Terça-feira, 27.07.21

Em Junho de 1972, as BR faziam ir pelos ares 15 Berliets que a MDF estava a preparar para o Exército em Cabo Ruivo. Este é o comunicado:

COMUNICADO N. 3
ACÇÃO DE SABOTAGEM CONTRA A GUERRA COLONIAL REALIZADA PELAS BRIGADAS REVOLUCIONÁRIAS
15 CAMIÕES PESADOS BERLIET DESTRUÍDOS EM CABO RUIVÓ

Na madrugada do dia 11 de Julho, em Cabo Ruivo, as Brigadas Revolucionárias realizaram, com êxito, mais uma acção armada: 15 camiões pesados Berliet (franceses), que iam ser entregues ao exército fascista para servirem na guerra colonial, foram destruídos. O seu valor ascende a cerca de 15 mil contos.

Esta acção está na sequência das acções realizadas pelas Brigadas Revolucionárias na madrugada do dia 1.º de Maio, com a tentativa de corte de energia em parte do centro e em todo o sul do país, e da acção do dia 11 de Junho, de recuperação de centenas de quilos de explosivo, na pedreira entre Loulé e Boliqueime, no Algarve.

A acção do 1.º de Maio, que visava paralisar toda a actividade económica para que os trabalhadores comemorassem o seu dia, embora tenha sido realizada com os maiores cuidados técnicos, não resultou devido à uma alteração na potência do explosivo utilizado.

A recuperação do explosivo da pedreira do Algarve visou superar esta situação, o que foi totalmente conseguido. O guarda da pedreira, ao contrário do que afirma a nota da PIDE, foi tratado com todo o respeito, o respeito que nos merecem os trabalhadores, ao mesmo tempo que lhe foi explicado o significado e importância política de uma tal acção.

Com esta primeira acção contra a guerra colonial, as Brigadas Revolucionárias manifestam a sua profunda determinação de tudo fazerem para transformarem a guerra colonialista dos fascistas e imperialistas numa guerra revolucionária dos trabalhadores contra os seus opressores.

É na prática do combate contra o inimigo comum que se torna viva a solidariedade entre o povo português e os povos das colónias.

A acção armada das Brigadas Revolucionárias é parte integrante da luta geral dos trabalhadores portugueses pela revolução socialista. Contrariamente ao que pretende fazer crer o Governo fascista de Marcelo Caetano através dos comunicados da PIDE o proceso de luta armada é irreversível em Portugal.

A única alternativa para a tomada do poder pelos trabalhadores e o triunfo da ditadura do proletariado é a luta armada e não qualquer outra via, como pretendem ilusões reformistas, através de manobras de cúpula, desligadas das massas.

Caminhar firmemente para ligar num mesmo objectivo a acção armada e a luta de massas — eis a tarefa imperiosa que se põe a todos os revolucionários.

  • Luta contra o capitalismo e o seu aparelho de Estado fascista;
  • Luta contra o colonialismo e neo-colonialismo;
  • Luta contra a imperialismo.

VIVA A LUTA REVOLUCIONÁRIA ARMADA.

Lisboa, 11 de Junho de 1972.''

Segundo o D. de Lisboa desse dia não houve vítimas. Alguma bibliografia diz que a acção foi no Tramagal, o que é falso.

devida vénia   https://www.marxists.org/portugues/tematica/livros/brigadas/br_sec3.htm 

 

Ademais, em 1 de Maio de 1972, alguns postes de alta-tensão no Castelo de Bode também foram pelos ares.

O deputado Calapez Martins (que tinha sido oficial no RI2) pediu a restauração da pena de morte para os responsáveis destes e doutros atentados bombistas. Era Janeiro de 1974

mn

 

 


tags: ,

publicado por porabrantes às 20:54 | link do post | comentar

Domingo, 30.05.21

(....) Os trabalhadores da Fábrica Metalúrgica Duarte Ferreira enfrentam o patrão, impedindo a sua entrada nas instalações fabris. Manifestam-se dispostos a tomar conta da produção, dando-lhe um destino. Este era outro caso especial. Com o arranque da descolonização, Portugal mudara de rumo, deixando certas indústrias de fazer sentido. A metalúrgica construía então veículos militares Unimog - mais tarde os UMM.Com o fim da guerra, entrou em declínio, sendo objecto de intervenção estatal. Conta o administrador do Banco da Agricultura, Filipe Pinhal: "Um dia, Costa Martins [ministro do Trabalho] telefonou-me: Se o banco não desbloquear crédito para pagar salários aos trabalhadores da Metalúrgica Duarte Ferreira (MDF) - cuja comissão de trabalhadores era muito activa -, não se admire se, ao fim do dia, não puder sair, porque eles vão estar aí à sua porta." O Banco de Agricultura era um dos três bancos que apresentava créditos mais elevados sobre a MDF.(...)

