas ''privatiza'' a Galeria Municipal a favor de um milionário. A fortuna dele é avaliada em 429 milhões de euros.

santos.png

 

 in Paulo Ferreira, Empreendedorismo, uma análise sintética,Sílabas, Lisboa, 2015

 

luis_dias_2.png

CMA

Se o Vereador Luís Dias e o PS acham que fazer uma política cultural é ceder edifícios públicos a milionários, decorar a fachada com o nome de accionistas do Pingo Doce e dar-lhes poder de decisão na política cultural municipal, têm uma curiosa  concepção de interesse público.

pingo doce.png

Naturalmente pergunta-se se o sr. Fernando Figueiredo dos Santos  não podia construir um Museu Privado, usando os 429 milhões de euros, que os analistas lhe atribuem?

 

Sustentou o dr. Dias que a situação seria como o Núcleo de Arte Moderna de Tomar, produto duma doação dum nabantino ilustre, o meu querido Professor José Augusto-França, glória da cultura portuguesa.

JA Franca 1.png

BN

 

José Augusto França já tinha mostrado o seu amor a Tomar, com um maravilhoso livro, uma monografia sobre a Cidade. E fez uma doação e não exigiu o seu nome  à porta da Galeria.

frança 2.png

José Augusto França não precisa de poder, nem de placas, é um vulto universal da Cultura Portuguesa.

Não se pode pensar a Arte sem ele.

Mas também se engana, num dia que lá fui estava pendurada uma tela medíocre de Maria Lucília Moita e aquilo estava às moscas.

E o Serrano, de triste memória, teve o Museu fechado durante uma larga temporada, até que o Professor França protestou.

Restam duas ou três perguntas nesta triste história, quantas telas da Mary Lucy há na colecção Figueiredo dos Santos?

Em quanto é que o empresário avaliaria a colecção Moita que querem meter no MIAA?

maria_lucilia_157_1294241593-174x131.jpg

Pagaria mais de 500 € por cada tela?

As telas da pintora são mais baratas que as oliveiras centenárias a 2.000 €? 

Se a colecção é dum accionista do Grupo que controla a Victor Guedes, não seria melhor metê-la nas ruínas da moagem Silva Martins, ao lado da fábrica, recuperando essas instalações abandonadas e revitalizando o abandonado coração industrial do Rossio/S:Miguel?

moagem rst.jpg

 Salvo melhor parecer, este é o nosso

 

a redacção

    

 

 

 

  



publicado por porabrantes às 11:19 | link do post | comentar

Sábado, 07.05.16

diz o Garcia Salas, um político extremenho, para debater cidades inteligentes.

 

A Presidenta

 

cacique.jpg

explicará aos castelhanos, que a inteligência abrantina consiste em comprar oliveiras centenárias a 2.000 € para desonrar a memória de Lucília Moita, que nunca pintou oliveiras tão caras, porque era muito poupadinha.

moita 5.png

ma



publicado por porabrantes às 13:49 | link do post | comentar

Terça-feira, 01.12.15

lucilia.png

mary lucy 3.png

pamplona.png

Neste ano a expo não tinha sido na Galeria do SNI, o secretariado fascista de propaganda, tinha sido na Galeria do Diário de Notícias

 

E não digo, o que dizia Duarte Castel-Branco

 

mn

 

 



publicado por porabrantes às 15:55 | link do post | comentar

Domingo, 01.11.15

 

 

Já aqui se referiu que a ex-responsável do MIAA e ex-presidente do PS, Isilda Jana, disse em documento público, em 2012, que a colecção de Arte e Arqueologia da Fundação Estrada e a colecção Moita eram propriedade da CMA. Coisa falsa.

A grande pintora Lucília Moita

lucilia.png

nunca deu os quadros à CMA, fez um protocolo com a edilidade, onde prometeu dar se houvesse um edifício restaurado no centro histórico, para albergar a sua coleção.

A Isilda era Vereadora e tinha de saber isso. Era Vereadora da Cultura.

isilda.jpg

 

Em 7-7-2015 foi aprovado o Plano Abrantes 2020, que segundo a propaganda municipal definirá os grandes horizontes do concelho.