in Cristina Ferreira, '' Unicidade sindical combate o "ventre mole da Revolução", Público, 3/4/2000 

 


tags:

publicado por porabrantes às 17:11 | link do post | comentar

Sábado, 29.05.21

No processo de comunização em curso, no ano de 1974, são presos os gestores da Duarte Ferreira (MDF), segundo o académico  António José Telo in História Contemporânea de Portugal

mdf 102.png

Tal prisão, sem culpa formada, como é próprio de candidatos a ditadores , inseria-se na política de sovietização de Portugal dirigida por Vasco Gonçalves e Álvaro Cunhal.

antónio josé.jpg

 

Que se saiba nunca a CMA, onde coabitavam o Zé Bioucas, o Semedo, o Manuel Dias, o futuro presidiário Campante, o Zé Vasco, e mais algum direitista cujo nome se  omite, tomou posição pública contra as prisões políticas.

Se bem nos lembramos a ''historiografia'' local é omissa, como é natural, em relação a estas prisões.

O Prof. Telo é um dos grandes especialistas em história contemporânea.

ma 



publicado por porabrantes às 07:57 | link do post | comentar

Quinta-feira, 03.09.20

A história do industrial eborense Lenine Fialho, que chegou de trabalhador agrícola a industrial metalomecânico, desafiando a MDF.

In Indústrias e Élites no Alentejo de Paulo Eduardo Guimarães


tags:

publicado por porabrantes às 10:01 | link do post | comentar

Sexta-feira, 01.05.20

La imagen puede contener: 2 personas, texto

Homenagens ao velho ferreiro e nem sequer uma rubra flor na tumba do Zeferino

Nem o Partido dele, o PCP se lembrou.....

Devia ser perigoso o Zeferino, tinha uma pistola ''Savage'', quando o prenderam .....

Não nos digam que o Zeferino, ''destilava ódio'', como o Durruti,

 

La imagen puede contener: una persona


tags: ,

publicado por porabrantes às 16:43 | link do post | comentar

Terça-feira, 07.01.20

luis_dias_2

Luís Dias foi o protagonista da organização duma candidatura ao Turismo de Portugal para ''perpetuar'' a memória da MDF.

Naturalmente foi chumbada.

No entanto o Vereador e a Lígia e o séquito foram atirar foguetes para Dubrovnik.

ma



publicado por porabrantes às 10:31 | link do post | comentar

Quarta-feira, 02.10.19

71113127_2832774680067068_9021777361586094080_n

A ex-avençada municipal e candidata PS à Assembleia de Freguesia do Tramagal, Lígia Marques e o Luís Dias estiveram presentes na Croácia, neste evento.

Do programa a parte mais interessante era a visita turística

Apresentaram este texto sobre a MDF e o Museu.

Além de erros de inglês, como definir Eduardo Duarte Ferreira, como ''Commander''.......Comandante por ser Comendador, quando a tradução era Knight Commander (membro duma ordem honorífica) vieram explicar ao mundo que a MDF instituiu  o primeiro sistema de previdência social em Portugal, coisa que é falsa.

A MDF foi um claro exemplo de paternalismo social, mas essa preocupação é muito mais antiga em Portugal.

'' In the MDF museum we tell the stories of opportunities and conquests, such as the acquisition of the Enamel Crockery Factory in Oporto or the Auto Division that built the product that left the largest hallmark in our national history – the mythical military truck Berliet-Tramagal. It tells the story of its centennial brand, one we recognize and discover throughout the country and even beyond our country’s borders - the Butterfly. Through it we learn the story of more than 2600 workers and their families who had access to the country's first welfare system, health, education, culture, sport and housing, and who were free to celebrate the 1st of May since 1901, even during the dictatorial regime. ''

A MDF começa a trabalhar em finais do século XIX .

Ora já bastante antes muitas empresas lusas tinham instituído sistemas de protecção social.