O plano foi aprovado por uma deliberação municipal e ao sê-lo passou a ser um documento que produz efeitos jurídicos e que só pode ser emendado ou alterado por outra norma jurídica de igual valor.

plano.png

O plano estratégico foi encomendado a uma consultora externa, sendo o alegado responsável João Fermisson, através da Improveconsult

 

improveconsult.png

 No plano dizia-se isto, quando foi aprovado,

plano 2.png

Ou seja dizia-se que a magnífica pintura da Senhora Dona Lucília Moita e a colecção da  F. Estrada tinham sido doadas à CMA.

Acredito perfeitamente na boa-fé do Sr.Fermisson, se ele escreveu isto é porque certamente consultou documentos camarários que diziam isto.  

O plano teve este preço

plano 3.png

 

  

Estou a pensar na tremenda indignação dos herdeiros da excelsa pintora quando leram os documentos, que os ofendiam na sua esfera jurídica e na sua sensibilidade. Certamente sentiram que a sua influência histórica junto das instituições abrantinas estava abalada.

Podemos um dia destes mostrar a que ponto chegou essa influência..... 

E tinham séria razões para isso. Nunca foi feita a escritura pública para doar os quadros, especialmente porque a morte súbita da grande pintora veio atrapalhar as coisas.

E porque a CMA ao contrário do que prometera não restaurou S.Domingos.

Fui rever o Plano estratégico que está on-line. E vi que o modificaram

plano 4.png

E alteram-no, sem haver deliberação camarária que o permitisse fazer,  e  ficamos  a saber que Plano agora diz que o MIAA terá só a colecção da Fundação Estrada que pelos vistos (como já dissemos muitas vezes) que afinal  não foi doada ao Município e que do MIAA não fará parte a colecção camarária que está no D.Lopo.

Um plano estratégico que muda todos os dias não é um plano, é uma improvisação quotidiana.

Mas continuam a ofender a memória da D.Lucília Moita dizendo que ela fez doação duns quadros ao município!!!!!

 

Podem informar-nos onde está a escritura, ou tenho de requerer ao Dr.Bento Pedro, prestigiado notário municipal e eventualmente ir às Finanças ver se os quadros constam da relação de bens da ilustre Pintora?

Mas o mais grave de tudo é alterarem um plano ''estratégico'', que foi aprovado por deliberação camarária de 7 de Julho, sem que haja deliberação camarária para o fazer.

Isto é ilegal.....

Os Vereadores da Oposição são o quê?

Viola-se a lei, emendam-se Planos, desprezam-se os Vereadores eleitos pelo povo, desta forma?

Querem abandonar o Estado de Direito?   

Sobre isto,  amanhã na sessão, está na na ordem de trabalhos:  

plano.png

 

Discutir-se-á isso. Daqui uns dias estarão a discutir o caso Moita, a não ser que um amigo nos transmita novidades, especialmente sobre a influência que teve a ilustre família na CMA.

ma 



publicado por porabrantes às 22:37 | link do post | comentar

Segunda-feira, 29.06.15

 

Um dos pólos do MIAA, em São Domingos, era a colecção de quadros de Lucília Moita.

 

lucilia.png

 

Para os meter lá, mais à colecção Charters de Almeida e à da Fundação Estrada, pressupunha-se que a pintora doara os quadros à CMA, bem como a existência de documentos em relação às outras duas colecções, que concretizassem uma disponibilização dos espólios à CMA.

 

Porque se não existissem (ou se não forem juridicamente válidos) seria absurdo o investimento que foi feito, contratando um ajuste directo a Carrilho da Graça (aliás ilegal) no valor de mais de 800.000 €......

Carrilho espantado.jpg

 

 

Vou-me só concentrar na famosa doação da pintora de Alcanena.

 

Em 2004 a Rádio Hertz deu notícia da ''generosa'' doação:

 

mary lucy hertz.jpg

 Teriam sido 60 obras as doadas e o espaço a inaugurar abriria em cinco anos.

 

Passaram 11 anos, o espaço não foi aberto e o MIAA também não.

 

Devido a questões jurídicas, a malta, que organizou a petição, foi verificar se existiu alguma vez a generosa doação....

 

Mas antes disso salientarei que legiões de autarcas e vultos da sociedade civil ( expressão do baril) andaram a elogiar a generosidade da Pintora.

 

E a votar despesas sobre despesas, à conta da ''doação'' (também houve os que votaram contra, caso de Santana Maia e Belém Coelho)! 

 

Terão lido os dossiers os autarcas?

 

Ou votam sem ler os documentos, agindo por mera disciplina partidária? Se fizeram assim, agiram como inconscientes....

 

Como não confio só em notícias de jornais, consultámos documentos oficiais

 

Nesta Conferência no CIAR da Barquinha estes responsáveis voltaram a falar na doação:

isilda jana.png

isilda jana 2.png

E aí consta o  nome dos responsáveis, que jura e perjura que Lucília Moita fez ''uma 'doação''. A  principal responsável política disto era Isilda Jana!!!!!

Isilda jana.JPG

mirante

 

miaa isilda 2012.jpg

 

 Pois bem, podemos garantir, com base em informação oficial, dada pela Drª Maria do Céu Albuquerque, que a pintora de Alcanena nunca fez uma doação à CMA e que portanto Isilda Jana faltava à verdade (por algum remoto motivo, não descarto qualquer possibilidade...).

 

Passemos aos documentos:

moita 5.png

Neste parecer dum órgão oficial a cacique informava que o processo que Isilda Jana dizia que estava pronto em 2012....ainda não se encontrava concluído em 2013.

 

Ou seja não havia doação (nem poderia haver, porque a pintora de Alcanena já falecera) e dizia que não podia facultar documentos........porque a família ou herdeiros de Lucília Moita não deixavam!

 

Isto é ......quem mandava em Maria do Céu Albuquerque seria a família Simão e eventualmente Moita e os herdeiros da Pintora, que podiam ser estranhos à família....

 

isto é o que se interpreta das palavras da srª drª Albuquerque .....

 

Desconhecemos se Maria Lucília Moita fez testamento, porque se o fez, pode ter nomeado legatários, fazendo uso liberalmente da quota disponível, a favor de terceiros estranhos aos herdeiros legitimários.....

 

Inclusivamente podia ter legado os quadros à CMA e não o fez .....aparentemente..

 

E se não o fez, é porque não tinha vontade de os doar à CMA, porque esta não lhe montara o Museu prometido, incumprindo compromissos ...  

 

Por agora chega, mas ...voltaremos a este assunto....

 

Só uma nota mais, para referir que o documento citado considera que a CMA exige taxas ilegais pelo preço das fotocópias, violando a Lei

 

E estão mais que avisados .... 

 

mn

 

 

 

 

 



publicado por porabrantes às 12:53 | link do post | comentar

Quarta-feira, 17.06.15

 

 
 

 

O que diz a Administração Pública e os investigadores por ela  pagos devia reger-se pelo rigor, competência e respeito pela verdade.

 

 

miia moita.png

Isto foi produzido pela CMA e por mais uns investigadores avençados

 

Sem ir demasiado longe, dizem no texto que há uma doação Lucília Moita.

 

E  se eu  digo que ou se enganaram ou que faltam à verdade?

 

Porque os detentores do espólio  de Lucília Moita  e os herdeiros  do marido  da Pintora ainda estão agora a negociar com a CMA a forma jurídica dessa ''doação'' se concretizar.

 

a redacção  

 

e não garantimos que isto não termine num tribunal......

 



publicado por porabrantes às 11:10 | link do post | comentar

Domingo, 19.10.14

 

 

simão 1.png

 

alçada 2.png

 

a divina prosa do António Alçada neste livro de memórias, o ladrão era um cigano que vivia naquele bairro paroquial ao lado da Padaria, quando se baixa pró La Salle.

Esta forma de integrar ciganos é muito original, porque é a cacique não fez o mesmo quando lhe assaltaram a casa e lhe levaram o bólide????

Fazia como a D.Lucília, passava a ter ciganos ladrões para todo o serviço... 

 

MA 

alçada.png



publicado por porabrantes às 12:52 | link do post | comentar

Segunda-feira, 15.09.14

 

 

 

 

 

 

(...)

 

reproduzido com a devida vénia da tese de Mestrado de  Maria Armanda Paixão Charneca que leva o título ''Uma rede de Museus para Abrantes'', Universidade de Lisboa, Faculdade de Belas Artes, Lisboa 2005

 

A tese está on-line

 

A tese é interessante mas tem alguns erros ( algum inadmissível, atribuível quem sabe ao orientador Fernando Baptista Pereira, que devia ter corrigido esses erros) que serão aqui rebatidos, mas constitui uma obra válida sobre o património cultural

 

Nos fragmentos reproduzidos ( texto do 1º volume página 190-191, fotos do 2º volume) há uma valente denúncia do estado em que a autarquia mantinha o espólio artístico, do Museu, bem como a autarquia, quase sempre PS, ao longo dos anos tinha descurado a nossa memória.