Nesta tese  (1) onde se estudam os sistemas de protecção social das variadas companhias ferroviárias, demonstra-se para este ramo industrial esse facto.

Basta citar a criação em 1866 da Caixa de Socorros da Real Companhia Ferroviária. E a Companhia abrangia Abrantes, porque explorava a Linha de Leste.

É com base nessas experiências já amplamente testadas em Portugal e em Abrantes, terra de importante nó ferroviário, que Eduardo Duarte Ferreira vai montar o sistema patronal de assistência social tramagalense.

Portanto antes de informarem o Mundo, estudem História de Portugal, é o conselho que paternalmente damos ao Luís Dias e amigos.

mn

(1)- Rafael Pereira Gonçalves, Associativismo Social  Ferroviário em Portugal, tese de mestrado no ISCTE 

 



publicado por porabrantes às 15:30 | link do post | comentar

Quinta-feira, 11.07.19

pravda tramagal

Em 1985 o Pravda dedicou um longo artigo à MDF. Conseguiremos o exemplar?

mn


tags: ,

publicado por porabrantes às 23:12 | link do post | comentar

Quarta-feira, 10.07.19

engeneiros ohio

ohio 2

Anuário de 1915 da Ohio Northern University

mn



publicado por porabrantes às 18:15 | link do post | comentar

Domingo, 12.05.19

Tinha de ser a Palha de Abrantes a dar uma lição aos caciques ''socialistas''.

O investigador da UNL  João Edral (numa colaboraçao UNL/ Palha fez esta comunicação: Movimento de trabalhadores da Metalúrgica Duarte Ferreira entre 1974 e 1985: crónica de uma delapidação”

Os caciques já podem convidar o investigador e a Lourdes Martins a irem à Croácia.

ma  

 



publicado por porabrantes às 16:55 | link do post | comentar

ASSINE A PETIÇÃO

posts recentes

MDF: As Berliets que fora...

Ministro resolve crédito ...

Presos Políticos: prende...

Lenine desafia MDF

Nem uma rubra flor na tum...

Turismo de Portugal chumb...

Estudem História : A MDF

Artigo do Pravda sobre a ...

Um estudante do Tramagal ...

Palha de Abrantes estuda ...

arquivos

Outubro 2021

Setembro 2021

Agosto 2021

Julho 2021

Junho 2021

Maio 2021

Abril 2021

Março 2021

Fevereiro 2021

Janeiro 2021

Dezembro 2020

Novembro 2020

Outubro 2020

Setembro 2020

Agosto 2020

Julho 2020

Junho 2020

Maio 2020

Abril 2020

Março 2020

Fevereiro 2020

Janeiro 2020

Dezembro 2019

Novembro 2019

Outubro 2019

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

tags

25 de abril

abrantaqua

abrantes

alferrarede

alvega

alves jana

ambiente

angola

antónio castel-branco

antónio colaço

antónio costa

aquapólis

armando fernandes

armindo silveira

arqueologia

assembleia municipal

bemposta

bibliografia abrantina

bloco

bloco de esquerda

bombeiros

brasil

cacique

candeias silva

carrilho da graça

cavaco

cdu

celeste simão

central do pego

chefa

chmt

ciganos

cimt

cma

cónego graça

constância

convento de s.domingos

coronavirús

cria

crime

duarte castel-branco

eucaliptos

eurico consciência

fátima

fogos

frança

grupo lena

hospital de abrantes

hotel turismo de abrantes

humberto lopes

igreja

insegurança

ipt

isilda jana

jorge dias

josé sócrates

jota pico

júlio bento

justiça

mação

maria do céu albuquerque

mário soares

mdf

miaa

miia

mirante

mouriscas

nelson carvalho

património

paulo falcão tavares

pcp

pego

pegop

pina da costa

ps

psd

psp

rocio de abrantes

rossio ao sul do tejo

rpp solar

rui serrano

salazar

santa casa

santana-maia leonardo

santarém

sardoal

saúde

segurança

smas

sócrates

solano de abreu

souto

teatro s.pedro

tejo

tomar

touros

tramagal

tribunais

tubucci

valamatos

todas as tags

favoritos

Passeio a pé pelo Adro de...

links
Outubro 2021
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12


24
25
26
27
28
29
30

31


mais sobre mim
blogs SAPO
subscrever feeds