 

Naturalmente recordarei que foram foram directores do D.Lopo, Lucília Moita e Joaquim Candeias  Silva depois do 25 de Abril.

 

O que importa é saber como está a coisa agora.

 

E os Vereadores da Oposição exigirem uma visita às Reservas para saber  como se conserva a nossa memória.

 

MN

 

    

 

 



publicado por porabrantes às 13:27 | link do post | comentar

Quinta-feira, 12.06.14

 

Foi o dr.Nelson Carvalho quem garantiu que ''Trata-se de uma exposição que mostra uma pequena parte das peças que vão constituir as colecções do futuro Museu, nomeadamente as que incluem peças muito importantes no contexto histórico e patrimonial do antigo espaço que hoje conhecemos como Península Ibérica, mas também peças da história grega, romana, fenícia e egípcia”, sublinhou no autarca.

“Nesta colecção encontramos muitas peças com a escrita tartéssica e que vamos querer decifrar no nosso centro de investigação, que será coordenado por Luís Oosterbeek”, director científico do Museu de Arte Pré-Histórica de Mação, referiu.'' (Mirante 18-6-2009)

 

 

Pois bem, suponho que se o dr. Nelson Carvalho for  como testemunha num eventual processo  para explicar isso dos tartéssicos.....terá de explicar isto,,,,

 


E o Oeesterbeck terá de confirmar se Nelson Carvalho disse baboseiras ou não.....E se as disse, porque nisso foi iludido pelo Oeesterbeck. ...

 

E se mudou de opinião desde 2009 ou não.......

 

 

As pessoas quando escrevem um papel (mesmo que seja um e-mail) ou bolsam enormidades são responsáveis cíveis e criminais pelo que declaram

 

 

Da mesma forma Nelson Carvalho se perguntado pelo famoso protocolo de doação de Lucília Moita que dirá?

 

 

Que previa uma escritura de doação dos quadros (60 a óleo) e alguns desenhos e passo a enumerar ''Pedras da Serra Estrela'' etc e a doação não foi feita e a pintora morreu e terá de haver uma relação de bens com estes  quadros e uma escritura de partilhas entre os herdeiros, e nova escritura porque entretanto morreu o Sr.Fernando Simão?

 

E que cada um dos 60 quadros dificilmente alcançaria num leilão mais de mil euros?

 

Porque um Lozano foi outro dia vendido no Correio-Mor por três mil, e é óbvio que qualquer quadro dele vale mais que um quadro da Moita?

 

 E que queria gastar 12 milhões de euros para instalar 3 colecções, uma das quais a Moita não vale mais de 60.000 €?

 

 

 

 

Finalmente no hipotético julgamento, o Nelson Carvalho poderá emular o Pina dos desmentidos: dizer que as palavras que o Mirante lhe atribuiu são falsas. Coisa que fez o Pina com incrível ousadia....

 

Mas parece-me que 5 anos depois vai atrasado...

 

 

Já que falo em Tribunais (falarei mais hoje....)

 

entrou novo processo no TAF sobre a Farmácia da Bemposta

 

 

14.4BELRA-A

286700

1ª Espécie - Ação administrativa comum

ADM

Eliana Cristina de Almeida Pinto

Unidade Orgânica 1

                           
   

Autor:

   
   

Luísa Dias Pimenta     Santos (Outros)

   
   

Réu:

   
   

INFARMED -     Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde, I.P.

   

 

 

 

 

 

 

MA



publicado por porabrantes às 12:58 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

O seu a seu dono

A Galeria do Milionário

Caciquismo visita Badajoz...

A D.Lucília Moita não tin...

Pobre D.Lucília Moita! Po...

A doação que nunca existi...

É preciso rigor

O cigano ladrão e a famíl...

O raio das reservas do Mu...

o fantasma tartéssico

arquivos

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

candeias silva

carrilhada

carrilho da graça

cavaco

cdu

chefa

chmt

cidadão abt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

cria

duarte castel-branco

eurico consciência

fátima

fogos

gnr

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

jorge lacão

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

nova aliança

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pico

pina da costa

portugal

ps

psd

psp

república

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

são domingos

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Junho 2019
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10


25
26
27
28
29

30


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds